Escândalo Corona: A China foi mais inteligente, apenas fechou o epicentro

O presente artigo foi redigido por Hanne Nabintu Herland, Historiadora de nacionalidade Norueguesa com mestrado em História das Religiões, pela Universidade de Oslo; a autora é também responsável pela página de notícias Escandinava na Internet «The Herland Report»

A China deu o exemplo para o bloqueio das economias nacionais num movimento sem precedentes.

As nações ocidentais seguiram o exemplo Chinês e fecharam as suas próprias economias, escreve a historiadora Hanne Herland na sua coluna regular na WND, a maior rede de notícias conservadora da América.

As autoridades políticas do Ocidente apressaram-se efectivamente a bloquear o crescimento económico nas suas próprias nações, como o método preferido para conter uma pandemia.

Não foi a falta de oferta ou demanda que impediu o crescimento, mas as decisões políticas.

Consequentemente estamos a assistir ao colapso financeiro de um século devido a uma escolha política.

A China agora é líder mundial, liderando como todos devem agir com as crises pandémicas. O que o presidente Marxista-Leninista da República Popular, Xi Jinping faz, todos nós seguimos e implementamos. Ou não?

Ninguém parece ter notado, mas a China só fechou maioritariamente uma cidade, Wuhan e a sua província, Hubei. 5 milhões de habitantes de Wuhan foram autorizados a sair antes que a cidade fechasse e a viajar para outro lugar na China, ficando somente em Wuhan 6 milhões (de habitantes, ndt.) em confinamento.

A 14 de Março, a maioria das áreas de Hubei deveriam retomar o trabalho e a produção. Isso significa um bloqueio por aproximadamente quatro semanas na maior parte de Hubei? Outras áreas foram, naturalmente, também afectadas, as fronteiras nacionais e assim por diante.

O ponto é que a China só fechou as áreas de epicentro, mas o Ocidente fechou nações inteiras, concelhos, cidades, municípios, todos os lugares mesmo que nenhum vírus fosse visto na área.

Isso criou um severo impacto na economia a um nível que pode ser muito pior do que na China.

Desde o primeiro dia, sugeri que a crise do corona deve ser vista à luz da guerra comercial EUA-China. Parece que a fraqueza do oligarquia ocidental agora cedeu vantagem à China.

O pânico que levou ao aviso para tudo encerrar veio de uma mistura entre o oligarca Bill Gates, o líder da OMS, o Marxista-Leninista Dr. Tedros, e foi massivamente divulgado na mídia liderada pela CNN. O oligarca ocidental proprietário da CNN está verdadeiramente orgulhoso em ter liderado o pânico, inclusive até o resumiram num artigo em separata da CNN.

O primeiro relato do Dr. Tedros é fulcral, uma vez que os líderes Ocidentais acreditam que a OMS é o equivalente a Deus.

Alegadamente apresentou os números da China, depois mudou de repente para dar conta aos líderes da UE (União Europeia, ndt.), em 10 de Março, de uma perspectiva de milhões de mortos.

Na reunião com os líderes da UE, ele estimou 3,5 % ou mais de taxas de mortalidade entre aqueles que contraíram o vírus, descrevendo o surto como «pandemia», e milhões de mortos na Europa.

Aparentemente, Angela Merkel ficou tão chocada que outros líderes estatais da UE tiveram que acalmá-la. Esperava-se que 60 – 70 % da população contraíssem o vírus. As autoridades Britânicas apontaram para 60 – 80%. A 12 de Março, a UE encerrou tudo.

Isto combinado com o rascunho do Imperial College, que nem sequer foi revisto pelos pares, causando o medo a um nível nunca antes visto.

Como se vê, o relatório do Imperial College que motivou o Reino Unido e outras nações a deixar a sua estratégia de imunidade de grupo, acabou por não ser revisada pelos pares tendo sido escrita pelo professor Neil Ferguson, que sobrestimou os números da gripe Ébola e Suína.

Ele previu que 510.000 poderiam morrer no Reino Unido sem o confinamento, enquanto 250.000 poderiam morrer mesmo com uma estratégia isolacionista.

Isto foi recentemente apontado por Johan Giesecke, epidemiologista do Estado da Suécia, que também trabalhou como o primeiro Cientista-Chefe do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC).

A Suécia escolheu a imunidade de grupo, como todos sabem.

Todos também já se esqueceram que 650 mil pessoas morrem anualmente de uma gripe regular, de acordo com a OMS. Mesmo nos EUA, as mortes por gripe regular em 2018 foram de cerca de 80 mil, segundo a CNN.

Agora, até o Dr. Fauci já vem dizer que o Covid-19 pode ser mais parecido com uma temporada de gripe severa.

Actualmente temos políticos que se reúnem ansiosamente em torno do bilionário «especialista em pandemias», Bill Gates, para seguir o seu conselho de oligarca em vez de ouvirem os especialistas nacionais em pandemia.

Em 2018, 3/4 dos casos globais de pólio provinham das vacinas de Gates, como apontou recentemente Robert Kennedy, questionando a pressa em deixar os principais investidores controlarem a saúde pública.

O professor da Escola de Medicina da Universidade de Stanford, John Ioannidis, afirma que os bloqueios económicos como resposta ao Covid-19 podem ser o «fiasco de evidências do século».

Ele descreveu o coronavírus como uma «infecção leve e muito comum para a grande maioria da população».

Saberemos o suficiente para justificar as medidas massivas que violam os direitos humanos na nossa sociedade democrática e livre, pergunta o especialista em microbiologia da Alemanha, Dr. Sucharit Bhakdi, à Chanceler da Alemanha? É claro que Merkel não o escuta.

O Dr. Bhakdi afirma: «Esta é a incrível tragédia, porque todas essas medidas adoptadas são realmente sem sentido.

A expectativa de vida de milhões está a ser encurtada por causa disso. O terrível impacto na economia mundial ameaça a existência de inúmeras pessoas».

1,1 bilhão estão agora ameaçados pela fome devido aos bloqueios mundiais. Só no Reino Unido, 3 milhões passam fome.

Muitos agora perguntam sem rodeios se a reação ao Covid-19 foi exagerada. Nesse caso, quem exagerou? Se politicamente motivada, a desinformação pode ter contribuído para o maior colapso económico em um século.

Agora que o dano económico está feito, vamos pelo menos parar de continuar o suicídio económico-social e voltar ao trabalho.

 

Fonte: The Herland Report  (no artigo original em inglês, encontram-se diversas ligações relacionadas com o assunto).

11 Replies to “Escândalo Corona: A China foi mais inteligente, apenas fechou o epicentro”

  1. Quer dizer então que, de repente, não mais que de repente, toda a comunidade de iluminares ocidentais resolveram seguir cegamente os chineses “marxistas”? Não sei o que é mais hilário, se a narrativa ou o acreditar nela própria..
    Estamos vivenciando uma amostra sem precedentes de como a vida das grandes maiorias não tem nenhum valor para essas pequenas minorias…e o inacreditável é perceber que tão poucos enxergam…

  2. Gostei do comentário Hanne Herland, sóbrio, sem achegas partidárias , bem observado o ocidente seguiu cegamente as recomendações da OMS que tinha uma cumplicidade mais que suspeita com a China , que fechou apenas regiões quando outros fecharam países inteiros por períodos de tempo maiores que a China. Arrasamos a nossa economia e agora vamos comprar mais … a China. Apenas um pormenor partilho com a Chaplin a China não é Marxista nem Leninista … é pelo lucro.

  3. Acreditar que do modelo autoritário chinês e metodologia do seu regime ditatorial advirá a “salvação” é… Ignorância? Idiotice?
    Ou algo pior? Aceitar o papel do pior cego, o que não quer ver, pode bem ser a próxima “pandemia social”… se não o for já.
    Dado o estado educacional e mental da sociedade humana, conforme agora bem evidenciado, não será assim tão estranho vermos as “massas” em pânico, a optarem por “saltar da panela a ferver para o fogo”.
    E, se não estranho, poderemos porventura considerar ser até expectável?
    Não “abram os olhos” não… “amanhã”, quando eventualmente acordarem, té-los-ão “em bico”.

  4. Olá Max e todos: o texto tem os mesmos defeitos e mesmas qualidades dos comentários: contaminação política. Felizmente a nossa contaminação política não impede que enxerguemos a realidade ou seja, por motivos econômicos fizeram o ocidente engolir uma farsa que aumentará drasticamente a pobreza das nações, e milhões, sim, no mundo inteiro morrerão a míngua.
    Mas a situação pior é a que se passa na América do sul, excetuando parcialmente a Argentina e um pouco Uruguai. Aqui a questão política é centralíssima. No Brazil, existe uma associação direta e completa entre medidas estúpidas de confinamento x governo Bolsonaro, de forma que chamar a atenção para a farsa equivale imediatamente a ser bolsonarista. Quem entende o que se passa fica calado…não se compromete. E o povo que pode fica em casa ouvindo as lives “musicais” dos sertanejos, explorando a situação e reforçando a bestialidade.
    Ainda bem que a tal “pandemia” é muito leve, e o prejuízo será muito maior quanto a saúde mental do que à física. Não dá mais para omitir que o número de suicídios está em alta, que os idosos isolados e confinados estão morrendo, que a depressão está tomando conta dos aprisionados, que a violência doméstica deu um salto quantitativo. Este é o padrão classe média brasileira, a que respeita integralmente as regras. Os ricos porque têm demais e os pobres porque têm de menos, ocupam-se com as suas tarefas rotineiras, os primeiros tirando suas riquezas monetárias do país, os outros que são a maioria que não tem tempo para cumprir as regras, dão graças ao céus continuarem trabalhando com a metade do salário. Devido ao fechamento de médias e pequenas empresas, às dificuldades de locomoção, a impiedosas condições de trabalho, a já antiga precarização do trabalho no país, ao número já absurdo de 16 milhões de desempregados que já havia antes do “fenômeno” corona vírus, os milhares de desalentados, os eternos não contabilizados para nada, chamados moradores de rua, enfim todos estes já somam metade da força de trabalho no Brazil a deriva. O único plano do governo é privatizar tudo a preço pífio e jogar os problemas financeiros nas costas do tal de vírus. Se qualquer outro governo vier não vai mudar nada a não ser aumentar e aumentar cada vez mais as medidas de “segurança”, independente de partido, de máfia, de quadrilha.
    Eu me pergunto como pode um país continental e rico abrigar gente tão medíocre !?

  5. Olá pessoal: não sei se todos aqui são leitores do Voltairenet.org. Hoje os artigos do Thierry Meyssan estão fantásticos. Parece que ele resolveu falar tudo,mas tudo mesmo, inclusive ter sido alvo, bem como companheiro de trabalho, de tentativa de sequestro etc. Termina com artigo muito esclarecedor: O projeto político global imposto por ocasião do Covid 19.

  6. Max, lembrei-me agora que você podia ter metido qualquer coisa na petição sobre ser facílimo tratar os pacientes com substâncias baratíssimas e que o sistema médico se recusa a usar por conveniência: vitamina c, cloroquina, heparina, etc….

    1. Heparina, cloroquina ou hidroxicloroquina (julgo) e azitromicina, estar a ser usados nos tratamentos em Portugal.
      Previstos testes para o Interferon alfa 2B e o remvisir (este ultimo é bom que não o venham a usar).
      Relativamente às metodologias de emprego não consegui apurar nada de concreto.
      Não temos um serviço de saúde público, temos um serviço de saúde “secreto”… esperam algo mais de uma “república das bananas? Acordem de uma vez, vá lá, a dor é só psicológica, passa rápido e depois é uma nova vida 🙂

  7. E uma coisa mais: eu por norma, não costumo assinar petições online, pois não sei a validade daquilo…julgo que a petição só tem valor se for assinada fisicamente, e não digitalmente. Mas nesta, assinei. Só espero que dê em alguma coisa que não se volte contra nós…

  8. Olá pessoal: a petição provavelmente dará em nada, mas o importante seria saber que 100.000 pessoas não são idiotas, como quer parecer. Bem, espero que pelo menos os 1000 e alguma coisa que seguem II se disponham a assinar porque pior que o estúpido é aquele que vê, e puxa a máscara para os olhos.

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: