A queda da Esquerda e o bestiário de Bolsonaro

O tempo de leitura estimado deste artigo é de 54 minutos

Os amigos brasileiros muito gostam de descrever a realidade do País deles como algo “diferente”, algo “especial” em termos políticos. No entanto, o resultado das recentes eleições indica exactamente o contrário: do ponto de vista político, o Brasil segue aquele que é o rumo já traçado por outros Países, com a Esquerda derrotada.

Todavia, verdade seja dita, há algo diferente: o nível do futuro Presidente. É difícil encontrar algo parecido no panorama internacional. As comparações com Donald Trump não estão correctas pois o simpático Donald, perante Bolsonaro, mais parece uma inteligência superior dotada duma inata classe e capaz de raciocínios deslumbrantes.

Tanto para fornecer aos leitores que vivem fora do Brasil uma ideia do sujeito, vou fazer um copia/cola das mais famosas frases do próximo Presidente do Brasil, um verdadeiro The Best Of, dividido por anos. Ou, se o Leitor preferir, um bestiário de Jair Bolsonaro.

O bestiário é uma espécie de dever pois há um lado de mim que gosta de tudo quanto é trash, lixo; adoro as manifestações de estupidez humana, não por masoquismo mas porque alimentam a fome de ironia e autocrítica; sou um dos poucos indivíduos capazes de ver um inteiro filme de Manuel de Oliveira sem adormecer; Dança Gatinho do Faro (Record Tv, um must) é um dos meus programas favoritos e no carro costumo ouvir os programas da IURD. Tudo isso provoca em mim hilaridade. Não admira, portanto, que Bolsonaro seja um dos meus novos ídolos, quase um guru.

Mas antes de começar, uma pergunta aos Leitores brasileiros que já conhecem as inúmeras dotes do futuro Presidente: mas realmente acham que a derrota do PT foi apenas culpa dos media? A dúvida que todos temos é: possível que o eleitorado brasileiro, que no geral é moderado ou tendencialmente de Esquerda, dê cambalhotas dessa magnitude? A resposta não é minha:

Onde estavam os de centro-esquerda quando a Wall Street que Barak Obama tinha salvado estrangulou o povo do Brasil para pagar as dívidas acumuladas pelos seus oligarcas? O centro-esquerda é a linha directa entre o capitalismo e o fascismo, não a sua antítese “. (Rob Urie, Counterpunch)

Até dá para parafrasear e aplicar no caso do colapso da Esquerda em vários Países europeia. No caso da Italia, por exemplo: “Onde estava a centro-esquerda (o Partido Democrata em primeiro lugar) quando a União Europeia quis estrangular as famílias e as empresas italianas para pagar as dívidas tornadas venenosas por causa do Euro?”.

E segue o inevitável corolário: quando a Esquerda casa os princípios do livre mercado, morre. Por uma razão simplicíssima: o livre mercado, a versão selvagem dele, é contrário ao DNA da Esquerda (e da Direita clássica também). Pode parecer uma coisa óbvia, mas é mesmo isso que tem acontecido na Europa e no Brasil: ao reconhecer e seguir os princípios do neoliberalismo, da grande finança, da globalização, as Esquerdas assinaram a própria sentencia de morte. Não pode haver uma política de Esquerda ou de Direita sem reconhecer ao Estado um papel absolutamente central como regulador das actividades económicas e sociais, com função de “cinto de segurança” no âmbito do mercado.

Se deixado sozinho, o mercado torna-se uma máquina que tudo atropela: não existe a “mão invisível” muitas vezes invocada que possa activar uma espécie de auto-regulamentação, pois o mercado conhece apenas a palavra “lucro” e tudo o resto é secundário. Esquerda e Direita são engolidos pelo sistema capitalista, digeridos e transformados num híbrido que pretende defender as classes mais pobres. a soberania nacional e, a o mesmo tempo, fazer prosperar empresas e mercados financeiros aplicando as regras do capitalismo. Dá para ver o absurdo?

Pelo que: é preciso ir além de Esquerda e Direita, o nosso mundo actual necessita de quebrar as velhas divisões e de olhar duma perspectiva diferente. Voltaremos a falar disso.

Mas agora é tempo de iniciar a nossa viagem no extraordinário mundo bolsonárico. Um universo mágico feito de racismo, prejuízo, contradições, insultos, machismo, insensibilidade e tudo aquilo que normalmente um ser humano tenta evitar. A que segue não é a lista completa das citações históricas do próximo Presidente brasileiro: é só o creme do creme. A lista completa pode ser encontrada neste link.

Prontos? Vamos.

The Best of Jair Bolsonaro

1992

“Banana, palhaço e covarde.” Sobre Carlos Tinoco, então ministro do Exército, durante protesto em 27/04/1992. Folha de S.Paulo.

“Devemos adotar uma rígida política de controle da natalidade. Não podemos mais fazer discursos demagógicos, apenas cobrando recursos e meios do governo para atender a esses miseráveis que proliferam cada vez mais por toda esta nação.” Em 1992.

1993

“Se havia corrupção desenfreada e se os políticos lá se tinham locupletado, então os militares deveriam mesmo intervir.” Sobre o golpe de Estado na Guatemala. Folha de S.Paulo, 26/05/1993.

“Sou a favor de uma ditadura, de um regime de exceção, desde que esse Congresso dê mais um passo rumo ao abismo, que está muito próximo.” Na tribuna da Câmara dos Deputados em 24/06/1993.

“Tudo o que se faz aqui dentro (do Congresso) é inócuo. O único caminho que sobra é a intervenção das Forças Armadas. Como você vai acabar com os privilégios salariais no Judiciário, por exemplo, sem um regime de exceção? Não defendem Fidel Castro por aí? Eu defendo o Fujimori.” Em entrevista à Folha de S. Paulo em 25/06/1993.

“Eu simpatizo com o Fujimori. A Fujimorização é a saída para o Brasil.” Em entrevista ao The New York Times em 25/07/1993.

“Se Deus quiser, vamos voltar. Só que teremos guilhotina e não haverá esta bagunça que está aí.” Defendendo o retorno de um governo militar, em discussão com o então senador Ronan Tito (PMDB-MG), durante votação na comissão mista do Congresso sobre o Plano Real, na qual o deputado foi o único a votar contra a criação da Unidade Real de Valor.

1995

“Pela sua coragem, quero agora louvar o excelentíssimo Sr. Presidente do Peru, Alberto Fujimori, que implantou em seu país, como forma de conter a explosão demográfica, a esterilização voluntária. [A Igreja Católica é] uma das grandes responsáveis pela miséria que grassa em nosso meio.” Na Câmara dos Deputados, em 21/09/1995.

1996

Gastaram muito chumbo com o Lamarca. Ele devia ter sido morto a coronhadas.” Sobre Carlos Lamarca. 27/07/1996.

1997

“O pessoal fala que é discriminação. Agora você, aí de casa, contrataria um motorista gay para levar seus filhos na escola? Tá na cara que não”. Em entrevista ao programa Câmera Aberta, da Band.

“A PM deveria ter matado 1.000 e não 111 presos no massacre do Carandiru.” Folha de S.Paulo, 03/10/1997.

1998

“A Comissão [de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados] só defende direitos de picareta e de vagabundo.” Em referência aos 19 trabalhadores sem-terra mortos no Massacre de Eldorado dos Carajás. Folha de S. Paulo, 13/03/1998.

“O cachorro não sabe que ele é um senador, mas deveria ser condecorado.” Quando um cachorro da Polícia Militar do Distrito Federal atacou o então senado Eduardo Suplicy, que socorria um manifestante ferido durante um protesto liderado pela CUT no Congresso Nacional, em 21/05/1998.

“Pinochet devia ter matado mais gente.” Sobre Augusto Pinochet. Veja, edição 1575, de 02/12/1998 – Página 39

“Já vai tarde.” Quando Luís Eduardo Carlos Magalhães, filho de Antonio Carlos Magalhães (ACM), faleceu. Revista Veja, 1998.

1999

“Através do voto você não vai mudar nada nesse país, absolutamente nada. Só vai mudar, infelizmente, quando um dia nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro. E fazer um trabalho que o regime militar não fez, matando uns 30 mil, começando pelo FHC. Se vai morrer alguns inocentes, tudo bem. Em tudo quanto é guerra morrem inocentes.” Sobre o então presidente Fernando Henrique Cardoso. 25/05/1999.

“Eu votaria no Lula no 2º turno. Apesar de dizerem que ele não é uma pessoa muito culta, eu vejo como uma pessoa honesta. Não adianta você votar numa pessoa cultíssima como o FHC e desonesta. Você não vai ter esperança de nada nunca na vida. O foco é na honestidade.” Sobre eleições presidenciais, em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, 23/05/1999.

“Não há a menor dúvida. Eu daria golpe no mesmo dia. [O Congresso] não funciona e tenho certeza que pelo menos 90% da população ia bater palmas. O Congresso hoje em dia não serve para nada, só vota o que o presidente quer. Se ele é a pessoa que manda, que decide e que tripudia em cima do Congresso, que dê logo o golpe, parte logo para a ditadura.” Ao ser questionado se ordenaria o fechamento do Congresso Nacional caso fosse eleito presidente, em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, 23/05/1999.

“Conselho meu e eu faço: eu sonego tudo que for possível.” Em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, 23/05/1999.

“Eu não consigo ir nem para o Paraguai com o meu salário.” Em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, 23/05/1999.

“A situação do país seria melhor hoje se a ditadura tivesse matado mais gente.” Folha de S.Paulo, 30/06/1999.

“É o que dá torturar e não matar.” Sobre o ex-padre José Antônio Monteiro, que acusou o ex-diretor-geral do PF João Batista Campelo por tortura. Folha de S.Paulo, 30/06/1999.

“É uma esperança para a América Latina e gostaria muito que essa filosofia chegasse ao Brasil. Acho ele ímpar. Pretendo ir à Venezuela e tentar conhecê-lo. Quero passar uma semana por lá e ver se consigo uma audiência. Acho que ele vai fazer o que os militares fizeram no Brasil em 1964, com muito mais força. Só espero que a oposição não descambe para a guerrilha, como fez aqui.” Sobre o então presidente venezuelano Hugo Chávez. O Estado de S. Paulo, 04/09/1999.

“[Hugo Chávez] não é anti-comunista e eu também não sou. Na verdade, não tem nada mais próximo do comunismo do que o meio militar. Nem sei mais quem é comunista hoje em dia.” Sobre o então presidente venezuelano Hugo Chávez. O Estado de S. Paulo, 04/09/1999.

2000

“Acho que o fuzilamento é uma coisa até honrosa para certas pessoas.” Referindo-se ao então presidente Fernando Henrique Cardoso em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.

“Nunca bati na ex-mulher. Mas já tive vontade de fuzilá-la várias vezes.” Sobre sua ex-esposa e então vereadora Rogéria Bolsonaro, em entrevista à revista Isto É Gente em 14/02/2000.

“Nas questões polêmicas, ela deveria ligar para o meu celular para decidir o voto dela. Mas começou a frequentar o plenário e passou a ser influenciada pelos outros vereadores. Foi um compromisso. Eu a elegi. Ela tinha que seguir minhas ideias.” Sobre sua ex-esposa e então vereadora Rogéria Bolsonaro, em entrevista à revista Isto É Gente em 14/02/2000.

“Não sou contra, não. Desde que seja com a mulher dos outros. Depois que todas as mulheres estiverem usando, aí a minha poderá usar. O fio dental foi um escândalo e hoje é normal. Tudo é evolução.” Sobre a legalização do topless, em entrevista à revista Isto É Gente em 14/02/2000.

“Pena de morte deve ser aplicada para qualquer crime premeditado.” Em entrevista à revista Isto É Gente em 2000.

“Eu defendo a tortura. Um traficante que age nas ruas contra nossos filhos tem que ser colocado no pau-de-arara imediatamente. Não tem direitos humanos nesse caso. É pau-de-arara, porrada. Para sequestrador, a mesma coisa. O cara tem que ser arrebentado para abrir o bico.” Em entrevista à revista Isto É Gente em 14/02/2000.

“Eu sou contra. Não posso admitir abrir a porta do meu apartamento e topar com um casal gay se despedindo com beijo na boca, e meu filho assistindo a isso.” Sobre o casamento homoafetivo, em entrevista à revista Isto É Gente em 14/02/2000.

“Graças a Deus, não. Eu desconheço. Se tivesse, nem quero pensar.” Questionado se possuía familiares homossexuais, em entrevista à revista Isto É Gente em 14/02/2000.

“Filho de troglodita, troglodita é.” Sobre seu filho Carlos ter sido eleito vereador da cidade do Rio de Janeiro, impedindo a reeleição da própria mãe, Rogéria Bolsonaro (PMDB), ex-esposa do deputado. O Estado de S. Paulo, 06/10/2000.

2002

“Não vou combater nem discriminar, mas, se eu vir dois homens se beijando na rua, vou bater.” Folha de S.Paulo, 19/05/2002.

“As coisas mudaram. Hoje, comunista toma uísque, mora bem e vai na piscina.” Ao defender a indicação de Aldo Rebelo, então membro do Partido Comunista do Brasil, ao Ministério da Defesa. Folha de S.Paulo, 19/12/2002.

“Apelo ao nosso Presidente Lula, a quem respeito e admiro por seu passado e sua conquista, para que escolha um dos membros do PT, do PCdoB ou um oficial-general de quatro estrelas para ocupar o Ministério da Defesa, a fim de que possamos ter esperança nesse Ministério da Defesa, o mais importante em qualquer país sério do mundo.” Em contrariedade à indicação de José Viegas, então embaixador do Brasil na Rússia, para o cargo de ministro da Defesa, durante discurso na Câmara dos Deputados em 04/12/2002.

2003

“Enquanto o Estado não tiver coragem de adotar a pena de morte, o crime de extermínio, no meu entender, será muito bem-vindo. Se não houver espaço para ele na Bahia, pode ir para o Rio de Janeiro”. Em discurso na Câmara dos Deputados, em 08/2003.

“Jamais iria estuprar você porque você não merece.” Para a deputada Maria do Rosário, que o chamou de estuprador, em 11/2003.

“Já está mais do que na hora de discutirmos uma política que venha a conter essa explosão demográfica, caso contrário ficaremos apenas votando nesta Casa matérias do tipo Bolsa Família, empréstimos para pobres, vale-gás, etc.” Em 12/2003.

2004

“O índio, sem falar a nossa língua, fedorento — é o mínimo que posso falar —, na maioria das vezes, vem para cá, sem qualquer noção de educação, fazer lobby.” Na Comissão Externa sobre a Reserva Indígena Raposa Serra do Sol, em 14/04/2004.

2005

“E as amantes? Vão ficar de fora da proposta?” Comentando contra as propostas de emendas constitucionais que proíbem a contratação de parentes por titulares de cargos públicos. O então deputado empregava o filho e a mulher em seu gabinete. 20/04/2005.

2007

“Competência? É problema do deputado. Se quiser botar uma prostituta no meu gabinete, eu boto. Se quiser botar a minha mãe, eu boto. É problema meu.” A respeito da proposta de Emenda Constitucional que tornaria ilegal o nepotismo nos três poderes. 05/03/2007.

2008

“O governo deveria apoiá-las [as milícias], já que não consegue combater os traficantes de drogas. E, talvez, no futuro, deveria legalizá-las.” Em entrevista à BBC News em 08/03/2008.

“É um índio que está a soldo aqui em Brasília, veio de avião, vai agora comer uma costelinha de porco, tomar um chope, provavelmente um uísque, e quem sabe telefonar para alguém para a noite sua ser mais agradável. Esse é o índio que vem falar aqui de reserva indígena. Ele devia ir comer um capim ali fora para manter as suas origens.” Após receber um copo d’água no rosto por uma das lideranças do sateré-maués em uma audiência na Câmara dos Deputados que tratava sobre a questão indígena em Roraima. 14/05/2008.

“Não adianta nem falar em educação porque a maioria do povo não está preparada para receber educação e não vai se educar. Só o controle da natalidade pode nos salvar do caos.” Em 07/2008.

“O único erro foi torturar e não matar.” Sobre a possibilidade de revisão da Lei de Anistia, que poderia punir de acusados de torturas e outros crimes contra presos políticos durante o regime militar. 07/08/2008.

“Querem atacar o miliciano, que passou a ser o símbolo da maldade e pior do que os traficantes. Existe miliciano que não tem nada a ver com ‘gatonet’ e com venda de gás.” Na Câmara dos Deputados em 18/12/2008, sobre a CPI das Milícias.

2009

“Quem procura osso é cachorro.” Para familiares de desaparecidos na ditadura. 28/05/2009.

2010

“Se o filho começa a ficar assim meio gayzinho, leva um couro e ele muda o comportamento dele.” No programa Participação Popular da TV Câmara, em 17/11/2010.

“O meu lado é o lado dos héteros. […] O pai, numa última instância, tem o direito de dar umas palmadas no filho dele. Já levei, e já dei nos meus filhos para sua boa educação. Se o garoto […] andar com maconheiro, ele vai acabar cheirando; se andar com desocupado, vai acabar virando bandido; e se andar com gay, vai virar boiola com toda certeza. Nesse momento, umas palmadas nele coloca o garoto no rumo certo. […] Não venham querer se impor, achar que são uma classe a parte, que são privilegiados.” Em entrevista à Folha de S.Paulo, em 25/11/2010.

“[Gasta-se] dinheiro do povo para tratar essa gente depois que contrai a doença com esses atos. […] Se for na sacanagem… […] Problema deles.” Em entrevista a Mônica Iozzi, do programa CQC, sobre tratamento de pessoas com HIV.

“[…] seus filhos vão receber na escola um kit intitulado Combate à Homofobia. Na verdade, é um estímulo ao homossexualismo, à promiscuidade. […] A grande discussão da nossa Comissão de Direitos Humanos e Minorias é a profundidade em que a língua de uma menina tinha que entrar na boca da outra menina. Dá para continuar discutindo esse assunto? Dá nojo! Esses gays e lésbicas querem que nós entubemos, como exemplo de comportamento, a sua promiscuidade. […] Essa história de homofobia é uma história de cobertura para aliciar a garotada, especialmente os garotos que eles acham que têm tendências homossexuais. […] Eu realmente assumo o que disse na TV Câmara: se um garoto tem desvio de conduta logo jovem, ele deve ser redirecionado para o caminho certo, nem que seja com umas palmadas. Acusam-me de ser violento, mas não sou promíscuo, não sou canalha com as famílias brasileiras!” Em discurso na Câmara dos Deputados em 30/11/2010.

2011

“Devemos colocar um fim, uma transição para o Bolsa Família, porque, cada vez mais, pobres coitados, ignorantes, ao receberem bolsa família, tornam-se eleitores de cabresto do PT. Logicamente, levando-se em conta isso, não interessa ao PT fazer com que o povo tenha cultura, emprego, trabalho, porque vai perder esse curral eleitoral.” Em discurso na Câmara dos Deputados em 02/02/2011.

“O Bolsa Família nada mais é do que um projeto para tirar dinheiro de quem produz e dá-lo a quem se acomoda, para que use seu título de eleitor e mantenha quem está no poder. Ou seja, quem está no poder, ao brigar por educação e pelo fim da miséria, deixará de ter votos de miseráveis. E nós devemos colocar, se não um ponto final, uma transição a projetos como o Bolsa Família.” Em discurso na Câmara dos Deputados em 10/02/2011.

“Tem muito mais violência no país contra o professor do que contra homossexuais. Quando eles falam em agressões, é em horário avançado, quando as pessoas que têm vergonha na cara estão dormindo. A regra deles é a porrada e querem acusar nós, os normais, os héteros.” Criticando a criação da Frente Parlamentar LGBT, em entrevista à revista Época em 19/02/2011.

“O espancamento, que é uma lesão física, está previsto em lei que você não pode, é crime. Mas, quando um filho nosso começa a ter desvios, ter comportamento violento, você pega uma cinta, dá três lambadas e ele se endireita. E se você pode direcionar o comportamento agressivo, porque não o comportamento delicado demais? Eu tenho pavor, Deus me livre um filho meu começar a entrar para esse lado de ser delicado demais.”
Em entrevista à revista Época em 19/02/2011.

“Daria uma porrada nele, pode ter certeza disso. Se agir com energia é torturar, vai ser torturado.” Em participação no programa CQC, após ser questionado sobre se eventualmente um filho usasse entorpecentes. O Globo, 29/03/2011.

“Isso nem passa pela minha cabeça. Eles tiveram uma boa educação. Eu sou um pai presente, então não corro este risco.” Em participação no programa CQC, após ser questionado sobre se eventualmente um filho fosse homossexual. O Globo, 29/03/2011.

“Não iria porque não participo de (eventos para) promover os maus costumes. Até porque acredito em Deus, tenho uma família, e a família tem que ser preservada a qualquer custo, senão a nação simplesmente ruirá.” Em participação no programa CQC, após ser questionado sobre participar de um desfile gay. O Globo, 29/03/2011.

“Não vou discutir promiscuidade com quer que seja. Eu não corro esse risco. Os meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como lamentavelmente é o teu.” Em participação no programa CQC, após ser questionado por Preta Gil sobre se eventualmente um filho dele se apaixonasse por uma negra. O Globo, 29/03/2011.

“[…] que exemplo ela tem de vida para cobrar ética? Se você entrar no blog dela, está escrito lá que ela já participou de atos sexuais com outras mulheres, participa de suruba.” Em 30/03/2011, durante o velório do ex-vice-presidente José Alencar, sobre Preta Gil, após a cantora declarar no Twitter, após a transmissão do CQC, que acionaria a Justiça.

“Eu estou me lixando para esse pessoal. Criaram aí a frente parlamentar de combate à homofobia, frente gay aí. O que esse pessoal tem para oferecer para a sociedade? Casamento gay? Adoção de filhos? Dizer que se seus jovens, um dia, forem ter um filho, que se for gay é legal? Esse pessoal não tem nada a oferecer.” Em 30/03/2011, durante o velório do ex-vice-presidente José Alencar.

“Tudo que as bichas têm a oferecer, as mulheres têm e é melhor.” Ao programa CQC de 04/04/2011. El País.

“[…] não teria orgulho de ter um filho gay.” Em audiência na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, em 27/04/2011.

“O problema é seu. Eu não teria orgulho de ter um filho como você.” Respondendo ao deputado federal Jean Wyllys em audiência na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, em 27/04/2011.

“Estou sofrendo preconceito heterossexual.” Em audiência na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, em 27/04/2011.

“Agora virou bagunça. O próximo passo vai ser a adoção de crianças (por casais homossexuais) e a legalização da pedofilia.” Após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo. Jornal do Brasil 05/05/2011.

“Eu não quero que o meu filho menor vá brincar com o filho adotivo de dois homossexuais. Não deixo. Não quero que ele aprenda com o filho do vizinho que a mamãe usa barba, que isso é normal. Não vou deixá-lo nessas companhias porque o futuro do meu filho também será homossexual. Vão dizer que estou discriminando e estou, sim.” Após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo. Jornal do Brasil 05/05/2011.

“Se ser homofóbico é defender as crianças nas escolas, defender a família e a palavra de Deus, pode continuar me chamando de homofóbico com muito prazer, pode me dar o diploma de homofóbico.” Após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo. Jornal do Brasil 05/05/2011.

“Vai ver a mãe crescer usando cueca e o pai usando calcinha. [Haveria] passeata gay mirim.” Sobre crianças adotadas por homossexuais, após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo. Jornal do Brasil 05/05/2011.

“E eu sou homofóbico? Ela é heterofóbica. Não pode ver um heterossexual na frente dela que alopra! Já que está difícil ter macho por aí, eu estou me apresentando como macho e ela aloprou. Não pode ver um heterossexual na frente. Ela deu azar duas vezes: uma que sou casado e outra que ela não me interessa. É muito ruim, não me interessa.” Sobre a então senadora Marinor Brito em reunião da Comissão de Direitos Humanos do Senado, em 12/05/2011.

“Minha mãe, basicamente, era aquela chocadeira: um filho atrás do outro.” Folha de S.Paulo, 16/05/2011.

“Teve gente torturada, sim. Nós não negamos. Você só pode obter informações dessa maneira, é a regra do jogo. O pessoal da esquerda fazia besteira -carro-bomba, sequestro- e depois se vitimizava. Se o cara matou colega seu, é do ser humano pegar para arrebentar. Hoje, com a cabeça que tenho, faria muito melhor. Tem que eliminar. Guerra é guerra.” Folha de S.Paulo, 16/05/2011.

“Minha relação com os negros sempre foi ótima. Não vou dizer que meus melhores amigos eram negros, mas tive bons amigos negros.” Folha de S.Paulo, 16/05/2011.

“A molecada, ao invés de se preocupar com matemática, português, física, etc., vai perder tempo discutindo homossexualismo, estudando livros que mostram que dois homens namorando é normal, duas mulheres dormindo juntas é normal. Isso aí ajuda a deseducar, a deixar o cara mais burro.” O Tempo, 22/05/2011.

“Eu já falei aqui que o heterossexual está sendo discriminado. Esse pessoal gay prega que o verdadeiro orgasmo só é atingido por quem faz sexo anal. É essa a mensagem que eles estão pregando aqui dentro da Câmara. Você vai falar que não, aí eles perguntam: ‘você já experimentou?’.” O Tempo, 22/05/2011.

“Se não tem jeito de, na conversa, mudar, você tem de dar um couro nele. E muitos concordam com isso. Se eu posso mudar um comportamento agressivo num filho meu, por que eu não posso mudar um comportamento extremamente delicado, fora do padrão para um garoto? Lógico que eu posso. Eu tenho o direito; mais que o direito, eu tenho o dever de tentar. Se eu percebesse isso aí em qualquer filho meu, tinha apanhado; pode ter certeza disso aí. ‘Isso é coisa de menina, vai ser homem, moleque!’. Muita gente fala que levou porrada do pai e, graças a isso, é homem hoje em dia.” O Tempo, 22/05/2011.

“Direita não, extrema-direita.” Sobre seu alinhamento ideológico, em entrevista para O Tempo, 22/05/2011.

“Quem não presta no Brasil é 70% do eleitorado.” O Tempo, 22/05/2011.

“E eu nem entro na questão de gastar dinheiro público, gasolina, com esses movimentos promíscuos, porque ninguém tem orgulho de ter um filho gay, um irmão gay, um pai gay.” Sobre a autorização do governo do Rio de Janeiro para militares usarem farda em eventos LGBT. O Tempo, 22/05/2011.

“Seria incapaz de amar um filho homossexual. Não vou dar uma de hipócrita aqui: prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí. Para mim ele vai ter morrido mesmo.” Em entrevista à revista Playboy. Extra, 07/06/2011.

“[…] se um casal homossexual vier morar do meu lado, isso vai desvalorizar a minha casa! Se eles andarem de mão dada e derem beijinho, desvaloriza.” Em entrevista à revista Playboy. Extra, 07/06/2011.

“Unidade familiar é homem e mulher, como diz na nossa constituição federal.” Em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011

“Entendo que uma criança adotada por um casal gay será, de certeza, homossexual. Vai puxar o bigodudo ou careca.” Em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011

“Faço uma relação entre o homossexualismo e a pedofilia porque muitas das crianças que serão adoptadas por casais gays vão ser abusadas por esses casais homossexuais.” Em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011

“Prefiro, sim, um filho atropelado por um comboio a um filho homossexual. Se o meu filho fosse gay, estaria morto para mim. […] Não tem porque ser gay ou maconheiro. Se ele mudar, é porque é um sem-vergonha.” Negando usar força de expressão, em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011

“Sou parlamentar com P maiúsculo, não com H minúsculo de homossexual.” Em sua defesa em representação contra ele no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, 06/2011.

“Sou preconceituoso, com muito orgulho.” Época, 02/07/2011.

“Se essa fosse sua opção para ser feliz não estaria (nem poderia) ser proibido por mim mas, certamente, não iria me convencer a frequentar minha casa.” Sobre se algum parente assumisse ser homossexual. Época, 02/07/2011.

“A maioria dos homossexuais é assassinada por seus respectivos cafetões, em áreas de prostituição e de consumo de drogas, inclusive em horários em que o cidadão de bem já está dormindo. O PLC 122, na prática, criará uma categoria de vítimas privilegiadas, ou seja, com proteção especial em virtude de sua opção sexual.” Época, 02/07/2011.

“Se posso mudar o comportamento de um filho agressivo ou desrespeitoso por que não poderia mudar o efeminado com a mesma atitude? Homossexualismo, como regra, é comportamento e não genética.” Sobre bater em um filho dele caso fosse transexual. Época, 02/07/2011.

“Alguém tem alguma dúvida que programas assistencialistas, como o Bolsa Família, que acostuma o homem à ociosidade, são um obstáculo para que se escolha um bom presidente?” Época, 02/07/2011.

“Eu estou me lixando para a senadora. Eu vou responder à senadora [Marinor Brito] num papel higiênico.” Sobre representação feita pelo PSOL contra Bolsonaro em 2011.

“Se gosta de homossexual, assuma. Se o teu negócio é amor com homossexual, assuma.” Referindo-se à então presidente Dilma Rousseff durante pronunciamento sobre o projeto Escola sem Homofobia, na Câmara dos Deputados em 24/11/2011.

2012

“O comandante Jean Wyllys abandonou a tropa de homossexuais. E a tropa de homossexuais, agora, está batendo em retirada do campo de batalha. São heterofóbicos. Quando veem um macho na frente eles ficam doidos. (…) Homossexualismo… direito… vai queimar tua rosquinha onde tu bem entender, porra!” Sobre esforços de conversão de orientação sexual ou “cura gay”, em sessão da Câmara dos Deputados em 2012.

“90% desses meninos adotados vão ser homossexuais e vão ser garotos de programa com toda certeza desse casal” Sobre adoção por casais homoafetivos, em entrevista ao programa Agora É Tarde em 01/03/2012.

“Preferia que fosse um hétero. Uma pessoa normal.” Sobre se preferia ter um vizinho homossexual ou heterossexual, em entrevista ao CQC em 03/2012.

“Orgulho [dele] não tenho, né? O que você tem que entender é o seguinte: guerra é guerra. Ele foi um grande estrategista. Quando você tem um general, aqui no Brasil, em qualquer exército do mundo, aquele general tem que estar pronto para aniquilar o outro país, destruir o outro país, para defender o seu povo.” Sobre Adolf Hitler, em entrevista ao CQC em 03/2012.

“Todo mundo ia atrás de galinha no galinheiro na minha cidade. Alguns mais malandros, iam atrás da bezerrinha, da jumentinha. Era comum. Não tinha mulher como tem hoje. [Uma galinha] deu uma voltinha aqui.” Em entrevista ao CQC em 03/2012.

“Já. Era garoto em Eldorado, uma menina forçou a barra para cima de mim. (…) Não queria trair a galinha.” Em entrevista ao CQC em 03/2012, sobre já ter agredido alguma mulher.

“Se eu der R$ 20 pra você votar em mim, posso perder meu registro, ser cassado. Agora o governo dá para 10 milhões de família de forma vitalícia, R$ 40 bilhões por ano, e tudo bem. O Bolsa Família é uma mentira, você não consegue uma pessoa no Nordeste para trabalhar na sua casa. Porque se for trabalhar, perde o Bolsa Família” Em entrevista ao programa Brasil em Discussão, na Record News, em 15/05/2012.

“Não tem pensão para homossexual. Eles não geraram filhos!” Em entrevista ao programa A Liga, da Band, em 12/06/2012.

2013

“Voltem para o zoológico.” Declarou a um grupo de representantes dos negros que manifestavam contra a eleição de Marco Feliciano para presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, 07/03/2013

“Vocês querem queimar a rosca? Vão queimar, pô. ‘Ah, meu filho é gay, que maravilha!’ A ditadura que você gosta é outra, mas essa eu não posso te dar.” Em reunião da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, em 13/03/2013.

“Seu pai tem orgulho de você porque você dá o cu.”Dirigindo-se a manifestantes em reunião da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, na segunda quinzena de 03/2013.

“Ela [Eleonora Menicucci], no Correio Braziliense, declara que continua tendo relações sexuais com homens e mulheres, ou seja, linguajar popular: sapatona. E diz que o grande orgulho dela é a filha, que é gay. Essa mulher representa a sua mãe, Dilma Rousseff. A minha, não. Outra coisa: Plano Nacional de Promoção e Cidadania de Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. […] Isso é um estímulo à pedofilia. […] ‘Inclusão da população LGBT em programas de alfabetização nas escolas públicas’: cota pra professor homossexual na escola do Ensino Fundamental. O pobre, que tem filho em escola de Ensino Fundamental: é para o teu filho, para ensinar ao teu filho a ter como exemplo um traveco. […] ‘Reconhecer todas as configurações familiares protagonizadas por lésbicas, gays, bissexuais e travestis com base na desconstrução da heteronormatividade’: ou seja, livros ensinando as crianças que ‘papai’ e ‘mamãe’ está errado. […] o que aquela comissão representava: representava o estímulo ao homossexualismo infantil, representava o estímulo à pedofilia e grana do orçamento para a Parada Gay.” Na Câmara dos Deputados, em 27/03/2013.

“Eu sou parlamentar para pregar o que eu bem entender. Se eu achar que jornalista tem que ir para o pau-de-arara, eu posso falar!” Terra, 16/05/2013.

“Se, atrás disso, vem a adoção de criança: uma criança adotada por um casal gay é 90% de chances que vai ser gay também. Você acha que eu vou pegar meu filho de 6 anos de idade e deixar ele brincar com outro moleque de 6 anos adotado por um casal gay? Não vou deixar! (…) A lei não vai fazer minha maneira de pensar (ficar) diferente.” Sobre o casamento homoafetivo. Terra, 16/05/2013.

“Ninguém, nenhum pai tem orgulho de ter um filho gay. Você já viu baile de debutante de gays? Você acha que um pai ia financiar um baile de 15 anos para um filho gay? Para dançar: ‘o meu filho Joãozinho vai dançar com o Pedrinho’. Tá de brincadeira, pô!” Terra, 16/05/2013.

“Quando um moleque está sendo extremamente violento — ele cospe na mãe, chuta o vizinho, quebra o vidro, não sei do quê —, você dá um pau nele e não vai melhorar o comportamento dele? Por que se (o filho) está sendo meio ‘delicado’ demais, também você não muda o comportamento dele? Muda, sim!” Terra, 16/05/2013.

“Você já ouviu, em algum lugar, eu falar que homossexual tem que morrer? Tem que dar porrada? Eu nunca ouvi falar isso em lugar nenhum.” Terra, 16/05/2013.

“Eu tenho imunidade para falar que sou homofóbico sim, com muito orgulho, se é para defender as crianças nas escolas.” Em entrevista para o Canal TWTV no YouTube, publicada em 05/06/2013.

“Parlamentar não deve andar de ônibus. Fui ser deputado federal para não andar de ônibus, fusca, van, morar bem e pensar no bem do povo e da minha família.” Sobre os parlamentares. Christina Nascimento e Paloma Savedra, Jornal O Dia. 12/08/2013

“Não tem essa causa toda para esse clamor popular. Não existe homofobia no Brasil. A maioria dos que morrem, 90% dos homossexuais que morrem, morrem em local de consumo de drogas, em local de prostituição ou executados pelo próprio parceiro. Eu entrei nessa briga dos gays tendo em vista a proposta do governo em querer distribuir nas escolas públicas do primeiro grau um material didático que seria para combater a homofobia, mas na verdade estimula o homossexualismo. É uma questão de normalidade.” Ao comentar sobre o sequestro e assassinato do adolescente Alexandre Ivo por skinheads ocorrido em 2010[82] , em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.[83]

“Tua cultura é diferente da nossa. Nós não estamos preparados ainda no Brasil, porque nenhum pai, nem você nem eu, tem orgulho de ter um filho gay. Orgulho? Prazer? Fazer festa porque apareceu um filho gay na família? Você tem que ter um norte na tua vida. Querem que os héteros continuem gerando crianças para que essas crianças se transformem em gays e lésbicas para satisfazê-los sexualmente no futuro. Então esse é o exemplo da sociedade brasileira que está sendo plantado aqui agora por esses grupos que eu chamo de fundamentalistas homossexuais.” Em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.

“Não gostar não é a mesma coisa que odiar. Eu não gosto dos talibãs. A sociedade brasileira não gosta de homossexual.” Em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.

“[…] tem passeatas de orgulho gay. Estamos pensando em fazer uma passeata do orgulho hétero. […] Você não será convidado.” Em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.

“Só tem uma utilidade o pobre no nosso país: votar. Título de eleitor na mão e diploma de burro no bolso, para votar no governo que está aí. Só para isso e mais nada serve, então, essa nefasta política de bolsas do governo.” No plenário da Câmara dos Deputados em 11/2013.

“Tem que dar meios para quem, lamentavelmente, é ignorante e não tem meios controlar a sua prole. Porque nós aqui controlamos a nossa. O pessoal pobre não controla.” Em 2013.

2014

“Minoria tem que se calar, se curvar à maioria.” Na Câmara dos Deputados em 11/02/2014.

“Pedrinhas é o melhor presídio do Brasil. Se quiser desligar o telefone, pode desligar.”
Referindo-se ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, palco de dezenas de homicídios, em entrevista ao El País, em 14/02/2014.

“Eu pretendo ecoar, falar para o povo brasileiro do mais importante: a redução da idade penal e de uma política de planejamento familiar, de reduzir o número de filhos dos mais pobres. Porque os mais pobres têm bolsas [benefícios] que os estimulam a terem mais filhos. Então, gente sem cultura acaba tendo mais filhos para ganhar 70 reais por mês.” Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.

“Os homossexuais querem se passar por vítimas, querem superpoderes. Qualquer homossexual que morre no Brasil, logo a mídia está dizendo que é homofobia. Há muitos que são mortos pelos próprios colegas ou em locais de prostituição, ou por overdose. Ao morrer, os ativistas dizem que é homofobia. No Brasil dez mulheres por dia são assassinadas por seus parceiros, isso é muito mais grave. Os crimes de homofobia tem que ser tratados da mesma forma que qualquer outra morte. Quantos heterossexuais morrem por dia? Morrem muitos mais que homossexuais.” Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.

“Quem pensa dessa maneira de respeitar é quem quer levar essa matéria para as escolas para transformar crianças de seis anos em homossexuais. Ao ponto que daí facilita a pedofilia no Brasil.” Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.

“A imensa maioria vem por comportamento. É amizade, é consumo de drogas. Apenas uma minoria nasce com defeito de fábrica.” Sobre os homossexuais, em entrevista ao El País, em 14/02/2014.

“Só porque alguém gosta de dar o rabo dele passa a ser um semideus e não pode levar porrada?” Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.

“Temos de dar direitos humanos para seres humanos, não para marginais.” Quando de sua candidatura para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, no início de 2014.

“Você é uma idiota. Você aprendeu onde isso aí? Tô falando que tá no Diário do Congresso, como é que eu tô mentindo? Contra as mentiras, você quer forçar a barra. Você é uma analfabeta! Não atrapalhe seus colegas. Você está censurada. […] Você é uma idiota. Você é uma ignorante. Você tá querendo impor a tua verdade pra cima de mim. Tô cagando e andando pra você.” Em resposta à repórter Manuela Borges após questioná-lo sobre a negação do golpe militar de 1964. G1, 01/04/2014[86] e Veja SP, 04/04/2014

“Índio não fala nossa língua, não tem dinheiro, é um pobre coitado, tem que ser integrado à sociedade, não criado em zoológicos milionários. […] tem índio yanomami falando inglês melhor do que professor.” Midiamax. 04/2014

“Ela me disse ‘Não é porque tenho mais de 60 anos que não continuo fazendo sexo’. Mentira! Com aquela cara, nem com Viagra na veia. Ela é feia pra caramba.” Referindo-se à então ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, em reunião sobre o Estatuto da Família, em 07/05/2014.

“Acho extremamente importante cortar essa carga tributária, sou totalmente a favor da meritocracia, do livre mercado… Mas claro que não é tudo, afinal, eu sou a favor de um governo autoritário. O governo não pode perder a mão e deixar tudo no [setor] privado, senão vira palhaçada. O problema não é estar na mão do governo, mas, sim, a forma como o governo administra.” Em entrevista ao site InfoMoney. em 22/05/2014.

“Sou contra privatizações. No entanto, pior que privatizar é ‘PTizar’.” Em entrevista ao site InfoMoney. em 22/05/2014.

“Ela não merece porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero. Jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece.” Referindo-se à deputada federal Maria do Rosário. Zero Hora, 10/12/2014.

“Eu tenho pena do empresário no Brasil, porque é uma desgraça você ser patrão no nosso país, com tantos direitos trabalhistas. Isso nenhum deputado vai falar para você, porque você perde voto — já comecei agora a mostrar para você que não estou preocupado com voto. Pode escrever aí: quando o cara vai empregar, entre um homem e uma mulher jovem, o que que o empregador pensa? ‘Poxa, essa mulher aqui tá com aliança no dedo, não sei o quê, ela vai casar, é casada, daqui a pouco engravida, seis meses de licença-maternidade, bonito para caralho, para caralho’. Quem que vai pagar a conta? É o empregador. No final, ele abate no INSS, mas ele fala o seguinte: ‘quebrou o ritmo de trabalho. Quando ela voltar, vai ter mais um mês de férias. Então, no ano, ela vai trabalhar cinco meses’. Por isso que o cara paga menos para a mulher; qual a solução? É muito fácil eu, que sou empregado, ou que estou aqui no serviço público, que não tenho nada a ver com um empregado meu mandado embora, falar que é injusto, que tem que pagar salário igual. Só que aquele cara que está produzindo ali, na ponta da linha, com todos os encargos trabalhistas, aquela pessoa que fica fora, que perde o ritmo de trabalho, etc., etc., ele vai ter uma perda de produtividade. O produto dele vai ser posto mais caro na rua, ele vai ser quebrado pelo cara da esquina. Não tem solução para isso. Eu sou um liberal; se eu quero empregar na minha empresa você ganhando R$ 2 mil por mês e a Dona Maria ganhando R$ 1,5 mil, se a Dona Maria não quiser ganhar isso, que procure outro emprego! Se você acha que também não tá ganhando, que procure outro emprego. Eu que estou pagando; o patrão sou eu.” Zero Hora, 10/12/2014.

“Se você quer um bebê, porque não procura uma barriga de aluguel? Não se preocupe, logo os homossexuais poderão ter um útero implantado e então poderão ter um bebê.” Em entrevista ao The Intercept, em 11/12/2014.

” Entre o sangue meu, por exemplo, e de um homossexual […] se perguntar pra quem precisa de doarem sangue […] você vai ver que a resposta…” Em entrevista a Luciana Gimenez no programa SuperPop, em 13/04/2014.

2015

“Não sei qual é a adesão dos comandantes, mas, caso venham reduzir o efetivo (das Forças Armadas) é menos gente nas ruas para fazer frente aos marginais do MST, que são engordados agora por senegaleses, haitianos, iranianos, bolivianos e tudo que é escória do mundo que, agora, está chegando os sírios também. A escória do mundo está chegando ao Brasil como nós não tivéssemos problema demais para resolver.” Em entrevista ao Jornal Opção, em 17/09/2015.

“Espero que o mandato dela acabe hoje, infartada ou com câncer, ou de qualquer maneira.”
Referindo-se a Dilma Rousseff em entrevista ao Jornal Opção, em 17/09/2015.

“Se eu um dia tiver o mandato de presidente, o pessoal da Anistia Internacional não vai mais interferir na vida interna do nosso país.” Em vídeo de 05/10/2015.

“Reitero.” Em 2015, sobre ter dito a frase “Coitada da cobra”, respondendo a uma pergunta de Matheus Leitão, escritor do livro Em Nome dos Pais, sobre o uso de uma jiboia na tortura sofrida pela mãe de Matheus, a jornalista Miriam Leitão, enquanto esta estava grávida e presa do 38º Batalhão de Infantaria do Exército em Vila Velha.

2016

“Eu não empregaria com o mesmo salário. Mas tem muita mulher que é competente.” Sobre pagar a mulheres com o mesmo salário que homens. RedeTV!, 15/02/2016.

“Eu mesmo não acredito que isso ainda ocorra.” Sobre a desigualdade salarial entre homens e mulheres. Exame, 08/03/2016.

“[…] temos um projeto que permite a laqueadura e vasectomia a partir dos 18 anos de idade. Portanto, é claro que sou contra o aborto.” Exame, 08/03/2016.

“Se eu fosse cadete da Academia Militar das Agulhas Negras e te encontrasse na rua, eu iria assobiar para você.” Em resposta a Ellen Page no documentário Gaycation, em 03/2016.

“Com o passar do tempo, com as liberalidades, as drogas e as mulheres trabalhando, aumentou bastante o número de homossexuais. Eu costumo dizer também que se um filho começa a andar com certas pessoas, com um certo comportamento, ele vai ter também aquele comportamento, vai ter aquele tipo de comportamento, achar que é normal.” Em resposta a Ellen Page no documentário Gaycation, em 03/2016.

“Me desculpa. Você foge à normalidade. Nós temos que ter um norte. Você beira, com todo o respeito, à teoria do absurdo. Até porque você e a sua companheira não geram filhos. Se for gerar, vai depender de algo doado por nós héteros, nós homens.” Em resposta a Ellen Page no documentário Gaycation, em 03/2016.

“Um muro como o muro de Berlim, o muro de Hitler.” Atribuindo a Adolph Hitler a construção do Muro de Berlim, ao comentar sobre o muro levantado perto do Congresso Nacional antes da votação do impeachment de Dilma Rousseff. Época, 12/04/2016.

“Nesse dia de glória para o povo brasileiro tem um nome que entrará para a história nessa data, pela forma como conduziu os trabalhos nessa casa. Parabéns, presidente Eduardo Cunha. Perderam em 1964. Perderam agora em 2016. Pela família e pela inocência das crianças em sala de aula que o PT nunca teve, contra o comunismo, pela nossa liberdade, contra o Foro de São Paulo, pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff, pelo Exército de Caxias, pelas nossas Forças Armadas, por um Brasil acima de tudo e por Deus acima de todos, o meu voto é sim.” Em referência a Carlos Alberto Brilhante Ustra, acusado de casos de tortura e homicídios na ditadura militar, dirigindo a palavra ao então presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha durante a votação na Câmara dos Deputados do impeachment da presidente Dilma Rousseff, em 17/04/2016.

“Essa ideia de ‘Oh, pobrezinho do preto, oh, pobrezinha da pessoa, oh, pobrezinha da mulher, oh, pobrezinho do índio’; todo mundo é pobrezinho alguma coisa!” Vice, 27/04/2016.

“Não me arrependo de nada.” Sobre os insultos a Maria do Rosário. Vice, 27/04/2016.

2017

“Papel de filho da puta que você está fazendo comigo. Tens moral para falar do Renan [filho de Bolsonaro]? Irresponsável. Mais ainda, compre merdas por aí. Não vou te visitar na Papuda. Se a imprensa te descobrir aí, e o que está fazendo, vão comer seu fígado e o meu. Retorne imediatamente.” Em conversa pelo WhatsApp com o filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro, que não compareceu à eleição para presidente da Câmara dos Deputados em 02/02/2017, na qual Jair foi candidato.

“Vamos dar fuzil para o produtor rural porque cartão de visita para invasor é o rifle 762.” No Aeroporto João Suassuna, de Campina Grande, em 08/02/2017.

“Como somos um país cristão, Deus acima de tudo. Não tem essa historinha de estado laico não. O Estado é cristão e a minoria que for contra, que se mude. Vamos fazer um Brasil para as maiorias! As minorias têm que se curvar para as maiorias. A lei deve existir para defender as maiorias! As minorias se adéquam ou simplesmente desapareçam!” No Aeroporto João Suassuna, de Campina Grande, em 08/02/2017.

“Não, você não pode dar independência. O Banco Central independente sem um coração verde e amarelo no peito dos caras que estão lá dentro, esses caras vindo apenas do mercado financeiro, o presidente da República vai ser refém deles. Se deixar à vontade, toda vez que tiver um refresco na economia, esse pessoal vai inventar uma maneira de ajudar mais o sistema financeiro.” Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.

“Vocês (jornalistas) vão bater tanto em mim, que vocês vão fazer minha campanha, porque ainda existe um viés de esquerda em muito colega seu.” Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.

“[…] Nós podemos ter uma entrada muito grande da escória do mundo no Brasil, que seria uma minoria. Como se não bastasse nós temos quase 20 mil haitianos nas mãos do MTST em São Paulo, massa de manobras, inclusive o Haddad já cadastrados no bolsa-família…” [o entrevistador pergunta “O senhor acha que essas pessoas, 20 mil haitianos, seriam uma massa de manobra?”] “Você quer trazer o terror para o Brasil. Qualquer um traz com meia dúzia de pessoas, com armas, preparadas e dispostas, com armas de precisão para pegar você a seiscentos metros. É só começar a matar um cara importante, atirar outro acolá, e você cria um terror no Brasil.” [o entrevistador pergunta “O senhor acha que os haitianos em São Paulo são isso?”] “Opa, olha só, não fale os haitianos, dentro deles tem uma minoria, pois tem senegalês, tem angolano. Você não sabe, eu sei por falar, o que enfrentar um angolano mascando folha de coca na favela da Maré, no Rio. A polícia não entra apesar de ser plana, não tem nem cota para atirar de cima.” Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.

“Morreu tarde no meu entender. […] Olha não interessa [se eram contra a luta armada]. É política de vitimização.” Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, sobre os três integrantes do antigo Partido Comunista Brasileiro (contrário à luta armada) mortos no Centro de Informações do Exército (CIE) em 1975, então sob o comando do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra.

“[…] uma criança que cresce olhando para dois homens, algo de anormal vai passar na cabeça dela.” Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.

“Acabaram com nossa alegria de viver, não pode fazer uma brincadeira,uma piada, tudo não pode, é preconceito. Tá aí as feministas, tá aí o LGBT, as minorias. Uma desgraça no Brasil.” Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.

“Qual o tratamento para esse cara que tem de ser dado? 7,62.” Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, propondo o uso de fuzil 7,62 contra membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

“Sem tiro de advertência. Primeiro na testa […]. Isso pra mim é terrorismo.” Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, falando sobre ocupações promovidas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

“Então você vai combater estuprador com ânus.” Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, respondendo se violência se combate com violência.

“[…] se a Dilma apanhou, foi pouco […]” Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, ao negar que a ex-presidente Dilma Rousseff tenha sido torturada durante a ditadura militar.

“Eu tenho cinco filhos. Foram quatro homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher.” Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“Uma das acusações que recebo é ‘Xenófobo!’. […] E eu sou contra estrangeiros aqui dentro.” Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“O único rio lá que se poderia fazer três hidrelétricas, o pessoal encheu de índio. Hoje você não pode fazer uma hidrelétrica.” Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“E voltamos aqui pra questão da xenofobia, né. Nós não podemos abrir as portas do Brasil pra todo mundo.” Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“Isso aqui é só reserva indígena, tá faltando quilombolas, que é outra brincadeira. Eu fui em um quilombola em El Dourado Paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador eles servem mais. Mais de um bilhão de reais por ano gastado com eles. […] Não querem nada com nada.” Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“Alguém já viu um japonês pedindo esmola por aí? Porque é uma raça que tem vergonha na cara. Não é igual essa raça que tá aí embaixo ou como uma minoria tá ruminando aqui do lado.” Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“Se eu chegar lá, não vai ter dinheiro pra ONG, esses inúteis vão ter que trabalhar. […] Não vai ter um centímetro demarcado pra reserva indígena ou pra quilombola.” Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“Se um idiota num debate comigo, caso esteja lá, falar sobre misoginia, homofobia, racismo, baitolismo, eu não vou responder sobre isso.” Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“Tá pra ser transformado em lei o novo Código de Imigração. Tomem conhecimento. Qualquer estrangeiro ou até um monte de estrangeiro… Se alguém quiser pegar um navio e encher de haitiano, de angolano, de chinês, japonês, seja lá o que for. Japonês não vem pra cá não, tá. E jogar no porto aqui, dez mil aqui. O pessoal, ele fala, ‘eu sou refugiado’, passa a ter direito a abrir conta em Banco do Brasil e Caixa Econômica, com menos diligências do que qualquer um de nós brasileiros. Passa a ter direito a Sistema Único de Saúde gratuito […]” Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“O que que a Venezuela tá fazendo? Tá enchendo as suas ambulâncias e carros com pessoal idoso ou doença de alta complexidade e desovando nos hotéis, nos hospitais e postos de saúde de Roraima. E o que o governo brasileiro faz? Não faz nada. Tem que fazer alguma coisa. Se aceita, vamos criar campos de refugiados. Se aceita… Se não aceita, devolve. O Brasil não pode se transformar na casa da mãe Joana. Não pode a decisão de um governo acolher todo mundo de forma indiscriminada.” Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“Não sabemos ainda o nosso futuro, dada a quantidade de estrangeiro que estão aqui dentro. Lógico, eu não generalizo. Mas dentre esses uma minoria que pode fazer um estrago muito maior do que nós enfrentamos, em especial de 66 a 73, numa luta armada e na guerra e guerrilha dentro do nosso Brasil.” Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“Tínhamos na presidência um energúmeno que são sabia contar até dez porque não tinha um dedo.” Em referência à deficiência física de Luiz Inácio Lula da Silva, em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.

“Estive à frente para aprovar a fosfoetanolamina. Cura ou não cura, não sei. Sou capitão do Exército, a minha especialidade é matar, não é curar ninguém.” Folha de S.Paulo, 30/06/2017.

“A sociedade comeu aquela mulher? Não fique culpando a sociedade. A sociedade é maravilhosa. Não estou culpando ninguém. A culpa é dela; ela que procurou fazer aquilo. Ela que procurou fazer sexo sem responsabilidade e, segundo ela, procurou a clínica de aborto.” Sobre uma mulher morta numa clínica clandestina de aborto. Vídeo divulgado em 04/08/2017 no programa Greg News, de Gregório Duvivier, na HBO.

“Para ser candidato a presidente tem de falar que vai ampliar o Bolsa Família, então vote em outro candidato. Não vou partir para demagogia e agradar quem quer que seja para buscar voto.” Na Festa do Peão de Barretos, em 26/08/2017.

“Eu quero que todos, inclusive os gays, sejam felizes, mas que esse tipo de comportamento não seja ensinado nas escolas. Os pais querem ver o filho jogando futebol, não brincando de boneca por causa da escola.” No programa Canal Livre, da Band, em 19/11/2017.

“Se morrerem 40 mil bandidos [por ano, por ação da polícia], temos que passar para 80 mil.” No programa Canal Livre, da Band, em 19/11/2017.

“Quanto mais as facções se matarem, melhor.” Em entrevista coletiva em Manaus, 14/12/2017.

2018

“Esse dinheiro de auxílio-moradia eu usava pra comer gente. Você tá satisfeita agora? Porque essa é a resposta que você merece.” Ao ser questionado sobre o recebimento de auxílio-moradia pela Câmara dos Deputados. Folha de S.Paulo, 11/01/2018.

“Tem que botar quem dê conta do recado. Se botar as mulheres, vou ter que indicar quantos afrodescendentes?” Na Câmara Municipal de Pouso Alegre em 08/03/2018, Dia Internacional da Mulher, sobre a participação de mulheres em eventual governo seu.

“Cientistas descobrem do leite do ornitorrinco proteína capaz de combater superbactérias. Em nossa viagem à Ásia o interesse pela biodiversidade Amazônica se fez presente.” Blog do Esmael. 18/03/2018

“O Lula quis transformar o Brasil num galinheiro, agora esse crápula colhe ovos pelo Brasil todo.”
No Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, em 28/03/2018, sobre os ataques contra a caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um deles sendo uma ovada em um ônibus.

“O meu plano de governo será o pior de todos. Quando eu falo o pior plano, não é porque eu quero que seja o pior plano. O Brasil não tem dinheiro e sabemos que mentira é recorrente por causa de eleição.” Em visita à cidade de Belo Horizonte, em 09/05/2018.

“Quem nunca deu um tapa no bumbum do filho e depois se arrependeu? Acontece.” Sobre as execuções autorizadas pelo ex-presidente Ernesto Geisel, em entrevista à Rádio Super Notícia em 11/05/2018.

“Lamento a morte dele, em que circunstância, se foi suicídio ou morreu torturado. Suicídio acontece, pessoal pratica suicídio. […] essa é uma história que passou.” Para o programa Mariana Godoy Entrevista, sobre o assassinato de Vladimir Herzog durante a ditadura militar brasileira.

“[…] esses marginais que cometeram esse crime não merecem lei, não. Merecem é bala!”
Durante passagem por Marabá em 12/07/2018, falando sobre o assassinato do empresário Luciano Fernandes em suposta disputa de terras.

“Eu não quero mais o Lula preso. Eu quero o Lula em cana!” Durante passagem por Marabá em 12/07/2018.

“Quem tinha que estar preso era o pessoal do MST (Movimento dos Sem Terra), gente canalha e vagabunda. Os policiais reagiram para não morrer. […] Direitos humanos é a pipoca, pô.” Em 13/07/2018, durante passagem pelo local do Massacre de Eldorado do Carajás, defendendo os policiais condenados pelas mortes de 19 trabalhadores sem-terra ocorridas em 1996.

“Os índios e os afros são brasileiros como nós.” Durante passagem por Parauapebas, em 13/07/2018.

“Imagine o empresário encontrar no pátio da sua fábrica quem um dia o assaltou ou violentou sua filha? Quando teremos um presidente preocupado com as pessoas honestas? Os que concordam com isso poderiam, como exemplo, empregar em sua própria casa.” Em publicação de 25/07/2018 no Twitter, sobre a Lei Federal 13.500/2017, que regulamenta a contratação de presos e ex-presos por empresas contratadas pela Administração Pública, de que o deputado e seu filho Eduardo haviam votado a favor.

“Que divida? Eu nunca escravizei ninguém. Os portugueses nunca pisaram na África. Os negros eram entregues pelos próprios negros.” Sobre a história dos negros escravizados no Brasil, durante entrevista no programa Roda Viva em 30/07/2018.

“Olhei para cara dele, pelo tamanho da cabeça, e pensei: ‘esse cara não é xing ling’. Espero não ser processado por isso.” Durante passagem por Vitória em 01/08/2018, falando sobre ter encontrado um cearense em Taiwan.

“Meus filhos todos atiraram com cinco anos de idade. Real, não é de ficção nem de espoleta não.” Durante evento em Glicério, em 23/08/2018.

“Você sabe atirar? Você sabe dar tiro? Atira. Policial tem que atirar.” Para um menino, ao simular com as mãos da criança como se dispara uma arma de fogo, durante evento em Araçatuba, em 23/08/2018.

“Então vamos respeitar o direito de o pedófilo fazer sexo com alguém de 2 anos de idade?.” Comentando sobre os direitos dos homossexuais, em entrevista à revista americana Time em 23/08/2018.

“Recado para o Supremo Tribunal Federal: respeite o artigo 53 da Constituição. O artigo diz: Eu deputado, sou inviolável por qualquer palavra, opinião e voto. Tá escrito e ponto final, porra. […] Nós somos 90% cristãos, por que não temos nenhum lá dentro? Porque, de acordo com indicação política, o PT botou oito.” Na Ceasa do Rio de Janeiro, em 28/08/2018, dia da análise pelo Supremo Tribunal Federal da denúncia contra o deputado por racismo.

“Vamos botar um ponto final em todos os ativismos do Brasil.” Em 07/10/2018, após a divulgação dos resultados do primeiro turno das eleições de 2018.

“Pô, cara! Foi lá pergunta essa invertida… quem tomou a facada fui eu, pô! O cara lá que tem uma camisa minha, comete lá um excesso. O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam. A violência veio do outro lado, a intolerância veio do outro lado. Eu sou a prova, graças a Deus, viva disso aí.” Em 09/10/2018, sobre o esfaqueamento e assassinato do mestre de capoeira Moa do Katendê, vitimado após declarar ter votado no candidato a presidente Fernando Haddad (PT).

“Dispensamos voto e qualquer aproximação de quem pratica violência contra eleitores que não votam em mim. a este tipo de gente peço que vote nulo ou na oposição por coerência, e que as autoridades tomem as medidas cabíveis, assim como contra caluniadores que tentam nos prejudicar. Há também um movimento orquestrado forjando agressões para prejudicar nossa campanha, nos ligando ao Nazismo, que, assim como o Comunismo, repudiamos completamente. Trata-se de mais uma das tantas mentiras que espalham ao meu respeito. Admiramos e respeitamos Israel e seu povo!” Após casos de violência por inconformismo político, entre eles o de uma mulher que teve uma suástica desenhada com um canivete em sua barriga, publicado no Twitter em 10/10/2018.

“Sou vítima daquilo que prego.” Ao tentar dizer que ele próprio era a verdadeira vítima ao comentar sobre atos de violência perpetrados por seus seguidores.

“Recuso qualquer tipo de apoio vindo de grupos supremacistas. Sugiro que, por coerência, apoiem o candidato da esquerda, que adora segregar a sociedade. Explorar isso para influenciar uma eleição no Brasil é uma grande burrice! É desconhecer o povo brasileiro, que é miscigenado.” Em 16/10/2018, repudiando o apoio oferecido por David Duke, supremacista branco estadunidense e ex-líder da Ku Klux Klan.

 

Chapéu. A minha favorita? Há muitas, mas provavelmente “Quem procura osso é cachorro.” para familiares dos desaparecidos na ditadura. Uma mistura de sensibilidade, amor pela verdade histórica, sentido de Estado e respeito que tem poucos equivalentes.

Confesso: estou satisfeito, pois é difícil que Bolsonaro consiga desiludir-me ao longo do seu mandato. Um indivíduo assim tem o dom natural, quase sobre-humano, de abrir boca e dizer com a máxima tranquilidade algo que para qualquer outra pessoa seria motivo suficiente para fugir e esconder-se atrás duma árvore. Bolsonaro não: impávido e sereno, espalha pérolas de pura idiotice com naturalidade e convicção. E temos que realçar a coerência: ao longo dos anos o simpático Jair conseguiu manter sempre o seu discurso nos níveis mais ínfimos, sem melhorias aparentes, sem nenhum tipo de evolução positiva.

Que o Senhor guarde o simpático Bolsonaro em saúde durante muitos anos. Desde que não seja o Presidente do meu País, óbvio.

 

Ipse dixit.

Fonte: Wikiquote

18 Replies to “A queda da Esquerda e o bestiário de Bolsonaro”

  1. Já falei muito sobre esse assunto, fiz campanha contra o “Coiso” ou “Bozo” ( como esse imbecil é chamado aqui ) e já cansei de falar.

    Vou deixar outros se expressarem;
    Patricia Pasquini, Folhapress 2/11/18

    “”Estudo da organização Avaaz apontou que 98,21% dos eleitores do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), foram expostos a uma ou mais notícias falsas durante a eleição, e 89,77% acreditaram que os fatos eram verdadeiros.

    A pesquisa, realizada pela IDEA Big Data de 26 a 29 de outubro com 1.491 pessoas no país, analisou Facebook e Twitter.

    “As fake news devem ter tido uma influência muito grande no resultado das eleições, porque as histórias tiveram alcance absurdo. A informação das fraudes em urnas eletrônicas com o intuito de contabilizar votos para Fernando Haddad, do PT, alcançou 16 milhões de pessoas nas redes sociais 48 horas após o primeiro turno e a notícia continuou viva no segundo turno”, afirma o coordenador de campanhas da Avaaz, Diego Casaes.

    De acordo com dados da pesquisa, 93,1% dos eleitores de Bolsonaro entrevistados viram as notícias sobre a fraude nas urnas eletrônicas e 74% afirmaram que acreditaram nelas.

    “As pessoas conhecem o problema das fake news e têm clareza do impacto negativo que causam, mas as notícias falsas trazem elementos passíveis da verdade, como a montagem do vídeo no caso da informação sobre a fraude nas urnas, por exemplo”, declarou Casaes.

    O estudo também revelou que 85,2% dos eleitores do Bolsonaro entrevistados leram a notícia que Fernando Haddad implementou o “kit gay” e 83,7% acreditaram na história. Dos eleitores de Haddad entrevistados, 61% viram a informação e 10,5% acreditaram nela.

    CEO e fundador da Avaaz, Ricken Patel disse que a democracia brasileira está se afogando em notícias falsas. “Essas histórias foram armas tóxicas cuidadosamente fabricadas para destruir a elegibilidade de um candidato. E, com a ajuda do Facebook e WhatsApp.”

    A OEA (Organização dos Estados Americanos) afirmou que o fenômeno observado no Brasil de uso massivo de fake news para manipular o voto por meio de redes privadas “talvez não tenha precedentes.” Diversas pesquisas conduzidas antes do segundo turno por outros institutos concluíram que a maioria das notícias falsas foi direcionada contra o Haddad e o PT.””

    Conclusões.
    1 – É facil enganar uma população mentecapta.
    2 – Edir Macedo e seus miquinhos amestrados carregando votos no Bozo, em nome de Deus, Aleluia !!
    3 – O poder Judiciário, comendo pipoca na frente da TV, assistindo a entrevista solo do Bozo na TV do Edir ( quando não quis ir ao debate, alegando problemas de saúde ) e curtindo as fake news contra o Haddad no whastapp.

    O que virá a seguir ? Não sei ? Quem sobreviver, verá.

    1. Ah…..Esqueci do Moro, um dos maiores cabos eleitorais do Coiso no poder judiciário. O juiz ativista politico que virou Ministro da Justiça. Esse merece um capitulo a parte, deixemos para a próxima.

    2. Olá Sérgio!

      Pergunta: então nas eleições em que ganharam Lula ou Dilma não houve notícias falsas? Na altura da eleição de Dilma o blog já existia e eu mesmo relatei algo parecido.

      Não quero criar polémica com um Leitor que conheço e estimo, todavia “É fácil enganar uma população mentecapta” é a mesma coisa que dizer “Quem não presta no Brasil é 70% do eleitorado.” como faz Bolsonaro. Eu não tenho uma ideia tão má assim do povo brasileiro.

      Também porque posso seguir paralelamente o que se passa em Italia nestas dias. Todos os órgãos de informação (todos, sem excepção) atacam diariamente o governo com notícias absurdas, distorcendo a realidade. Apesar disso, os eleitores continuam a apoiar o governo. Aliás, a taxa de aprovação cresce segundo as últimas sondagens.

      A minha ideia é que não somos todos iguais: há pessoas mais informadas, mais cultas, mais preparadas, e outras menos. Isso acontece em todo o mundo. Uma campanha mediática tão descarada (como aquela em Italia e no Brasil) está bem longe das finas tácticas de condicionamento: é demasiado grosseira e tem sucesso numa faixa bastante limitada da população.

      Vice-versa, no Brasil falamos de 57.797.847 que votaram em Bolsonaro, 2.486. 593 em branco, 31.371.704 abstenções. Isso é: mais de 91 milhões de eleitores que conscientemente decidiram não votar no candidato do PT num universo de 147.3 milhões de eleitores. É muita gente a ser enganada pelos média, demasiada gente.

      Mas o dado ainda mais importante é que, até estar na corrida, Lula liderava todas as sondagens. Ainda no final de Agosto, Lula conseguia 37% das preferências, Bolsonaro 18%. Excluindo Lula, Bolsonaro passava na frente (20%) e Haddad meros 4%. Portanto, era claro que Haddad não teria ganho porque os brasileiros tinham confiança em Lula, não no PT.

      O processo contra Lula teve uma influência determinante? Esta é a desculpa do PT mas os dados acima dizem o contrário: com Lula na corrida (ainda em Agosto deste ano), o PT teria ganho, com Haddad perdeu. Mas autocrítica no seio do PT é algo que é difícil encontrar…

      Abraçoooo!!!!

      1. Olá Max , satisfação pela sua volta.

        Quando digo “mentecaptos” , uso um dos sinônimos possíveis para esta palavra: alienados.

        Na época da eleição do Lula, as redes sociais não tinham a abrangência que tem hoje. Na eleição da Dilma, sim. Tanto que ela só se elegeu pela força do bom governo do Lula. Ela quase que não se reelege. Mas, as redes sociais contribuíram muito para “vender” a idéia do impeachment para a população.

        Alguns defensores do “boçalnaro”, dizem: ” Ah , houveram fake news dos dois lados”. Max, afirmar isso, é o mesmo que dizer que há um equilíbrio de forças entre israelenses e palestinos. Foi desproporcional ( vide denuncia da Folha de São Paulo ), levando os anciões do TSE a tirarem as bundas das cadeiras e tomarem algumas providencias. Bloquearam várias contas no facebook de bolsominions. Mas, o estrago já estava feito.

        Não há como vc acompanhar tudo ( sim, mais um chato a te dizer: “voce não vive aqui”). Havia uma estabilização na intenção dos votos no Bozo e um visível crescimento dos voto em Haddad . A partir de um certo final de semana, ocorreram 3 fatos:

        1 – O jurista-politico Moro, libera a delação super-premiada de Antônio Palocci , que acusava o ex- presidente Lula de cometer irregularidades quando estava no poder. Porém, pasmem, as delações NÃO foram aceitas pelo Ministério Publico por falta de provas. Se não foram aceitas, porque Moro tornou-as públicas ? Ainda, às vesperas de uma eleição ? A resposta saiu esta semana com o convite para ele assumir o Ministério da Justiça.

        2 – Edir Macedo declara apoio ao candidato do PSL e concede, sob o olhar passivo do TRE, uma entrevista solo ao Bozo. Onde só ele falou, só ele atacou , sem nenhuma voz para questioná-lo. Totalmente contra às regras eleitorais brasileiras.

        3 – Disparo de absurdas noticias falsas através de sistemas automáticos para esse fim. Patrocinado por empresas privadas não declaradas em doaçoes. Vide denuncia da Folha de São Paulo.
        Não, o “kt Gay” , nunca circulou.
        Não, o Haddad não defende relações incestuosas no seu livro.
        Não, o Lula não declara em video que é a favor do fascismo. Etc.. Embora fosse fácil comprovar as mentiras, as pessoas acreditaram. Chama-las de mentecaptas, é ser bonzinho. Tudo que mostrei aqui e em outras midias, a respeito das afirmações do Sr. Jair Bolsonaro, sairam da própria boca dele. Não foram montagens , não eram fakes. Vc mesmo, Max, comprou isso.

        Todos esse acontecimentos, ocorreram num intervalo de 3 dias, proporcionando um salto nas intenções de voto do candidato eleito, quando as pesquisas já mostravam uma estagnação.

        Max, não quero dizer que não houveram outros motivos: anti-petismo, comoção com o atentado ao Bozo.
        Mas, houve uma diferença de 10 milhões de votos ( que para Portugal parece muito , mas aqui é pequena ) que tenho grande convicção que foi devida aos fatos citados acima.

        Desculpe-me pelo livro. Sabes da importância desta eleição para o brasil ( sim, passei a escrever com b minusculo. Vc tambem escreve israel com i minusculo. Obvio, motivos diferentes rs rs ), ela pode não só influenciar na vida dos brasileiros nos próximos 4 anos, como comprometer uma geração inteira com o risco da volta da ditadura.

        Repito o que falei aos meus amigos, antes das eleições: Se o PT se eleger e fracassar, poderemos votar em outro partido nas próximas eleições. Se o “coiso” vencer e não corresponder, nada nos garante que teremos outra oportunidade para corrigir o erro pelo voto. Baseio-me isso, nas próprias palavras do presidente eleito.

        Acredito que a lua de mel do presidente com o seu eleitorado não durará 6 meses.
        Vai depender muito da briga da Rede Globo ( forte influenciadora de mentecaptos ) X Rede Record da IURD ( forte influenciadora de mentecaptos de Deus ).

        Forte abraço.
        .

        1. As pessoas votam em pessoas, não em ideologias.
          De todos os candidatos, este se foi o eleito é porque correspondeu aos desejos da maioria votante. E dou como exemplo uma das fake news: Se a do kit gay prejudicou o PT, é porque as pessoas já atingiram o limite. Não esqueçamos que a esquerda sempre fez um excelente trabalho ao tentar acabar com o conceito tradicional de família.

          O Brasil tem sido um laboratório de experiências no campo social. Com Bolsonaro passará a ser um laboratório no campo económico.

          Em conclusão, parece-me que houve melhores candidatos do que os dois finalistas. Mas desses poucos se fala. Em Portugal também temos uma pobreza política, à imagem da pobreza mental das pessoas. Somos irmãos em tudo…

          1. O que acaba com uma família é a falta de perspectiva de vida, de trabalho, de remuneração digna, de comida na mesa de seus entes queridos.

            Quais os valores da família defendido pelo seu candidato?

            Preconceito racial ?
            Discriminação às minorias ?
            Apologia a violência ?
            Propagação de mentiras ?

            Só Concordo com essa frase:
            “De todos os candidatos, este se foi o eleito é porque correspondeu aos desejos da maioria votante”
            Sim , realmente , caíram as máscaras.

  2. Muitas frases, algumas interessantes, algumas com piada e algumas, poucas, infelizes. Em suma, o povo brasileiro escolheu-o. Olha-se para o Brasil de hoje e repara-se que as pessoas estão cansadas, querem alguém que resolva o buraco em que se transformou o Brasil. Penso que seja esta a razão da eleição do Bolsonaro e muito provavelmente algumas destas frases contribuíram para a sua eleição. Se vai ser positivo ou não para o Brasil, só o futuro o dirá, ou como já alguém disse: Prognósticos só no final do jogo.
    Tudo o resto são opiniões e interesses pessoais, políticos, grupais e outros que tais…

  3. Olá Max: há de se reconhecer que o maior sucesso está aliado a maior apreensão do pensar popular predominante num dado momento, e sua expressão. Temos dois exemplos extremos que reiteram esta afirmação no campo político, no Brazil: Lula e Bolsonaro. Ambos falam à alma do brasileiro comuml. E os(as) eleitores(as) se espelham e ficam felizes. Ambos falam mal o idioma, como os (as) brasileiros(as) em geral. Se acreditam no que falam, não sei, parece que Bolsonaro mantém bestiário semelhante ao longo dos anos. Digo semelhante porque no que mais interessa, uma economia nacional e independente,manifestada em ocasiões anteriores, ele está agora
    conseguindo enganar até mesmo o Bannon, com a sua equipe de governo Chicago boys. Mas a economia, já sabemos, é guerra entre alianças bipolares e multipolares, é guerra entre os interesses do império em decadência e um mundo multipolar.
    , O que há a aprender do bestiário bolsamínico, que te agradeço Max, tão completa exposição é a alma do brasileiro comum neste momento: se traduz como tu elencas nas frases do “presidente”. Gostemos ou não gostemos, essa é a realidade, a sociedade brasileira é ignorante, violenta e oportunista, e Bolsonaro permitiu que fizéssemos a grande catarse. E então nos elegemos.
    Porque está sendo assim? Bom, é pano para muita manga tentar explicar história truculenta, instituições democráticas historicamente inoperantes, fase ditatorial mal resolvida.
    Isso tem solução? Não tenho a menor ideia neste momento. Só sei que, queira ou não queira, parece que vou ter de continuar aprendendo.

  4. “Feminismo? Acho que é coisa de quem não tem o que fazer.”; “Hitler, mesmo errado, tinha aquilo que eu admiro num homem, o fogo de se propor a fazer alguma coisa e tentar fazer”. “Uma mulher não pode ser submissa a um homem por um prato de comida, tem que ser submissa porque gosta dele”. Frases de …… Luis Inácio Lula da Silva rsrsrs. O maior e melhor presidente que o Brasil já teve segundo alguns , SQN.
    Abraço, Eduardo

  5. mmm ok Eduardo…dado o que fez por milhões, que e que os “opurtunistas disfarçados de democratas” não fizeram, exceto o primeiro mandato de FHC(o 2° com o soros boy A. Fraga foi caminho para o fmi). Tentar equilibrar um dos países mais injustos e desiguais do mundo (e que com Temer continua a cair em tudo o que é níveis mensuráveis de vida por todo o tipo de instituições internacionalmente creditadas, basta a simples Wikipedia) mas aí não chega?
    Agora com o Bolso/Moro nem sei…
    Tirando a entrega das maiores riquezas para capital estrangeiro (isso é que é ser nacionalista e patriota lol) privatização de tudo ou quase, quem não tem, a maioria não tem como sobreviver logo isso (ou mudam o script) ou vai ser a famosa doutrina de choque, que tão bons resultados deu onde foi aplicada.
    Mas como aí é cada um por sí, e um sistema de castas que tentam disfarçar, mas com uma população 52+% pardos/negros/mesticos e a maioria é mulheres é algo estranho.(afinal minoria?)
    São maiorias/ minorias ou quem maioritariamente é mão de obra barata, ao minimizar os outros a ideia é explorar mais. Agora os marajas brazileiros já poderão andar com dezenas de empregados quando vão ter com os patrões a norte ou viajar a europa.

    O pt não devia era ter feito nada…para quê mesmo coligado a parte da direita (ou finança) porque tinha que fazer coligações para fazer leis passar as tais que o colocaram como o único que ficará na história por bons motivos, e o
    unico que vos deu projecção internacional (modelos seguidos em muitos lados)…enfim gozem, gozem…porque veio do interior do Pernambuco de origens humildes e com menos instrução, mas mais inteligente a dormir que a burguesia bronca e uma elite sem programa de futuro, com laivos arrogantes a lembrar tempos dos coroneis…

    Para mim até é melhor vou pagar menos imposto, e bye bye

    Abraço

    1. Prezado Nuno, não consigo fazer previsões a respeito do futuro. O mandato de Bolsonaro tem início em 01/01/2019, Até lá, são apenas especulações e conjecturas. Quanto ao passado, esse pode ser analisado. Fui eleitor de FHC e posteriormente de Lula em 2002, Houve avanços em seu primeiro mandato, o segundo foi voltado exclusivamente para superar o escândalo do mensalão e garantir a eleição de seu sucessor. No geral, a grande herança é um país com um sistema de saúde precário, uma política de segurança pública inexistente, uma educação de base nula. Herdamos 62 mil homicídios por ano, outros milhões mortos nas estradas ou em hospitais sucateados a espera de uma cirurgia ou exame que pode duras meses/anos. Não sei onde vc mora prezado amigo, eu moro e trabalho na maior cidade do país. Sei o que digo quando falo de violência e abandono da população, trabalho todos os dias com isso. Lula teve em suas mãos os anos de ouro antes de 2008. Não fez nenhuma reforma que o país precisava, foi um governo assistencialista . Abraço, Eduardo

      1. E quais são as propostas do Bozo:

        – Violência : Armar a população para combate-la.
        – Saude: afirmou que o SUS não precisa de investimento.
        – Educação: ampliar o sistema de ensino a distância até para o ensino básico, para cortar despesas.

        Afirmo: Os recursos do pre-sal, que foram destinados para educação no governo Dilma, virarão lucro das petrolíferas estrangeiras. Educação não é gasto , é investimento. Mas , para que educar uma população ? Como ele iria arrumar eleitores como vc ?

      2. Caro Eduardo:
        Sinceramente todos sabem que o mensalão foi necessário, porque só falam desse, quantos mensalões não houve desde Sarney e Collor à frente é porque é o pê tê?
        O impeachment foi por 20b mas o Temer já fez o mesmo só que é meter mais um zero 200b.
        E como podiam fazer melhor se a midia hegemónica caía em cima deles por tudo e por nada.
        Assistencialista? tirar milhões da miséria e criar programas que criaram trabalho, escolas, abriu a porta a industria no exterior? Alem de muitos que tiveram opurtunidades de estudar fora e especializar-se.
        E o PAC que nem a 50% ficou?
        Destruir empresas na vez de só julgar quem esteve envolvido em processo ilícito? Como!!

        O sus estiveram lá fam/conhecidos e funcionava finalmente bem(até 2013+/-)
        Eu já morei também aí em Sp/Sp não penso voltar, a não ser para ir vender e ver familiares e voltar? daqui por umas décadas se lá chegar.
        Sim pessoas bem chegadas uma agredida com violência(hospital), outra com duas armas apontadas a cabeça…outro assalto!
        Quem em seu perfeito juizo vai para aí a não ser por familiares(laços afetivos/ou algo que tenha aí?
        Ou abrir um negócio? É um risco enorme.
        Nascido aqui mas dupla nacionalidade, descendente de BR’s.

        Agora o bolso devia era pensar em construir, destruir é facil.
        Tem que ser presidente de todos e não hostilizar, quem tem o “desplante” de pensar diferente, o que é tipico das ditaduras.
        Quanto ao aparelhamento de estado até daqui está se a ver quem fez e fazer.

        Moderação precisa-se, senão quem paga é o cidadão comum você ou eu p/ex. ou os seus/meus mais que tudo.

        Espero que corra aí tudo bem, posso não concordar mas não desejo mal a ninguém; ainda mais inocentes.

        E Espero estar bem enganado mas creio que o Sergio tem razão em muita coisa abaixo

        Abraços a ambos

        1. Caro Nuno, concordo quando afirma que tem que governar para todos. Espero que não haja revanchismo ou coisas do gênero. Quanto ao SUS, p ex, funcionou razoavelmente bem até 2002/03. Após isso só piorou.
          Sou médico formado há 26 anos, trabalho no serviço público, presencio as mazelas da população. Também já trabalhei em regiões de fronteira com o Paraguai e Bolívia e em territórios indígenas como médico do Exército (não sou mais). Portanto, tenho uma certa experiência e ao contrário do que disse o amigo Sérgio, um “pouco” de educação que me faz não ter políticos (corruptos) de estimação ou voto de cabresto. Assim como vc não desejo mal a ninguém, pelo contrário. Abraços, Eduardo!

  6. Jair Bolsonaro disse coisas de deixar qualquer um de boca aberta e foi além do limite. Foi mesmo.
    Teve a ajuda do ramo evangélico, mas a presença de denominações como a IURD veio estragar tudo.
    Tudo isto fica mal a um cristão como ele. Teve muita coisa má. Mas…

    …com Fernando Haddad, o que se teria era ultrapermissivismo consentido, a ausência de qualquer linha de conduta moral a não ser o perfeito hedonismo que tudo consente. E se até mesmo Gerge Soros financiou a campanha “ele não” contra Bolsonaro…o que pensar?

    Que Bolsonaro é má escolha, mas Haddad seria pior. Bolsonaro é agressivo e antipático, Haddad é permissor e simpático. E eu nunca vi um aldrabão aintipático…

  7. Bolsonaro é um bestial!!! Perde do trumpo de goleada!!! Mas PT não dá gente!! O Brasil não aguenta mais essa conversinha fiada de intelectual da zona sul carioca ou do alto de pinheiros de São Paulo. Temos conta para pagar! Olhá a dificuldade para montar uma PJ, olha a dificuldade para tirar uma licença sanitária, olha os valores do IPTU, Olha a classe média pagando 50 reais para comer uma pizza!!

    Gente o mundo é real, a vida é dura, e graças a Deus, a Internet liberou a mente do brasileiro médio dessa lavagem cerebral social,democrata, centro esquerda. etc. etc. etc. que sempre dominou o coletivo nacional.

    O povo entendeu que não precisa de direitos para viver, precisamos apenas de trabalho e uma economia mais justa, menos burocrática!!!

    Jair bolsonaro tá muito longe do ideal!!! Espero que ele faça um excelente governo, para matar de vez essa esquerda suja brasileira!!

    Caso contrário, Teremos Ciro 2022 forte! Mas espero que não aconteca isso!!

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: