Bancos: demasiado grandes…para tudo

Seis bancos controlam 67% de todas as actividades bancárias dos Estados Unidos e Bank of America sozinha é responsável por cerca de um terço de todos os empréstimos concedidos no ano passado as empresas. Toda a nossa economia está baseada no crédito e estes bancos gigantes são o centro do…

Ler mais... Bancos: demasiado grandes…para tudo

Federal Reserve: falha o homem Goldman Sachs. Por enquanto.

Larry Summers Quase. Quase quase. A ideia de Obama era simples: pôr um homem da Goldman Sach qual novo chefe da Federal Reserve. Muito simples. O homem? Larry Summers. 59 anos, ex Secretário do Tesouro, director do United States National Economic Council do Presidente, ex director da Universidade de Harvard,…

Ler mais... Federal Reserve: falha o homem Goldman Sachs. Por enquanto.

Obama e a cruzada contra os bancos malandros

E continuemos a falar de Justiça. Nos jornais internacionais dos últimos dias é possível encontrar notícias acerca do simpático Barack Obama na cruzada contra os bancos malandros (nota: em português encontrei algo no Estadão de S.Paulo, pois em Portugal somos demasiados entretidos com as imprescindíveis aventuras dos políticos locais e…

Ler mais... Obama e a cruzada contra os bancos malandros

Os bancos gays

Nota prévia: Para evitar estúpidas acusações, esclareço que o que está em causa neste artigo não são os direitos gays. A tentativa é realçar um fenómeno real (consultem os link presente no fundo) e, por enquanto, ainda sem explicação. Goldman Sachs e JP Morgan elogiaram a decisão da Suprema Corte…

Ler mais... Os bancos gays

JP Morgan e a ameaça comunista

Na passada semana, a equipa de pesquisa europeia do banco JP Morgan publicou um relatório de 16 páginas acerca dos trabalhos de ajuste na Zona NEuro: coisas que foram feitas, que deveriam ser feitas e outras amenidades. Nada de particularmente interessante: redução dos custos do trabalho, despedimentos mais simples, privatizações,…

Ler mais... JP Morgan e a ameaça comunista

Política e bancos: quem rasteja não tropeça

O administrador do banco JP Morgan Chase, Jamie Dimon, testemunhou na passada Quarta-feira perante a comissão bancária do Senado dos Estados Unidos no âmbito da investigação sobre as recentes enormes perdas provocadas por operações de alto risco especulativo, realizadas pela filial inglesa do banco. Os media do resto do mundo…

Ler mais... Política e bancos: quem rasteja não tropeça

Bolhas

JPMorgan perdeu mais de 2 biliões de Dólares devido a apostas especulativas. Tudo em seis semanas. Não é simples perder mais de 2 biliões em pouco mais de um mês, mas JPMorgan conseguiu. Podemos pensar num problema deles, afinal é um banco privado. Mas não é bem assim. JPMorgan faz…

Ler mais... Bolhas

O caso das Taxas Libor: sempre os mesmos

London Interbank Offered Rate, Libor para os amigos.  E em Tóquio? Tibor. E na Europa? Euribor. E em Hollywood? Zsa Zsa Gabor. Tá bom, esqueçam o último exemplo. Mas os outros são importantes, pois são taxas de referência: indicam o custo dos empréstimos no mercado interbancário. Na prática, quanto custa…

Ler mais... O caso das Taxas Libor: sempre os mesmos

O quê é a Nato?

Cresce o interesse das multinacionais pelos negócios “pobres”: reformas, serviços. Tudo é ocasião para privatizar, introduzir códigos fiscais, novas contas bancárias, cartões de crédito. É preciso liberalizar. E para liberalizar, os seguros tornam-se obrigatórios, pois já não há o Estado ou a autarquia nos bastidores, há só o privado. Em…

Ler mais... O quê é a Nato?

Equador: parar a dívida é possível

Vamos falar de vulcões. E de erupções. Ahi que medo. Algum tempo atrás, na Islândia, o vulcão Eyjafjallajökull (mas como é possível chamar um vulcão assim?) decidiu soprar nuvens de cinza branca que provocaram o curto-circuito nas ligações aéreas de todo o mundo, ao mesmo tempo que o povo da…

Ler mais... Equador: parar a dívida é possível
%d bloggers like this: