Não ponho a máscara, nem que seja obrigado a fazê-lo. Mas este sou eu. Nas ruas as pessoas estão cheias de máscaras. Ontem um diário português (um dos piores, o Correio da Manhã) ofereceu máscaras e houve pessoas que compraram não um mas cinco ou seis exemplares do mesmo jornal (assim podem ler ao longo da semana toda….). Hoje fui comprar uma torneira numa loja de feramentas e, curioso, perguntei à funcionária: “Desculpe, vocês têm máscaras”? Nem pensar, esgotadas e não desde hoje.

Quem produz as máscaras? Porque no mundo do Covid-19, aqueles que possuem máscaras de saúde e respiradores têm o poder. Para o presente e para o futuro.

Além da produção local, que é escassa e não especializada, não há muitos produtores de máscaras realmente efectivas, as PCP2 e as PCP3. Estes modelos são capazes de filtrar 95% das micro partículas, bem como de proteger o rosto. Nada a ver com as inúteis máscaras mono-uso: aqui falamos de máscaras para operadores sanitários, para quem realmente precisa proteger-se. Máscaras “sérias”.

Para produzi as máscaras PCP2 e PCP3 são necessárias linhas de montagem de alta tecnologia e, sobretudo, um material chamado “tecido soprado por fusão”: uma malha extremamente fina de fibras sintéticas de polímeros que forma a camada filtrante interna de uma máscara, permitindo ao utilizador respirar reduzindo o influxo de possíveis partículas infecciosas. Fibras cujos filamentos têm diámetros inferior a um micron: um milionésimo de milímetro. Estas fibras não só melhoram o conforto geral, como também proporcionam um isolamento avançado.

Em 2019, o volume de negócios total da indústria de tecidos de fusão soprados foi de 8 biliões de Euros. Os principais produtores de máscaras de tecido de fusão soprado são a China, a Índia e os Estados Unidos. Nenhuma surpresa. Vamos ver os nomes envolvidos.

  • Atex, fábrica chinesa. Principais accionistas: BlackRock, Vanguard, State Street.
  • Exxon Corporation, EUA. Principais accionistas: Vanguard, BlackRock, State Street.
  • Shanghai Yuanqin Purification Technology, China. Principais accionistas: o Governo chinês.
  • Du Pont, EUA. Principais accionistas: Vanguard, BlackRock.
  • Harkrishan Medicals, Índia. Empresários indianos com parceiros chineses.
  • Dow Chemical Company, EUA. Principais accionistas: BlackRock, Vanguard.
  • Kimberly-Clark Corporation, EUA. Principais accionistas: Vanguard, BlackRock.
  • Fiberweb, Índia. Principais accionistas: empresários indianos com parceiros chineses.
  • Berry Plastics, EUA. Principais accionistas: Vanguard, BlackRock.

Mas o principal fabricante de máscaras “sérias” é uma empresa chinesa: a BYD, acrónimo de “Build Your Dreams” (Construa os Seus Sonhos). A BYD é o sétimo maior fabricante de automóveis da China, bem como de telemóveis de gama alta. Em apenas três meses, tornou-se o maior fabricante mundial de máscaras de protecção contra o Coronavírus: 25 milhões de máscaras por dia. Os principais accionistas são, por ordem: o bilionário financeiro Warren Buffet, Vanguard e BlackRock. Em suma, trata-se de uma empresa americana. Na verdade, nas mãos de Wall Street.

Continuemos com a lista. Os outros grandes fabricantes de máscaras “sérias” são:

  • Honeywell, EUA. Principais accionistas: Vanguard e BlackRock.
  • 3M, EUA. Principais accionistas: Vanguard e BlackRock.
  • Makrite, Taiwan. Propriedade do Governo de Taiwan.
  • Benehal, Reino Unido. Principais accionistas: Del Vecchio, Bolloré e BlackRock.
  • Shanghai Dasheng Health Products Manufacture Company, da China. Propriedade do Governo chinês.
  • Aero Pro Company, Taiwan. Principais accionistas: State Street, Vanguard e BlackRock.
  • Shanghai Gangkai Purifying Products Company. Propriedade do Governo chinês.

BlackRock, Vanguard e State Street são os nomes que aparecem com maior frequência. Na prática, o mercado das máscaras sanitárias está nas mãos deles. Mas quem são? Numa palavra: monstros.

BlackRock gere algo como 7.43 triliões de activos, Vanguard 5.6 triliões, State Street 2.511 triliões. Juntos perfazem mais de 15 triliões de activos. São a nata de Wall Street: não acaso, BlackRock e Vanguard ocupam respectivamente o primeiro e o segundo lugar entre as maiores empresas do mundo gestoras de activos, enquanto State Street fica ´”apenas” na quinta posição. É complicado descrever em poucas palavras tais realidades, assim como é complicado encontrar um sector comercial do qual estas corporações estejam ausentes. Investigate Europe, um conjunto de jornalistas internacionais, perguntava-se em 2018: BlackRock: The company that owns the world? (“BlackRock: a empresa que possui o mundo?”). E não é um exagero.

Dá para pensar numa conspiração de produtores de máscaras? Não, não foram eles que despoletaram a crise do Coronavirus, de certeza não para vender máscaras: as três corporações estão presentes em todos os sectores da produção e comercialização. E muitas das empresas acima citadas têm uma produção bastante vária que passa da electrónica aos automóveis. É apenas uma curiosidade observar como, também numa pandemia, a ganhar sejam sempre os mesmos. Caso ainda houvesse dúvidas, claro.

 

Ipse dixit.

9 Replies to “”

  1. Vou-me despachar antes que cheguem o P.Lopes e o JF !
    Não tenho muito a dizer sobre este assunto, mas se for obrigatório utilizar máscaras no próximos tempos em Portugal, vou usar daquelas da construção civil, só mesmo para não ser multado.
    O surto do coronavirus está a terminar por isso vai ser coisa de pouca dura. Digo eu.
    Quanto aos tubarões das máscaras, já não surpreende, mas fiquei a saber um pouco mais.

    1. Vai com calma Krowler , eu não vou atrapalhar e o JF deve estar ocupado, até pensei em convida-lo para tomar um café mas vou antes aguardar até ele fundamentar uma cadeia de eventos que levou inclusive um país falido e que nada produz como Portugal a afundar um navio da Guarda-Costeira venezuelana. Eu confio no JF vale a pena esperar.
      Sobre a BlackRock é um mundo a começar pela escolha do nome (…) e conseguir ser mais poderosa e gerar mais lucro que muitos países no mundo e nada nem ninguém se tentar opor diz muito sobre quem governa realmente .

  2. Olá Max e todos: vão conseguir transformar essa gripe em pandemia. E deve ser este mesmo o objetivo, porque tudo que se faz é para permitir, e induzir mesmo novas e novas ondas da doença, aumentando artificialmente as estatísticas e prorrogando a situação até a vacina compulsória sair da corporação vencedora, e produzir uma porcaria maior ainda, não só do ponto de vista da saúde, como do ponto de vista do controle absoluto.
    Senão vejamos. O uso indiscriminado da quarentena na maioria dos países, medida jamais tomada na história da humanidade (parece que Suécia se salva) só serve para aumentar o risco da enfermidade, já que impede que naturalmente os corpos se contaminem e se imunizem. Sem contar o destroço das relações civilizadas entre as pessoas, que passam a ter medo umas das outras, e quererem distância. Sem contar a parada brusca e assassina das economias nacionais que atinge os mais fracos financeiramente, a brusca paralisação das exportações e importações quando a globalização já havia destroçado a auto sustentação dos países.
    Vamos a segunda questão: o uso indiscriminado de máscaras feitas de qualquer pano macio não impede coisa nenhuma, mas transmite uma sensação de dever cumprido para a comum estupidez humana. Futuramente serão vendidas a alto preço as verdadeiras máscaras e lá vai a gentalha a comprar, até porque é obrigatório, sujeito a multa.
    Aqui, no fim do mundo já fui multada pela polícia rodoviária, pois estava sem a dita cuja dentro do carro.
    Dá pena ver o povo todo fazendo máscaras coloridinhas com adereços para mulheres e crianças e vendendo a 10 reais. E todos a comprar de cores e modelos variados para sentar com a roupa do momento. Quando eu penso que já vi tudo, os brasileiros me surpreendem, e as tais máscaras da moda passam a servir como se máscaras fossem.
    E tem uma terceira questão. O pessoal “tratado” em hospitais públicos e de campanha, acaba saindo pior do que entrou porque entrou com uma gripe forte, que dependendo de complicações simultâneas, é entubado, usa aparelhos de respiração artificial que os mata do coração, e vai na conta do virus que vai virar pandemia. Remédios daqui e dacolá melhoram uns e matam outros. Foi o corona virus. Hospitais públicos cheios, e aí sim que quem entrou mais ou menos se contamina de tudo, e sai no caixão improvisado, também na conta deste virus que está ajudando tremendamente para a sua sombra, enriquecer mais ainda os ladrões de sempre, preparar golpes de estado e mudanças de regime, alterar o funcionamento do mundo, supostamente para o bem geral.

  3. A Organização Mundial de Saúde (OMS) em documento oficial publicado no início do mês de Abril voltou a recusar o uso de máscaras generalizado (excepto pelos profissionais de saúde) por as mesmas serem ineficazes na protecção contra a contaminação; as máscaras servem somente para proteger os doentes/pacientes das gotas de suor ou saliva dos profissionais de saúde que possam eventualmente cair ou ser expelidas.

    https://www.who.int/publications-detail/advice-on-the-use-of-masks-in-the-community-during-home-care-and-in-healthcare-settings-in-the-context-of-the-novel-coronavirus-(2019-ncov)-outbreak

    Este documento deve ser divulgado, pois existe muita desinformação por parte da população sobre este assunto, que depois é aproveitada pelos governos e entidades para dar a ideia aos cidadãos de uma ilusória segurança através do uso da máscara, ou seja o chamado efeito placebo.

    Outro ponto importante é o uso generalizado de luvas seja de látex ou de outro material, que para além de ser uma falta de higiene ajuda a propagar todo o tipo de doenças; por alguma razão são descartáveis.

    Na sociedade em geral o fetiche pelo uso da máscara é um dos assuntos na ribalta das conversas que se vai ouvindo por aí, onde inclusive já se fala que provavelmente é uma conspiração maléfica de chineses para vender máscaras e lucrar com a doença do coronavírus covid-19, mas ninguém vai ao cerne da questão e faz referência (como fez o Max) às empresas que detêm realmente o controle da produção desse utensílio e as suas conexões.

    Repare-se que estamos em prisão domiciliária, as liberdades civis foram-nos retiradas, o Estado de Direito Democrático e a Constituição foram suspensos, parou-se a economia e o desemprego que já era elevado agravou-se, mas nas filas para o supermercado ou da padaria ninguém quer saber desde que tenham uma máscara esta gente já fica satisfeita, é o parolismo no seu esplendor.

    Como dizia a canção, «…lá vamos, cantando e rindo…».

      1. Conspiração = precarização das maiorias = ganhos gigantescos das minorias = civilização democrática e livre…kkk

  4. «…Não ponho a máscara, nem que seja obrigado a fazê-lo…»

    Fiquei hoje a saber que será necessário o uso de máscara e luvas para cortar o cabelo na barbearia ou cabeleireiro.

    Também partilho da sua opinião Max, mas neste caso como fazemos?

Obrigado por participar na discussão!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: