O vírus no Parlamento: Dagmar e Sara

Dagmar Belakowitsch-Jenewein é uma política austríaca do Partido da Liberdade da Áustria (FPÖ), actualmente deputado no Parlamento. Preside à Comissão dos Assuntos de Saúde e é vice-presidente do grupo parlamentar do seu partido.

Estudou medicina na Universidade de Viena e na Universidade de Graz, tornou-se membro da direcção do partido local em Viena em 2006, tendo sido eleita para o Conselho Nacional no mesmo ano.

Estes são alguns trechos do discurso apresentado no Parlamento austríaco no passado dia 13 de Maio, cuja versão integral pode ser ouvido (em alemão) neste link.

Durante todo o dia vocês tentam convencer-nos de que vai haver uma segunda vaga de pandemia, precisam dela para justificar o que fizeram a esta terra, a esta nação. Nada o pode justificar. E lentamente o nevoeiro está a dissipar-se.

Dagmar Belakowitsch-Jenewein

Tudo isto foi apenas para semear o medo, semear o pânico. É algo muito mau, sinistro e prejudicial.

Falaram como o Chanceler sobre uma praga que teria morto centenas de milhares de pessoas, mas que nunca aconteceu e nunca ficou claro que iria acontecer. Mesmo nos círculos dos vossos especialistas nunca foi dito que chegaria este ponto, mesmo os especialistas que mencionaram desde o início disseram que se tratava de proteger os grupos de pessoas mais vulneráveis. Isto significa que a decisão política que aqui foi tomada está em total desacordo com o que os especialistas aconselharam.

E ainda continua, fazem andar a roda porque vocês sabem que politicamente estão a arrastar o País para o abismo, é uma catástrofe para os mercados, para a produção, temos 6.000 desempregados, há 3 milhões de pessoas com trabalhos ocasionais os quais nem sabem se aqueles part-time poderão voltar em serviço, se as lojas e as actividades voltarão alguma vez e o pacote conjuntural que vocês estão a preparar não será de ajuda, as medidas económicas que estão a preparar para as gastronomias não serão de ajuda.

Não serve baixar agora os impostos para os restauradores, não têm rendimentos, não será possível restabelecer a relação com eles com uma jogada dessas.

Exactamente essa tem sido a vossa política, um coronavírus encenado e provavelmente ainda estão a segui-la. Nem sequer vão conseguir sair do filme que criaram. Querem reabrir as escolas para fazer andar as crianças com máscaras, mantidas à distância uns dos outros quando não há a mínima razão se olharmos apenas para os casos de doença: como e onde ainda o podemos transmitir, todos nós já o temos, e como poderiam as crianças transmiti-lo para nós?

Em vez disso, agora, deveriam dizer que esta história acabou e que temos de estar atentos à nossa higiene, deixar as pessoas em paz, que já acabou, assumam isso.

Devem devolver a vida às pessoas, dar o dinheiro às empresas para que possam voltar a trabalhar, certifica-se de que as pessoas já não têm de usar açaimes, este pano à frente da boca, fora este material porque é prejudicial para as crianças, para os idosos e também para a doença pulmonar, deviam ler estas coisas, e ao mesmo tempo garante protecção zero, o único objectivo da máscara é apoiar o vosso guião só para fazer as pessoas acreditarem, ó meu Deus! Estamos numa situação extremamente perigosa, têm que ir finalmente para o lado da verdade.

Entretanto, em Italia, a deputada Sara Cunial (agora Grupo Misto, antes Cinque Stelle) assim falou no Parlamento:

Sara Cunial

Hobbs dizia que o poder absoluto não nasce com uma imposição de cima, mas por escolha de indivíduos que se sentem mais protegidos ao desistirem e concedendo a sua liberdade a terceiros.

Em virtude disso, vocês continuam a anestesiar as mentes da massa com meios de comunicação comprados, amuchina [desinfectante, ndt], PNL (Técnica de Programação Linguística, ndt] e com palavras como “regime”, “consentir” e “permitir” até ao ponto de poder também regulamentar os nossos laços e o sentimentos e certificar os nossos afectos.

Por isso, neste sentido, a Fase 2 não é nada mais do que a continuação da Fase 1, só muda o nome como já aconteceu com o MES. Percebemos que de certeza não se morre apenas de vírus, então será possível sofrer e morrer graças a vocês, por lei, de miséria e de pobreza. E como nos melhores regimes, a culpa será descarregada única e exclusivamente em nós cidadãos.

Estão a tirar-nos a liberdade e dizem que a culpa é nossa, com o lema de divide et impera.  A perder mais sobretudo são os nossos filhos, almas violadas em conformidade com o garante dos seus direitos: então concedido o direito à escola apenas com um bracelete para acostuma-los à liberdade vigiada e aos lagers virtuais em troca de um tablet, tudo para satisfazer os apetites de um capitalismo financeiro cujo motor é o conflito de interesses.

Será apresentada pela OMS, cujo primeiro financiador é o conhecido filantropo “salvador do mundo” Bill Gates que todos nós já conhecemos. Bill Gates já em 2018 profetizou uma pandemia depois simulada em Outubro passado como Event 201 com os amigos de Davos que desde há décadas estão a trabalhar no desenvolvimento de planos de despovoamento e controlo ditatorial sobre a política global, mirante a obter a primado sobre a agricultura, tecnologia e energia e diz, com textuais palavras retiradas de uma das suas declarações, “se fizermos um bom trabalho com as novas vacinas e a saúde reprodutiva, podemos diminuir a população mundial de 10-15 por cento. E continua: “Apenas um genocídio pode salvar o mundo”.

Graças às suas vacinas consegui esterilizar milhões de mulheres em África, causou uma epidemia de poliomielite que tem 500.000 crianças paralisadas na Índia e ainda hoje com o seu Dtp [classe de vacinas combinadas, ndt] causa mais mortes da mesma doença bem como com os seus OGM esterilizantes, concebidos pela Monsanto e doados tão “generosamente” às populações necessitadas.

Tudo enquanto já está a pensar em distribuir a tatuagem quântica para o reconhecimento vacinal e vacinas RNA como instrumentos de reprogramação do nosso sistema imunitário; além de realizar vários negócios com as multinacionais que detêm as infraestruturas do 5G nos Estados Unidos.

Então, neste quadro, há todo o Deep State em molho italiano: há a Sanofi [empresa farmaceutica, ndt] que, juntamente com a Glaxo […] assina acordos com as empresas de medicamentos para a doutrinação dos futuros médicos do futuro, gozando com a autonomia de julgamento e com o juramento deles.

Há as empresas multinacionais high tech, como a romana Engineering [Engineering Ingegneria Informatica, ndt] para o controlo e a gestão dos nossos dados de saúde, em respeito da agenda europeia ID 2020 de identificação electrónica, que utiliza a vacinação das massas para obter uma plataforma de identidade digital. […]

A contribuição italiana à aliança internacional contra o Coronavirus será de 140 milhões de Euros, dos quais 120 para a aliança GAVI, a no-profit criada pela Fundação Gates, e são apenas uma parte dos 64 biliões de Euros recuperados pela Comissão Europeia para encontrar a vacinas contra o Coronavírus que servirão para o que foi descrito acima.

Nada, obviamente, para a sero-terapia que tem o terrível efeito de custar muito pouco; e nada para a prevenção do real que diz respeito ao nosso estilo de vida, à nutrição e a nossa relação com o ambiente.

O verdadeiro objectivo tudo isto é o controlo total, o domínio absoluto sobre os seres humanos reduzidos a cobaias e escravos, em violação da soberania e do livre-arbítrio. Tudo através dos vossos enganos disfarçados de compromissos políticos.

Então, enquanto vocês rasgam o código de Nuremberga com deportação, reconhecimento facial e intimidação, apoiadas pelo cientismo dogmático protegido pelo nosso Presidente da República que é a verdadeira epidemia cultural deste País, nós fora com os cidadãos vamos multiplicar os fogos de resistência para que não seja possível reprimir- nos todos.

Peço a você, Presidente [do Parlamento, ndt], para ser o porta-voz de uma sugestão para o nosso Primeiro Ministro Conte: caro Primeiro Ministro Conte, da próxima vez que receber um telefonema do filantropo Bill Gates, envie-a directamente para o Tribunal Penal Internacional para os crimes contra a Humanidade, caso contrário diga como temos que definir o amigo que recebe ordens de um criminal.

 

Ipse dixit.

19 Replies to “O vírus no Parlamento: Dagmar e Sara”

  1. Publiquei há dias no Facebook o discurso de Sara Cunial em video, que existe no Youtube.
    O discurso de Dagmar Belakowitsch-Jeneweinsó conheci agora.

    1. Olá Krowler!

      Acabei de inscriver-me no grupo #sairdecasa, mas a insrcição é pendente. Fui pendurado, como se atrevem?!?! lololol… Obrigado por sinalizar o grupo!

      1. Olá Maria,

        Também fiquei à porta algum, pouco, tempo até entrar.
        Não sou o único leitor do II por lá, há mais.
        A nossa petição já teve alguns apoiantes do grupo.

  2. Ei, Max, devo ter falhado alguma coisa…no texto de Sara não tem menção a Bilderberg? É que no vídeo que vi e lhe “linkei” aqui, tinha…e quando ela mencionou a palavra, soou uma sineta…
    Mais: quando tento localizar a palavra nesta página com o browser, indica 4 vezes, mas só mostra 3…

    1. Olá!

      Sim, ambos os discursos não estão na versão integral. No caso de Sara Cunial, do qual traduzi mais partes (está em italiano, bem mais fácil do que o alemão!) por exemplo, eliminei dois ou três parágrafos relativos a poilíticos locais que, julgo, não têm muito interesse para o público não-italiano (como Pisani, Mercuri, Mantovan, etc.).

      É citado o Bilderberg em relação a David Sassoli e a um documentodo de quatro páginas por ele produzido, mas não há outras referências ao Gruopo durante o discurso. Fui verificar agora mesmo o discurso todo e esta é a única ocasião em que se fala do Bilderberg.

  3. Em Portugal estamos tramados, os cidadãos Portugueses não têm ninguém que os represente podendo assim a presidência e o governo, com a conivência dos partidos que se encontram na Assembleia da República (AR), cumprir uma agenda política e económica com a qual os cidadãos não se identificam.

    1. Os portugueses têm os representantes que escolheram e têm escolhido ao longo de décadas.
      Um maioria qualificada (2/3) dos votantes, vota sempre nos mesmos desde o 25 de Abril (formatados desde o berço).
      Uns 4/5 nunca saem dos “Cinco da Vigairada”… absurdamente aversos ao risco e ao pensar crítico e diferente.
      É a identidade cultural/política deste nosso povo, em absoluto contraste com os povos mais europeístas.

      1. O problema em Portugal é que não existe nenhum movimento ou partido político que represente os cidadãos Portugueses e resolva os seus problemas.

        E prova está no facto de todas estas medidas infundadas que nos estão a ser impostas pela presidência e o governo a pretexto da falsa pandemia da doença do coronavírus covid-19, contarem com o apoio ou a conivência dos partidos que se encontram na Assembleia da República (AR).

        Por alguma razão temos 51,4 % de abstenção; os cidadãos Portugueses não se identificam com o anti-democrático e corrupto regime nascido a 25 de Novembro de 1975, e as suas forças partidárias.

        «…É a identidade cultural/política deste nosso povo…»

        Custa-me escrever isto mas Portugal é um país de chalados e de gente criminosa; é um país onde as pessoas cerram os punhos e agem com histeria, ódio, e agressividade, por causa da realização da «Festa do Avante» que como qualquer evento cultural, político, ou desportivo, não tem razão, nem fundamento médico ou científico para ser cancelado devido a um vírus.

        Inclusive publicam várias petições a apelar ao cancelamento desse evento (uma delas conta já com 15657 assinaturas), mas são incapazes de se indignarem com a imposição infundada do uso generalizado de máscaras pela população, que é um perigo tanto para a saúde pública com para a saúde do indivíduo.

      2. Péssima notícia: todo e qualquer processo eleitoral, em qualquer país do mundo, sofre da mesma lógica. É concebido para eleger sempre os mesmos grupos financiado pelo poder econômico, mesmo que sejam parcialmente alterados entre seus membros.
        Qualquer Facção (Partido) Político com alto ou médio apelo popular/eletivo, está comprometido com seus financiadores de campanha. Imagina-se o Partido A, que tenha uma lista/nominata de 60 nomes/candidatos a determinado cargo eletivo não majoritário. Destes, no mínimo 40 são “laranjas”, e não contam com suporte financeiro para suas campanhas. Todos os demais (20) já estão na carteira de grandes grupos econômicos, e não mais importando quais entre eles se elegerão. Eis a farsa de democracia…

        1. Qual democracia? Já aqui o referi… estou farto, mesmo farto de ouvir denominar de democracia a algo que não o é, não o foi, nem o será no médio, longo prazo.
          Se a pretensão é criticar a democracia, só podem recorrer a um punhado de exemplos pró-democráticos:
          Islândia, Finlândia, Suécia e Noruega.
          Não conheço outros onde a tal “democracia” se possa aplicar.
          Já sei que alguém há-de citar a Suiça, mas esse exemplo tem no seu âmago um “cancro” anti-democrático.

  4. O que Sara Cunial diz é impressionante. Muito dura e direta. Infelizmente, o povo português não tem uma voz forte que os possa mostrar que o lado da verdade não está morto. Esta “mandemia” mostrou mais uma vez que o povo que habita neste pequeno retangulo é muito fácil de domesticar. O mais impressionte é ver, não a classe mais velha, mas sim a classe jovem a acetitar tudo isto como se ordens de Deus se tratasse.
    Já Fernando Pessoa dizia: “Há três espécies de Portugueses, dentro do mesmo Portugal.” (O texto é bastante interessante, aconselho a ler).

  5. «…O mais impressionte é ver, não a classe mais velha, mas sim a classe jovem a acetitar tudo isto como se ordens de Deus se tratasse…»

    São formatados desde o início nas escolas e nas universidades para aceitar e fomentar a tirania, principalmente aqueles que nasceram no Século XXI.

    Experimente mostrar a alguém com 18/20 e poucos anos os estudos, pesquisas, e documentos, que provam que o uso de máscaras não tem fundamento médico e científico, e inclusive prejudicam a saúde da pessoa, e vai ver como reagem.

    A juventude Portuguesa em grande parte é estúpida e ignorante, a maioria nunca cumpriu Serviço Militar (o que traz graves consequências no desenvolvimento do indivíduo), e não tem a mínima noção do que a rodeia em todos os aspectos, com excepção das funcionalidades do telefone e das aplicações, nisso são mestres a manejar algo que não lhes oferece nada de real ou físico.

    1. Desculpe JF, mas a questão não é nem nacional nem geracional. É de modelo mental civilizatório fundador de sociedades, voltados exclusivamente para que minorias perpetuem controle e domínio sobre maiorias.

    2. A meu ver, não é bem isso. Eu tenho quase 30 anos, mas desde cedo que me apercebi que o que nos tentam vender não tem valor algum, é falso, não é correto, muitas vezes foge muita da moralidade Humana, reprime, oprime, e principalmente escraviza. Portanto, o problema não é geracional. Eu acredito mais que as coisas têm sido assim porque…tinham que ser assim, afinal de contas está escrito. Cabe aos que têm a felicidade de saber usar a cabeça ajudar os outros.

      “A juventude Portuguesa em grande parte é estúpida e ignorante…” Infelizmente tenho que concordar contigo. No entanto, não é só a juventude portuguesa, mas em geral em todo o mundo.

      Acrecento que nasci e cresci na típica família da aldeia rural portuguesa, animais e agricultura (verdadeiros pobres mas felizes, hoje falsos ricos e infelizes.). Ninguém era estudado (máximo antiga 6ª classe), inclusive alguns não sabiam ler nem escrever. No entanto, sempre tive a “coragem” de pensar por mim.

      1. “Eu acredito mais que as coisas têm sido assim porque…tinham que ser assim, afinal de contas está escrito. Cabe aos que têm a felicidade de saber usar a cabeça ajudar os outros.” Quer dizer que está tudo pronto, acabado, é tudo uma loteria sem qualquer interferência humana, tudo acontece pela providência divina… socorro!

        1. Diga-me um acontecimento na história (onde eles não tenham estado envolvidos) que tenha realmente mudado o destino da humanidade…para melhor.

          1. Praticamente toda história da civilização passa por alguma relação de poder e dominância, entre indivíduos, grupos (tribos) mas principalmente entre pequenas minorias e grandes maiorias, onde as equações de poder entre as primeiras sempre ditaram os destinos das segundas…o ponto de partida para qualquer ideia avaliativa é unicamente este. O resto é propaganda travestida de alguma coisa…inclusive de informação alternativa…

  6. Portanto suponho que o JF era um génio na sua juventude … ainda te lembras quando tinhas 18 ou 20 anos ? como imaginavas o mundo ? Como achavas que seria o futuro ? Serão estúpidos e ignorantes se os mais velhos não cumprirem a sua parte, concordo apenas que o serviço militar tem vantagens na formação é de lamentar que tenha terminado, no meu caso foi fascinante, aprendi imenso a começar por falsificar assinaturas para sair a noite. Tem sido uma constante ao longo da historia da humanidade achar que a próxima geração está mais mal preparada que a actual… e tem sido falso …
    JF deixa de insultar os miúdos e começa a escrever alguma coisa útil para a formação deles . ok ?

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: