Coronavirus: a revolta dos médicos alemães

O Coronavirus da coroa “é um falso alarme global”: este o sentido de um relatório de 83 páginas saído do Ministério do Interior, em papel do Ministério. Escrito por um alto funcionário (cujo nome não é mencionado) que opera na Unidade KM 4 (Protecção de Infra-estruturas Críticas), é um acto clamoroso de rebelião contra a narrativa oficial.

O documento afirma:

Os efeitos observáveis da COVID-19 não revelam provas suficientes de que – em termos de efeitos para a saúde em toda a sociedade – seja mais do que um falso alarme. O novo vírus nunca representou, presumivelmente, um risco para a população superior ao nível normal (em comparação com a taxa de mortalidade normal na Alemanha). O Coronavirus mata essencialmente pessoas que teriam morrido estatisticamente este ano, numa idade muito avançada e com organismos enfraquecidos já não conseguem lidar com um stress aleatório (incluindo os cerca de 150 vírus que circulam actualmente). A perigosidade da Covid-19 foi sobrestimada (não mais de 250.000 mortes com o Covid-19 em todo o mundo, em comparação com 1.5 milhões de mortes durante a vaga de gripe de 2017/18). Estamos provavelmente a lidar com um falso alarme global que não foi detectado ao longo de muito tempo.

A equipa de avaliação governamental (o comité técnico-científico) é criticada: “As falhas e os fracassos na gestão da crise conduziram, consequentemente, à comunicação de informações incorrectas e, por conseguinte, a uma desinformação da população”. O alegado falso alarme teve um impacto negativo nas infra-estruturas críticas: “Em resultado das medidas de protecção, a actual segurança do aprovisionamento em infra-estruturas críticas já não é a que era antigamente”.

Houve muitas mortes? É claro, escreve o ministro rebelde:

Em Março e Abril, 90% de todas as cirurgias necessárias foram adiadas ou não foram realizadas. Isto significa que 2.5 milhões de pessoas não foram tratadas devido a medidas governamentais, embora fosse necessário. Os especialistas estimam que existem entre 5.000 e até 125.000 pacientes que irão morrer/já morreram em consequência de uma cirurgia adiada.

Mais:

Os tratamentos de acompanhamento de doentes (por exemplo, cancro, acidente vascular cerebral ou ataque cardíaco) são adiados ou cancelados devido a limitações na disponibilidade hospitalar (e nas opções de tratamento): os efeitos negativos da interrupção dos cuidados de saúde em doentes com cancro, quer se trate do acompanhamento do cancro ou de programas de prevenção do cancro como no caso do cancro da mama, são evidentes, uma vez que estas medidas provaram a sua utilidade em longos estudos e foram estabelecidas nesta base.

Entre os danos colaterais da sobrestimação da pandemia, o anónimo menciona os suicídios:

Aumento dos suicídios (anteriormente uma média de 9.000 por ano), que encontram a sua razão na significativa deterioração a longo prazo de todas as condições de vida, o que pode tornar-se crítico para pessoas mentalmente instáveis; mas também podemos esperar muitos suicídios como reacção à destruição económica dos meios de subsistência. Vários grupos profissionais que não se sentem capazes de lidar com o fardo da mudança social e pessoal.

O funcionário também critica fortemente a interferência do Estado nas liberdades civis: e a “proporcionalidade das intervenções nos direitos dos cidadãos”. Vai ao ponto de evocar a decisão do Supremo Tribunal de Karlsruhe de 5 de Maio contra a flexibilização quantitativa do BCE, na qual o Tribunal pediu ao Banco Central “uma ponderação adequada das medidas com consequências negativas (acórdão PSPP de 5 de Maio de 2020)”. Do mesmo modo, a “proporcionalidade” deve ser exigida nas medidas que restringem as liberdades na crise.

A autenticidade do documento é confirmada pelo Ministério Federal do Interior, pois numa declaração lamenta-o:

Um funcionário do Ministério Federal do Interior publicou o seu parecer crítico privado sobre a gestão da crise do Coronavirus por parte do governo federal, utilizando o papel timbrado e os canais de comunicação oficiais do IMC. O trabalho editorial foi realizado com a participação de terceiros fora do Ministério […] Não é aceitável nem compatível com as obrigações gerais do serviço público que as opiniões privadas sejam redigidas com símbolos oficiais, por exemplo, em papel timbrado oficial e postas à disposição do público.

Ou seja: o documento é autentico e pode ser encontrado neste link (em alemão)

Entretanto, circula um interessante vídeo de uma conferência tida na Alemanha. O Dr. Heiko Schöning, um médico em Hamburgo, é o primeiro a falar (nota: a tradução foi feita de forma automática pelo Youtube, pelo que não é o máximo):

Nós, médicos, criticamos as medidas contra a Covid-19 por serem exagerados. As medidas tomadas contra nós não têm nada a ver com a redução do vírus. Então, quem está a ser intimidado? Não estamos a lidar com a peste e este ano o coronavírus está tão agressivo como a habitual gripe sazonal que apanhamos todos os anos. Isso são boas notícias. A má notícia é que todos nós entrámos em pânico. O pânico do coronavírus é uma armadilha. É um truque, uma burla.

Já é tempo de percebermos que estamos no meio de um crime global mafioso. Há extensas testemunhas como o Professor Bhakdi, o Dr. Vudrag e eu próprio para o provar. Eu previ este pânico há quatro meses. Quero encorajar todos vós a reunir estes vídeos antes da Internet ser encerrada. Publicamos também testemunhos importantes em www.aerzte-fuer-aufklaerung.de e artigos que apareceram no dia 8 de Maio num jornal com uma tiragem de 300.000 exemplares. […]

Por último, gostaria de deixar claro que, infelizmente, não podemos ter a certeza do que as vacinas planeadas contêm realmente. Mas há importantes provas circunstanciais e provas que publicámos numa página. O Dr. Walter Weber expressou a sua irritação por as vacinas serem apresentadas como a única solução e por o governo ter congelado a economia. Diz “Como médicos, tratamos principalmente de questões médicas e constatamos que as medidas preventivas são desproporcionadas em relação à ameaça real”. Explicamos, por exemplo, que o uso de máscaras é completamente desnecessário. O Coronavírus tem um diâmetro de 20 nanómetros, pelo que, para proteger a boca, os orifícios do filtro teriam de ser reduzidos mil vezes, o que conduziria à asfixia. O uso de máscaras pode contribuir para as doenças respiratórias. Dr. Weber acha humilhante o seu uso.

A última parte do vídeo apresenta o Professor Heindrick Streek:

O virologista alemão que relata os resultados finais da sua investigação pioneira sobre anticorpos. O Professor Streeck afirmou que a taxa de mortalidade da Covid-19 é de 0.36%, mas explica que este é o limite superior e que a taxa de mortalidade se situa provavelmente entre 0.24 e 0.26% ou até inferior. A idade média dos falecidos positivos nos testes era de cerca de 81 anos.

Veremos a evolução da situação, a reacção do Governo federal e dos seus peritos. Mas é muito significativo que haja uma revolta motivada, dirigida por médicos, feroz e bem organizada na Alemanha: “Resistência Democrática” foi fundada na Alemanha no passado dia 23 de Março e conta com 6.000 membros para além dos médicos. O seu objectivo é restabelecer imediatamente os direitos civis em conformidade com a Constituição e regular as questões económicas. Participam em manifestações o que não é simples: a imprensa descreve-os como extremistas de Direita e seguidores neofascistas de teorias da conspiração.

https://www.youtube.com/watch?v=fVAAoLGf9rA

Entretanto, do outro lado do oceano…

O Pentágono revelou a Operation Warp Speed, um esforço conjunto farmacêutico-governamental-militar para “reduzir substancialmente o tempo necessário para desenvolver uma vacina até o final do ano“.

Isso porque tornou-se de conhecimento geral que o desenvolvimento de uma vacina colide com um facto: o vírus RNA SARS-CoV-2, já mudou em pelo menos 30 variantes genéticas diferentes, e as variantes incluem 19 variantes anteriormente não publicadas e “alterações raras que os cientistas nunca teriam imaginado que pudessem acontecer”.

Mas é uma dificuldade que Bill Gates e os amiguinhos do Pentágono estão convencidos de poder ultrapassar: ultrapassando a Natureza, utilizando tecnologias de vacinação da próxima geração, como a transferência de genes e nanopartículas de auto-montagem, uma revolução em relação às vacinas convencionais.

Enquanto uma vacina clássica introduz um antigénio para produzir uma resposta imunitária, as vacinas da nova geração enviam as instruções ao nosso organismo para produzir o seu próprio antigénio. Como explica um investigador, os ácidos nucéeicos das novas vacinas “induzem as células a produzir fragmentos do vírus”, com o objectivo de que o sistema imunitário “monte uma resposta contra esses fragmentos do vírus”.

Dúvida: mas são seguras? Ora essa, são seguríssimas. Tão seguras que Bill Gates e as empresas farmacêuticas ao seu serviço pedem a imunidade legal contra eventos adversos para os vacinados.

 

Ipse dixit.

10 Replies to “Coronavirus: a revolta dos médicos alemães”

  1. Com o tempo, se este tipo de afirmações e tomadas de posição, em especial se forem assumidas por médicos da especialidade em questão, chegarem ao grande público, isto vai estourar.
    Para ser sincero, quando estourar já vem tarde.
    Este sistema está podre até às suas raízes, não existe “reforma” possível. Tem de ser colocado no caixote do lixo da história e ser seguido um caminho que coloque o bem estar comum acima de qualquer interesse particular.

    Mas serei apenas eu que considera grotesco que seja possível que a água seja privada?

    P.S. – Honestamente não vislumbro como é que vai ser possível derrubar esta narrativa acerca de tudo em volta do Covid, sem que a China e/ou a Rússia venham desmascarar toda esta situação.
    Porque afirmo isto? Porque acredito que a única forma de desmascarar toda esta situação de tal forma que fique indefensável as posições dos “especialistas” do ocidente, é no caso dos seus pares Russo e Chineses, coloquem o seu nome e assinatura num papel oficial a dizer isso mesmo.
    De outra forma vai ser sempre levantada a dúvida com as fake news, conspiradores, malucos etc

    P.S. 1 – Cada dia que passa é um dia em que fico mais apreensivo com o silêncio de moscovo e pequim.
    Os Russos desapareceram e os Chineses apenas falam para dizer que o virus não teve origem na China e adeus até logo.

    1. Caro Bandido, e eu fico apreensivo com a sua apreensão sobre esses 2 actores, como se dali alguma vez pudesse sair a salvação de qualquer coisa para além das suas oligarquias e dos seus regimes, são a outra face da mesma moeda .

      1. Sim, claro, não o fazem por amor à Humanidade, mas sim por interesse próprio, não tenho ilusões acerca disso.

        A questão é, quando as “elites” se zangam, quem ganha é o pequeno.
        É pena ser tão raro isso acontecer….

  2. Essa nova vacina é assustadora! E se o sistema imunitário virar contra o próprio corpo? Como é que cessam de produzir essas proteínas? Me-do…

    Li que ouve uma grande manifestação em várias cidades… Nos média normal falavam em extrema direita! Uma vergonha…

  3. Olá Max e todos: considero extremamente importante a manifestação dos médicos alemães. É a tal história da autoridade. Se eles são médicos, são virologistas, então devem merecer consideração. Lembrem que, no início dessa farsa uma advogada famosa alemã foi internada numa clínica psiquiátrica, por não aceitar as medidas oficiais. Esta medida extrema manifestava a intenção do governo de considerar doentes mentais quem se opusessem às determinações da OMS. Os médicos agora são vários na Alemanha a tomar uma posição que considero decente. O governo vai interná-los todos? O povo alemão vai aceitar esta atitude governamental? Hoje os alemães são ciosos da sua Constituição e das suas liberdades em geral; vão aceitar este claro policiamento do pensamento e da liberdade de expressão? Creio bem difícil.
    E eles não são os únicos, outros se manifestam na França, em Itália, em Portugal. E mesmo atravessando o oceano encontramos uma Chinda Bertolino, na Argentina, disposta a desmascarar esta farsa e, tudo indica com um amplo poder de penetração porque não para de dar entrevistas para veículos alternativos de comunicação, alcançando e conversando com colegas no Peru, na Colômbia, em São Salvador, despejando seus vastos conhecimentos em medicina forense e virologia. E na Argentina, ela também não é a única.
    Muitos especialistas no Brazil sabem perfeitamente bem o que está acontecendo (como o meu médico particular, por exemplo),
    Mas infelizmente não está disposto a se “comprometer” publicamente, mas também não está disposto a matar seus clientes com tratamentos errados.
    E há os especialistas militares, como o general russo que explica detalhadamente os interesses geopolíticos por trás desta singular estratégia de guerra contra a humanidade.
    E há o próprio Bill Gates que diz com todas as letras que a população mundial deve diminuir drasticamente, e que para tanto há um grande esforço da sua parte para o desenvolvimento de vacinas… Precisa mais do que simplesmente ouvir os globalistas mais poderosos do mundo e perceber as orientações que repassam a instituições mundiais de saúde?

  4. Como é que os trolls brasileros (controlei os IP’s) não aparecem para comentar este artigo? Será porque é um pouco mais difícil contradizer a opinião de quem trabalha no sector? Mesmo assim: são uma desilusão.

  5. Atual e proveniente de uma “autoridade na matéria”.
    Apesar de só agora ter decidido vir a público, o facto de ter vindo é demonstrativo que o medo de represálias (ou pior) está a esmorecer e a coragem vai chegando, aos poucos mas chega. Saquem para o caso de vir a ser removido. Divulguem…
    https://youtu.be/d9GbVZOcT18

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.