Facebook & Cambridge Analytica: a ponta do icebergue

É extremamente interessante observar os desenvolvimentos do caso Facebook/Cambridge Analytica: os políticos alarmados, os comentadores indignados, os usuários espantados, Mark Zuckerberg que pede desculpa. Tudo muito fofinho. E hipócrita.

  1. a classe política já sabia, e não desde ontem, qual a função “oculta” (mas nem tanto) dos social media: Trump, apesar dos cabelos, não é um extraterrestre, é um deles.
  2. os comentadores costumam mexer-se no meio político, bem sabem quais armas são utilizadas.
  3. os usuários, desde que não vivam numa árvore, sempre tiveram à disposição avisos e alertas em todos os molhos. Só quem não quer (ou não quer saber) é que não sabia.

Mas vamos focar a nossa atenção nas duas primeiras categorias: políticos e comentadores. Segundo estes, os milhões que votaram Trump (ou Brexit) fizeram isso porque os cerebrinhos deles tinham sido manipulados por “obscuras técnicas psicométricas”: caso único de alteração da democracia através das técnicas de persuasão oculta de natureza publicitária.

Nada de mais ingénuo. A simples verdade é que Cambridge Analytica desaparece diante da imensa empresa que notoriamente pratica a manipulação psíquica do eleitorado nos EUA: i360 Themis. Conhecem? Em comparação, Cambridge Analytica é uma pulga.

i360 Themis dos irmãos Koch

Os alegres irmãos Koch

i360 Themis é um gigante que no seu site declara alegremente de manter “os dados de mais de 230 milhões americanos desde a idade de 18 anos, entre os quais 190 milhões que estão registrados para o voto”; falamos de dados pessoais obtidos com “múltiplos compiladores de dados do consumidor”.

i360 Themis é a fusão de duas entidades: a já citada i360, empresa fundada por Michael Palmer, chefe de tecnologia da campanha presidencial de John McCain em 2008, e a Themis, fundação sem fins lucrativos que pertence aos irmãos Koch (e ao ler este nome façam o sinal da cruz porque estamos a falar do topo do topo).

Mestres do conglomerado Koch (petroquímica, fertilizantes, etc.), os dois irmãos Charles e David Koch são ideologicamente “de Direita”, mas “libertários”: isso significa que apoiam todas as causas da “Esquerda da moral” como livre aborto, direitos LGBT, imigração sem limites. Foi esta última posição que os tornou ferozes inimigos de Donald Trump. Assim, os Koch têm financiado as campanhas eleitorais de pessoas como Ted Cruz, Mike Pence e Mike Pompeo (olha a CIA!), opositores de Trump dentro do Partido Republicano.

Portanto, os Koch são de Direita e de Esquerda ao mesmo tempo, os melhores exemplos de como a clássica divisão política seja hoje boa só para entreter o povo. 

Mas voltemos para a i360 Themis: como funciona? Simples: rastreia “dinamicamente” os 230 milhões de adultos americanos com a análise de 1.800 comportamentos que os identificam nos hábitos e nas ideias com uma precisão fulminante. Mark Swedlung, um dos maiores técnicos de marketing direto, explica:

Eles sabem quando foi a última vez que tu fizeste o download de um pornovideo e se já pediste comida chinesa antes de votar. O que é perturbador.

É o mínimo que podemos dizer. Perturbador sim mas não impossível: hoje a informática permite isso, com controles cruzados e combinações em tempos reais. Os dados sobre as pessoas que os usuários publicam (ou não) no Facebook são bem pouca coisa perante este monstro: eles sabem para quais compras utilizamos o cartão de crédito, de qual TV somos assinantes, qual pornografia específica preferimos, qual informação estamos a procurar ou qual a nossa vossa fé. Tudo enquanto mastigamos com beata inocência os nossos popcorn na frente da televisão.

Data Trust de Paul Singer

A simpatia de Paul Singer

E i360 Themis não é o único a fazer isso. O melhor competidor (que faz exactamente as mesmas coisas) é Data Trust, empresa gerida por Karl Rove, o mago da propaganda política e da persuasão ao serviço da simpática família Bush. Foi ele o verdadeiro criador de Bush jr. que, sozinho, nem como administrador do prédio poderia ter sido eleito. Não acaso, Rove foi antes assessor e em seguida vice-chefe de gabinete na Casa Branca durante aquela Administração que lançou a “longa guerra contra o terrorismo”.

Rove é conhecido por ter dito ao escritor Ron Suskind depois de 11 de Setembro de 2001:

Nós somos agora um império e, quando agirmos, criamos a nossa realidade. E enquanto você está a estudar essa realidade, com muito juízo como costumam fazer vocês realistas, nós agimos de novo, criando outras realidades, mesmo aquelas que poderão estudar: nós somos os atores da História e vocês, todos vocês, têm que estudar o que nós fazemos.

Sim, existem pessoas assim, com delírios de omnipotência ao estado mais puro, cristalino. 

Terminada a experiência Bush, o mágico Rove preferiu deixar a Casa Branca e, em vez de ser preso e fechado numa clínica psiquiátrica sem possibilidade de visitas, tornou-se o chefe da Data Trust, o monstro que recolhe dados e cria perfis de consumidores e eleitores.

Falta algo? Claro que falta: i360 Themis tem os irmãos Koch (sempre sejam louvados), quem fica atrás de Data Trust? É Paul Singer, judeu, conhecido entre os amigos como o carinhoso sobrenome de “O Abutre” por ter fundado o máximo hedge fund especulativo, a Elliott Management Corporation (EMC): este é o fundo-abutre por excelência, especializado na compra de dívidas de Países ou empresas falidas em troca dum prato de lentilhas, para depois colectar os últimos lucros antes do golpe final. Em suma, é um usuraio do pior, por isso não espanta saber que Singer é um filantropo, apoia israel e luta pelos direitos LGBT.

Esses dois monstros não precisam roubar milhões de perfis do Facebook, como dizem que fez Cambridge Analytica com um aplicativo. Neste aspecto podemos ficar descansados: não há conta online em risco. Tudo o que os americanos precisam fazer é responder a qualquer questionário e a partir daquela altura estão presos. Metaforicamente. E legalmente. Uma série de algoritmos que operam verificações cruzadas ​​proporcionam aos partidos políticos dos EUA aquilo de que precisam. E precisam de quê? Os jornais agora falam de perfis, de preferências, de fé do eleitores… tudo verdadeiro, tudo muito útil em qualquer campanha eleitoral. Mas há mais umas possibilidades.

Os dados para apagar os eleitores

Trump com o astuto Kris Kobach

Vamos fazer um exemplo. O Leitor é de Direita e vai candidatar-se num Estado onde boa parte do eleitorado é composto por hispânicos. É provável que um hispânico seja de Esquerda, o que é uma chatice do ponto de vista do Leitor. Mas este pode fazer algo: pedir que uns quantos eleitores sejam apagados das listas de voto por suspeita de serem irregulares, sem direito de participar nas eleições.

Algo absurdo na Europa, mas perfeitamente viável nos Estados Unidos onde, dado o caos das identidades em muitos distritos eleitorais, às vezes nem sequer é obrigatório comprovar a identidade do eleitor com a apresentação dum documento. Portanto, o Leitor pede ao seu fornecedor de dados a lista dos eleitores e começa a queixar-se com o comité eleitoral de todos os com o apelido “Garcia”. Com um pouco de sorte, alguns serão efectivamente excluídos e as possibilidades de ser eleito ficarão reforçadas.

Em boa verdade este nem é um exemplo de fantasia: é exactamente o que se passou com Kris Kobach, Secretário de Estado do Kansas, o qual, usando um algoritmo desenvolvido pela sua técnica informática Jessie Richman, fez apagar das listas eleitorais tal “Carlos Murguja” como provável estrangeiro não-votante. O problema é Kris Kobach é um fiel seguidor de Donald Trump e, como tal, fortemente limitado: não reparou que Carlos Murguja era um juiz distrital, além de ter nascido em Kansas em 1957. Obviamente foi escândalo.

Mas, segundo o jornalista investigativo Greg Palast, este algoritmo “de cruzamento” (crosscheck) permitiu ao Partido Republicano bloquear a registração de um em cada sete novos eleitores no Estado do Kansas. Obviamente temos que acrescentar a isso o inevitável algoritmo utilizado pelos democratas e eis uma bonita fotografia da democracia americana.

Curiosidade: Data Trust e i360 Themis não aparecem nas páginas de Wikipedia, nem da versão inglesa. i360 Themis é omitida nas páginas da família Koch e de Michael Palmer, assim como Data Trust não é presente nas páginas de Karl Rove ou de Paul Singer. Com a enciclopédia online podemos descobrir que o simpático Singer aos 10 anos começou a estudar piano, que gosta de Led Zeppelin e que é fã do Arsenal, mas não que financia a segunda maior empresa americana de recolha de dados pessoais.

Estranho? Nem tanto. Experimentem visitar o site institucional de Data Trust: totalmente anónimo. Tentem encontrar um nome ou um apelido no site de i360 Themis: não há.

Ipse dixit.

Fontes: The Data Trust, i360 Themis, The New York Times, Maurizio Blondet

38 Replies to “Facebook & Cambridge Analytica: a ponta do icebergue”

  1. Maravilhoso, sempre tive a patologia de mentir descaradamente em todos os questionários que me faziam desde os tempos de escola, mas no mundo moderno não há escapatória possível, estamos cercados, a única vantagem parece mesmo ser o facto de ainda que mesmo com Alzheimer essas empresas poderão gentilmente nos recordar a nossa pornografia preferida :)))

    1. Olá Chaplin!

      Sim, pode ser. Mas acho que descrever a realidade não é pessimismo. Só lamento que a realidade não seja bem aquilo que desejarmos. Seria bom.

      Grande abraçoooooo!!!!!

  2. Ok, agora a sério: Usar um programa de baralhar o IP, sair das redes sociais, usar o tlm desligado sempre que não faz falta, pagar em dinheiro sempre que possível, não responder a inquéritos, … outros contributos? E no fim isto vai adiantar alguma coisa ou faz de nos apenas paranoicos ? A questão de fundo é : Se no futuro regressarmos a uma ditadura temos alguma hipótese perante isto?

  3. Alguém lembra do WEBBOT, O ROBOT PROFETA DA INTERNET?
    Este profeta "mecânico" ou "virtual" capturava as palavras mais digitada na rede e fazia as suas profetadas. Era mais o menos assim. E alguns dizem que ele foi desativado porque não tinha serventia pra nada ( pelo menos pra mim) e agora estas noticias, acho achara uma utilidade pra ele, mas mais sutil.

    1. Olá Exp!!!

      Óptimo link, a humilhação dos EUA & companhia na Síria ainda não acabou: é provável, como diz o autor, que haja ainda algo a em preparação. E não vai ser algo bonito.

      Todavia discordo em alguns pontos: nomeadamente, no é tida em conta a fractura entre o Reino Unido e o novo rumo de Trump. O que o Reino Unido está a fazer é aproveitar do facto do Presidente americano querer concentrar-se apenas em alguns objectivos no estrangeiro (como a Síria). Londres "vê" espaço para ganhar mais visibilidade no plano internacional e, ao mesmo tempo, tentar que os americanos sejam obrigados e intervir (mas Trump liga para Putin a dar-lhe os parabéns).

      O mesmo está a tentar a França, com muito menos sucesso. A Alemanha apoia, como sempre, qualquer coisa que possa fortalecer a ideia dum forte eixo Paris-Berlim, bem sabendo que Paris conta nada e que a União Europeia está condenada a desaparecer (sem deixar saudade nenhuma).

      Profundamente errada a visão de Saker acerca duma Rússia não-europeia. Moscovo sempre foi e sempre será uma capital europeia: não entender isso significa enterrar séculos de História e não perceber, por exemplo, a razão da insistência de Putin nos relacionamentos com os líderes europeus. O que impediria a Moscovo de tomar uma atitude mais "fechada" como aquela de Pequim? O terror de Berlim é mesmo este: que a Rússia possa aproximar-se da Europa ocidental, pois isso significaria o fim da actual supremacia alemã no Velho Continente.

      Guerra Ocidente-Rússia? Não há hipótese: em primeiro lugar porque a Trump nem passa pela cabeça uma coisa destas, tem bem outros problemas. Depois porque a Rússia nos últimos anos deu um "salto para frente" em tema de armamentos e agora, por incrível que pareça, quem tem que recuperar são os EUA.

      (dito isso: The Saker é um site muito bom)

      Grande abraçooooooooo!!!

    2. "O terror de Berlim é mesmo este: que a Rússia possa aproximar-se da Europa ocidental, pois isso significaria o fim da actual supremacia alemã no Velho Continente."
      Pois é uma espécie de intermediários.
      E não só eles, quem ganha e perde com este circo mediático(em montagem). A protecção da antiga máfia russa é Inglaterra, Israel e EUA(muitos fugiram nos anos 90 máfia e terra sem lei) outros pelo meio eram parte dessa máfia, que faz a siciliana parecer meninos de coro e ainda existem ligações a Moscovo.
      Bastou ver algumas coisas da gazprom e as outras nem ficam muito atrás(Rosneft? Lukoil?) e perceber a quantidade enorme de interesses o que torna a situação complexa.
      P/ex:
      Gazprom+shell
      http://www.gazprom.com/press/news/2018/march/article412883/
      E ligações no mesmo site
      http://www.gazprom.com/investors/analysts/
      As corporações querem é o controle das riquezas maiores deles, que não são poucas. Mas tem que ser da maneira que controlem sem interferências*aquilo chamado democracia que só é se alguns acharem que é e aprovarem* é uma pseudo democracia vendida a interesses,da corporação do político comprado que serve tudo menos as populações.
      Criar instabilidade falhou lá, agora é tentar por fora, e vão aparecer mais histórias da carochinha

      n

    3. Boas, Max.

      Em relação ao teu segundo paragrafo.
      Ja uma vez perguntei aqui o porque do odio visceral que quem manda no reino unido nutre pela Russia e isto e algo que ja vem desde o tempo do Impreio Russo.
      Alias … creio so na decada de 90 e que gostaram de Russos a ajuizar pela quantidade de saqueadores que receberam (talvez se deva aos habitos de pirataria que ainda teem enraizados).
      No tempo de agora e contexto que se vive parece-me que toda esta palhaçada encenada do espiao seja mais um expediente e um extrebuchar por causa da valente alhada em que se meteram por causa do Brexit.
      Um pequeno erro de calculo apenas porque nao quiseram acreditar que os povos ja estao fartos da ue e a ue ja estava farta do do reino unido
      E bom para desviar as atencoes, é bom para se mostrarem como parceiros indispensaveis.

      EXP001
      (continua abaixo)

    4. "…Profundamente errada a visão de Saker acerca duma Rússia não-europeia. Moscovo sempre foi e sempre será uma capital europeia…"

      Para além disso, a Federação da Rússia é a única super-potência na Europa, sendo um país que consegue e com sucesso bastar-se a si próprio.

  4. Falo com algumas pessoas de nacionalidade Russa e o sentimento que me transmitem e que estao cansados do Bullying que sofrem ja a decadas.
    1º – foram seduzidos com a amizade e estilo de vida ocidental para logo depois se sentirem traidos, abandonados e saqueados.
    Nessa epoca dos anos 90 foi como se o inferno tivesse tomado conta da Russia, fome, uma epidemia de sida, de drogas, alcoolismo em grande devido a verem tudo desabar, mafias a espalharem-se como uma praga, os seus recursos a serem roubados por uns quantos que se pisgavam para os eua e uk.
    Incitamento de actos terroristas, a guerra na Chechenia , estiveram prestes a perder o Daguestão e nao so se sabe como ha documentos que havia um plano para que a Russia se estrilhaçasse em pequenas Republicas Independentes e faceis de controlar pelos eua.
    O ponto de viragem foi a guerra na Joguslavia em que ate Boris Yeltsin se sentiu traido e finalmente abriu os olhos.

    2º – O desdem constante a que eram sujeitos por serem Russos. Desde que so tinham sucata, que sao burros, bebados, um pais atrasado e de equipamento obsoletos pois nada de jeito sao capazes de fazer e que so sobrevive porque e uma bomba de gasolina.
    Ate muitos dos saqueadores Russos que fugiram da Russia passado pouco tempo foram rotulados como absolutos incopetentes que nunca conseguiriam gerir uma empresa (esta ate que concordo) mas para eles foi uma facada e uma traição e mais ainda quando coecaram a ver os seus dinheiro confiscados.
    Como dizem os meus conhecidos Russos: Da Russia e tudo mau. So as mulheres sao boas mas levam logo com o rotulo de prostitutas.

    3º Sentiram-se traidos mas mesmo assim insistiram por fazer em ser aceites serem amigos.
    Ate que com o que se esta a passar nos ultimos anos em que tudo serve para humilhar os Russos desde sancoes, boicotes a atletas (nem os para olimpicos escaparam) a esta campanha, tentativa de isolamento a todos os niveis, as guerras para lhes causar problemas (siria e ucrania), atentados terroristas (quem se lembra do aviao Russo que foi explodido la para os lados do Egipto?), ataques de bandeira falsa para os incriminar, a guerra economica o cerco da nato, tentativa de censura dos meios de comunicacao Russa tipo o Sputnik e RT.
    Chegou o ponto em que a paciencia deles se esgotou e os resultados das eleiçoes sao bem claros:

    EXP001
    (continua abaixo)

    1. Havia realmente duas correntes na Russia uma tendia parao o Oriente na outra eram os Atlantistas. Mas como se pode constatar (creio que a 3 anos) no dia da celebracao da Vitoria da Grande Luta Patriotica em que os lideres europes pela 1a vez se recusaram a aparecer, apareceu o lider Chines.
      Este foi o 1o sinal evidente da viragem da Russia para o Oriente e desde ai o acelarar da pareceria estrategica economica, financeira, energetica e de infraestruturas (sabem que quando foi feito o ataque ao Rublo foi a China com o seu poderio economico que o anulou ? ;))
      Ou seja os lideres ocidentais conseguiram unir Russia e China. Henry Kissinger deve ter batido com a cabeça muitas vezes na parede perante a estupidez dos actuais lideres ocidentais.

      "O que impediria a Moscovo de tomar uma atitude mais "fechada" como aquela de Pequim?"
      Os Chineses veem do caminho do orgulhosamente sos.
      Os Russos entendem perfeitamente que o isolacionismo e uma armadilha e um erro crasso, por isso tentam manter a porta aberta para que se propiciem circunstancias de mudanca, ha partidos, empresas e movimentos europeus que ja estao fartos disto e podem causar um contrapeso, por isso a insistencia dos paises ocidentais em isolarem a Russia expulsando diplomatas como o ultimo caso do reino unido.

      "Guerra Ocidente-Rússia? Não há hipótese"
      Creio que tanto na 1a como na 2a guerra mundial pensavam o mesmo. Quando as tensoes comecam a chegar a este nivel basta uma faisca para desencadear um incendio e vivemos tempos quentes.
      Partindo do principio que nao existe um criminoso que pretende incendiar tudo para ocultar os seus crimes 😉 como a alta financa por exemplo.

      Bem este comentario foi demasiado longo dava um artigo.
      Mas e apenas o meu ponto de vista baseaado no que leio e opinioes que oiço.

      "Esqueci-me: obrigado Exp pelo link :)"

      Estamos ca mesmo para trocar fontes, ideias o opinioes 😉

      EXP001

    2. O texto da eleicoes nao ficou gravado mas deico aqui:

      Vladimir Putin 75,39%
      Pavel Grudinin 13,09% (Candidato do Partido Comunista Russo)
      Vladimir Zhirinovsky 6,24% (líder ultranacionalista do Partido Liberal Democrático)
      Senia Sobchak 1,43% (A loirinha toda gira)
      Os outros nem vale a pena falar deles pq nem a 1% chegaram.

      EXP001

    3. Olá EXP
      Uma pergunta simples:
      Quem acordou não expandir a nato até às fronteiras previamente acordadas? Quem falhou nesse acordo? Quem esteve por trás da Geórgia da Chechenia do Daguestao e inclusive mais, muito mais Yautia(siberia),Morávia(volga) p/ex.
      e até outras várias províncias do Volga?
      Foi obra do acaso? A Santa?
      Ou os do costume:
      http://www.intrepidreport.com/archives/13086
      Sim Obama o Nobel da Paz e antecessores.
      A ideia era já desde 91-95 dividir tudo.
      Aliás algo bem conseguido na Jugoslávia em que comiam criancinhas ao pequeno almoço.
      Eles vivem disso criar caos e confusão para controle estratégico para a exploração de bens, mas o que lhes dá gozo é ilusão de controlo.

      Agora isto está a raiar a estupidez, antagonizar uma nação porque não se submetem aos ditames pseudo democratas ocidentais.
      Outra pergunta no oceano da hipocrisia: recentemente o presidente da China foi reconduzido pelo "partido" por mais anos(eleições? quê? Onde?)- os media deram a notícia como algo normal e vulgar(porque não fizeram o mesmo a china?), na Rússia é a palhaçada e tentativa de intervenção em tudo. Dois pesos, duas medidas.
      Depois de primaveras,golpes,guerra contínua com ótimos resultados à vista Líbia, Afeganistão, Egipto, Iémen, Iraque, Líbano etc…
      Nem sei é como ainda existe paciência,… ao menos com a China é cartas na mesa.
      Mas quem começou isto não foram os muito democratas interesses de Sarkozy, Blair, Bush/Clinton/Obama, Azar o goldman boy e outros que tais?
      E tudo ou quase sem provas,ou inventa-se.

      Tu negociavas com eles? Ou ias para algo ao menos mais certo (sem golpes baixos)

      nuno

    4. @nuno

      Totalmente de acordo, como poderas constatar nas palavras que escrevi. O testo era longo e ficou espalhado em postas.

      So 3 pequeninas notas.

      "Agora isto está a raiar a estupidez, antagonizar uma nação porque não se submetem aos ditames pseudo democratas ocidentais."
      Bem sabemos que no ocidente so e democracia quando vence o candidato deles 😉

      "Outra pergunta no oceano da hipocrisia: recentemente o presidente da China foi reconduzido pelo "partido" por mais anos(eleições? quê? Onde?)…"
      Porque a China os tem agarrados pelos tomates.
      A nivel financeiro, da divida, do comercio, de industria, materias primas (sim materiais de terras raras usadas nos fabrico dos ultra tecnologicos equipamentos militares).

      "Tu negociavas com eles? Ou ias para algo ao menos mais certo"
      Nao so a China e um parceiro mais honesto que os eua ou ue (tambem nao e dificil) como sentiu que se a Russia cair ela e logo o proximo alvo na lista.

      Uma coisa boa e bem feita admito que os eua fizeram. Antagonizaram de tal forma a China e a Russia que estas sentiram que havia mais pontos de uniao que de discordia. Nao que se dessem mal, mas tambem nao se davam grande coisa. Alias Henry Kissinger na epoca da urrs topou isso e sabendo que se os 2 se unissem seria muito dificil senao impossivel fazelos quebrar.

      Nao digo que Henry Kissinger seja um genio neste caso, ele apenas se limitou a seguir os fundamentos iniciais da geopolitica e geoestrategia escritos em 1904 por Mackinder.
      Recomendo vivamente a leitura dos fundamentos niciais da geopolitica e geoestrategia pois ajudam a entender muita coisa.

      Deixo os links abaixo:

      http://redecastorphoto.blogspot.pt/search?q=Mackinder
      Logo depois do 9 paragrafo com o "Sir Halford Inventa a Geopolítica" a negrito e em tamanho maior.

      "Mackinder argumentou que o futuro do poder global não advém, como muitos analistas brilhantes imaginavam então, de controlar as rotas marítimas globais, mas de controlar a vasta massa de terra que ele chamou de “Euro-Ásia”. "

      Deixo este tambem da ACADEMIA DAS CIÊNCIAS DE LISBOA

      http://www.acad-ciencias.pt/document-uploads/2932224_santos,-jose-alberto-loureiro-dos—o-coracao-da-euroasia-contra-o-resto-do-mundo.pdf

      – Quem dominar a Europa Oriental domina o Heartland;
      – Quem dominar o Heartland domina a Ilha Mundial;
      – Quem dominar a Ilha Mundial domina o Mundo

      EXP001

    5. Esse inglês elaborou uma teoria geográfica determinista (e não precisamente definida) como forma de alertar líderes britânicos do que ainda não dimensionavam e que poderia ser a alavanca da futura geopolítica mundial. Serviu como base da política externa ocidental para evitar a aproximação entre Alemanha e URSS, uma das causas principais das duas guerras mundiais.

  5. Os comentários parecem ignorar o quanto as oligarquias sionistas, seja russa, inglesa ou estadunidense se entrelaçam e fazem dos respectivos países seus brinquedinhos…A 1ª porteira aos judeus foi o golpe nos Romanov e depois via doutrina "Sinatra". Putin não passa de um exímio equilibrista…

    1. Então porque incomoda muita gente e já é culpado sem provas?
      Aliás existe um espião/a russo por baixo da cama de cada um desses conspiranóicos, aliás acusadores sem provas, mmmm isso pega?

      nuno

    2. Culpado? Espião russo por baixa da cama de conspiranóicos? Esta é a edição da propaganda que distrai os gentios e os afasta da realidade.

    3. Óbvio! Chaplin mas ai falhas (em parte) algo que nem é teu hábito, história.

      material de suposta esquerda
      https://www.publico.pt/2018/03/28/mundo/opiniao/pode-um-progressista-defender-putin-1808280
      O que é um progressista? Ou uma democracia? Segundo certa esquerda.

      Insisto e a China. Façam um bloqueio económico e já agora tudo a investir em ações da Blackrock…
      ou algo mais tóxico(o futuro é toxic…verde lol)
      Quanto à pergunta do editorial acima:
      mmmm eu. Porquê? Porque não vivo 24/7 da mentira e propaganda só 24horas(não se calam).
      E errado ou certo penso por mim não pelo que dizem para pensar, mas pronto para aprender que estou errado e em muito.
      Uma coisa é certa o esquerdista omite as outras guerras com infinitamente mais mortos e danos colaterais(falhanço enorme).
      Quanto ao fulano em causa
      Ao menos admiro uma coisa pode-se não gostar dos métodos, mas depois de ver 4h da entrevista com Oliver Stone, sabe-se ao que vem e tem a maioria do seu lado, em outras latitudes desejariam o mesmo, mas nada de nada, provavelmente a p****a que merecem.
      E continua a ópera bufa:
      https://www.publico.pt/2018/03/27/mundo/noticia/russia-acusa-eua-de-chantagem-colossal-a-medida-que-as-expulsoes-vao-aumentando-1808252

      Quem disse que ia acabar?

      nuno

    4. Esquecemos do "quem tem voz é quem detém os meios econômicos"…Oliver Stone é um pseudo crítico do sistema, exatamente do tamanho que o sistema permite…Quanto a falar sobre história, é muito mais complicado do que imagina-se…pois muitas nuances fundamentais são simplesmente omitidas e que alteram profundamente nosso entendimento, exemplo? O fator Judeu.

    5. Não ponho em dúvida, mas é interessante verificar que "aprendi" mais com p/ex a verdadeira história dos EUA e outros que tais, muita omissão(a oficial) mas pode ser comprovado que existe um exercício de propaganda enganosa, e omissão conveniente, aí aparecem factos que não estão na história dada como oficial.
      Pelo menos serve para abrir a Pestana.
      Os Js sim, o constante aproveitamento "de alguns" de certas situações às vezes criadas pelos próprios ou "amigos" temporários, para mais tarde tirar dividendos.
      E essa frase:"quem tem voz é quem detém os meios econômicos", só não vê quem não quer,consegue ou pode.

      abraço
      nuno
      ps: não entendo é alguma esquerda, mas cada cabeça sua sentença, primeiro tão anti eu e agora na música da nato…ok jogada para piscar olho ao(isso existe)centro.

  6. No medievo, judeus estavam infiltrados nas Cortes Europeias, tornaram-se "conselheiros" e "FAZEDORES DE REIS". Aí pergunto. Onde isto aparece?

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: