Intervalo (comentários livres)

As transmissões estão interrompidas por motivos técnicos-políticos-logísticos-religiosos (falta de tempo) e serão retomadas no dia de amanhã.

Pedimos desculpa pelo incómodo, estamos a trabalhar para Si (mais ou menos).

Entretanto, os Leitores são convidados a utilizar o espaço reservado aos comentários para comentar tudo e mais alguma coisa.

Obrigado desde já, que a Força esteja convosco.

Nota: o “Intervallo” ao lado é um raro original dos anos ’80 da RAI, a radio-televisão italiana.Se é que isso interessa, coisa da qual duvido.

Ipse dixit.

14 Replies to “Intervalo (comentários livres)”

  1. Reformas na Suissa tem valor máximo de 1700 euros por mês.
    .
    Deve ser horrivel viver num país em que só se pode receber 1700 euros/ mês de reformas, e somente uma reforma sem acumulações de duas/ tres ou mais, como os mamões / cabrões, que os politicos cá da terra tem !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Viver num país subdesenvolvido como a Suissa deve ser horrível não é ???

    Vejam o vídeo, e verifiquem como acontece em países civilizados ………………..

    Um abraço.

    Ramiro Lopes Andrade

  2. Bem… tótil!!! Comentar só por comentar… Estava a ver que não…

    Então aí vai…

    Um barril de petróleo vale quanto em onças de ouro?

    Depois de saberem isto já terão uma ideia do porquê de o preço andar lá por cima… Atenção que a causa não é directa! Têm que dar umas voltas… Podem encontrar mais sobre o tema na Deep Web ihihih

  3. Dia 14 de Março foi o dia Internacional de Acção pelos Rios, e uma vez que não foi há assim tanto tempo:

    As barragens do plano nacional de barragens poderão vir a custar 16 mil milhões de euros. …Este valor representa aproximadamente um quinto do dinheiro que nos foi emprestado pela troika.

    A barragem do rio Sabor, dos últimos rios selvagens do país já seguiu e está em curso a barragem da Foz do Tua. No total estão aprovadas 9 barragens.
    Para além dos danos sociais, ambientais e económicos este plano não vai tornar Portugal num país eficiente a nível energético. As barragens estão a ser construídas para aproveitamento da energia eólica (uma vez que a energia eólica não pode ser armazenada para utilizar nas horas em que há mais procura de energia, as barragens vão servir como armazéns), e será necessária energia eólica para por em funcionamento a barragem. Feitas as contas o rendimento energético é quase nulo.

    É justificável um tão grande investimento para aumentar a energia utilizável em 1%? Ou mais vale optarmos por uma política de rentabilização dos recursos já disponíveis que facilmente cobrirá este 1%?
    A combinação ventoinhas eólicas e barragens não é viável e Portugal pode tornar-se um dos países com energia mais cara, mesmo à frente da Dinamarca ou Alemanha.

    Em conclusão: o país fica mais endividado e ainda perde património natural, com toda a dinâmica ambiental, social e mesmo económica a ele ligada.

    Então mas porque continua a construção das barragens? A resposta está nos terrenos pantanosos e lamacentos onde vivem animais feios e repelentes como a EDP, Mota-Engil, Iberdrola, e outras construtoras, monopolistas energéticos e… bancos!

    Já morreram 3 trabalhadores na obra da barragem do Tua, e está estimado que morram ao todo cerca de 20 pessoas na obra. E OK, mesmo com as estatísticas, mesmo com a evidência da inutilidade das barragens, porque não continuar com as obras? É difícil atribuir preço a uma vida humana, a oferta e procura são aqui muito instáveis, mas neste caso são 20 pessoas para 300 000 000 € da barragem.

    E o que interessa se no litoral o areal estiver a encolher porque os sedimentos ficam retidos nas barragens, prejudicar vários ecossistemas, atrofiar a qualidade da água, hipotecar ainda um bocadinho mais o nosso futuro no campo económico, desclassificar da UNESCO o Alto Douro Vinhateiro, etc.

    Não é frustrante que não tenhamos nada a dizer sobre isto? As pessoas não estão informadas sobre esta matéria porque se estivessem haveria uma maior mobilização, mesmo apesar de estarmos em Portugal.

    Deixo o link para um vídeo pequeno mas com bastante informação interessante, vá não custa nada:

    Ainda é possível parar a aberração nas obras do Tua. A barragem da foz do Côa já ia bem mais avançada quando foi abortada de vez.

  4. Ou desenham uns riscos lá nuns penedos… ou o betão vai ser a nova Homodiversidade lá na região…

    de resto… bem de resto se "… Continuamos a fazer todos os esforços para seguirmos religiosamente as regras viciadas de um sistema corrupto… Enquanto assim for… nunca conseguiremos alterar nada de nada…" E mais não escrevo sobre paredes de betão? Não se esqueçam que mesmo depois de concluída, a coisa tem sempre maneira de vir ao charco! Basta é querer… MUITO! E estarmos dispostos a arcar com as custas em caso de …

  5. Hehehe! Um habitante de lá jura haver gravuras, diz que ele mesmo já viu a cabeça de um cavalo desenhada, mas que agora está por baixo das obras…

    Charco… o simples efeito cénico devia ser algo bonito, estilo Zabriskie Point…

  6. eheheh.. Tal e qual! Para quem não está a ver a cena… Fica aqui o sujestivo!

    Mas… se já há riscos nos calhaus… então sempre se pode poupar uns trocos em explosivos!

    E não… não sou um rôbo!!! Este blogger é mesmo parvo!

  7. Amanhã é um dia importante, 20/03, se as informações estiverem certas neste dia o Irã passará a comercializar petróleo em outras moedas, sepultando de vez o dollar, alguem sabe algo?

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: