Johnson & Johnson e o talco ao amianto

O tempo de leitura estimado deste artigo é de 4 minutos

Um júri da Califórnia condenou a Johnson & Johnson (J&J) e outras empresas a pagar 25.75 milhões de Dólares depois de concluir que a empresa tinha sido negligente e não tinha advertido os consumidores dos possíveis riscos sobre a saúde do seu talco para crianças.

O casal que apresentou a queixa, Joanne e Gary Anderson, afirma que Joanne desenvolveu um tipo de câncer depois de usar o pó infantil da J&J: o júri estabeleceu uma compensação de 21.75 milhões de Dólares e acrescentou outros 4 milhões.

A história é complicada: perante o Tribunal Superior de Los Angeles, Joanne disse ser uma activa jogadora de petança, tendo por isso utilizado o talco usado durante anos para os seus sapatos e as mãos. Também utilizou o produto nos filhos quando estes eram mais jovens para reduzir a dermatite gerada pelo uso de fraldas. O tribunal calculou que a mulher usou o talco mais de 10.000 vezes.

Os médicos diagnosticaram para Joanne um mesotelioma pleural, um câncer que se desenvolve no revestimento dos pulmões e que é muitas vezes ligados à exposição ao amianto ou asbesto. E isso apesar do amianto estar proibido nos produtos de consumo desde a década de 1970. No entanto, J&J afirma que o seu talco não contém amianto.

Apesar das afirmações da casa produtora, o júri declarou que a J&J era responsável por dois terços do valor compensatório e 100% do valor punitivo. As outras empresas mencionadas no caso, incluindo a Honeywell / Bendix, a Borg Warner e a Fel-Pro, têm que pagar o montante em falta.

David Greenstone, um dos advogados do casal:

Estamos muito satisfeitos que os nossos clientes tenham encontrado justiça, mesmo que nada possa realmente compensá-los para o que eles perderam. Os nossos clientes esperam que este veredicto pode lançar luz sobre este incrível exemplo de má conduta das empresas. […] O pó infantil da Johnson & Johnson tem conteúdo de amianto há décadas, as pessoas devem saber.

A Johnson & Johnson afirma que continuará a combater esses casos no tribunal. A porta-voz da empresa, Carol Goodrich:

Estamos decepcionados com o veredicto e vamos iniciar o processo de recurso, vamos continuar a defender a segurança do nosso produto porque não contém amianto.[…] Ao longo dos últimos 50 anos, prestigiadas instituições académicas e agências governamentais, incluindo a Food and Drug Administration dos Estados Unidos, desenvolveram várias avaliações científicas independentes, sem qualquer disputa, e ninguém concluiu que o pó para as crianças contêm amianto.

O problema é que casos semelhantes estão a chegar aos tribunais e alguns estão relacionados à exposição ao amianto. Em Abril, um casal de New Jersey recebeu 117 milhões de Dólares de compensação depois do marido ter contraído câncer após décadas de uso do talco. Houve um recurso e o caso ainda está em julgamento. Uma decisão pode chegar em breve num outro caso de amianto na Carolina do Sul.

Em Fevereiro de 2016, a J&J foi condenada a pagar 72 milhões de Dólares em danos à família de Jacqueline Fox, uma mulher de 62 anos que morreu de câncer nos ovários em 2015: desde que era uma adolescente, Jaqueline tinha utilizado diariamente o pó nas suas roupa íntima. A J&J afirmou que a segurança do talco cosmético é apoiada por décadas de evidências científicas e planeia recorrer do veredicto. Foi citada a instituição de caridade britânica, Ovacome, por causa dos seus 16 estudos que mostraram como o uso do talco aumenta o risco de câncer nos ovário em cerca de um terço; e uma revisão norte-americana dos estudos, em 2013, gerou resultados similares.

Em Março de 2017, mais de 1.000 mulheres dos EUA processaram a J&J por encobrir o possível risco de câncer do seu produto Baby Powder (talco).

Em 21 de Agosto de 2017, um júri da Califórnia ordenou que a J&J pagasse 417 milhões de Dólares a uma mulher que alegou ter desenvolvido câncer de ovário após usar os produtos à base de talco da Johnson, como o Johnson’s Baby Powder para a higiene feminina. O veredicto incluiu 70 milhões em indemnização e 347 milhões em “indemnizações punitivas”. A J&J tenciona recorrer também neste caso porque afirma que a ciência apoia a segurança do seu talco.

A Johnson & Johnson é uma multinacional americana, especializada na produção de farmacêuticos, utensílios médicos e produtos de higiene pessoal. As suas ações fazem parte da lista de Dow Jones e a empresa está listada no Fortune 500. Com aproximadamente 200 subsidiárias que operam em mais de 90 Países, a J&J conta com 127 mil funcionários, um facturado de 72 biliões de Dólares e um lucro operacional de 16.54 biliões (dados de 2016).

Entre os produtos vendidos em Portugal e Brasil lembramos Acuvue, Band-Aid, Carefree, Clean & Clear, Sempre Livre, Tylenol, Neutrogena, Johnson’s Baby, Listerine, Cotonetes. Mas a lista completa é bem mais é comprida.

O actual presidente da sociedade é Alex Gorsky que é também membro da administração da IBM.

 

Ipse dixit.

Fontes: BBC, Bloomberg, Reuters, Drugwatch, Ovacome – Fact sheet 15: Is there a link between ovarian cancer and talcum powder? (ficheiro pdf, inglês)

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: