Coronavirus: quero mais medidas!

Querido Leitor que deseja “leis duras” em todo o mundo para salvar o planeta do terrível Coronavírus, você pode pensar o que lhe apetecer, claro, mas seria engraçado que parasse uns momentos para reflectir. Não notou nada? Certeza? Veja, há apenas um ano, se lhe tivessem dito que tinha que ter permissão para sair de casa, você teria gritado à ditadura.

Hoje, pelo contrário, após anos de falsidade mediática sobre epidemias imaginárias e riscos imaginários (“O sarampo mata! Se você não vacinar o seu cão imediatamente, uma criança imunodeprimida certamente morrerá!”), capturado pela narração apocalíptica do Coronavírus, Você é o primeiro a esperar que o mundo inteiro adopte restrições muito rígidas à liberdade de qualquer um.

Mesmo que o monstro que Você teme seja apenas um miserável vírus duma constipação. Mesmo que a pessoa que anuncia medidas draconianas não tenha título para decidir sobre os seus direitos. Mesmo que a emergência dos hospitais (a única verdadeira emergência) tenha sido construída cortando o financiamento dos cuidados de saúde durante anos consecutivos. Mesmo que toda essa história de terror esteja baseada em dados que são negados e alterados todos os dias e, portanto, completamente não confiáveis. E é precisamente neste caos, neste histeria de alarmes e contra-alarmes, que cresce a sua necessidade inconsciente de certezas, a ansiedade pela segurança, a necessidade duma autoridade que proteja contra o Mal. A necessidade de ser acorrentado.

Esta é a verdadeira mudança que aconteceu. Hoje Você está pronto a aceitar as correntes que teria recusado ontem. Uma mudança que teve lugar dentro de si, não fora de si.

Preparar milhões de pessoas não só a aceitar, mas até mesmo a apoiar a violação dos seus direitos fundamentais. Esta coisa até tem nome: chama-se “engenharia social”. Quando é bem feita, as vítimas nem se apercebem.

Tente lembrar-se de como estava, do que fazia há um ano atrás: planeava as férias da Páscoa? Um almoço com parentes e amigos? Uma prenda para as crianças? Um salto até aquele parque de diversão? Imagine se há um ano alguém lhe tivesse dito “Caro amigo, esqueça: você tem que passar as férias pascoais fechado em casa”. Uma gargalhada como resposta? Provável. Mas este ano Você irá passar as férias fechado em casa: é Você que não quer sair e nem encontrar alguém. Porquê? Porque anda por aí um vírus, um vírus terrível e letal, assim dizem.

Você viu o vírus? Você sabe o que é um vírus? Como actua? Como se reproduz, como ataca, o que provoca, o que transmite? É vivo um vírus? Não, Você não sabe isso: pensa sabe-lo mas a verdade é que tudo o que pode fazer é repetir o que lhe foi dito através dos noticiários, dos diários. O máximo do aprofundamento deve ter sido Wikipedia. A realidade é bem simples: Você escolheu fechar-se na toca perante um inimigo que desconhece por completo.

“Eh, mas os especialistas dizem….”. Os Especialistas. Eu também vejo a televisão, leio os jornais. E vejo Primeiros Ministros, juízes, advogados, associações de pais, bombeiros, economistas, opinionistas, autarcas, jornalistas, jogadores de futebol, apresentadores, cozinheiros, todos que falam do terrível vírus. Não tem uma leve dúvida? Levíssima até? Não é que aquelas pessoas sabem acerca do vírus o mesmo que sabe Você, isso é, nada? Não é que aquelas pessoas limitam-se a repetir o que lhes foi dito, exactamente como está a fazer Você?

Sabe, querido Leitor, que há especialistas que não concordam? E não são especialistas quaisquer: falamos aqui de pessoas que dedicaram a vida toda ao estudo dos vírus. São especialistas reconhecidos internacionalmente, pessoas que ensinam nas universidades, que conduzem pesquisa de vanguarda. Pessoas, elas si, que conhecem os vírus. Então, meu querido Leitor, deixe que Lhe faça uma simples pergunta: porque estas pessoas não encontram espaço nas televisões, nos diários? Porquê será?

Nada a dizer, que fique claro, os meus parabéns àqueles que projectaram tudo isso, um trabalho muito bem feito. Mas aqui, agora, falamos de Si. Porque é dentro de Si que aconteceu a maior das mudanças. Se há um ano alguém Lhe tivesse dito para fechar-se em casa, após a gargalhada teria feito perguntas, teria exigido saber mais. Agora não, agora aceita tudo e quer mais restrições, invoca mais medidas, pede para ser fechado na toca: de leão do teclado foi transformado numa presa apavorada.

Certeza de que a mudança foi “lá fora”? Certeza de que o pior dos inimigos seja o vírus?

 

Ipse dixit.

29 Replies to “Coronavirus: quero mais medidas!”

  1. Max,
    Coloquei há pouco no Facebook, para testar a malta, e aproveitando que o mês de Março terminou ontem, a comparação de mortes entre a gripe comum e as mortes provocadas pelo Covid-19. Só os números, sem qualquer comentário, num lindo quadro azul celeste.
    Arranjei logo uma confusão dos diabos, pois começaram as alegações que eu estava a desvalorizar a pandemia.
    O vírus medo tem um poder enorme, os coelhos fogem todos para a toca e já não querem sair.

      1. A vossa ilusão quase que faz desejar que o virus vos toque.
        Os profissionais de saúde são loucos. E os pacientes que têm sao fake news

        1. Fico pasmado com o nível superior deste comentário e tenho inveja porque sei que eu nunca poderia chegar a tais patamares. Os dados que o Anónimo (obviamente…) apresenta são estonteantes, os raciocínios acutilantes e pertinentes. Diga a verdade: copiou dalgum lado ou foi tudo fruto da Sua cabecinha? Seja como for, estas poucas mas sábias palavras obrigaram-me a rever totalmente a minha posição e agora vejo a Luz. Anónimo, tenho a Sua autorização para candidata-lo ao título do “Melhor Comentário do Ano”?

  2. Meu caro; o texto faz-me lembrar uma conversa em que um individuo garantia que as pessoas estavam a ficar loucas com a quarentena… e afirmava que ainda nesse mesmo dia tinha confidenciado isso ao seu microondas .
    A quem é dirigido esse texto?
    As pessoas a quem supostamente seria dirigido esse texto não lêem este blog , indiquei vários textos aqui publicados a pessoas que se sentem revoltadas com o estado da nação e depois de lerem … nada … a ficha não cai.
    Mas nota… a falta não lhes é censurável , eles são os enganados e não os enganadores .
    Por falar em “cair a ficha” quem diria que o “louco” do Bolsonaro no meio disto tudo haveria de ser dos poucos a não querer vergar…
    Queria ainda lançar um desafio ao meu estimado JF que me acusa de dizer disparates quando suspeito que caminhamos para uma União das Republicas Socialistas Europeias …uma união de republicas em que os seu dirigentes não são eleitos pelo povo e muito menos as suas politicas e que para fazer face a uma crise profunda se prepara para reagir com nacionalizações … É o quê ?
    Por favor JF demonstra-me que estou errado …
    Reitero a minha suspeita ! E desejo que o meu amigo JF não seja tão velho como eu para poder ainda sentir na pele um regime comunista e poder satisfazer o seu fetiche nem que seja num gulag para poder compreender que esquerda e direita são meras diversões que te distraem o olhar enquanto te sacam a carteira … e não só.

    1. “As pessoas a quem supostamente seria dirigido esse texto não lêem este blog”

      Erro. Há dias experimentei alguns problemas para aceder ao blog, mesmo como administrador. Fui verificar e, de facto, o número de visitas aumentou bastante. Não são os Leitores “aficionados”, são visitantes novos. Não é por acaso que comecei vários artigos com o termo “Coronavirus”: isso atrai as pessoas que, lembramos, estão em casa e aproveitam o tempo para procurar notícias na net. Há picos que ultrapassam os 4.000 Leitores diários, o que, para um blog de nicho como este, é muito mais do que a média.

      Quanto à questão da “União das Republicas Socialistas Europeias”. Na verdade já vivemos num regime onde as perdas são socializadas e os lucros pertencem aos poucos. E isso acontece não apenas na velha Europa. Os dirigentes da UE (Comissão Europeia, o único órgão com poderes de decisão) já não são eleitos pelo povo.

      Acho que P.Lopes está a fazer um erro ao imaginar um regresso aos gulags ou aos antigos regimes soviéticos: pensa como pensava-se há 40 ou 50 anos atrás. Os tempos mudaram: tal como direita ou esquerda hoje deixaram de fazer sentido, também aqueles “estilo” está ultrapassado. Hoje o gulag é a nossa casa, na qual temos que ficar fechados “para o nosso bem”. Os “dissidentes” são banidos retirando-lhe visibilidade na arena digital. O pensamento único é difundido através das cadeias de televisão que operam ao uníssono em todo o planeta.

      Acha mesmo que o maior dos problema é a nacionalização das empresas? As empresas já estão “nacionalizadas”: qualquer banco em apuros hoje é salvo com dinheiro público. E suspeito que, após o actual psicodrama, outros tipos de empresas serão salvas com o dinheiro dos contribuintes.

      Tranquilo P-Lopes, já não vai ser preciso nenhum novo Politburo: existe já, na versão moderna e actualizada.

      1. Assim é… muitas pessoas lêem o blog , de acordo, é livre , está disponível, mas… e quantas pessoas reteêm alguma coisa útil que os faça ver de forma alternativa ? Tens estatística para isso ? Eu também vejo muita publicidade e não compro nada do que ai me sugerem …
        Quanto á questão da União das Republicas Socialistas Europeias …afinal é como digo … mas não tenho razão…
        Ok… acho que entendi , faz-me lembrar os meus tempos de miúdo em que jogava futebol na rua e quando a equipa do dono da bola começava a perder , o dono da bola pegava na bola e anunciava que estava na altura de terminar o jogo :)))
        Parece-me um erro crasso para um pensador alternativo cogitar que os erro do passado não podem regressar …
        Portanto, nada de Gulag porque basta tirar o visado da arena digital.
        E com isso damos como garantido não só a internet como a rede eléctrica, algo de pedra e cal para toda a posterioridade? Mas eis que em parte há alguma razão nisso , o Gulag será apenas para alguns privilegiados, a vala comum é mais certa, pelo menos eu admito essa possibilidade. ( Eiii pero yo soy anticuado …)
        Acabas-te de te dirigir a leitores que duvidaram da tua visão alternativa para agora duvidares de quem tem uma visão apenas ligeiramente diferente da tua … então ? Faz o que eu digo e não faças o que eu faço ?
        Não deixa de ser irónico que num texto em que se chama a atenção do leitor para a importância de não se poder dar nada como garantido e para a importância de se pensar fora da caixa e ouvir outras versões , eis que surge um leitor que tem uma versão ligeiramente diferente e… consequentemente.. está errado , é como ele diz…mas está errado.
        Nao é licito criticar os cidadão por não terem tido visão suficiente para poderem antever um cataclismo quando eles estão há gerações a ser condicionados para esse fim por lobbyes incomensuravelmente mais poderosos .
        Se são culpados então a culpa também terá de ser repartida com aqueles que tiveram capacidade para antever o cataclismo e ainda assim não tiveram capacidade de alterar a trajectória advertindo todos os outros. E aqui reside uma distinção entre aqueles que realmente previram o cataclismo e aqueles que se limitam a seguir um determinado “opinion maker”
        Resumindo: estou errado porque penso como se pensava há 40 ou 50 anos atrás . Os tempos mudaram. ( pero yo soy anticuado …)
        Erro. Se não fosse tão trágica essa observação, seria cómica .
        O que é que mudou ? Nada!!! É sempre a mesma velha historia com diferentes personagens !!! E no extremo seremos todos remetidos aos mais básicos instintos humanos dos últimos 2 milhões de anos.

    2. Acreditar que o povo é que escolhe seus representantes é prova de ignorância ou de mal caratismo. Todo sistema eleitoral tem vício de origem, obviamente, formatado/manipulado pela minoria dominante. Qualquer facção (partido) política com representatividade importante (apelo popular) elabora suas nominatas de candidatos onde 90% são laranjas, ou seja, cumprem a função de aparentar muitas opções, e 10% são os candidatos verdadeiros, todos eles financiados pelo poder econômico, ou seja, independentemente de qual deles se eleja, estará previamente com seu mandato comprometido com seus patrocinadores. E não é Brasil, é mundo! Havendo pequenas variáveis cfe. o país.
      Eis a tal da “democracia”…
      Pesquise sobre a República Romana e verás que está lógica vem desde lá…onde o bipartidarismo formado pela aristocracia, já propagandeava a “democracia”…

    3. «…Queria ainda lançar um desafio ao meu estimado JF que me acusa de dizer disparates quando suspeito que caminhamos para uma União das Republicas Socialistas Europeias…»

      Caro P. Lopes, jamais a união europeia (ue) se baseou no socialismo, no comunismo, ou na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), e a prova está na forma e medidas que adoptou no combate à doença do coronavírus covid-19 que são amplamente refutadas pela comunidade médica e científica a nível internacional e contrariam as leis da ciência, da medicina, da matemática, e da natureza.

      Se esta situação que estamos a viver se tivesse passado no Século XX quando ainda existia a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), este assunto teria sido tratado à luz do conhecimento científico e médico não fosse a Rússia Soviética de então um potentado da Ciência e da Medicina a quem a Europa e o Mundo tanto devem.

      Nem tão pouco outros governos Europeus nessa época agiriam de forma medieval e clerical numa situação de combate a uma doença, como estão a agir agora.

      Isto que escrevo não é uma simples opinião, é o que está escrito e disponibilizado através de documentos oficiais e literatura disponível sobre o tema.

      «…uma união de republicas em que os seu dirigentes não são eleitos pelo povo e muito menos as suas politicas…»

      A união europeia (ue) é a tentativa de fazer aquilo que o nacional-socialismo e o fascismo não conseguiram, um só governo, uma só identidade, uma só moeda, um só sentido de pensamento, à boa maneira inglesa. E não, não tem nada a ver com o conceito e aquilo que foi a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

      Se reparar, da extrema-esquerda passando pela esquerda, centro, direita, e extrema-direita, todos os seus elementos trabalham para o mesmo, se prestar atenção a esses movimentos políticos as pessoas que os compõem fazem todos parte de seitas religiosas ou políticas, e dobram-se em esforços para garantir os interesses do poder financeiro e clerical e nunca os interesses dos cidadãos nem tão pouco da Democracia.

      Existem instituições que quando foram criadas tinham como objectivo o bem-comum, o progresso da Humanidade, da Ciência, da Cultura, da Educação; promoviam a Liberdade e o Livre-Pensamento, mas com o passar dos tempos e à medida que as pessoas vão morrendo essas entidades sejam elas movimentos, partidos, ou instituições, foram infiltradas de gente com o objectivo de minar e deturpar o seu funcionamento, e isso acontece também nos organismos do Estado de variadíssimos países.

      Não sou comunista, no entanto não posso deixar de apontar as mentiras que são ditas sobre o Comunismo ou sobre os países que adoptaram esse sistema de governo, simplesmente porque a História tem que ser analisada e falada de forma imparcial e racional, não pode ser reescrita pois só assim se alcança as respostas e a verdade dos factos.

      Este momento que estamos a viver é o desmoronar de um sistema corrupto dominado pelo poder financeiro e clerical de cariz atlântico e anglo-saxónico que «adormeceu» por iniciativa própria e estratégica no Século XX, devido à vitória da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) na 2ª Guerra Mundial (1939 -1945) que obrigou os países Europeus e as suas oligarquias a fazerem conceções aos cidadãos atendendo assim às demandas dos mesmos por dignidade e direitos laborais.

      O poder financeiro e clerical ficou apavorado com a Revolução Francesa, conseguiu dominá-la, entrou em pânico e desencadeou a 2ª Guerra Mundial (1939 – 1945) pela suposta ameaça da Rússia Soviética (que nunca se veio a verificar) e foi sempre totalmente infundada, mas agora encontram-se numa encruzilhada pois o Comunismo acabou e assim sendo deixa de existir um bicho-papão, um diabo, e tudo fica mais difícil (se calhar foi por isso que se entrou numa histeria de coronavírus covid-19).

      Mas uma coisa é certa, acredito que existe uma imensa maioria de cidadãos, de Seres-Humanos, que já se aperceberam devido à evolução que a Natureza nos impõem de que o conceito de esquerda, direita, centro, ou extremos, já não faz qualquer sentido e isso pode ser determinante para a instauração de um movimento de consciência e resistência na Humanidade que se irá opor às forças obscurantistas que tentam desesperadamente salvarem-se e manter o seu corrupto sistema político e económico.

      1. Meu caro JF, antes de mais agradeço a atenção dispensada e gostaria de esclarecer ( antes que isto se torne um dialogo de surdos) que não me estou a referir ao passado da UE mas sim ao seu futuro ,estou de acordo em tudo o que foi dito em relação ao passado e presente , mas o futuro preocupa-me ainda mais pois a crise trará ainda mais nacionalizações e abrira o caminho a uma ditadura de cariz comunista , é uma possibilidade que encaro pois como já lhe disse considero o comunismo a mais perfeita forma de ditadura pois faz com que o escravo pense que ele e os seus colegas são os donos do sistema… ao contrario do meu caro JF estou consciente que o comunismo não morreu … está latente … e os “valores ambientais” emergentes ou insurgentes tem os ingredientes perfeitos para lançar a humanidade num novo comunismo verde 2.0 é apenas uma opinião …
        Não subestime… o comunismo é muito mais versátil do que comummente se supõe há até quem entenda que relação entre Jesus Cristo e os seus discípulos como comunista

        Trancrevo do meu Caro JF com a devida vénia:
        ” Se esta situação que estamos a viver se tivesse passado no Século XX quando ainda existia a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), este assunto teria sido tratado à luz do conhecimento científico e médico não fosse a Rússia Soviética de então um potentado da Ciência e da Medicina a quem a Europa e o Mundo tanto devem.”

        Meu caro, numa palavra …. Chernobyl ( os Ucranianos ainda hoje estão gratos… )

        Ainda trancrevendo:

        ” Isto que escrevo não é uma simples opinião, é o que está escrito e disponibilizado através de documentos oficiais e literatura disponível sobre o tema.”

        Meu Caro, cuidado com os exemplos que invoca pois eu também tenho cá em casa vasta literatura de banda desenhada da Disney e até e inclusive de “Groo o errante ” um “must” … só para quem conhece e com jeitinho até lhe arranjo alguns exemplares da insigne revista ” Despertai” generosamente cedida pelo Reino das Testemunhas de Jeová. Quero com isto dizer que a literatura e os documentos oficiais são como as estatísticas … da para tudo…
        Por fim quando o meu caro me diz não ser comunista , sinto um arrepio, quase que enrolo as unhas dos pés… presumo talvez que seja Maxista-Leninista mas pouco me importa a sua filiação politica , também com o meu caro JF quero acreditar que existe uma maioria de seres humanos ( a tal maioria silenciosa como diria o Marechal Spinola) que se opoem as forças obscurantistas, mas não me consigo esquecer que existe um pouco de obscurantismo em cada um de nós … ( admito que no caso dos meus comentários possa até abusar um pouco na minha quota-parte de obscurantismo )

      2. Tanto Anglos (normandos) como saxões (germânicos), endividados por sucessivas guerras, sucumbiram, ao longo do tempo, sob os controladores das moedas…que desde então, com o domínio econômico/político da Europa, estendeu seus tentáculos as colonias europeias pelo mundo…

  3. Nunca a história da humanidade teve uma oportunidade como esta e nunca mais a terá.
    Época em que a “besta” tira toda a velha armadura e expõe-se nua e frácil.
    Brevemente estará com a nova armadura e talvés para sempre.

    Dá que pensar Apocalipse XII da biblia:

    Vi sair do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças nomes de blasfêmia.
    A besta que vi, era semelhante a um leopardo, os seus pés eram como os de urso e a sua boca como a boca de leão. O dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande autoridade.
    Vi uma das suas cabeças como ferida de morte; mas foi curada a ferida mortal. Toda a terra se maravilhou após a besta,
    e adoraram o dragão, porque deu a sua autoridade à besta. Adoraram a besta, dizendo: Quem há semelhante à besta, e quem pode pelejar contra ela?
    Foi-lhe dada uma boca que falava grandes coisas e blasfêmias, e deu-se-lhe autoridade para assim fazer durante quarenta e dois meses.
    Abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar o seu nome, e o seu tabernáculo e os que habitam no céu.
    Foi-lhe dado que fizesse guerra aos santos, e que os vencesse; e foi-lhe concedida autoridade sobre toda a tribo, povo, língua e nação.
    Todos os habitantes da terra a adorarão, aqueles cujos nomes desde o princípio do mundo não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto.
    Se alguém tem ouvidos, ouça.
    Se alguém é para o cativeiro, para o cativeiro vai: se alguém matar à espada, é necessário que seja morto à espada. Aqui está a perseverança e a fé dos santos.
    Vi sair da terra outra besta que tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro, e que falava como dragão.
    Ela exercitava toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Fez que a terra e seus habitantes adorassem a primeira besta, cuja ferida mortal tinha sido curada.
    Obrou grandes milagres, de sorte que fazia até descer fogo do céu sobre a terra, à vista dos homens.
    Enganava os habitantes da terra com os milagres que lhe foi dado fazer diante da besta, mandando aos habitantes da terra que fizessem uma imagem para a besta que fora ferida pela espada, e que ainda vivia.
    Foi-lhe dado que comunicasse fôlego à imagem da besta, a fim de que a imagem da besta falasse e fizesse com que todos os que não adorassem a imagem da besta, fossem mortos.
    A todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, fez que lhes fosse dada uma marca na mão direita ou na testa, a fim de que ninguém pudesse comprar ou vender senão o que tivesse a marca, o nome da besta ou o número do seu nome.
    Aqui está a sabedoria. Aquele que tem inteligência, calcule o número da besta; porque é o número de homem. O seu número é seiscentos e sessenta e seis.

  4. Que nome lindo…engenharia social…nada além de eufemismo de conspiração… e para que sempre negou tal situação…estamos melhorando…

  5. Olá gente: nesta porcaria de agora colocaram variáveis que estão aperfeiçoando o processo;
    ! Cuidar do próximo: significa expiar o próximo, a ver se ele sai da regra.
    2. Ser responsável: significa fazer ao máximo tudo que é mandado
    3. Estar atento a todos: significa denunciar qualquer desvio de conduta.
    Com todo esse treinamento, dificilmente estes comportamento saírão das práticas rotineiras.no futuro.
    Estamos, por extrema necessidade, transgredindo algumas regras;
    1. Alguém foi trabalhar fora de casa, atendendo a interessados em aumentar a segurança dos seus presídios domiciliares. É uma forma de completar o que ganha aqui em casa.. Prevê-se saques, assaltos, assassinatos etc. .
    2. Foi difícil deter outro alguém de reproduzir alguns artigos do Max com letra grande e colar nos postes nas ruas. Argumentei que a chance de sucesso, no sentido de alertar as pessoas seria menor que o desvendar uma pista de muitos transgressores
    3. Ninguém denuncia alguns fugitivos e transgressores conhecidos ou não, pelo contrário, se lhes apoia a atitude.
    Percebem no que se tornou a vida cotidiana?! E se as regras de conduta forem relaxadas, a hecatombe econômico financeira que entramos nós, a maioria, nos mostrará um horizonte sem volta. Só que, por enquanto, a única coisa que preenche os pensamentos é a chamada crise sanitária. Os masters do bio poder ganharam, é preciso reconhecer. E nós os transgressores mais parecemos ratinhos a fazer coisas escondidas, e sem o menor poder de convencimento.

  6. “os meus parabéns àqueles que projectaram tudo isso, um trabalho muito bem feito.”

    Foi mesmo e, até “nós” caímos no conto do vigário, porem sentimo-nos indignados como todo tolo que cai em um golpe, temos o que merecemos, acho que não há como reverter essa situação coletiva.
    Um verdadeiro fim de mundo!

    1. É verdade que após um número X de pessoas convencidas nós perdemos todo o poder de decisão em nossa sociedade. Mas tampouco é o fim do mundo, pra melhorar ainda vai piorar muito.

      1. Entendo fim de mundo diferente de fim do mundo, digo fim de mundo no sentido de fim do mundo que conhecemos mesclando-se em um novo mundo quase desconhecido.Sim, esse mundo acabou, não vai haver melhora, quando melhorar já será outro mundo pior, a melhora será uma ilusão do menos pior.

  7. «…Fui verificar e, de facto, o número de visitas aumentou bastante…» – Max

    Esta semana fiz um perfil na rede social Twitter, ao final do dia apaguei a conta pois a interacção e troca de informação ou ligações entre usuários é praticamente nula, ou então o pensamento que é partilhado pelos usuários(as) é praticante todo igual e direccionado no mesmo sentido.

    Isto leva-me a crer, que as chamadas redes sociais (para além de serem uma perda de tempo e de não servirem para nada) estão a perder influência, e uma coisa é certa o conteúdo que é partilhado por essa via na maioria das vezes não é lido pelas pessoas que clicam nas ligações.

    É muito mais eficaz e cativante receber artigos, publicações, ou documentos por correio electrónico, como por exemplo as «newsletters» ou pesquisar por blogues/páginas na Internet e lá comentar ou partilhar ligações do que fazer isto tudo nas redes sociais.

    Mas isto sou eu que digo, quando descobri a Internet o facebook e quejandos eram uma miragem, e a informação e partilha corria a grande velocidade por correio electrónico, blogues, ou programas de mensagens.

    A propósito Max, já pensou em criar um canal ou grupo tipo «messenger», usando o Signal ou Telegram?

  8. É isto senhoras e senhores, 100 bilhões € em dívidas para nós e o grande salvamento de nossas (nossa quando o assunto é dividas obviamente) empresas.

    (…)El fondo estaría dotado, según los primeros cálculos de Bruselas, con 100.000 millones de euros que debería conseguirse mediante una emisión de bonos o, si es necesario, a través de los remanentes o apurando el techo de gasto del Presupuesto de la UE. Esta cantidad servirá como aval para que los países puedan financiar instrumentos para fomentar la suspensión o el reparto de empleo en lugar de su suspensión. Es decir, se trataría de movilizar fondos para que las empresas se decanten por fórmulas como los Kurzarbeitgeld, en Alemania; la Cassa Integrazione Guadagni, en Italia, o los ERTE, en España, en lugar de destruir empleo. La Comisión debe afinar los detalles técnicos de la propuesta para ver las modalidades que hay en la UE.(…).

    Fonte: El país.

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: