O botão vermelho

O tempo de leitura estimado deste artigo é de 1 minutos



Leo Panetta, candidato Director da CIA, fala aos Senadores que estão prestes a confirmar a sua nominação para o cargo:

A próxima grande batalha que irão enfrentar os Estados Unidos provavelmente será uma guerra cibernética.

A próxima Pearl Harbor será um ataque cibernético que colocará a rede elétrica americana de joelhos assim como a sua segurança e o sistema financeiro.

Uh? Existe um botão vermelho com escrito “Atenção: não carregar! Isso destrói a rede electríca do País mais a segurança e já que estamos a falar disso também o sistema financeiro”?

Conclui Panetta:

Vamos tomar medidas defensivas e medidas agressivas para resolver este problema

Interessante. Porque não é a primeira vez que o novo Director da CIA encara o assunto.
No passado mês de Maio, no Pentagono, tinha afirmado:

Qualquer ataque cibernético duma nação adversária, prejudicial para as infra-estruturas vitais dos Estados Unidos ou para a sua capacidade militar, poderia ser considerado um acto de guerra.

Henry Kissinger, um que diz sempre muito menos daquilo que sabe:

Os Estados Unidos e a China devem chegar a um acordo para limitar o alto nível de espionagem e de ataques cibernéticos.

Outra vez: interessante.

E porque não falar doWall Street Journal?
O simpático diário acaba de revelar a existência dum documento do Pentágono, não o público, que diz claramente que “uma operação de ciberespionagem poderia provocar uma resposta dos EUA em termos de bombas e balas”.


Oooohhhhhh….Os Estados Unidos descobriram o perigo da informática?
Ou será o começo duma ofensiva em grande estilo contra internet? Washington sabe bem quais efeitos podem causar apelos via Facebook ou Twitter.

Ou, possibilidade que não pode ser descartada,: será que alguém em Washington está a preparar uma nova Pearl Harbor?

É que a primeira funcionou, e muito bem.

Ipse dixit.

Fontes: Huffington Post, The Wall Street Journal, LuogoComune

2 Replies to “O botão vermelho”

  1. É tanta a necessidade de guerra e são tantas as opções de "o ultimo pingo d'água" que as vezes penso que farão uma sopa com tudo que seja possível para que não haja a possibilidade de um único país neutro…

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: