Deutsche Bank: reciclagem & terrorismo

Nos últimos anos, quando há algo podre no mundo da Finança, eis que aparece ela: a Deutsche Bank. Antes havia Goldman Sachs e/ou JPMorgan e, de facto, estes aí continuam mas já não estão sozinhos: o banco alemão parece estar decidido a roubar o protagonismo na novela “Os mais podres…

Ler mais... Deutsche Bank: reciclagem & terrorismo

Wall Street: o lobo, o pelo e o vício

Será que depois do que aconteceu com os subprimes, Wall Street fica longe do sector imobiliário? Claro que não, é uma área demasiado lucrativa. Mas podemos esperar que tenham acabados os produtos arriscados, como aquele que levaram à falência centenas de bancos privados americanos. E neste caso a resposta é:…

Ler mais... Wall Street: o lobo, o pelo e o vício

Os bancos, o óleo, a terra dos outros

De acordo com um relatório apresentado pelo FoE (Friend of Earth Europe), um grupo de bancos têm providenciado mais de 1 bilião de Euros em favor da empresa de agro-negócio Wilmar International, sediada em Singapura, para operações de land grabbing na ilha de Kalangala: mais de 3.600 hectares de floresta…

Ler mais... Os bancos, o óleo, a terra dos outros

Alemanha: rigor, controle e seriedade

Ahhh, Grande Alemanha. Se Lisboa fosse como Berlim: rigor, controle, seriedade. Nem seria precisa a austeridade, era só virtuosismo e contas sempre em ordem. Mais ou menos. Diário Público: Deutsche Bank acusado de ocultar 9 mil milhões de euros em dívida para fugir a resgate O Deutsche Bank é acusado…

Ler mais... Alemanha: rigor, controle e seriedade

O caso das Taxas Libor: sempre os mesmos

London Interbank Offered Rate, Libor para os amigos.  E em Tóquio? Tibor. E na Europa? Euribor. E em Hollywood? Zsa Zsa Gabor. Tá bom, esqueçam o último exemplo. Mas os outros são importantes, pois são taxas de referência: indicam o custo dos empréstimos no mercado interbancário. Na prática, quanto custa…

Ler mais... O caso das Taxas Libor: sempre os mesmos

Death Bonds, a úlitma fronteira

O Leitor tem na própria família uma pessoa idosa? Olhem para ela: está velha, provavelmente com algumas doenças, não produz, só gasta a reforma. Em definitiva: é um parasita. Mas eis que agora a Deutsche Bank encontra a maneira de rentabilizar estas pessoas inúteis. Como? Com os Death Bonds. Não…

Ler mais... Death Bonds, a úlitma fronteira

As vacas e os bancos: o caso Parmalat

Acabou o julgamento Parmalat. Qual julgamento? Então é assim: a Parmalat era uma empresa fundada nos anos ’60 por Callisto Tanzi, em Parma (Italia). Produção: leite. Muito simples: é só convencer as vacas a colaborar, o resto é apenas embalar o produto e distribuir. Com o tempo a empresa cresceu,…

Ler mais... As vacas e os bancos: o caso Parmalat
%d bloggers like this: