Polícias da China matam menos que Polícias Americanos

Artigo de redigido por Raeford Davis, ex-polícia e activista pela liberdade, publicado na página da Internet The Libertarian Institute.

Eu pesquisava por encarceramentos e mortes efectuados pela polícia no mundo quando desencantei este tweet:

 

 

Que definitivamente provocou uma reacção emotiva e a rejeição de algumas pessoas em relação a mim. Se você ajustar os números por população, a China tem cerca de 4 vezes mais pessoas. Não parece bem para os EUA.

A população prisional dos EUA é de 2,2 milhões. Também temos cerca de 5 milhões de pessoas ao mesmo tempo sob algum tipo de liberdade condicional ou pena suspensa. A polícia nos EUA mata cerca de 1000 cidadãos anualmente. 1200 só em 2015.

A China prendeu oficialmente 1,6 milhões indivíduos, mas esse número é certamente sobrestimado e provavelmente é superior a 2 milhões. A estimativa maior de encarceramento na China (não fundamentado) que encontrei foi de 4 milhões. Isso inclui todos os tipos de presos políticos, prisões preventivas, campos de trabalho forçado, etc.

Sim, não se sabe ao certo quantas pessoas a China executa por ano. As estimativas anuais para os últimos anos estão entre 5.000 (2010) e 2.400 (2015). Em comparação, os EUA executaram 35 pessoas em 2014. Isto quase equipara a taxa de mortos pela polícia. Bem, pelo menos a China dá-lhes uma espécie de «Devido Processo Legal» (Due Process pela sua sigla em inglês, ndt.) antes de colocá-los na frente de um pelotão de fuzilamento.

Isto ainda é metade da nossa taxa de encarceramento nos EUA. Ajustada para a população, a China teria que encarcerar 8,8 milhões e matar 4.800 apenas para igualar a taxa dos EUA.

Francamente, acho que as 12 pessoas mortas pela polícia Chinesa em 2014 são exatas e podem ser documentadas melhor do que se imagina por de trás da Cortina de Bambu. Em 2015, esse número subiu para cerca de 50 pessoas mortas pela polícia. Mataram 28 dessas pessoas numa operação «anti-terrorista». A China tem 1,7 milhões de polícias que estão desarmados há décadas (ironicamente assim como a população em geral). Somente agora estão a distribuir algumas armas para a polícia. Sendo bastante controverso e discutido publicamente.

Esta história da AP (Associated Press, ndt.) informa: Tiroteios aumentam depois da China armar a polícia, por DIDI TANG:

Os incidentes – que geraram ampla cobertura dos média e burburinho nas redes sociais – surgem depois que as autoridades decidiram em Abril atribuir armas aos agentes de patrulha para proteger melhor a população e melhorar a resposta da polícia aos crimes e ataques.

O motivo parece ter sido um ataque descarado por um grupo de assaltantes que esfaquearam 29 pessoas até à morte e feriu outras 140 na estação de comboios na província sul de Yunnan. As autoridades culparam do ataque os extremistas da região ocidental de Xinjiang.

Durante décadas, a polícia Chinesa esteve desarmada porque o país tem muito pouca violência armada e as armas de fogo são difíceis de obter. Diferindo da Grã-Bretanha, a Noruega e a Nova Zelândia entre os países desenvolvidos, onde os polícias em patrulha geralmente não estão armados.

«Ampliar o direito (de porte de armas) a mais polícias pode trazer mais mal do que benefício se eles não seguirem as leis», disse Liu Zhirong, um estudioso independente que já foi pesquisador de uma academia de elite da polícia militar Chinesa. «A polícia deve aprender a minimizar o uso da força».

O Ministério da Segurança Pública (Public Security Ministry pela sua sigla em inglês, ndt.) tem a difícil tarefa de treinar centenas de milhares de polícias locais sobre como lidar com uma arma mortal no cumprimento do dever. A força policial Chinesa tem 1,7 milhões de agentes, e não está claro quantos estarão armados. Em Xangai, cerca de 1.000 de seus 40.000 polícias começaram a portar revólveres padrão durante patrulhas de rotina em Abril.

Especialistas temem que o treinamento se concentre demais em aspectos técnicos, como precisão de fogo, e não o suficiente em aspectos psicológicos e legais, como quando sacar da arma e como avaliar rapidamente situações caóticas.

«Eu até me pergunto se alguns polícias já viram uma arma», disse Hong Daode, professor de direito penal na Universidade de Ciência Política e Direito da China (China University of Political Science and Law pela sua sigla em inglês, ndt.). «Nós estamos basicamente a começar do zero».

Antes que eles possam apontar para um suspeito, a polícia é obrigada por lei a identificar-se, lançar avisos verbais e atirar para o ar. Se eles atiram numa pessoa, eles devem apontar para as partes não vitais do corpo.

Repare que agora, a preocupação racional expressa por aqueles comunistas, é de que a sua recém-armada polícia se torne excessivamente violenta e um perigo para a comunidade. A propósito, um polícia em Foshan, província de Guangdong, já matou um transeunte com um desses «tiros de advertência».

Uma excelente visão geral das estruturas de aplicação e execução de conflitos na China: http://factsanddetails.com/china/cat8/sub50/item2267.html

Os EUA também não fazem um bom trabalho rastreando as mortes dos seus cidadãos por polícias: Departamento de Justiça para rastrear uso da força pela polícia em todo os EUA

Alguns dizem que estou a tentar comparar maçãs com laranjas em alusão aos sistemas de justiça da China e dos EUA, e que isso não pode ser feito. A laranja da China para o limão americano provavelmente seria mais apropriado. Ambos são frutas cítricas e ambos são podres. A América é incrivelmente azeda ao ponto de ser quase incomestível, mesmo para aqueles que se acostumaram com o seu gosto.

E uma nota para quem acha que a América deve desarmar a população para que «os nossos polícias não tenham que enfrentar uma ameaça diferente [maior] de violência letal». Concretamente, como é que a China conseguiu esse resultado? Só matando milhares durante anos naqueles Grandes Saltos em frente. Vou transmitir isso. Como polícia, eu tinha pouco medo dos milhões de cidadãos pacificamente armados. Acho que a obsessão e reverência de muitos indivíduos por armas é muitas vezes equivocada e contraproducente. Se há algum grupo que leve essa obsessão e reverência longe demais, seriam os homens que empunham uma arma e carregam uma estrela de lata como um talismã mágico que eles afirmam dar-lhes direitos extras e imunidade especial no uso responsável de armas.

Eu sei, isto é totalmente contra toda aquela Grandiosidade Americana que nos ensinaram desde o jardim de infância e é perturbador ser confrontado com isso. Mas… é aqui que estamos.

Matt Agorist do Projecto Pensamento Livre (The Free Thought Project pela sua sigla em inglês, ndt.) escreveu um excelente artigo sobre este assunto:

Será isto uma tendência natural da polícia em «sociedades livres» para matar ainda mais os seus cidadãos, num esforço para manter essa liberdade? Muito dificilmente os EUA serão um país livre.

Sim América, encara isso. As tuas super-incríveis estrelas, Deus derramou a sua graça em ti, a liberdade protegendo o sistema de justiça, segundo alguns relatos mais opressivo do que o malvado sistema comunista Chinês.

P.S.:

A China retira os órgãos dos seus prisioneiros.

Estou muito feliz que os EUA não retirem os órgãos dos nossos presos, por tanto estamos à frente deles.

*O Microfone Cai* Cantos “USA! USA! USA!”

 

Fonte: The Libertarian Institute

One Reply to “Polícias da China matam menos que Polícias Americanos”

  1. Olá Max: num país beligerante como os EUA, o normal passa por armamento geral. O policial tem de se defender e o cidadão comum tem de proteger sua família e sua propriedade.
    Na China é o Estado que defende e protege, supostamente. E cada chinês é responsável pelo outro Logo polícia e povo não devem sentir essa necessidade crucial da liberdade para matar. Também supostamente quem encarcera e mata é o Estado.Daí posso entender o número escasso de mortes atribuídas a policiais.
    No entanto me custa crer que os prisioneiros sejam relativamente poucos. Não conheço estatística, não sei quais as confiáveis, mas sei que as estatísticas também são politizadas. Penso que a China está cercada de opositores ao regime: oigures, tibetanos e mais. Será o governo chinês complacente com isso? Pode ser que seja, mas… Talvez a disciplina e o controle sejam tamanhos, que os dissidentes prefiram vir para o ocidente ou ficar quietos em seus lugares.

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: