O solvente no café: aspartame

Sábado, pausa na geopolítica e na economia.

Ontem falámos do McDonald’s e dos seus copos com recheio de cádmio.

Mas pode existir algo de muito mais perigoso e difundido. Algo que vai além dos 12 milhões de copos do Shrek, algo que todos consumimos sem quer. Já ouviram falar do aspartame?

Explica Wikipedia que esta substancia é um aditivo alimentar, utilizado para substituir o açúcar. Aliás, contrariamente a quanto podemos pensar, o adoçante mais utilizado nas bebidas é mesmo o aspartame, formado por L-fenilalanina e L-aspártico.

Um pouco de química

A fenilalanina é um composto natural, sendo um aminoácido codificado no código genético, e é presente nas proteínas.. Também o acido aspártico encontra-se nas proteínas mas, a diferencia da fenilalanina, não é um aminoácido essencial para o corpo humano e tem propriedades neurotransmissoras.

O conjunto de fenilalanina e acido aspártico fornece, como vimos, o aspartame que segundo alguns pesquisadores é nada mais nada menos do que uma neuro-toxina. Isso é, mata os neurónios. E provoca cancros. E linfomas. E leucemias. E também afecta o sistema nervoso central, limita a capacidade de aprendizagem.
Nada mais? Não, nada mais do que isso, ora essa.

Provas? Acerca deste ponto é polémica. Segundo alguns sim, há provas suficientes. Segundo outros o aspartame é uma maravilha. Para obter mais informações é possível procurar a palavra “aspartame” no Google, pois os resultados (muitos em língua portuguesa) não faltam.

Nós, para não saber ler nem escrever, ficamos com o seguinte:
10% do aspartame é constituído por metanol (mais propriamente, álcool metílico ou “álcool de madeira”). Este é um liquido inflamável, tóxico, utilizado como combustível, como solvente, como reagente químico, na produção de biodiesel, na produção de formaldeído, dos plásticos.
 
Um bom produto, que não pode faltar nas nossas mesas.

E, de facto, não falta. Segundo a mesma Wikipedia, o aspartame é consumido por mais de 200 milhões de pessoas em todo o mundo; uma estimativa que, a nosso ver, peca por defeito.
Alguns utilizam o aspartame em substituição do açúcar nas dietas hipocaloricas, outros simplesmente ao beber uma refrigerante.

Compras uma Coca-Cola e bebes um solvente. O que, de facto, ajuda a digestão.

 Vídeo

A seguir um vídeo que trata do assunto. O título traduzido é “Doce miséria: um mundo envenenado” e pode ser encontrados também na boa videoteca de Prova Final.
Aliás, aconselhamos aceder á videoteca pois aqui apresentamos só a primeira das 11 (!!!) partes que constituem a totalidade do documentário.

Boa visão.

Fontes: Wikipedia, Prova Final

One Reply to “O solvente no café: aspartame”

  1. Cafeína reduz a massa cinzenta do cérebro mas não prejudica o sono, diz estudo

    A massa cinzenta faz parte do sistema nervoso central e é composta por neurônios, estando relacionada à cognição e processamento. A informação de que a cafeína altera a estrutura da matéria (ou massa) cinzenta do cérebro pode ser um tanto quanto preocupante, mas os cientistas dizem também que essas mudanças são temporárias e que 10 dias de abstinência podem reverter o efeito.

    https://canaltech.com.br/saude/cafeina-reduz-a-massa-cinzenta-do-cerebro-mas-nao-prejudica-o-sono-diz-estudo-179390/

    Meditação aumenta a massa cinzenta

    O córtex frontal está ligado à tomada de decisão e à memória pratica. A maioria dos córtices encolhe à medida que envelhecem, mas meditadores de 50 anos de idade no estudo tinham a mesma quantidade de massa cinzenta que aqueles com metade de sua idade.

    https://www.jornaltornado.pt/meditacao-aumenta-a-massa-cinzenta/

Obrigado por participar na discussão!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: