A Toyota responde

A Toyota responde ao meu pedido de esclarecimento.
Apreciamos a atenção e vamos ler.

Caro Mr. Dernam [deve ser um meu parente, ndt],

Obrigado por entrar em contacto com a Toyota Inc. e partilhar as suas preocupações sobre os produtos Toyota desviados.

Gostaríamos de tranquilizar: a Toyota tem uma rígida política para não vender veículos a compradores que potencialmente poderiam usa-los ou modificá-los para as actividades paramilitares ou terroristas, e temos procedimentos e compromissos contratuais em vigor para ajudar a impedir que os nossos produtos sejam desviados para utilizações militares não autorizadas. Na verdade, a Toyota parou de vender veículos na Síria há vários anos, por exemplo, a menos que estejam a ser usados para iniciativas internacionais de ajuda humanitária. Estamos empenhados em cumprir integralmente as leis e os regulamentos de cada país ou região onde operamos, e exigimos que os nossos revendedores e distribuidores façam o mesmo.

A Toyota também está a apoiar um mais amplo inquérito do Departamento do Tesouro dos EUA para estabelecer as cadeias de fornecimento internacionais e o fluxo de capitais e mercadorias para o Oriente Médio. A nossa interacção com o Tesouro faz parte dum programa de maior alcance que também inclui instituições financeiras, fabricantes de equipamentos, fornecedores de energia, petróleo e infraestruturas.

Há dezenas de milhões de carros e de camiões da Toyota em serviço em todo o mundo. Nós também somos consternados ao observar as fotos de militantes armados que utilizam os nossos produtos, e trabalhamos duro para garantir que os veículos em nosso controle não caiam em mãos erradas. No entanto, como qualquer construtora, não temos controle sobre os veículos usados ​​quando são vendidos, ré-vendidos, trocados e comercializados por terceiros nos mercados de carros n​do mundo.

Obrigado novamente por compartilhar as suas preocupações connosco, de forma que seja por nós possível enfrenta-las e, esperamos, resolve-las. O seu e-mail foi arquivado na nossa Sede Nacional.

Atenciosamente,

Anita M.
Centro Toyota Customer Experience

Tinha a certeza de que a Toyota teria respondido e que o tom teria sido este: não era possível esperar outra coisa. Agora Algumas considerações.

A Toyota é actualmente o maior construtor de carros do mundo. A razão? Simples: faz bons carros. E
aposta forte nos híbridos, a melhor solução no curto prazo para aliviar (não resolver) o problema da poluição.

Ver colunas de carros Toyota nas mãos do Isis não é uma boa publicidade. E de facto não foi a Toyota que forneceu o Estado Islâmico.

No ano passado, foi relatado que o Departamento de Estado dos EUA tinha enviado frotas de veículos (especificamente Toyota, ABC) para a Síria em apoio ao “Exército Livre da Síria” (os tais “rebeldes moderados”).

Recentemente (PRI), o Departamento de Estado norte-americano retomou o envio da ajuda, sempr eem favor dos “rebeldes” sírios, com outros 43 veículos Toyota. Oubai Shahbander, consultor da Coligação Nacional da Síria baseada em Washington:

Equipamento como os Toyota Hilux são o que preferimos.

O governo britânico também tem fornecido um número não especificado de veículos aos terroristas que lutam dentro da Síria. Num artigo de 2013, o diário The Independent realçava mesmo este facto:

Até agora, o Reino Unido enviou cerca de 8 milhões de Libras de ajuda “não-letal”, de acordo com os documentos oficiais, que incluem cinco veículos 4×4 com protecção balística; 20 conjuntos de armaduras corporais; quatro camiões (três de 25 toneladas, um de 20 toneladas); seis SUVs 4×4; cinco pick-ups não-blindados; um veículo de recuperação; quatro empilhadeiras; três kits avançados de resiliência destinados a resgatar pessoas em situações de emergência; 130 baterias de energia solar; cerca de 400 rádios; purificação de água; laptops; VSATs (pequenos sistemas de satélite para comunicações de dados).

Recentemente, o Daily Telegraph da Austrália relatava o desaparecimento de 800 veículos em Sidney e segundo, os especialistas, o destino dele foi o Isis.

O mistério das centenas de pick up Toyota novinhos em folha nas mãos do Estado Islâmico está resolvido. Estados Unidos, Reino Unido mas também Turquia e Jordânia têm fornecido os veículos aos “rebeldes moderados” da Síria. Os quais são tão moderados ao ponto de entregar logo os Toyota ao Isis. Agora o Tesouro dos Estados Unidos investiga: mas como isso pode ter acontecido?
Pois, um mistério inexplicável…

Ipse dixit.

Fontes: no artigo.

4 Replies to “A Toyota responde”

  1. Max, parabéns pela iniciativa.

    Tanto este post como o anterior sob o título 'O Califa', são importantes para ajudar a desenrolar a teia de desinformação que envolve o ISIS.

    Krowler

  2. Aqui na Inglaterra nós resolvemos escrever para nossos representantes no parlamento reclamando de bombardear a Síria etc. Etc.

    Respostas cheias de bla bla bla, porém o interessante foi afirmar "já sabemos que não existem moderados". 🙂

    Hipocrisia é a alma do negócio…

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: