Portugal: as novas medidas do Governo

Mais medidas: a “pandemia” não pára e o Primeiro Ministro de Portugal pediu “um sobressalto cívico”. Portugueses, façam o favor de sobressaltar. Mas em casa.

Só isso? Não, imaginem. Eis novas medidas assim como relatadas pelo diário Público:

  • É reposta a proibição de circulação entre concelhos ao fim-de-semana;
  • Todos os estabelecimentos de qualquer natureza devem encerrar às 20h à semana e às 13h ao fim-de-semana. A excepção é o retalho alimentar que ao fim-de-semana se pode prolongar até às 17h;
  • Vai ser proibida a venda ao postigo de qualquer estabelecimento não alimentar, como lojas de vestuário;
  • É proibida a venda ao postigo de qualquer tipo de bebida, mesmo cafés;
  • É proibida a permanência e o consumo de bens alimentares à porta de estabelecimentos ou nas suas imediações;
  • Encerrados todos os espaços de restauração em centros comerciais, mesmo em regime de take away;
  • Proibidos os saldos e promoções que promovam a deslocação de pessoas;
  • Proibida a permanência de pessoas em espaços públicos como jardins. Podem ser frequentados, mas não podem ser locais de permanência;
  • Pedida às autarquias a limitação do acesso a zonas que convidam à concentração de pessoas, como frentes marítimas ou ribeirinhas, incluindo espaços para jogar ténis ou padel;
  • Encerradas universidades seniores, centros de dia e centros de convívio;
  • Deslocações para trabalho presencial vão necessitar de declaração escrita da entidade patronal;
  • Nas próximas 48 horas as empresas com mais de 250 trabalhadores têm de enviar à Autoridade para as Condições do Trabalho a lista nominal de todos os trabalhadores cujo trabalho presencial consideram indispensável;
  • Reforço da fiscalização da Autoridade para as Condições do Trabalho e das forças de segurança. O Governo pede “maior visibilidade” da presença na via pública da Polícia de Segurança Pública (PSP), em particular junto às escolas, de forma a servir de efeito dissuasor.

Tudo isso junta-se às medidas aprovadas há alguns dias.

Gostei da “maior visibilidade” da Polícia de Segurança Pública, em particular junto às escolas: mas não foi o Governo que decidiu manter as escolas abertas? E o que vai fazer a PSP aí?

Quanto ao resto: reduções dos horários, nada de venda ao postigo, nada de take away… já ouviram falar de “descrescimento feliz”? Surpresa: já aqui está! Não é nada “feliz”? Tá bom, não podemos ter tudo, não é?

 

Ipse dixit.

4 Replies to “Portugal: as novas medidas do Governo”

  1. Como descreveu muito bem Dimitri Orlov no excelente texto, Os objectivos infames do “grande reinício”, que pode ser lido no site Resistir.info, muitos sectores da economia precisam de ser desligados, e isso já está a começar a acontecer.
    Se do ponto de vista sanitário, muitas medidas não fazem qualquer sentido, nesta perspetiva já é diferente e tudo ganha forma.
    Novidade fresca, é que após este confinamento é provável que venha um Mega-confinamento. Foi este o termo utilizado pelo deputado alemão do SPD, Karl Lauterbach.

  2. Tá de acordo com o roteiro “surrupiado” ao canadenses e as diferenças podemos associá-las ao aumento contínuo da resistência á metodologia implementada. Esperemos que não se ceda à pressão que continuará a aumentar e sim que esta tome proporções que os faça chegar à conclusão que desta vez foram longe de mais e vai sobrar para eles e à bruta se tiver de ser, com consequências para o plano de hiper-centralização a começar aqui na Europa. Relembro o roteiro publicado:
    1- Instituir progressivamente um segundo bloqueio, continuamente, primeiro nas metrópoles e em seguida nos subúrbios até Novembro de 2020;
    2 – Realizar a construção dos campos de isolamento/quarentena até Dezembro de 2020; (por cá ainda não, mas…)
    3 – Aumento exponencial de casos e óbitos a ocorrer/obter até o final de 2020; (por cá houve a pausa pró Natal)
    4 – Instituir um segundo bloqueio completo e total, muito mais severo do que o primeiro, para o início de Janeiro de 2021;
    5 – Reforma e transformação do sistema de seguro-desemprego, para se efectuar a transição para a renda universal, prevista para o primeiro trimestre de 2021; (isto vai ser negociado e acordado na reunião de Davos)
    6 – Programação de uma mutação do vírus Covid19 com outro vírus denominado Covid21, o que levará a uma terceira onda com uma taxa de infecção e taxa de mortalidade muito mais altas, para Fevereiro de 2021;
    7 – Os novos casos de hospitalização de Covid19 e Covid21 excederão as capacidades hospitalares, durante o primeiro e segundo trimestres de 2021;
    8 – As restrições aos bloqueios, aprimoradas e denominadas de terceiro bloqueio, serão implementadas com a proibição total de viagens também entre cidades e países, no segundo trimestre de 2021;
    9 – Inclusão no projecto da renda universal, agendada para o segundo trimestre de 2021;
    10 – A planeada interrupção das cadeias de suprimentos e estoques, com grande instabilidade económica, está prevista para o final do segundo trimestre de 2021; (lá se vão as férias de verão)
    11 – Destacamento de militares nas metrópoles e estradas principais para estabelecimento de postos de controle e limitação de viagens, para o terceiro trimestre de 2021; (vamos lá ver se os militares por cá vão nisso… aqui entra a GNR)
    12 – Entrada do programa de ajuda ao colapso económico internacional, concertado entre FMI/BM/BCE/BIS, com a redefinição da dívida global e, oferta de troca das dívidas dos cidadãos pela perda da sua propriedade privada, mediante participação no programa de vacinação Covid19/Covid21, a partir do qual recuperarão a sua liberdade de circular e viajar.

    Vamos seguindo, forçando a barra e divulgando a mensagem de resistência até ver.
    O mais importante, creio que será o desenrolar dos acontecimentos internos nos EUA e ao nível geo-politico, a resposta dos principais atores soberanistas à agenda das guerras (diversos tipos de) que lhes farão os globalistas feudais.

  3. Até parece que vai haver um confronto nuclear.

    Aproveito para deixar aqui três ligações para artigos interessantes, traduzidos para o Português pela organização política Nova Resistência:

    – O Grande Reset é um Projeto Globalista para Destruir os Estados Nacionais

    http://novaresistencia.org/2021/01/17/conselheiro-russo-o-grande-reset-e-um-projeto-globalista-para-destruir-os-estados-nacionais/

    – FMI recomenda que o Acesso a Crédito esteja vinculado ao Histórico de Buscas na Internet

    http://novaresistencia.org/2021/01/16/fmi-recomenda-que-o-acesso-a-credito-esteja-vinculado-ao-historico-de-buscas-na-internet/

    – Por que os proprietários de restaurantes tradicionais devem desaparecer

    http://novaresistencia.org/2021/01/15/a-revolucao-social-por-meio-da-nutricao-por-que-os-proprietarios-de-restaurantes-tradicionais-devem-desaparecer/

    P.S.: Porquê que o regime da Inglaterra em conjunto com o Fórum Económico Mundial (FEM), o Vaticano, e as multinacionais, estão a acelerar o seu projecto de ditadura globalista Anglo-Saxónica? Qual é o medo desta gente para os levar a entrar em modo de guerra-relâmpago?

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: