Coronavirus, 5G e censura

Uma das tentativas para explicar a actual “pandemia” de Coronavirus tem sido a contemporânea implementação da nova rede 5G.

Como reza a inoxidável Wikipedia:

O 5G (Quinta Geração de internet móvel ou Quinta Geração de sistema sem fio), representa a futura geração de telecomunicação móvel. O 5G já vem sendo estudado para substituir o 4G e ter a próxima geração lançada dentre os próximos 10 anos, seguindo o mesmo padrão de evolução das demais gerações anteriores.

De facto, a rede 5G substituirá a actual 4G para oferecer a Internet das Coisas (IOT, Internet Of Things), mas a modalidade de funcionamento preocupa. A banda operacional da rede 5G pode chegar àquela correspondente às microondas, entre 3 GHz e 300 GHz: será que isso pode influenciar negativamente a saúde humana?

Dado que o foco deste artigo não é a rede 5G mas a sua eventual interferência com a actual “pandemia”, vamos ver quais os argumentos utilizados por quem defende existir uma conexão entre os dois assuntos.

5G e sistema imunitário

A primeira hipótese é que a rede 5G enfraqueça o sistema imunitário dos seres humanos: a “pandemia”, portanto, seria o resultado deste enfraquecimento. Esta hipótese é facilmente desmentida: se assim fosse, nesta altura haveria uma autêntica explosão de doenças infecciosas porque o Coronavirus é apenas um da miríade de agentes patogénicos contra o qual o nosso sistema imunitário luta a cada dia.

E dado que o Coronavirus nem é o agente patogénico mais agressivo (tomara fosse…), nesta altura o número de óbitos já teria disparado até valores dignos de Dia do Juízo. Pelo que: a 5G não enfraquece o sistema imunitário.

5G e SARS-CoV-2

A única possível alternativa poderia ser o pensar numa interferência específica entre as ondas da rede 5G e o vírus SARS-CoV-2, o responsável da “pandemia”. Doutro lado, já a rede 3G tinha sido indicada como a responsável da SARS na altura e a sucessiva 4G foi culpada da Gripe Suína. Portanto cada rede tem a sua própria “pandemia”. Mas o que falta? Falta o elo. E não é um pormenor.

Não é suficiente afirmar “a rede 5G torna mais agressivo (ou até desenvolve) o SARS-CoV-2”, é preciso demonstra-lo. E é neste ponto que a teoria trava bruscamente: não há nenhuma demonstração neste sentido. Não é que falte apenas “a prova conclusiva”: é que não há maneira de demonstrar uma qualquer ligação entre as ondas utilizadas pela rede 5G e o vírus.

Pelo contrário: o que sabemos do ciclo de “vida” (entre aspas, pois falamos dum vírus) diz que em momento algum o SARS-CoV-2 depende ou reage perante à presença de energia electromagnética ambiental, o mesmo tipo que existe na atmosfera que nos rodeia.

Repito: o que está em análise aqui não é o perigosidade da rede 5G no geral, pois este é um assunto bem mais amplo e não pouco controverso. Aqui a atenção é focada exclusivamente no relacionamento entre rede 5G e Coronavirus.

5G, antenas e revolução

Uma outra explicação fornecida pelos apoiantes da teoria do 5G é que a “pandemia” seria uma operação de cobertura para a instalação das antenas 5G. Na prática, um chamariz para distrair o povo enquanto as empresas de telefonia plantam as antenas por cima das nossas cabeças.

Esta afirmação parte dum princípio: sem a “pandemia”, os cidadãos notariam os trabalhadores que instalam as antenas e, unidos por um sentimento de revolta, começariam a impedir os trabalhos e a abater as antenas. Suponho também que a seguir seriam atacados os Parlamentos, presos os políticos e, por fim, guilhotinados ao grito de “Liberdade, Irmandade, 1G!” (sendo esta última a única rede que não foi associada a nenhuma pandemia).

Mas também este princípio é facilmente desmontado: não é precisa nenhuma acção de cobertura, pois as antenas do sistema 5G começaram a ser instaladas antes da “pandemia” e não houve revolução nenhuma. Em vários Países os testes da rede 5G foram começados em 2018 e, a seguir, a rede está em fase de implementação e activação desde os primeiros meses de 2019: tudo decorreu sem problemas. Aliás, estou pessoalmente convencido de que se, houvesse um inquérito, a maioria dos utilizadores de internet móvel seria bem feliz de poder utilizar a 5G já agora.

5G e focos de infecção

Em internet é possível encontrar (entre outros) este mapa:

No mapa acima os lugares onde é operativa a rede 5G, no mapa abaixo os focos iniciais de Coronavirus. Muito impressionante, não é? Pena que não signifique nada, porque ao confrontar os mesmos tipos de mapa de outros Países não conseguimos encontrar a mesma correlação, bem pelo contrário.

Pegamos no exemplo aqui do burgo: Portugal. Onde está activa a rede 5G na terra de Camões? A rede 5G está a ser testada em Lisboa pela operadora MEO mas o principal foco do Coronavirus fica no Norte, onde a rede nem se encontra em fase de teste.

Em Italia a rede 5G está disponível em várias cidades italianas, entre as quais Milano e Brescia. Mas não Bergamo. Doutro lado, a 5G está já disponível em Genova (no Norte), em Roma (Centro) e Napoli (Sul), realidades que de certeza não podem ser consideradas “focos de infecção”.

E que dizer da Irlanda? Tem um das mais desenvolvidas redes 5G da Europa mas está quase a ser ignorada pela “pandemia”.

Mais: a notícia segundo a qual a cidade de Wuhan foi a primeira a ter uma cobertura 5G é falsa. O governo de Pequim tem implementado a rede em várias localidades em simultâneo: Wuhan é apenas uma delas, ao ponto que hoje a China tem a maior rede 5G em funcionamento.

5G como arma

Encontrei isso também, mas não consigo imaginar a ligação entre 5G e “pandemia”. Qual a necessidade de implementar uma falsa pandemia? Para esconder o potencial da nova arma? Esconder aos nossos olhos? Qual o sentido? Nos laboratórios militares deve haver milhares de armas que desconhecemos, o facto da rede 5G poder (eventualmente) ser utilizada como arma não justifica uma pandemia.

Esconder o facto de que a rede 5G pode (eventualmente) provocar doenças? Então é criada logo uma pandemia? Isso é estúpido.

A rede 5G é uma arma utilizada para provocar doenças que requerem perigosas vacinas? Mas aqui voltamos a quanto afirmado antes: em momento algum o SARS-CoV-2 depende ou reage perante à presença de energia electromagnética ambiental. Para apoiar a teoria da 5G como arma contra o nosso DNA (ou contra o RNA dum vírus) é preciso antes demonstrar que a rede 5G consiga alterar o DNA (ou RNA) nas frequências e potências nas quais é utilizada. E até agora ninguém conseguiu este resultado, porque não é correcto bombardear um DNA (ou RNA) com potentes doses de microondas: é preciso utilizar as mesmas frequências e potências utilizadas pela normal rede 5G, aquela que alcança os nossos smartphones.

Lamento, mas não consigo encontrar nenhuma ligação entre 5G e Coronavirus. Se os Leitores tiverem conhecimentos ou dados que demonstrem o contrário, então façam o favor de envia-los. Mas, por favor, não enviem artigos do tipo “o Dr. Xin Pop Corn no seu laboratório atirou um feixe de microondas contra os ratos e estes sofreram mutações incríveis” porque não faz sentido: experimentem ligar o microondas no máximo e enfiar no forno a vossa cabeça, vão ver se sofrem alterações ou não. As comparações apenas são possíveis utilizando as frequências e as potências em jogo numa normal rede 5G.

Antes de concluir, vou repetir mais uma vez: este artigo não pretende apresentar a rede 5G como inócua mas demonstrar que não existe nenhuma ligação entre esta tecnologia e a actual “pandemia” de Coronavirus.

5G e Censura

Uma curiosidade.

Para redigir este artigo procurei vários termos com o motor de pesquisa Google. A intenção era obter dados que apoiassem a correlação entre 5G e Coronavirus. Mas algo “estranho” aconteceu.

Por exemplo, ao inserir no campo de pesquisa a frase inglesa 5g causes coronavirus (“5G provoca coronavirus”), os resultados fornecidos vão exactamente no sentido oposto: são listados artigos que desmontam esta teoria. Intrigado, procurei coronavirus is a flue (“coronavirus é uma gripe”) e o misterioso fenómeno repetiu-se.

Mudando para o motor de pesquisa e utilizando DuckDuckGo, o fenómeno desaparece.

Estamos entendidos, não estamos?

 

Ipse dixit.

Nota: Para consultar o estado da rede 5G nos vários Países é possível utilizar o portal nPerf.

35 Replies to “Coronavirus, 5G e censura”

  1. «…Por exemplo, ao inserir no campo de pesquisa a frase inglesa 5g causes coronavirus (“5G provoca coronavirus”), os resultados fornecidos vão exactamente no sentido oposto: são listados artigos que desmontam esta teoria. Intrigado, procurei coronavirus is a flue (“coronavirus é uma gripe”) e o misterioso fenómeno repetiu-se.

    Mudando para o motor de pesquisa e utilizando DuckDuckGo, o fenómeno desaparece…»

    Recentemente o navegador firefox deixou de aceder a certas páginas na Internet, mostrando para o efeito um aviso de que a página pode ser perigosa, ou então apresenta uma mensagem de erro.

    Não sei se existe algum problema técnico com esse navegador ou se é mesmo censura, isto tendo em conta que o sr. Soros já veio a público afirmar o seu apoio à empresa Mozilla para juntos e bravamente combaterem as falsas notícias (fake news, pela sua sigla em inglês), ou melhor tudo aquilo que possa interferir com a versão standard propagandeada…

    Isto para não falar no quanto se tornou lento e pesado este navegador no Linux.

  2. Não tem um monte de gente, grupos, facções, querendo acabar com os sucessos chineses? Então se aproveita um objeto de terror pelas massas incautas e “encosta” o 5G, e tudo fica junto nas cabecinhas. Acredito que passe por aí a invenção para que as pessoas tenham medo do 5G. O medo paralisa, o povo não compra. Mais um pouco de guerra comercial sempre é bem vindo.

  3. Esta pandemia tem servido para aumentar a criatividade dos cidadãos, e este romance 5G-Coronavirus já me tinha sido sugerido por alguns dos seus seguidores com o intuito de me juntar à causa. Fiquei de estudar o assunto, mas por falta de oportunidade, ainda não o tinha feito. Este artigo do II vem-me poupar o trabalho.

    Ainda no campo das relações causa-efeito, isto é, o que está por detrás da pandemia, surgiu-me outra proposta de teoria baseada no vídeo ‘Out of shadows’. Alguém que acrescentar algo a isto?

    Não sei que é feito do P.Lopes, que tem estado calado, mas gostava de saber se ele tem alguma ideia para um eventual relação entre o buraco da camada de Ozono e o buraco do Bolo Rei.

    1. A partir de agora os chineses vão ser os maus.

      É a malvada ditadura comunista que vigia todos os seus cidadãos, a China é novo homem do saco, fujam, fujam.

      Até à bem pouco tempo, eram os Russos, pá, e os Skripal (alguém sabe o que é feito deles?), depois a Venezuela, meu deus, que por ter um presidente eleito democraticamente e querer seguir os seus destinos da forma que considera melhor, levou inclusive um país falido e que nada produz como Portugal a afundar um navio da Guarda-Costeira venezuelana isto para não falar do dinheiro que roubou aos cidadãos Venezuelanos através do novo banco.

      E depois vem o Irão, nossa senhora, cheio de árabes furiosos, que são incapazes de compreender que as bombas, a destruição, e a morte, que o regime da Inglaterra e os seus aliados espalham pelo Médio-Oriente e o Norte de África é para o seu bem.

      E…

      Bem, Allen Ginsberg já o dizia:

      «…América a verdade é que você não quer ir à guerra.

      América são eles os Russos malvados.

      Os Russos os Russos e esses Chineses…»

    2. Meu estimado Krowler, depois de ler aqui sobre um navio de passageiros operado por uma companhia privada e cujo registo do navio foi feito em Portugal é entendido como um navio do estado português, Hããã … ??? E que independentemente da versão apresentada por cada um dos comandantes dos navios ( Em aguas internacionais ou não, parado ou não para manutenção de um motor ou não) a possibilidade de um navio daquela dimensão e desarmado conseguir manobrar ao ponto de abalroar e afundar um navio da guarda costeira,muito mais pequeno, leve, rápido, manobrável e armado … ( isto parece uma anedota)
      E vens me perguntar a mim sobre uma relação entre o buraco do ozono e o buraco do bolo rei ???
      Tens a certeza que a pergunta era para mim ?
      Mas já agora… porque razão eu haveria de ter alguma ideia sobre o tema ?
      Não sei… eu neste momento só me ocorre uma pergunta estranha …sei lá … do tipo :
      – Porque é que alguém haveria de continuar a viver neste pais de merda e agressor ( de indefesos navios de guerra) quando poderia estar a ser feliz num qualquer destino paradisíaco tipo: China…Rússia…Venezuela…Coreia do Norte…
      E para este mistério tens alguma ideia ?

      1. Na verdade você está a mentir, Portugal assim como o regime da Inglaterra, a França, Espanha, e Holanda, têm participado a convite dos Estados Unidos da América do Norte (EUA) de um golpe ou operação para sequestrar ou fazer desaparecer o Presidente Nicolás Maduro (eleito democraticamente pelos cidadãos Venezuelanos).

        Essa operação teve início em Março.

        O navio português, RCGS Resolute, inclusive após o acto escroque que cometeu (a Pirataria tem mais dignidade) fugiu cobardemente para Curaçao ficando sob protecção holandesa.

        Para além disto os regimes da Inglaterra e França, enviaram dois navios de guerra carregados de armas sob a fachada de transporte de materiais para combater a doença do coronavírus covid-19.

        1. Mas como é que um individuo consegue mentir quando esta meramente a falar de probabilidades???
          JF queres por gentileza explicar exactamente em que é que eu estou a mentir ?
          Se eu tiver um carro registado em França de matricula francesa e com ele fizer um assalto em Portugal podemos culpar o estado Frances pelo assalto? ( Passa-se o mesmo com o tal barco…)
          A relação de massa e velocidade entre as 2 embarcações torna extremamente improvável a versão apresentada pelos Venezuelanos. Qual é a relação entre: o Resolute a tentaiva de depor o Maduro e os 2 navios carregados de armas ? E é a mim que vem perguntar a relação entre o buraco de ozono e o buraco do bolo rei ?
          Krowler és pérfido és malvado ! Já conseguiste chatear o JF, estás feliz ?

          1. P.Lopes, peço desculpa pelo facto do JF se ter apropriado do meu comentário de forma tão despótica, mas ele está sempre vigilante, atrás do monitor do pc, para atacar justamente quando os outros comentadores menos esperam.

            A minha questão sobra a camada de ozono tem a ver com um artigo que saiu no Expresso (JF, não tenho a certeza que tenha sido mesmo no Expresso, mas fica a ideia ok?) desta semana, sobra a recuperação do buraco da camada de ozono em tempos de Coronavirus. Parece que é desta que o buraco vai mesmo há vida, por força da hibernação cerebral da sociedade humana.
            A existir esse buraco, coisa que ainda está por demonstrar, a associação com o Bolo Rei surgiu com naturalidade, se pensarmos no contexto deste post. Como diz o proverbio: O que é que o coiso tem a ver com as calças?
            Finalmente; E porquê P.Lopes? E porque não P.Lopes?

            1. Se repararam, eu escrevi ‘há vida’ em vez de ‘à vida’, é que o meu cérebro também está a hibernar um pouco.

            2. “…E porquê P.Lopes? E porque não P.Lopes? ..”

              ( Essa observação faz-me muito lembrar do Dr. Álvaro Cunhal que quando as questões eram fechadas ou de difícil abordagem perguntava de volta ao jornalista , porque não fazia antes outro tipo de questão uma vez que a pergunta que o jornalista lhe fazia era mal fundamentada e irrelevante e não raras vezes partia da sua sua sugestão para responder a si próprio deixando o jornalista completamente desorientado ao ponto de já não se saber quem era o jornalista e quem era o entrevistado. )

              Meu caro Krowler : Porque existe uma cadeia lógica que deve presidir a cada raciocínio , nomeadamente; É quem interpela o visado que deve fundamentar a razão da sua interpelação e não o visado que deve se justificar o porquê de não ser interpelado.

              Extrapolando este modelo é aqui que se fundamenta o principio de presunção de inocência e até o principio da não inversão do ónus da prova ( o qual deve pertencer sempre a quem acusa ou interpela)
              Poderia apenas ter respondido a essa interpelação com outra pergunta : ” E porque não colocar o carro é frente dos bois? …” Mas a razão de não ter respondido apenas com uma observação empírica e de senso comum prende-se com o facto de querer analisar aqui a tal cadeia lógica que deve presidir a cada raciocínio, nomeadamente:
              Se o raciocínio aparece desordenado e não é fundamentado em nada “palpável”, ou “objectivo” então os raciocínios começam a ser guiados pelos nossos medos, pelos nossos receios, anseios e desejos …
              E então temos o pensamento de “manada” …
              Esta e a razão pela qual varias vezes aqui questionei o nexo de casualidade plausível entre eventos que surgiam numa cadeia ” aparentemente lógica” porque o ” aparente ” pode não passar disso e não ter nada de lógico.

              E é exactamente por isso que aguardo a resposta do nosso bom amigo JF para nos elucidar sobre a relação entre: (1) um “acidente” em alto mar, (2) o governo português e (3) a tentativa deposição de N. Maduro.
              Porque se não existir o tal nexo de casualidade então trata-se apenas de um pensamento desordenado que apenas serve para alimentar as famigeradas ” fake news” e dividir em vez de unir os pensadores alternativos .

              Obviamente, JF, refinado e perspicaz comentador deste blog, estará entrincheirado atrás do seu pc
              e irá sabiamente saber fundamentar as afirmações que relacionou o que eu aguardo ansiosamente …quase no limite da taquicardia .

              1. P.Lopes, eu estava a ler a resposta acima, e ao mesmo tempo estava a perguntar, ‘Onde diabo anda o JF para vir aqui dar uma mãozinha?
                A questão: E porquê P.Lopes. Tem a ver simplesmente como o factor ‘ausência nos últimos comentários’ e pelo apurado sentido de humor, com sabor a limão.
                Gostei do paralelismo com o Dr. Álvaro Cunhal, pois era alguém muito inteligente, o que ainda valoriza mais a forma e a ausência de conteúdo da minha resposta anterior.
                Prestados os devidos esclarecimentos, passo a palavra ao JF.

                1. Caro Krowler, respondi ao comentário por si publicado a 17ABR20, às 22:26, porque gostei da forma como definiu a questão do 5G:

                  «…este romance 5G-Coronavirus…»

                  Respondi-lhe com um simples comentário, que ilustra vagamente aquilo que penso sobre esta questão. É mais um confronto pelo domínio das telecomunicações (chamemos assim) entre os países Atlanticistas e os países da Eurásia.

                  Claro está que pelo facto da República Popular da China (RPC) desempenhar um papel fundamental na implementação desta tecnologia, é óbvio que pode e vai servir como um excelente bicho-papão para aqueles que desesperadamente procuram por um inimigo para justificar as suas acções políticas, económicas, ou militares.

                  Faça este raciocínio: 5G + coronavírus + chineses= Inimigo identificado e alvo a abater, pois são a causa de todos os males do Mundo que nos afligem e que tanto procurávamos para ocultar os problemas que criamos e não somo capazes de resolver.

                  Eu nem quero imaginar se alguém se lembra de juntar a isto morcegos e pangolins, será provavelmente o fim da Humanidade.

                  «…peço desculpa pelo facto do JF se ter apropriado do meu comentário de forma tão despótica…»

                  Está equivocado, jamais me apropriei do seu comentário, isso é falso, e terá de justificar o que escreveu caso contrário não passará de uma afirmação infundada.

                  O único problema aqui, foi desencadeado pelo sr. P. Lopes (esse sim apropriou-se daquilo que você escreveu para outros fins) mais a salgalhada que o próprio para ali redigiu (sem pés nem cabeça); talvez tenha sido por força do ímpeto que o possuiu ao ver a referência aos nomes Venezuela, Irão, Russos, Chineses, e como bravo escudeiro que é desembainhou a espada da sua consciência para defender as suas ideias.

                  Ao menos tem coragem para tal, ao contrário de muitos que aqui andam pela sombra.

                  P.S.: Sinceramente o assunto do 5G não me interessa de todo, existem neste momento outras questões que me despertam mais interesse, mas respondi à sua solicitação por mera cordialidade visto que é um leitor(a) antigo deste blogue e que tem dado bons contributos através dos seus comentários, que fortalecem a troca de informação e o debate de ideias.

                  Mas sinceramente, nunca pensei que o Bolo-Rei mais a Venezuela, o Irão, os Russos, e os Chineses, desencadeassem a fúria do sr. P. Lopes.

                  1. ” A FÚRIA DE P. LOPES ” Não percam ! Com P. Lopes no papel do furioso P.Lopes , JF o invicto combatente pelo mundo livre e Krowler o pérfido incendiário de comentários em blogues alternativos . Sexta-feira estreia nas principais salas de cinema do pais !

                    QuanTo a salgalhada sem pés nem cabeça que escrevi ? Nem sei … eu escrevo tantas salgalhadas … mas por falar em salgalhadas: JF , meu caro queira por favor explicar o tal teorema : (1) um “acidente” em alto mar com o navio Resulute, (2) o governo português e (3) a tentativa deposição de N. Maduro.

                    Aguardo com sincero interesse .

                    1. Sr. P. Lopes, não seja preguiçoso e faça você esse trabalho de pesquisa, não peça aos outros que lhe entreguem a papa feita, isso fica-lhe mal.

                      Mas como eu até não sou má pessoa, dou-lhe uma ajuda.

                      O afundamento propositado da embarcação pertencente à Guarda-Costeira Venezuela pelo navio português RCGS Resolute, insere-se no chamado «Plano de Transição Democrática para a Venezuela» criado para pelos Estados Unidos da América do Norte (EUA) para depor o governo do Presidente Nicolás Maduro, eleito democraticamente.

                      Mais informação: https://www.portaldiplomatico.mne.gov.pt/comunicacao-e-media/comunciados-de-imprensa/comunicado-sobre-anuncio-pelos-estados-unidos-da-america-de-um-plano-de-transicao-democratica-para-a-venezuela

                      Claro que não nos podemos esquecer que isto é tudo para o bem dos cidadãos Venezuelanos, pobres coitados, elegeram um representante que não agrada nem se enquadra com a «democracia» (leia-se interesses) que os anglo-saxónicos e os seus aliados defendem.

                      Uma ousadia dessas não pode passar impune, os Venezuelanos maus precisam de uma «transição democrática» para aprenderem que as coisas não podem ser assim.

                      Posto isto dou por encerrado este assunto, pois tenho mais que fazer.

          2. Já não é a primeira vez que ele acusa alguém de estar a mentir, só porque não concorda com a visão de mais alguém. É assim que ele age. E se alguém lhe chamar a atenção, ele continua na mesma, chama o outro de troll e ainda lhe diz para “papar uma hóstia que isso passa”.
            >…suspiro e abanar de cabeça…<

            1. sr.ª ou sr. Anónimo de 18ABR20, às 23:14, lamento a sua azia mas olhe que tem de aprender a conviver com todos, eu sei que é difícil, isso exige por parte da pessoa um grande esforço pois a diversidade de carácteres e de formas de cada um se expressar são imensas, e é isso que enriquece uma sociedade e não o contrário.

              Já reparei que é uma pessoa sensível, mas olhe paciência, se não gosta ou gostou, temos pena.

              1. Ó meu caro, mas isso de aprender a conviver digo-lhe eu a si!… Você é que acha que pode dizer as coisas de qualquer maneira, que não há problema nenhum, e que os outros é que têm de o aceitar seja lá como você for! Eu vou-lhe dar uma recomendação absolutamente amigável, sem ser de maneira nenhuma para causar estrilho: deixe de usar a palavra “mentir”, que essa palavra é grave e acusatória, diga simplesmente que não concorda com a visão de mais alguém e explique porquê!… E, se você se sente ofendido com isto, quem tem pena é o resto das pessoas, porque você devia sentir-se era agradecido!… E não escrevo isto para prolongar discussões, escrevo para as resolver!…

                1. «…deixe de usar a palavra “mentir”, que essa palavra é grave e acusatória, diga simplesmente que não concorda com a visão…»

                  Mas se alguém está a mentir, deve ser chamado de mentiroso(a), ou então aldrabão ou aldrabona, se preferir.

                  «…e explique porquê!…»

                  Mas todas as afirmações, conceitos, e análises, por mim aqui escritas são devidamente fundamentadas; você deve andar com a cabeça em Nibiru.

                  1. Eu não disse que não explica, quero simplesmente dizer que ao explicar, não o faça com a acusação de alguém estar a mentir…você tem o direito de esclarecer o que quiser, mas lá porque outra pessoa tem outra visão das coisas, não quer dizer que esteja necessariamente a aldrabar!…

              2. Meu caro JF, bem sei que não és má pessoa diria mesmo ” um bom Samaritano” e agradeço profundamente teres partilhado um pouco do teu conhecimento com este P.Lopes mentiroso e agora preguiçoso, e sobre estes adjectivos vou-te recordar as tuas sabias palavras :

                JF para interlocutor anónimo em 19 Abril, 2020 às 13:47
                ” …mas olhe que tem de aprender a conviver com todos, eu sei que é difícil, isso exige por parte da pessoa um grande esforço pois a diversidade de carácteres e de formas de cada um se expressar são imensas, e é isso que enriquece uma sociedade e não o contrário. ”

                Deduzo assim que chamar mentiroso e preguiçoso aos interlocutores é de uma grande riqueza social.

                Li o link que me enviaste e que não esclarece absolutamente nada, (se fosse um preguiçoso como eu a enviar um link destes até fazia sentido) … assim, continuo a reiterar o meu pedido para fundamentar a afirmação que fizeste sobre o acidente com o Resolute , porque sem fundamentação corremos o risco da tua afirmação não ser verdadeira (…) hmmmmm … Mas eu confio no meu estimado JF e assim respeitavelmente questiono.
                Relação entre :
                (1) “acidente” com o navio Resolute,( se o navio que é propriedade da empresa alemã “Columbia Cruise” porque razão é atribuída a responsabilidade dos seus actos ao pais onde esta registado quando os actos praticados (ou não) nem sequer ocorrem em aguas sob jurisdição de Portugal)
                (2) Que indícios existem para suportar que é a versão do comandante do navio da guarda costeira a versão correta e não a versão apresentada pelo comandante do Resolute ?
                (3) De que modo o afundamento de uma embarcação da guarda costeira contribui para a deposição de N. Maduro ?

                Por fim o meu caro JF dá por encerrada o assunto por :

                ( 1) Por ter mais que fazer, ou
                ( 2) Por não possuir indícios factuais para além da sua mera convicção

                Aguardo com redobrada expectativa

                  1. Mas todas as afirmações, conceitos, e análises, por mim aqui escritas são devidamente fundamentadas;
                    JF em 19 Abril, 2020 às 17:29

                    4 minutos depois :

                    Não lhe vou contar, porque se o fizer, fica a saber tanto quanto eu.
                    JF em 19 Abril, 2020 às 17:33

                    Mas antes no mesmo dia:

                    ” Mas como eu até não sou má pessoa, dou-lhe uma ajuda.”
                    JF em 19 Abril, 2020 às 15:45

                    Meu caro JF, a fazer fé no seu carácter, peço-lhe , não em meu nome, que obviamente não mereço por ser segundo diz mentiroso e preguiçoso , mas em nome dos leitores de II que certamente merecem que seja fiel aos seus princípios e recordando-lhe mais uma vez as suas palavras ” todas as afirmações, conceitos, e análises, por mim aqui escritas são devidamente fundamentadas”

                    Considerando que a sua ” ajuda” / “informação” que me disponibilizou em:
                    https://www.portaldiplomatico.mne.gov.pt/comunicacao-e-media/comunciados-de-imprensa/comunicado-sobre-anuncio-pelos-estados-unidos-da-america-de-um-plano-de-transicao-democratica-para-a-venezuela

                    Não esclarece, não fundamenta e nem sequer toca no assunto em questão; e recordo-lhe a sua afirmação inicial :

                    “…levou inclusive um país falido e que nada produz como Portugal a afundar um navio da Guarda-Costeira venezuelana…”
                    JF 18 Abril, 2020 às 10:02

                    Questiono-lhe mais uma vez, e sugeria que visse nisso uma forma de ser fiel aos princípios que diz ter, nomeadamente a fundamentação :

                    Relação entre :

                    (1) “acidente” com o navio Resolute,( se o navio que é propriedade da empresa alemã “Columbia Cruise” porque razão é atribuída a responsabilidade dos seus actos ao pais onde esta registado quando os actos praticados (ou não) nem sequer ocorrem em aguas sob jurisdição de Portugal)
                    (2) Que indícios existem para suportar que é a versão do comandante do navio da guarda costeira a versão correta e não a versão apresentada pelo comandante do Resolute ?
                    (3) De que modo o afundamento de uma embarcação da guarda costeira contribui para a deposição de N. Maduro ?

  4. “Uma outra explicação fornecida pelos apoiantes da teoria do 5G é que a “pandemia” seria uma operação de cobertura para a instalação das antenas 5G.”

    Não sou defensor desta teoria, de longe, mas fiquei pasmado quando estes dias me dei por uma antena montada perto da minha zona de residência. Falei com alguns conhecidos e quase ninguém se deu por ela. Apenas duas pessoas relataram que aquilo foi montado na semana passada e no espaço de 2/3 dias.

    Curioso.

  5. O mais divertido é os tais blogs “alternativos” ou “independentes” e seus respectivos comentários, assim como a mídia de massas, na verdade, não buscam nada além do próprio sistema vigente. Vivenciamos um período onde constatar processos conspiratórios nunca foi tão óbvio, mas, como outros assuntos malditos, é folclorizado ou é ignorado. Fica-se no dualismo diversionista e surrado de capitalismo x comunismo, enquanto a raiz do problema reside no processo histórico que envolve o controle do comércio da moeda e todos seus desdobramentos, por grupos facilmente identificáveis, se pesquisados…
    Mas prefere-se os recortes de alguns anos ou de algumas décadas, como se estes processos iniciassem do nada, qdo na verdade, praticamente tudo é sequencial e ajustados cfe interesses dessas minorias.
    Até na própria Wikipédia é possível constatar parte deste processo, ao menos em alguns idiomas…
    Pesquisem, História da Banca (sistema bancário)…e terão uma noção disso.

  6. Olá Anónimo!

    A origem de tudo é óbvia para quem deseja procurar ou simplesmente ler (inclusive aqui em Informação Incorrecta). Mas repetir constantemente “É culpa do dinheiro gerido por bancos privados que estão nas mãos de poucos” não ajuda a entender todos os processos aos quais assistimos diariamente e as interligações entre o psicodrama da “pandemia” e o sistema pseudo-capitalista.

    Informação Incorrecta desde o início (há 10 anos) apontou para o trilho do dinheiro e a consequente escravidão dos povos: mas o poder tem muitas maneiras de condicionar as massas. A “pandemia” é apenas uma destas maneiras. Acho bem que a informação alternativa (com os enormes limites e as “infiltrações” que apresenta) tente explicar não apenas a visão geral como também a particular. Trata-se duma forma para conhecer mais profundamente as técnicas de manipulação e as tácticas utilizadas: isso pode também ajudar a defender-se para conservar um mínimo de independência intelectual.

    Caso contrário estaríamos sempre a repetir “É culpa do dinheiro gerido por bancos privados que estão nas mãos de poucos”.

    1. O condicionar das massas já é um dos tantos desdobramentos advindos do controle monetário global, que por sua vez, através séculos, para se consolidar recentemente através da financeirização da economia, ou seja, da criação de riqueza artificial em total desproporcionalidade com as reservas naturais conhecidas. E é, justamente por seus controladores perceberem que o caminho dessa riqueza artificial não garante por muito tempo uma economia real, é que está sendo provocado um fator novo que afete esta equação, e gere um pretexto para novas intervenções do império londrino-wallstreetiano, sejam elas, bélicas ou diplomáticas, onde não temos como identificar quem é quem, pois tal poder é supranacional, e seu grau de controle ou interferência pode variar.

  7. Existe maneira de alguma dia este controlo e esta subjugação terminar? Acham possível que um dia a sociedade, como um todo maior que a soma das partes, se una num esforço combinado para realmente criar uma realidade de justiça equalitaria onde a verdade, transparência e honestidade são valores basilares? Será esse dia uma mera utopia, uma quimera?

    1. Deixará de ser utopia o dia em que cada um dos indivíduos sejam capazes de identificar e discernir a lógica do sistema mundo onde vivemos. A começar, tendo outro olhar para os Estados Nacionais, para a mídia, para a religião, para a ciência, que antes de qualquer coisa, operam, invariavelmente em favor de minorias. Caberia uma pergunta anterior. Como o indivíduo poderia chegar nisso? O abismo é imenso. A história do homem mostra que o homem se move entre o medo, a segurança e mais recentemente da ilusão. A maioria da população, envolvida pela propaganda, vê até os bancos como entidades voltadas para sua “qualidade” de vida… Acho que o único caminho seria refazer a hierarquia de valores civilizatórios, cuja premissa sempre foi priorizar o lucro de minorias através da especulação das maiorias.

  8. Olá Max e todos: e a ciranda do bio controle só se espraia pelo tecido social. Pois o governador do Estado de Santa Catarina Brazil baixou decreto de número 562, em 17 de abril de 2000, onde consta que a partir de então em todo território catarinense, as medidas gerais de enfrentamento serão: isolamento, quarentena e (pasmem, ou até nem tanto) determinação de realização compulsória (eu escrevi compulsória) de: exames médicos, testes laboratoriais, coleta de amostras químicas, vacinação e outras medidas profiláticas,tratamentos médicos específicos, estudo ou investigaçãp epidemiológica, exumação, necrópsia, cremação e manejo de cadáver e, requisição de bens, serviços e produtos de pessoas naturais e jurídicas, hipótese que será garantido o pagamento posterior.
    No decorrer do espantoso decreto fica claro a intervenção do Estado na propriedade (privada) pela polícia, força militar e similares para fazer o cumprimento da lei.
    Eis que assaltarão o meu corpo e a minha casa, quando e se assim desejarem. O que vocês acham disso?
    Quando o Caio o alemão noticiou que em sua cidade os policiais podiam entrar quando desejassem, quando desconfiassem da presença de um não morador, quando achassem que alguém daquela família estava enfermo etc, eu pensei : bom, Alemanha é sempre Alemanha. Mas a cópia aqui foi imediata, segundo me consta. Dizem que o catarinense é um povo que trabalha. Por isso a pobreza é pouca e a segurança é muita. Estamos a ver, não é mesmo?

    Oi TBS: pois olha, eu sempre me fiz esta pergunta e, sinceramente acho que vou morrer com ela, pois cada vez me convenço mais que o futuro se afasta de uma resposta positiva. Não é por isso que deixe de operar no sentido de entender o que se passa e tentar quebrar grades.

  9. Oi Anônimo: se eu tenho dúvidas? Pois olha, costumo acompanhar as sucessivas reciclagens que os poderes majoritários operam para garantir os bons lucros para seus negócios. Mas te confesso que desta vez a reciclagem total está sendo tão rápida e profunda, e abrangente que me surpreende
    Não tenho dúvidas que o demônio da vez será a China (não morro de amores pelo regime chines) simplesmente porque ela se prepara para ser a primeira potência mundial, aterrorizando os poderes tradicionais anglo- saxões que mandam no ocidente com pretensões de mandar em todo o mundo, fazer do planetinha seu campo de operações. A Ásia parece ter outros planos de governança para o mundo, fora da tradição a qual somos subjugados. Me parece esse o ponto fulcral que determinou essa farsa monumental, que está a permitir poderes determinantes para esmagar qualquer resistência. Naturalmente também continuam lançando mão da propaganda para conduzir as massas sonolentas e confusas. Exemplo clássico me fazeres traduzir o Benon na Fox. O fiz em respeito a tua pergunta.
    Se eu tenho dúvidas…muitas , e todas elas já se concentram num panorama difícil para que eu aponte linhas de fuga. O panorama do desemprega de um terço da população mundial, da “esmola” única ( renda básica) para a sobrevivência física da maior parte da população, do controle máximo e absoluto, do medo como modo de produção do pensamento das populações, isto sim me gera dúvidas de perder o sono. Porque vejas bem, antes minhas regrinhas de vida e pensamento funcionavam (algumas delas estão aí descritas em comentários). Elas respondiam dentro de uma sociedade disciplinar, o que já era uma m. Sem dúvida terei de encontrar novas regras, a reciclagem geral mudou o paradigma, mudará o mundo para muitíssimo pior.
    Acaso terás tu, ou outro comentarista qualquer de II, recursos para dar desenvolvimentos às minhas tantas dúvidas?

  10. Coronavírus & 5G…
    Ferramentas distintas para fins distintos, embora complementares para o(s) objetivo(s) pretendidos pelos “DDT”.
    Coronavírus – Guerra psicológica, experiência social, encobrimento da “implosão” do mercado de derivativos (hedge-funds) e respetivo “bail-out” do conglomerado financeiro (braço-direito do poder dos DDT), implementação da vacinação obrigatória e correspondente financiamento do conglomerado “Big Pharma”, o eventual futuro braço-esquerdo dos ditos para o sistema de controlo e vigilância da “manada”.
    5G – A 1ª rede de telecomunicações sem fios, capaz de transmitir e gerir a quantidade massiva de dados, que advém da implementação dos equipamentos de controle e vigilância da “manada”, a todos os níveis dos serviços disponibilizados.
    A breve prazo (4-5 anos) irá tornar-se insuficiente, daí estarem já a ser definidos os parâmetros para o 6G.

    Consequências do Coronavírus e do 5G/6G na população? Na saúde, “qualidade” de vida e esperança de vida?
    A recordar as palavras do “Top Dog” (Henry Kissinger), há quase 50 anos quando éramos uns 5 bilhões (hoje somos 8 bi)…
    ‘Depopulation should be the highest priority of the USA foreign policy towards the third world’.
    Parece-me que chegaram à conclusão (aí pelo advento do milénio, talvez uns anos depois) que dado o estado das coisas a nível mundial, será necessário um novo “reset”. Daí, terem atualizado o referido pelo “Top Dog” às condições e oportunidades presentes neste novo milénio, aplicando a referida “depopulation policy” ao mundo inteiro.
    Só as estatísticas dos próximos anos nos dirão se resultou. Recomendo um olhar futuro sobre a demografia das regiões orientais (China, Índia e sudoeste asiático) em particular.
    Se os resultados não forem “satisfatórios”, haverá sempre a possibilidade de um novo Covid, esse mais “refinado” de forma a produzir os resultados pretendidos… Eventualmente até será um benefício vir a aplicar-se a história do “Pedro e o Lobo”.

    Só mais uma coisinha, o problema com as frequências na saúde não se reduz a um parâmetro, que no caso do 5G só por si não é conclusivo de coisa alguma. É necessário incluir a potência e a modelação da transmissão (impulso).
    O 5G funciona nos 3,4GHz, 1GHz acima da frequência dos micro-ondas que funcionam nos 2,4GHz.
    O 4G+ já pode utilizar frequências nessa gama (2,3 a 2,6 Ghz), embora este uso seja para já específico.
    O problema maior, reside no tipo de onda transmitida que é pulsada e não contínua. É este tipo de onda que tem implicações ao nível dos tecidos vivos e consequentemente no DNA. E, embora os “danos” sejam eventualmente reduzidos, é o seu efeito cumulativo ao longo dos anos que nos deveria preocupar a todos. Daí, o dever de tentar minimizar a exposição, tanto quanto nos for possível, particularmente ao nível das crianças, pois as implicações no desenvolvimento celular são maiores.
    Importante – Informo ainda que as redes Wi-Fi trabalham também nos 2,4GHz e as mais modernas chegam aos 5-6Ghz.
    E, as fontes Wi-Fi que utilizamos diariamente são mais e mais próximas de nós, embora muito menos potentes.
    Aconselho a desligarem-nas quando delas não necessitam e desligarem-nas sempre à noite quando forem dormir.
    Ou introduzam na vossa rotina o “modo avião”, em especial se mantiverem o telemóvel convosco nos vossos quartos.

Obrigado por participar na discussão!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: