Tempos perigosos

Vivemos em tempos perigosos, especialmente porque muitas pessoas nem sequer se apercebem disso. Escrevi no Facebook durante dez anos. Ninguém me obrigou, nunca ninguém me pagou para o fazer. Achei-o agradável e divertido. Depois também útil, por vezes até importante. Sempre houve regras, limites, por vezes bastante hipócritas, aborrecidas ou…

Ler mais... Tempos perigosos

Quanto custaram os lockdowns

Após um ano e meio o começo da “pandemia” de Covid-19 é altura de começar a fazer as contas. Quanto custou não a doença mas as medidas que os vários governos adoptaram para enfrentar a emergência? Antes de mais: é uma conta que faz sentido? Porque seria possível pensar que,…

Ler mais... Quanto custaram os lockdowns

Afrotopia, além do colonialismo

Estava a ler a crítica ao livro Afrotopia de Felwine Sarr, antigo professor da Gaston Berger University no Senegal. Não li o livro nem tenciono lê-lo pois encara o assunto (a condição da maioria dos Países africanos) numa óptica que não me entusiasma. Todavia há um par de reflexões interessantes…

Ler mais... Afrotopia, além do colonialismo

Eugenia, Great Reset, Inteligência Artificial e Transhumanismo – Parte I

Transhumanismo, Quarta Revolução Industrial, Eugenia…. como é que chegámos até este ponto? Matthew Ehret, jornalista (Startegic Culture, Global Time, Zero Hedge, The Duran), pesquisador da Universidade Americana de Moscovo, tenta uma reconstrução. Desde Nuremberga passando pelo WWF, as Nações Unidas, até o DNA. E pessoas. Nomes que pouco ou nada…

Ler mais... Eugenia, Great Reset, Inteligência Artificial e Transhumanismo – Parte I

Sinto-me maratonista

Somo quem somos ou somos quem afirmamos ser? A tendência progressista e politicamente correcta é a segunda: somos quem afirmamos ser. Sou mulher mas afirmo ser homem (ou vice-versa)? Então sou homem (ou vice-versa), qual o problema? Em princípio nenhum, porque não deveria haver um problema: cada um faz da…

Ler mais... Sinto-me maratonista

Desde a homossexualidade das crianças até o fim da Democracia

Pessoal, hoje é um dia triste, aquele que costuma aparecer todos os anos com invariável precisão. Pelo que: nada de vacinas, nada de Covid. Só uns pensamentos soltos para depois ir chorar na cama, debaixo dos lençóis, longe deste mundo cruel. Assunto: LGBT? Bom, não é mesmo isso: aqui fala-se…

Ler mais... Desde a homossexualidade das crianças até o fim da Democracia

Mulheres?

Igualdade de género. Homens, mulheres, gays: todos iguais, todos com os mesmos direitos e os mesmos deveres. Parece uma coisa bonita, mas não é. Aliás: é péssima. Mais uma vez, estamos perante um processo de homogeneização, de achatamento, no qual as diferenças não são exaltadas mas sim reprimidas e por…

Ler mais... Mulheres?

Qual a nossa função?

No longínquo 1972, o autor italiano Franco Battiato (infelizmente desaparecido nas semanas passadas) publicou um álbum com o título de Pollution, que Frank Zappa definiu como “genial”. A última canção do lado B tem um título significativo: Ti sei mai chiesto quale funzione hai?, em bom português “Alguma vez te…

Ler mais... Qual a nossa função?

Branquidão, a doença sem cura

Interessante artigo de Journal of the American Psychoanalytic Association (“Jornal da Associação Psicanalítica Americana”) publicado no passado mês de Abril. Assinado pelo Dr. Donald Moss, fala duma doença bastante difundida no planeta: a branquidão. Explica a pesquisa: A branquidão é uma condição maligna e parasitária que se adquire e para…

Ler mais... Branquidão, a doença sem cura

Explorando a Convergência Biodigital

Vamos ler Exploring Biodigital Convergence (“Explorando a Convergência Biodigital”), documento com carimbo do Governo do Canada, publicado em Fevereiro de 2020, elaborado pela organização Policy Horizons Canada e introduzido por Kristel Van der Elst. Policy Horizons Canada (PHC) é uma organização do governo federal canadiano que realiza previsões. Dito assim…

Ler mais... Explorando a Convergência Biodigital
%d bloggers like this: