Egipto: a Democracia avança

E o Egipto?
Tudo bem, tudo regular, não há crise.

Mubarak foi afastado do poder, agora no Cairo há um regime democrático e o País goza duma prosperidade sem precedentes.

900 pessoas feridas numa manifestação? Sim, acontece. E não, não era uma revolta contra a descida de divisão do River Plate. Na verdade no Egipto não ligam muito ao futebol argentino.

Por alguma estranha razão, estas 900 pessoas encontravam-se na Praça Tahtit na passada Terça-feira. E na Quarta-feira também.

Protestavam, mas não se percebe bem porque. Agora que caiu o ditador deveriam estar todos felizes, não é?

120 pessoas internadas? Eh sim, acontece também. River Plate? Não, também nada de futebol neste caso.

A coisa estranha é que também estes 120 desgraçados encontravam-se na mesma praça, nos mesmos dias.
E também protestavam, mas nem neste caso podemos entender a razão. Quando a Democracia chega, é festa para todos.

Muita gente na praça. Gente desiludida, zangada. O Governo não é nada daquilo que era suposto ser.
É uma desilusão que não tem uma explicação racional.

Os amigos egípcios parem e pensem: forças ocidentais forneceram o apoio logístico, financeiro, mediático para o despoletar da revolução. E uma vez a revolução ter ganho o jogo, o poder nas mãos do povo?
E aqueles que forneceram o apoio? Um aperto de mão, um “obrigado” e até a próxima?
Era esta a ideia?

Os amigos egípcios que fiquem felizes: na Líbia a coisa não correu tão bem.
E satisfeitos também, em breve serão submergidos de direitos.
Inúteis, como os nossos, mas sempre direitos.

E Rafah? A passagem aberta entre Egipto e Palestina após a queda do tirânico regime?
Fechada. Obras. O Governo egípcio não disse nada a ninguém e simplesmente fechou.

A Democracia avança.

Ipse dixit.

Fonte: InfoPal, Russia Today

3 Replies to “Egipto: a Democracia avança”

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: