Salvámos o Natal!

Vamos fazer um quadro geral das medidas governamentais anti-Covid válidas para Dezembro em Portugal.

Dias Medida
5, 6, 8, 12, 13, 19, 20, 27, 28 Recolher obrigatório entre 13:00 e 05:00. Proibida a circulação entre Concelhos.
7 Recolher obrigatório entre 15:30 e 05:00. Proibida a circulação entre Concelhos.
9, 10, 11, 14, 15 ,16, 17, 18, , 21, 22, 26, 29, 30 Recolher obrigatório entre 23:00 e 05:00. No dia 26 funcionamento dos restaurantes permitido permitido até às 15:30 nos concelhos de risco elevado e muito elevado.
Noite de 23-24 Circulação permitida apenas para quem se encontre em trânsito, também entre Concelhos
Dias 24 e 25 Circulação permitida até às 2h do dia seguinte, também entre Concelhos. Funcionamento dos restaurantes permitido até às 01:00. Os horários de encerramento não se aplicam aos estabelecimentos culturais.
31 Circulação proibida entre Concelhos das 00:00 até 05:00. Funcionamento dos restaurantes permitido até às 01:00
Todos os dias Proibido o ajuntamento na via pública de mais de 6 pessoas. Máscara obrigatória nos locais públicos em espaços fechados. Mascara obrigatória ao ar livre quando não for possível manter o distanciamento social.

Na verdade as coisas estão um pouco mais complicadas porque pode haver diferenças segundo o Concelho de residência. Mas também isso faz parte da diversão.

Portugal, de facto, está dividido em:

  • Concelhos de Risco Moderado (73 no total)
  • Concelhos de Risco Elevado (92)
  • Concelhos de Risco Muito Elevado (78)
  • Concelhos de Risco Extremo (35)

Seja como for, no geral as regras são aquelas publicadas acima e, para ajudar o Leitor, Informação Incorrecta preparou uma série de FAQ.

FUCK FAQ

Pergunta: Somos governados por pessoas com problemas psíquicos?

Resposta: Não, são pessoas preparadas que zelam pela nossa saúde com a ajuda de valiosos especialistas.

Pergunta: As medidas publicadas têm bases científicas?

Resposta: Sim, todas as medidas são fruto de longos estudos e meses de experimentação, tanto em laboratório quanto em simulacros no terreno.

Pergunta: Como é que eu nunca vi estes simulacros?

Resposta: Porque estava distraído.

Pergunta: Onde posso encontrar os resultados dos estudos científicos que justificam estas medidas?

Resposta: Todos os resultados estão disponíveis para o público e podem ser facilmente requeridos por carta registada ou correio electrónico ao Sistema Nacional de Saúde. Todos os pedidos serão satisfeitos entre os próximos dias 30 e 31 de Fevereiro de 2021.

Pergunta: Por qual razão nos fins de semana e nos feriados o recolher obrigatório começa às 13:00?

Resposta: Porque a OMS observou que nos fins de semana e nos feriados o vírus desperta pouco depois da hora de almoço.

Pergunta: Porque no dia 7 o recolher começa às 15:30?

Resposta: Porque o dia 7 fica entre um fim de semana e um feriado: o vírus fica em confusão e demora mais duas horas e meia para decidir o que fazer.

Pergunta: Porque não se podem juntar mais de 6 pessoas na rua?

Resposta: Porque quando se junta uma sétima pessoa alguém entre os restantes morre de repente.

Pergunta: Porque os horários de encerramento não se aplicam aos estabelecimentos culturais nos dias 24 e 25?

Resposta: Porque na Véspera e no Natal o vírus está empenhado em atacar as pessoas que festejam, ignorando aquelas que visitam os museus.

Pergunta: Porque faltam Concelhos com Risco Baixo?

Resposta: Porque nunca há um Risco Baixo.

Pergunta: Como é a vida nos Concelhos de Risco Extremo?

Resposta: Terrível: avança-se entre pilhas de cadáveres, rodeados por um ar opaco e esverdeado.

Pergunta: E nos Concelhos de Risco Moderado?

Reposta: Falta o ar esverdeado.

Pergunta: Pai Natal terá que pôr a máscara?

Resposta: Obrigatoriamente. Fica na faixa de risco por via da idade, sofre de obesidade mórbida e diabetes. Por esta razão o Governo está a preparar uma série de medidas dedicada expressamente ao sujeito, sempre em colaboração com os valiosos especialistas.

 

Ipse dixit.

9 Replies to “Salvámos o Natal!”

  1. Fala-se várias questões ligadas ao esquema que está por de trás da doença do Coronavírus Covid-19, mas tem-se esquecido a componente militar que está agregada ao mesmo.

    Desde Janeiro de 2020 que a Organização do Trato do Atlântico Norte (OTAN) deu ao início ao maior exercício militar de sempre na Europa, com o desembarque de mais de 30 000 militares Norte-Americanos e de outros países pertencentes à aliança da OTAN:

    – Reforger redux? Defender 2020 to be 3rd largest exercise in Europe since Cold War

    https://www.defensenews.com/land/2019/10/07/reforger-redux-defender-2020-exercise-to-be-3rd-largest-exercise-in-europe-since-cold-war/

    – Does the US Army have enough weapons to defend Europe? Exercise Defender 2020 will reveal all

    https://www.defensenews.com/land/2019/12/27/does-the-army-have-its-european-weapons-stocks-right-defender-europe-2020-will-tell/

    Ao contrário do que muita gente pensa, o exercício da OTAN, «Defender a Europa 2020» (Defender Europe 2020), não terminou em Maio de 2020, muito pelo contrário, após a retirada das tropas Norte-Americanas do território Europeu o exercício continuou até Outubro de 2020:

    – Pentagon’s European exercise campaign resumes with US-Polish drill

    https://www.defensenews.com/global/europe/2020/05/13/pentagons-european-exercise-campaign-resumes-with-us-polish-drill/

    Medidas como o recolher obrigatório, a limitação de pessoas nos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, a limitação e proibição da circulação por parte dos cidadãos entre Concelhos, proibição de ajuntamentos, usos de máscaras/viseiras, e os diversos estados de alerta e de risco, são de carácter militar e não para curar uma doença ou conter uma «pandemia».

    E o pior é que isto vai-se manter provavelmente até Maio/Junho de 2021, que é quando alegadamente terminam estas manobras e exercícios militares da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) na Europa:

    – Shape Nato Exercises

    https://shape.nato.int/nato-exercises

    Até lá vamos ter que levar com estados de emergência, calamidade, contingência, prevenção, recolher obrigatório, confinamentos, proibição de deslocamentos, máscaras, viseiras, distanciamento social, medição da temperatura, bandeiras a meia-haste, etc..

    Entretanto continuamos a assobiar para o lado e a ver a nossa economia a ser desfeita, o desemprego, a miséria e a fome a aumentar, e a República, as Liberdades Civis, e o Estado de Direito a serem completamente destruídos pela Presidência e o Governo.

  2. Meu caro JF :
    Meditei profundamente sobre o teu comentário …

    ” …Medidas como o recolher obrigatório, a limitação de pessoas nos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, a limitação e proibição da circulação por parte dos cidadãos entre Concelhos, proibição de ajuntamentos, usos de máscaras/viseiras, e os diversos estados de alerta e de risco, são de carácter militar … ”

    Sim! Sim ! Estou completamente de acordo e acho que descobri como estas medidas tem um aproveitamento para fins militares …
    Possa imaginar cidadãos desesperados a atravessar as fonteiras dos concelhos a rastejar ou com silhueta reduzida, durante a noite, em passo fantasma, evitando ruídos e os controlos e os check-points … usando mascaras com um padrão de camuflado …. Um recolher obrigatório de surpresa ao som de sirenes para preparar os cidadãos a reagir rapidamente a um possível bombardeamento e uma limitação de pessoas em estabelecimentos como treino para um racionamento de bens que ocorrem durante as guerras, proibição de ajuntamentos para prevenir a reorganização de uma resistência …. De facto meu caro estou completamente de acordo , são medidas de caracter militar.

      1. De facto, existem conspirações a mais. Mas se vires o covid não como uma ” conspiração” mas como um negócio … talvez tenhas uma perspetiva diferente. Quanto vão custar as vacinas ? E quanto vão gerar de lucros os empréstimos pós pandemia ? E que medidas de controlo da população vão ser possíveis implementar graças a esta pandemia ? Controlo é poder e ambos geram lucro …
        Tens noção dos experimentos mas bárbaros e hediondos que seres humanos fizeram com outros seres humanos ao logo da historia da humanidade ?
        Sérgio apenas te quero convencer de uma coisa…duvida de tudo o que os nossos governos nos dizem, eles não estão cá para nos servir, estão cá para se servir a eles.

  3. Outra conspiração: https://2020news.de/en/dr-wodarg-and-dr-yeadon-request-a-stop-of-all-corona-vaccination-studies-and-call-for-co-signing-the-petition/

    A primeira pergunta deveria ser:
    Pergunta: É o mundo habitado por pessoas com problemas psíquicos?
    Resposta: Já dizia alguém: O problema do mundo é agricola: excesso de nabos e falta de tomates.

    Sobre juntar mais de 6 pessoas na rua, nada se fala de juntar no interior, tipo dezenas em hipermercados, jogos de futebol, politica, centenas em velórios… são medidas apenas para educar as ovelhas.

  4. Parabéns JF !! Quando eu pensei que já tínhamos dito tudo quanto fosse possível dizer, argumentar, elocubrar a respeito dessa nova forma de ser e comportar-se, com a desculpa esfarrapada de uma pandemia, tu apresentas um novo ângulo, uma nova justificativa que faz todo sentido.
    Seria uma forma de treinar as populações para guerras internas e externas, ok. Mas porque tanta preocupação com as pessoas, se tudo que se quer é diminuir drasticamente o seu tempo de permanência no planeta, evitar que mais gente nasça (esterilização não consentida, aborto legalizado…)
    Esta preocupação parece ser para que as pessoas saibam se defender. Ou melhor, para que saibam atacar, não sei. Mas a segunda hipótese talvez seja mais de acordo com os planos. Nós seremos soldadinhos do sistema em guerras vindouras. E sendo assim não encheremos nossas cabeças com lutas de liberdade, privacidade e o diabo .Estaremos ocupados cumprindo ordens em favor do sistema, e nos matando uns aos outros, nos exterminando. Faz sentido, parece que faz muito sentido.

    1. De facto Maria as tuas questões levam a teoria de JF para um novo patamar, também fiquei curioso sobre o verdadeiro objectivo por detrás deste simulacro, a palavra a JF , esse grandessíssimo estratéga e visionário para nos elucidar sobre o real objectivo militar por detrás destas medidas .
      JF … ?

    2. Cara Sr.ª Maria, desde o início desta crise económica, exercício, e respectiva declaração por parte da Organização Mundial de Saúde (OMS) que decretou a doença do Coronavírus Covid-19 como «pandemia», que o blogue Informação Incorrecta veio desde logo expor o que realmente está por de trás do esquema Covid-19.

      Eu próprio já me referi em alguns comentários por mim redigidos noutras publicações sobre o tema Covid-19 no blogue, à questão militar inerente ao que temos estado a vivenciar desde Março de 2020.

      Não percebo porque é que só agora se começou a fazer uma polémica sobre esse assunto e a formular uma teoria da conspiração que tenta dar a entender ao leitor(a) ingénuo ou de parco conhecimento, que o exercício da OTAN «Defender a Europa 2020» e o facto das medidas como o recolher obrigatório, a limitação de pessoas nos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, a limitação e proibição da circulação por parte dos cidadãos entre Concelhos, proibição de ajuntamentos, usos de máscaras/viseiras, e os diversos estados de alerta e de risco, serem de carácter militar, afinal fazem ambos parte de uma teoria da conspiração patrocinada por Informação Incorrecta.

      Essa acusação, por mais subtil que possa parecer, não possui substância, e quem a profere terá de a justificar, caso contrário não passará de uma afirmação infundada, ou pior, será considerada como uma clara e evidente tentativa de condicionar a minha liberdade de expressão e análise, através do acto cobarde e escroque denominado de Delito de Opinião.

      Como sabem os leitores(as) do blogue, em 18 de Outubro de 2019 teve lugar uma palestra organizada pelo Centro Johns Hopkins para a Segurança Sanitária (Johns Hopkins Center for Health Security), que contou com a participação do Fórum Económico Mundial (FEM), a Fundação Bill e Melinda Gates, entre outros participantes, com o objectivo debater a realização de um simulacro de uma crise sanitária provocada por uma pandemia:

      – Evento 201

      https://centerforhealthsecurity.org/event201/

      Nessa palestra ficou patente que a resposta à crise sanitária, social, e económica gerada por uma pandemia, teria de ser dada através de uma conjugação de forças, ou se preferir, de uma acentuada colaboração entre o sector privado, o sector público, as Forças Armadas, e a sociedade civil, tanto a nível de logística como de meios-humanos:

      «…The exercise illustrated areas where public/private partnerships will be necessary during the response to a severe pandemic in order to diminish large-scale economic and societal consequences….»

      Fonte: https://centerforhealthsecurity.org/event201/

      A necessidade de incluir a participação do sector público e da sociedade civil em conjunto com o sector privado e as Forças Armadas, no combate a uma pandemia que eventualmente ou por coincidência pudesse vir a surgir, já tinha sido assinalada em 2015 pelo sr. Gates e pelos próprios intervenientes na palestra do Evento 201 realizada em 2019:

      – A próxima epidemia? Não estamos preparados

      https://www.youtube.com/watch?v=6Af6b_wyiwI

      – Event 201 Pandemic Exercise: Highlights Reel

      https://www.youtube.com/watch?v=AoLw-Q8X174

      «…Seria uma forma de treinar as populações para guerras internas e externas…»

      Não vou por aí, no entanto, o perigo de um ataque nuclear preventivo (ou flexível) realizado pela OTAN com o pretexto de evitar um suposto ataque por parte da Federação da Rússia (FR), esteve iminente; o próprio General Tod D. Wolters mostrou-se favorável ao mesmo:

      – I’m a fan of flexible (nuclear) first use

      https://www.youtube.com/watch?v=KUMqQFZNvcY

      O cenário nuclear inclusive não foi descartado pela própria Casa Branca dos Estados Unidos da América do Norte (EUA):

      – Inside The Military’s Top Secret Plans If Coronavirus Cripples the Government

      https://www.newsweek.com/exclusive-inside-militarys-top-secret-plans-if-coronavirus-cripples-government-1492878

      Como a Maria e os demais leitores(as) do blogue sabem (assim como qualquer pessoa normal e racional), uma doença, um vírus, ou uma «pandemia» não se tratam com máscaras/viseiras, estados de emergência ou de calamidade, confinamentos, recolheres obrigatórios, restricções na circulação, distanciamento social, etc., mas sim com a ciência, medicina, profissionais de saúde, e hospitais, sejam eles públicos ou privados, ficando ao critério do utente escolher qual o local onde prefere ser tratado.

      (Mas são óptimas medidas, no caso Português, para conter os protestos dos cidadãos contra as más políticas que têm vindo a ser praticadas pelo Governo e a Presidência, e o facto de neste momento não haver dinheiro devido ao bloqueio do empréstimo financeiro aos Estados membros da união europeia (ue), por parte de Bruxelas).

      Por tanto, todas estas medidas e restrições impostas aos cidadãos com o pretexto de combater a «pandemia» da doença do Coronavírus Covid-19, para além de não terem qualquer fundamento sanitário nem evidência médica e científica, serviram para de uma forma dissimulada, evitando assim o caos e o histerismo, proteger as pessoas de um possível ataque nuclear conforme referido e ao mesmo tempo continuar com aquilo que foi definido no Evento 201 e ao mesmo tempo dar continuidade ao exercício militar da OTAN «Defender a Europa 2020», que foi simplesmente mais uma manobra camuflada de movimentações militares com o objectivo de provocar a Federação da Rússia (FR).

      Para terminar, deixo aqui um exemplo do que se sucedeu em Portugal, tendo em conta que aquilo que gerou celeuma foi o facto de eu ter exposto, relacionado, e justificado que medidas como o recolher obrigatório, a limitação de pessoas nos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, a limitação e proibição da circulação por parte dos cidadãos entre Concelhos, proibição de ajuntamentos, usos de máscaras/viseiras, e os diversos estados de alerta e de risco, são de carácter militar.

      Quando as Forças Armadas de Portugal pediram aos cidadãos Portugueses que se voluntariassem argumentando, «…face à realidade que o país está a viver, associada à propagação do vírus COVID-19…» para «…auxiliar as Forças Armadas, nas ações que estas vão desenvolver em apoio dos Portugueses, em reforço do Serviço Nacional de Saúde (SNS)…», foi simplesmente porque devido à má gestão efectuada pelas Chefias Militares ao longo de vários anos e as más políticas praticadas por sucessivos governos em relação a este sector, fizeram com que o mesmo neste momento não possua efectivos nem capacidade para a vários níveis cumprir a sua função nem as missões que lhe são atribuídas, sejam elas de âmbito nacional ou internacional (OTAN/ONU).

      Não foi por causa de uma doença, vírus, ou «pandemia», se assim fosse, todos estes métodos, medidas, e formas de actuação que nos estão ser impostos por causa da «pandemia» da doença do Coronavírus Covid-19, também teriam de ser aplicados em anos anteriores face a outras doenças igualmente mortais e contagiosas, provavelmente em mais larga escala, do que a Covid-19.

      Termino (e agora é de vez) com a declaração do sr. Pompeu, Secretário de Estado dos Estados Unidos, na altura em que foi decretado ou estava prestes a ser decretado (já não me recordo) o confinamento a nível global:

      «…nós estamos em exercício…» (we are in a live exercise*):

      https://www.youtube.com/watch?v=vv650lRNYwI

      * Live Exercise: Exercício militar com forças e unidades militares reais no terreno.

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: