Teorias da Conspiração: o Poder agardece

Olá pessoal.

Proponho uma reflexão. Aliás, mais do que isso: procuro uma pergunta.

Diz Chaplin nos comentários:

Críticas pontuais jamais incomodarão os segmentos dominantes, pois se exaurem em si mesmas, e são atropeladas por novas críticas, igualmente pontuais, que não comprometem a credibilidade do status quo civilizatório…

Concordo, sem dúvida. Vivemos entre dois grandes fluxos de notícias: as oficias, espalhadas pelos órgãos de comunicação mainstream, e as alternativas. No meio destas, como sabemos, podemos encontrar tudo e o contrário de tudo: o facto que alguns assuntos tenham na realidade mais “peso” do que outros não tem importância, pois tudo acaba no imenso caldeirão das notícias sem controle, às vezes impossíveis de verificar.

Estes dois fluxos são paralelos, constantes e ininterruptos.
Paralelos porque, na maioria dos casos, a origem é comum (um acontecimento, um facto, uma declaração…).
Constantes porque se comparo os assuntos que o blog tratava há 8 anos com aqueles de hoje não vejo uma grande diferença: mudam os nomes, mudam as localidades, mas a moral é a mesma.
Ininterruptos porque, tanto os media oficiais como os alternativos, “precisam” de notícias, melhor ainda se bombásticas. E quando não há notícias, chega-se a inventa-las.  

A internet alternativa é deixada trabalhar com relativa tranquilidade porque não apenas é resulta ser totalmente inócua como desenvolve um importante papel em “esvaziar” determinados assuntos.

Esta última vertente é essencial, portanto eis um exemplo prático.
O Leitor Anónimo publicou ontem uma ligação para um vídeo bem conhecido no Youtube: trata-se dum banqueiro holandês que denuncia os horrores da Grande Finança, Illuminati, rituais satânicos, Sionismo, etc.

Admitimos por um instante que as palavras do banqueiro sejam verdadeiras (e tenho as minhas sérias dúvidas quanto a isso). Num mundo normal, um vídeo assim seria razão mais do que suficiente para sair a rua, organizar protestos, assaltar a Bolsa de Valores mais próxima, enforcar um pouco de pessoas. Pessoal, sejamos honestos: isso seria o mínimo.

A realidade é um pouco diferente: algumas centenas de milhares de visualizações no melhor dos casos, nenhuma eco. E isso para um vídeo que está livremente acessível.

Podemos dizer: “Epá, mas isso é culpa do controle dos Poderes Fortes, é o condicionamento mental das massas, é a indiferença induzida no cérebro dos escravos”.

Não: isso tem um nome e o nome é “falta de provas”. O fulano do vídeo fala ao longo de nem sei quantas horas e apresenta o quê? Umas fotografias, uns videozinhos, uns documentitos? Zero, nada, rien, nicht. Mas como? Foste ao longo de anos parte duma conspiração desumana e nem trouxeste o ossinho dum cadáver, o mindinho duma virgem canibalizada? Um endereço, o nome duma víctima, uma campa, nada de nada?

Chaplin:

A essência das conspirações é justamente a ausência de provas

Mas isso tem uma implicação: se aceitarmos defender uma conspiração que “não tem provas”, o resultado será a impossibilidade de excluir qualquer conspiração. Com qual autoridade recusamos uma teoria da conspiração se não aceitarmos a prova como elemento discriminatório? Apoiamos apenas as teorias “simpáticas”?

Portanto: sem provas vale tudo. Então sim, a Terra é plana, Nibiru está a aproximar-se, foram os Annunaki a criar o Homem, os Reptilianos dominam o mundo, Coca-Cola e Pepsi contêm carne de porco e álcool (esta é uma teoria da conspiração do mundo árabe: ou valem apenas as ocidentais?).

Continuo a não entender qual o objectivo final. Seguindo as teorias, vivemos num mundo dominado por umas enormes conspirações, onde ninguém ou nada escapa: não há saída, também porque as pessoas não reagem. Então? Qual o objectivo de alimentar diariamente um dos dois fluxos que, como é evidente, contribui para a manutenção do tal status quo?

É esta a minha pergunta, dirigidas aos Leitores do blog.

Eu tenho outra concepção: vivemos num mundo diferente daquele descrito pelas teorias da conspiração, um mundo feito de seres humanos que seguem o Deus Dinheiro, homens e mulheres que estariam dispostos a pisar o cadáver da avô para encher a conta bancária. Acho ser este um mundo já suficientemente triste, muito menos espectacular (nem um mísero Reptiliano…) mas onde as provas estão ao virar de qualquer esquina. Custa tanto admitir que não há nenhuma conspiração diabólica mas que os erros estão em nós? (olhem, outra pergunta!)

Ipse dixit.

22 Replies to “Teorias da Conspiração: o Poder agardece”

  1. Pyramids on the Moon – NASA's Apollo lunar coverup

    NASA's Alien Anomalies caught on film – A compilation of stunning UFO footage from NASA's archives

    Aliens in the NASA Archives – More Stunning NASA UFO Anomalies Captured On Film

  2. É a mesma lengalenga de sempre, mas antes era os comunistas que comiam criancinhas e matavam velhinhos com uma injecção, dada atrás da orelha, e também há quem diga que em Cuba mandavam as crianças para a União Soviética para serem servidas como comida em lata.

    O pior é que existe gente que acredita em todas estas baboseiras (entre outras como vem descrito neste post), enquanto que aqueles que as produzem continuam a rir-se.

  3. Eu sou o anónimo que pôs o Link do Banqueiro

    Nuno e Max.

    Não há que misturar Reptilianos, Annunakis e iluminatis com coisas sérias.
    Isso sim é cair na esparrela da desvalorização das verdadeiras conspirações, introduzindo-lhes esses temas ridículos , para serem e desvalorizadas de forma a serem vistas pelo público como algo ridículo. (teorias da conspiração, que sabemos ser um termo inventado pelos S.Secretos para baralhar e ridicularizar as suspeitas sobre a morte de Kennedy)

    Vejamos o caso de Karen Hudes, que começou como um caso sério:

    http://www.esquerda.net/artigo/ex-jurista-do-banco-mundial-revela-como-elite-domina-o-mundo/31717

    Em continuação uns tempos mais tarde, acabou a Sra. (que confessou ser Judia, será um acaso?) revelando que estes Srs. que dominavam o Mundo e as Finanças eram extraterrestres de crãneo longo etc… etc… Uma palhaçada ridícula mas não inocente… note-se.

    Saiba-se distinguir o trigo do joío. Que é verdade! anda por aí muito misturado!…e muitas vezes propositadamente. como é este caso que relatei da Karen Hudes

    Ou seja.
    Agora temos que quem denuncie uma conspiração , conluio, trama relacionado com o B.Mundial vai-se deparar com críticos afirmando que é mais uma "teoria da conspiração" de quem acredita em Anunakis e Reptilianos.

    E já agora, Este Link posto pelo mesmo anónimo (eu mesmo) antes:
    Former US lawmaker Cynthia McKinney says every candidate for Congress has to sign a pledge to vote for supporting the military superiority of Israel.

    Será teoria conspirativa???

  4. Boas Max

    E bom sentir que tens novamente o blog a bombar em grande 🙂
    So tenho pena de nao poder participar tão assiduamente como fazia a coisa de 2 anos.

    Respondendo a tua primeira pergunta.

    Creio que nao apenas um, mas sim os 2 fluxos de informação são alimentados pelas entidades jogadoras na luta pelo poder (os que la estao e os que querem toma-lo).
    O objectivo é informação, contra-informação e desinformação.
    O resultado acaba por ser a saturação e dispersão da capacidade das pessoas de assimilar a informação, analiza-la e relaciona-la com os actores envolvidos, suas relacoes e factos historicos.

    Conspiracoes, teias de influencia, grupos secretos, pessoas ou grupos secretos com pancadas malucas ha desde o nivel mais baixo da piramide do poder ate ao mais elevado.
    Por exemplo na empresa onde trabalhava havia um grupos de chefinhos que se juntavam pela calada para gerar e criar situacoes (em Portugues: entalar alguem 🙂 ) de outro grupo, mas ate entre os subordinados havia o mesmo.
    Creio que nos grupos do topo da piramide do poder a coisa se processa da mesma maneira, a diferença é a magnitude, alcance e consequencias das suas accoes devido ao poder que teem.

    Se penso que as elites pensam todas da mesma maneira?
    Penso que nao, tal como no mundo dos soburdinados. Ha variaveis historicas, civilizacionais e de mentalidade.
    Ha formas diferentes de ver e entender os processos que decorrem no mundo, os seus acontecimentos e consequencias.
    Algumas poderao apenas ver o mundo e processos com um alcance de curto prazo e com objectivos quase primarios.
    Outras poderao ansiar alcançar feitos civilizacionais de medio e longo prazo.

    Com isto concluo que: na minha prespectiva nao existe um poder que tudo e todos controla, que nao ha salvação que o mundo esta perdido e nada se possa fazer.

    Se e dificil?
    Sim é. E pouco podemos fazer. Mas se vamos estar a espera de poder fazer tudo por todos acabamos por fazer nada por ninguem.

    Se o nosso contributo pode influenciar algo?
    Sim pode. Basta imaginar o efeito bola de neve.

    Porque ha tanta informacao, contra-informacao e desinformacao nos meios de comunicacao com especialistas em sociologia, psiocologia e programacao neurolinguistica por detras?
    Porque apartir do momento em que percam o controlo de precepcao das pessoas todo o sistema ocidental desabara como um castelo de cartas.

    Que tudo segue uma uma logica bem definida e racional e tudo e preto ou branco?
    Creio que caminhamos numa larga faixa cinzenta com muitos processos logicos bem definidos mas irracionais.

    Esta e a minha precepcao da realidade que vai contra a precepcao do Chaplin que, acho eu, tende a colocar tudo como um processo logico bem definido e racional, em que todos os actores pensam da mesma maneira e teem os mesmos objectivos.

    Em relação a precepcao do Max, para alem de tentar ser equilibrado nas analises, dar-lhes uma pitada de humor para desanuviar um pouco, esgravatar na informacao em profundidade em vez de ficar pela superficie, por vezes fico com a sensacao que
    poderia ser um pouco mais tenaz em certos pontos e claro gostaria imenso que tivesse aqui no Blog (e alguns de nos particiapriamos) na criacao de alguns conteudos practicos para nos ajudarem nas batalhas do dia a dia contra as manipulacoes que sofremos.
    Relembro que a uns tempos atras fiz a sugestao de criarmos um manual de sobrevivencial social.

    Foi a minha modesta opiniao sem intencao alguma de ferir ou ofender quem quer que fosse.

    Abraço

    EXP001

  5. Sou existencialista, e penso que só a partir desta premissa, é que poderemos reverter algo na civilização. Não se nasce bandido ou corrupto, mas somos crescidos doutrinados pela priorização de valores/princípios de ordem econômica e social. Ou seja, para sermos um bom e imobilizado escravo/servo adulto, que naturalizará a 1ª e principal corrupção, a sua própria. E passará a dividir o mundo entre os meus e os teus…seu azar é que mais de 7 bilhões pensarão o mesmo…
    Segmentos dominantes não necessariamente convergem entre si o tempo todo, mas acabam se alinhando nos momentos e situações extremas. Isto é HISTÓRIA.
    O fator DINHEIRO se torna protagonista qdo deixa de ser um recurso organizativo/facilitador do intercâmbio comercial e torna-se o principal valor civilizatório. O que vale o mesmo para o automóvel e o próprio trabalho, inicialmente, funções existenciais. Mudanças promovidas pelos segmentos dominantes interessados em fragmentar e precarizar, existencialmente, o indivíduo. Vive-se para o econômico e o social, e isto é, existencialmente, insuficiente…

    1. O existencialista, parte do seguinte princípio: a existência precede a essência.

      Com isso, quer dizer que o homem primeiro existe no mundo – e depois se realiza, se define por meio de suas ações e pelo que faz com sua vida.

      Assim, os existencialistas negam que haja algo como uma natureza humana – uma essência universal que cada indivíduo compartilhasse, ou que esta essência fosse um atributo de Deus.
      Portanto, para um existencialista, não é justo dizer "sou assim porque é da minha natureza" ou "ele é assim porque Deus quer".

      Ao contrário, se a existência precede a essência, não há nenhuma natureza humana ou Deus que nos defina como homens.
      Primeiro existimos, e só depois constituímos a essência por intermédio de nossas ações no mundo.
      O existencialismo, desta forma, coloca no homem a total responsabilidade por aquilo que ele é.

      Somos os responsáveis por nossa existência
      Se o homem primeiro existe e depois se faz por suas ações, ele é um projecto – é aquele que se lança no futuro, nas suas possibilidades de realização.
      O que isso quer dizer?
      Eu não escolho nascer no Brasil ou nos EUA, pobre ou rico, branco ou preto, saudável ou doente: sou "jogado" no mundo.
      Existo.
      Mas o que eu faço de minha vida, o significadoque dou à minha existência, é parte da liberdade da qual não posso me furtar.
      Posso ser escritor, poeta ou músico. No entanto, se sou bancário, esta é minha escolha, é parte do projeto que eliminou todas as outras possibilidades (escritor, poeta, músico) e concretizou uma única (bancário).

      E, além disso, tenho total responsabilidade por aquilo que sou.
      Para o existencialista, não há desculpas.
      Não há Deus ou natureza a quem culpar por nosso fracasso.
      A liberdade é incondicional e é isso que Sartre quer dizer quando afirma que estamos condenados a sermos livres:
      "Condenado porque não se criou a si próprio; e, no entanto, livre, porque uma vez lançado ao mundo, é responsável por tudo quanto fizer"

      O existencialismo é um humanismo

      Portanto, para um existencialista, o homem é condenado a se fazer homem, a cada instante de sua vida, pelo conjunto das decisões que adota no dia-a-dia.

      "Tive que cuidar dos filhos, por isso não pude fazer um curso universitário."
      "Não me casei porque não encontrei o verdadeiro amor."
      "Seria um grande ator, mas nunca me deram uma oportunidade de mostrar meu talento."

      Para Sartre, nada disso serve de consolo e não podemos responsabilizar ninguém pelo que fizemos de nossa existência.
      O que determina quem somos são as ações realizadas, não aquilo que poderíamos ser.

      Logo se os doutrinados pela priorização de valores/princípios de ordem econômica e social. Ou seja, serem um bom e imobilizado escravo/servo adulto, que naturalizará a 1ª e principal corrupção, a sua própria, será resultado apenas e exclusivamente das suas accoes e escolhas .

      Visto que não há nenhuma natureza humana ou Deus que nos defina como homens.
      e o homem tem a total responsabilidade por aquilo que ele é, a doutrinacao e conspiracoes para dominar nao existem.
      A dominacao apenas existira pq se deixam dominar.

      No entanto refiro que mesmo no mundo existe varias hirarquias de poder.
      Os Lobos teem uma hierarquia
      Os Leoes teem uma hieraquia
      Os Caes teem uma hieraquia
      etc…
      As flores sao roubadas pelas abelhas que lhes levam o polen, vem o coelho que come a flor, depois o coelho e caçado pelo lobo, o homem apanha o lobo que estava agora a caçar uma ovelha que tambem come as flores, de seguida o homem vai tirar o mel as abelhas que tiraram o polen as flores que foram comidas pelo coelho que foi comido pelo lobo que foi cacado pelo homem que tira a pele ao lobo, o mel as abelhas, a la as ovelhas e ainda apanha as flores para levar para casa e que com o que ganhou com a venda da pele do lobo, do mel das abelhas, da la das ovelhas tem de ir pagar a casa ao banco que e controlado pelos Rothschild e sionistas que assim ficam com o resultado de tudo.

      EXP001

    2. Sartre é apenas um dos tradutores do existencialismo. Se complica quando tenta compor um chaveamento entre doutrinação, conspirações, hierarquia e dominação, pois descarta que esses fatores entre si, afetam-se mutuamente, cuja resultantes interferem diretamente no conjunto de ações individuais, como decidir num determinado contexto, onde desconheço fatores primordiais relacionados ao mesmo. Então, o deixar-se dominar deve ser relativizado, e não tratado como um axioma.

    3. Breve adaptação do teu comentário:
      O existencialista, parte do princípio de que a existência precede a essência.
      De que o homem 1º existe no mundo, depois se realiza, se define por meio de suas ações e pelo que faz com sua vida.
      Existencialistas secundarizam a natureza humana – essência universal que cada indivíduo compartilhasse, ou que esta essência fosse 1 atributo de Deus.
      Para 1 existencialista, não é suficiente dizer "sou assim pq é da minha natureza" ou "ele é assim pq Deus quer".
      A existência precede a essência, cuja natureza humana não é a definidora maior.
      O existencialismo prioriza no homem sua responsabilidade por aquilo que é.
      Somos responsáveis pelo desenrolar de nossa existência, mas não pela própria concepção, esta, uma escolha supra-humana (que podermos chamar de destino).
      Se o homem 1º existe e depois se faz por suas ações, ele é 1 projeto – é aquele que se lança no futuro, nas suas possibilidades de viver.
      Não escolho nascer em algum lugar, com determinação condição social, étnica, física e mental, mas sou "escolhido".
      O que faço e o significado que dou à minha existência, é parte da liberdade, que podemos chamar de livre arbítrio.
      O conceito de fracasso para o existencialista difere do conceito a que somos condicionados.
      No sentido filosófico, a liberdade é incondicional e estamos condenados a sermos livres:
      "Condenado por existir, e, livre, por ser responsável por tudo qto fizer”.
      O existencialismo não é um humanismo
      Não podemos responsabilizar ninguém pelo que fizemos de nossa existência.
      O que determina quem somos são nossas ações, indivisíveis e intransferíveis.
      Logo se os doutrinados pela priorização de valores/princípios de ordem econômica e social, enquanto um bom e imobilizado escravo/servo adulto, não naturalizará a 1ª e principal corrupção, a sua própria, pois, diferentemente do sentido filosófico, a vida mundana será resultado de suas ações/escolhas eminentemente condicionadas por fatores externos e de ordem não filosófica.
      Relações de poder, doutrinação e conspirações existem
      paralelamente a simples condição de se deixar ou não se deixar dominar.

    4. @Chaplin

      "Sartre é apenas um dos tradutores do existencialismo.
      Se complica quando tenta compor um chaveamento entre doutrinação, conspirações, hierarquia e dominação…"
      Tambem suspeitava que a culpa era dele
      Sera que Sartre é um Judeu sionista que estava a conspirar contra o existencialismo?

      "E vamos combinar. Hierarquia instintiva entre seres irracionais não serve como modelo para os hominídeos…"

      Neste ponto nao combino nada contigo Chaplin.

      Os Hominídeos formam uma família taxonômica dos grandes primatas, incluindo os quatro gêneros existentes:
      Chimpanzés (Pan) – 2 espécies
      Gorilas (Gorilla) – 2 espécies
      Humanos (Homo) – 1 espécie
      Orangotangos (Pongo) – 3 espécies [2]

      1 – Porque razao consideras que as outras especies animais para alem dos hominídeos sao irracionais e não servem como modelo?
      2 – Ou sera que apenas te estavas a referir ao homem?
      2.1 – Caso te estivesses a referir apenas ao homem . Porque pensas que o homem e racional, quando faz tanta coisa irracional? E o que prova que as outras especies animais sao irracionais ?

      EXP001

    5. O homem e seu eterno desafio entre duas forças antagônicas: instinto animal x razão…Qto aos parentes, acho desnecessário responder…

  6. Na Roma antiga havia os jogos e o circo para distrair as massas, mas agora a coisa ficou mais sofisticada, pois são as massas que se distraem a elas próprias.
    E quando a roda dos assuntos começa a abrandar, uma qualquer teoria ou assunto aparecem para dar um novo folego, e tudo volta á normalidade.
    No jogo de dominação, os dominados têm de se manter alheados da sua condição, sob pena de se rebelarem.
    Nada de novo, só mudou o cenário de preto e branco para 4K Ultra HD.
    E o 8K já vem a caminho, e aí é que isto vai ficar engraçado.
    Abraço

  7. Não acho que aja uma conspiração no mundo para nos dominar. Apenas tenho certeza que uma ínfima parte das pessoas (1%- ?) detém toda a riqueza do planeta. Como acreditar em coincidência quando o assunto é politica, é ser mais idiota do que acreditar que a terra é plana, faço uma pergunta a vocês todos, como esse um por cento consegue tanto ?

    1. Temos que achar menos e investigar mais. Minorias prevalecem sobre maiorias porque tem maior capacidade de concentrar interesses e desenvolver processos conspiratórios, que resultam, na maioria das vezes, aos acessos as riquezas. Paremos de dar cheques em branco para propagandas de segmentos dominantes, disfarçadas de "educação", "jornalismo" ou "ciência"…

    2. O Chaplin de certa forma tem razão. Existem e existiram minorias muito poderosas 'capazes de concentrar interesses e desenvolver processos conspiratórios'. O American Jewish Committee criado no inicio do Sec. XX é um claro exemplo.
      As Sete Irmãs do petróleo, é outro exemplo e por aí fora. Os exemplos não faltam.
      Agora, quanto a existir uma conspiração global em que ponha todas estas estruturas em consonância com vista a se atingir a famosa NWO, já tenho muitas dúvidas, apesar de reconhecer que existem algumas iniciativas neste sentido.

    3. "Colega"! Basta pensar no endividamento de praticamente todos Estados Nacionais (leia-se países), incluindo o "Império" EUA junto a credores internacionalistas (leia-se judeus sionistas). E tem gente que acredita em soberanias nacionais…Países são pobres, sejam eles de 1º ou 3º mundo, quem são ricos são seus credores! O que se altera não é a lógica de dependência, mas a equação entre o que determinados países propiciam ou não aos seus habitantes.

  8. Grande satisfação em ver esse blog movimentado.
    Acho ( se é que eu posso "achar" alguma coisa, diante de tantos comentaristas letrados), ou melhor , concordo com o Max, com relação ao deus dinheiro. As atribulações de nossas vidas, são medidas conforme nossa maior ou menor devoção a este deus.
    Se eu acho que somos submetidos a um controle central? Não , penso que ele é fragmentado: ( igrejas do deus dinheiro ) bancos, petroleo, midia, etc.
    Infelizmente, não temos como fugir disso. Procuro seguir a orientação dos seguidores do Deus oficial (aquele que a maioria acredita): "Estar no mundo, sem ser do mundo"
    Abraço

  9. pergunta um: sim como um burro montado por alguém com um pau um fio de pesca e uma cenoura.
    pergunta dois: sim, não em parte (o nos em geral como sociedade: sim, mas muitos nem teem consciência disso e muito mais, e até podem ser umas jóias de pessoas, existem imensas variáveis ), erros em nós? Sempre ouvi dizer errar é humano (e provavelmente inerente á condição da nossa espécie, aliás é atraves do erro que se aprende, até no método científico e muito mais). Conspiração diabólica talvez na mente de pessoas com transtornos psicológicos. Nós: complexo responder a isso, existem coisas que não são o que aparentam. Volto a repetir isto é baseado em confiança e aparências. Algo baseado em dois fatores que podem ser manipulados para parecer mais ou menos do que o que são. Logo não factos mas mas "fé" em algo especulativo. Faz se sem pensar, automaticamente, bom para certos processos(motores e repetitivos) errado para outros que tens aqui colocado no teu excelente blog? Logo a pergunta será se somos nós porque nos estamos a autocondicionar pelos temas expostos? 😉
    ps: a propósito vi ontem uns tipos de toga a acusar outro indivíduo sem provas mas basicamente suposições, porque provas ou evidências nem vê-las. Goste se ou não do indivíduo (irrelevante) não são as primeiras que contam? Isso não vai contra a lógica de funcionamento do sistema baseado em aparências fé e precepção "moldada".
    Peço desculpa mas como ovelha negra, e com orgulho a resposta é não.

    nuno

  10. Former US lawmaker Cynthia McKinney says every candidate for Congress has to sign a pledge to vote for supporting the military superiority of Israel.

    existem provas e é um testemunho de uma ex congressista dos USA.

    Será teoria conspirativa???

    ——————————————–

    https://i.redditmedia.com/6lfJAn3kZvHfW01INQcLiecuKAcFORts1st0QTTW9YM.jpg?w=822&s=d2f4195de62e564972f50741090fe652

    O elefante no meio da sala que poucos conseguem ou não querem ver. Nem o Max.

    PS:Uma correcção ao Max, o vídeo que postei do Banqueiro https://www.youtube.com/watch?v=f106okX-3JQ menciona sim Grande Finança, rituais satânicos, Sionismo.

    A palavra "Iluminati" não é mencionada pelo entrevistado do vídeo.
    Foi apenas colocada no título por quem colocou o vídeo no Youtube.

  11. Este link não é para nenhuma teoria da conspiração.
    É uma exposição detalhada sobre a maneira REAL como a religião está a ser conduzida no sentido de manipular as pessoas em direção ao poder único. Recomendo que assistam tudo e a seguir repassem.
    A secção "Why I'm no longer a roman catholic" é importantíssima.
    Aqui fica:
    https://www.youtube.com/user/EpiGenosko/playlists

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: