Saúde: económica

Olá pessoal de Informação Incorrecta: bom Carnaval!
E, para festejar, eis três artigos, dois curtos e um mais comprido (um hóspede!), que falam de saúde:

  1. saúde económica
  2. saúde mental
  3. saúde física e prevenção.

Começamos com a saúde económica.

Grécia: aprovado o resgate

Após 13 horas de reunião, as Mentes Pensantes de Bruxelas aprovaram o segundo mega-resgate de Grécia. Faltam ainda conhecer alguns pormenores, mas o que é sabido já é suficientemente divertido.

Os Ministros das Finanças da União Europeia, por volta das 5 da madrugada (heróicos, esta é a única palavra digna de descrever a condição destes homens), conseguiram o acordo. O tão desejado acordo.

– Epá, vamos fazer assim: 130 milhões de Euros, tá decidido?
– Fogo, que sono…eh? 130? Sim, tá bom…
– Ehi, mas quem fez entrar as mulheres da limpeza?
– 130 milhões…e um perdão parcial da dívida, eh? Que tal?
– Desculpe, importa-se de desligar o aspirador?
– Sim, tá bom, perdão parcial, assim estes desgraçados ficam com uma dívida de 120%?
– 120%? Mas só em 2020…ehi, deixe o copo, ainda não acabei de beber…
– Pare, não é lixo, é a minha mala!…120%, sim, pode ser, mas as garantias, eh?, as garantias?…É a minha mala eu disse, não mexa!


– Garantias…bom, vamos introduzir uma vigilância reforçada. Olhem eu escrevi isso, que acham? “Vamos apertar a vigilância dos Estados-membros da Zona Euro que estão a experimentar perturbações financeiras graves ou que se encontram sob assistência financeira”.
– Sim, soa bem. Não desliguem as luzes, ainda não acabamos!
– Mais: uma “vigilância pós-programa” para aqueles Países sob planos de resgate, como Grécia, Irlanda e Portugal.
– Ahi que fixe este termo, “vigilância reforçada”…
– Não senhora, não me levanto, pode passar a vassoura mais logo, tá bom? Estou a trabalhar, donde é você? Ah, é portuguesa? Então olhem, colegas, Portugal será alvo de uma vigilância reforçada até ter pago três quartos dos empréstimos.
– Sim, justo, temos de avaliar os orçamentos nacionais e dar a nossa opinião antes de estes serem aprovados pelos parlamentos nacionais, ora essa. E desliguem aquele raio de aspirador, não oiço nada!
– Sim, colegas e amigos, avaliar sim, tudo bem, mas temos que poder solicitar alterações se for o caso, não é?
– Tranquilo, já está escrito no esboço…onde está o esboço? No saco do lixo? Como assim?

Mais ou menos é isso que se passou.
Moral: a Grécia irá falir. Mas não já, por enquanto pode ficar a assar em fogo lento.
Não há pressa.

Ipse dixit.

Fonte: Dinheiro Vivo

One Reply to “Saúde: económica”

  1. Só queria chamar a atenção para o facto do Max, à semelhança do que aconteceu com o reporter que gravou a conversas entre os ministros das finanças português e alemão, poder incorrer numa suspensão de 30 dias pela publicação desta reunião das mentes pensantes em Bruxelas.

    Em todo o caso, se tal vier a confirmar-se, sempre poderemos atirar as culpas para cima das mulheres da limpeza como as principais suspeitas pela fuga de informação 😉

    Krowler

Obrigado por participar na discussão!

This site uses User Verification plugin to reduce spam. See how your comment data is processed.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: