Greta

O Podcast de Informação Incorrecta
O Podcast de Informação Incorrecta
Short Description
Episódio 22: Michel Onfray, entre quijos e ditaduras

O novo livro do francês Michel Onfray, o filósofo pós-anarquista, anticomunista, anti-liberal, anticapitalista e simpatizante do socialismo libertário e do mutualismo de Proudhon.

 

Para já: a transcrição do artigo de hoje:

Greta

É ela, é ela, a Virgem da Suécia, o gnomo maléfico que vagueia pelo planeta, que anuncia dor e sofrimento, lançando anátemas. Basta, tirem daqui este gnomo, já não aguento… Meus senhores, estamos perante dum novo culto: o culto de Greta Thunberg. Algo extremamente perturbador e que marca um novo ponto ínfimo na decadência da civilização ocidental. Mesmo acreditando que o gás natural que cada um de nós respira milhares de vezes ao dia e que as plantas usam para a fotossíntese acabará como sendo a nossa morte, eu ainda ficaria profundamente perturbado com o uso duma menina, claramente instável do ponto de vista mental, como locutor da agenda ambientalista.

As causas apoiadas por factos incontestáveis ​​não precisam da ajuda de adolescentes enervantes e emocionais para conduzir o discurso. Pelo contrário, uma sociedade racional pode pensar que as meninas adolescentes, enervantes e emocionais, podem ser um obstáculo, pois é provável que elas consigam rebaixar o discurso, abandonando o domínio do racional para trazer emoção e sentimentos.

É claro que é exactamente este o ponto onde estamos agora. Até poucos meses atrás, era perfeitamente possível manter uma posição razoável acerca das mudanças no clima global, encarando tudo não necessariamente como um produto de acções humanas: era possível fazer isso sem sermos considerados indiferente. Agora já não: discordar significa ser tratado como um +perfeito anormal, um louco, um insensível.

Por qual razão aconteceu isso? Porque quem criou a agenda climática considerou intolerável ter uma opinião diferente, razão pela qual decidiram aumentar a aposta, utilizando uma criança para defender a causa. E não apenas uma criança qualquer, mas alguém que tem um histórico de depressão e outras doenças mentais, capaz de fazer apelos extraordinariamente emocionais e “proféticos” ao “mundo”.

Sem dúvida, algumas pessoas são muito más com a pequena Thunberg e sem dúvida ela está a ser submetida a maus-tratos. Afinal, existem muitas pessoas covardes que gostam de ser covardes. Mas vale a pena lembrar que não foi do campo dos chamados “negacionistas de factos” que foi decidiu pôr em campo uma criança: pelo contrário, esta decisão veio daqueles que afirmam ter factos, provas, evidências cientificamente estabelecidas. Por quê? Se a ciência está realmente consolidada e os fatos são realmente incontestáveis, qual a necessidade de utilizar uma garota vulnerável para impulsionar a agenda globalista?

Pessoalmente, tenho medo que a menina Greta, mais cedo ou mais tarde, descobrirá de ter sido explorada por aqueles que considerava seus amigos, aqueles amigos que irão abandona-la uma vez comprida a missão. Greta acabará como uma pergunta nos testes do Trivial Pursuit no prazo de alguns anos e nada mais.

No nível social, tudo isso cheira mal, tem o cheiro desagradável de uma campanha deliberada para deixar as pessoas silenciosamente envergonhadas, explorando uma criança francamente muito perturbada. E o facto de haver pessoas prontas a usar esse tipo de táctica emocional para promover a sua agenda é realmente bastante sinistro, não é um bom presságio. Estamos perigosamente perto de ficar como uma sociedade totalmente governada pela emoção que prevalece sobre a razão, com os resultados observados na crescente incapacidade de grandes grupos de pessoas de aceitar a possibilidade de que outras opiniões que não as suas sejam permitidas.

O antigo Ministro da Economia italiano Giulio Tremonti falou acerca de Greta há poucos dias numa transmissão televisiva. O facto de ter sido Ministro da Economia pouco importa, o que conta é que Tremonti está acostumado a frequentar lugares como Davos ou as reuniões do Grupo Bilderberg. Eis o seu pensamento:

Existem problemas de mudança climática, de poluição, de redesenho da indústria no mundo. Sempre houve mudanças climáticas. Pode-se perguntar por que a Gronelândia é chamada assim. Era verde e ficou cinzenta. As mudanças climáticas fazem parte da história do planeta e da humanidade. Depois, há poluição. Convido a ler a história do clima nos últimos 1000 anos. Uma coisa é a mudança climática, outra é a poluição.

Se alguém pensa que Greta Thunberg é um facto espontâneo e natural, talvez não tenha ideia de qual máquina política e mediática esteja por trás de Greta: um fenómeno complexo, com um investimento de capital extraordinário, a tentativa de redesenhar a estrutura industrial feita com a globalização. A ideia é: não produzir mais onde a mão-de-obra é barata mas os produtos não são comprados e devem ser transferidos poluindo; vamos transferir a produção onde também existem consumidores e isso, de facto, é uma maneira de derrotar a China .

De Greta Thunberg falamos no blog há não muito tempo, tentando explicar quem fica atrás dela. Porque Greta não está sozinha, bem pelo contrário. E vamos ver aquela que está a transformar-se no verdadeiro “treinador” de Greta, a activista climática alemã chamada Luisa-Marie Neubauer. É possível encontrar Luisa-Marie em muitas imagens ao lado da pequena virgem sueca. Acontece que Neubauer é “Embaixadora da Juventude” da fundação ONE, uma organização internacional financiada por George Soros, Bill e Melinda Gates, Bono dos U2 e outros.

De acordo com o site ONE, a organização nasceu nas conversas entre Bill Gates e Bono no início dos anos 2000 sobre a necessidade de informar melhor os americanos acerca da extrema pobreza no mundo. As pessoas envolvidas? George Soros, Bill e Melinda Gates mais Bono dos U2, como vimos, mas há também Bobby Shriver (activista e membro da família Kennedy), Ed Scott (empreendedor, e, obviamente, filantropo) e Bob Geldof (antigo cantante e organizador de eventos como Live Aid e Live 8). Eles criaram uma organização de defesa chamada DATA que focava espalhar as suas mensagens através de celebridades e outras pessoas influentes para solicitar líderes mundiais a agir em problemas específicos de desenvolvimento. Em 2007, as organizações Data e ONE fundiram-se numa só e é daqui que sai Luisa-Marie Neubauer, a treinador de Greta.

Agora, com esta organização, o poder globalista está a colocar a pequena Greta em destaque público para promover uma agenda que de “verde” nada tem. E pouco importa se para alcançar isso é preciso explorar uma adolescente com a Síndrome de Asperger.

 

Ipse dixit.

Fontes: La7, Europe Reloaded

15 Replies to “Greta”

    1. Lamento, Anónimo, mas Wired não fez o trabalho de casa, o blogueiro sim.

      Luise faz parte mesmo da ONE de Soros & C. como confirma o diário alemão Gottinger Tageblatt em dois artigos, entre os quais uma entrevista do ano passado (https://www.goettinger-tageblatt.de/Campus/Goettingen/Warum-geht-mich-das-etwas-an; https://www.goettinger-tageblatt.de/Die-Region/Goettingen/Offener-Brief-aus-Goettingen-gegen-RWE). Cito:

      “Neubauer também é “Embaixador da Juventude” do “One”, fundado em 2004 por músicos como Bono e Bob Geldof. A organização é um grupo de lobby e campanha bipartidário e internacional americano, comprometido com o combate à pobreza extrema e doenças evitáveis, especialmente na África”

      O primeiro dos dois artigos é de 2016 e assim reza:

      “Os dois estudantes de Göttingen, Konstantin Gast e Luisa Neubauer, são embaixadores da juventude no One desde janeiro. No início de junho, os dois participaram de uma conferência em Paris”.

      O mesmo artigo publica também uma fotografia de Luise com a t-shirt e o logo, o mesmo da Fundação ONE de Soros & C. Na página inglesa da ONE é possível ler (https://www.one.org/us/about/):

      “Co-founded by Bono and other activists”.

      Parece-em bastante claro, fala-se aqui da ONE de Bono, Soros & C, não de chineses. Doutro lado, uma das fontes do artigo de Wired (https://www.butac.it/greta-collabora-con-one-campaign-e-quindi/) assim reza:

      “Circula esta descrição – ou similar – nas redes sociais italianas:

      Esta é a gerente da Greta. O seu nome é Neubauer, membro da “One Foundation”, administrada por Bono Vox, Bill Gates e George Soros. Você ainda tem dúvidas?

      As notícias são verdadeiras, o que não está claro é quais dúvidas devemos ter”.

      Portanto, fonte de Wired confirma que Luise é membro da ONE. E é interessante também realçar como a chinesa One Foundation (http://www.onefoundation.cn/) tenha só membros chineses (nem existe uma página em idioma estrangeiro). O que Wired escreve é um falso clamroso.

      Mas a passagem hilariante é sem dúvida esta:

      “E aqui o mistério finalmente é revelado: entre os financiadores da One Campaign, existem os grandes manobradores. Em particular, uma das organizações fundadoras é a Data de Bono Vox, e entre os doadores regulares aparecem os Gates e as Open Society Foundations, fundadas e controladas pelo inevitável George Soros. Sem mencionar algumas outras organizações evangélicas e cristãs. É uma pena, no entanto, que esses links não tenham sido descobertos graças a uma investigação completa, mas estejam claramente indicados na página que contém a lista de todos os financiadores do One Campaign. Em suma, que tipo de conspiração é se tudo estiver escrito em preto e branco no site oficial da organização?”

      Ou seja: se os financiadores aparecem nas folhas do fisco, onde está o problema? Portanto, se os Estados Unidos aparecessem abertamente nos orçamentos do ISIS ou de Al Qaeda não haveria problema, não podemriamos dizer nada. Os EUA financiam Al Qaeda? Então, que conspiração é se tudo for escrtio a preto e branco? Estranho que ninguém em Washington tenha pensado nisso, seria tudo mais simples.

      No entanto, o artigo de Wired não está correcto: a DATA de Bono foi fundada como start up com os fundos da Bill & Melinda Gates Foundation, de George Soros e do empreendedor Edward W. Scott: não se tratou apenas de “ajudinhas” mas da fundação mesmo. É só procurar um pouco na net para encontrar os nomes e as datas.

      Bill Gates e Bill Clinton participaram também como membros fundadores da ONE através da International Medical Corps, enquanto a mesma ONE recebe também fundos da World Concern, financiada pelo governo dos Estados Unidos (USAID).

      Mas, como vimos, o que importa donde vem o dinheiro? Segundo Wired, estes filantropos entregam o dinheiro, depois não estão nada preocupados com o uso que é feito dele. Parece-me fazer todo o sentido.

      Adios!

      1. Obrigada pelo esclarecimento Max. Só enviei esta publicação porque li uma tradução da mesma (num site que pensava ser confiável) logo depois de ler seu artigo e achei interessante lhe mostrar pois tinham informação contraditória. Eu não conheço esta fonte por isso não sabia se era de confiança ou não 🙂 Mas tudo o que você disse em relação ao uso de uma criança desta forma, para estes fins, é verdadeiro, independentemente de quem financia ou intenções.

  1. O nome de Luisa Marie Neubauer está a aparecer por todo o lado, e está definitivamente ligado a Greta.
    Não sei até que ponto é possível manter este esquema da ‘Greta marioneta’, pois a manipulação já começa a ficar muito evidente, mesmo para aqueles cujo cérebro tem um funcionamento precário.

  2. A sério, como é que é possivel acreditar que uma miuda de 16 anos, manda uns bitaites sobre salvar o planeta e de repente PUF, está na sede das nações unidas a discursar para os chefes de estado do mundo inteiro?

    Mesmo sem fazer investigação, isto não cheira imediatamente a esturro?

    O nivel de alienamento é profundo, muitissimo profundo.

  3. Olha Max: decididamente esta Greta não é uma inocente útil. Com 16 anos uma mulher pensa e deve ter uma família que também pensa, mas pensa principalmente em encher os bolsos. Com treinadora ou sem treinadora , esta pessoa que não chamo de criança porque criança não é (pelo menos aqui, e acredito que em qualquer lugar) cumpre um papel vergonhoso e, de verdade está a provar que certos dados científicos, elogiados em prosa e verso, precisam de uma ajudinha propagandística para serem aceitos até pelos mortais comuns.
    Quanto aos dados que mencionei em outro comentário, obtive de cidadão confiável, e considero serem verdadeiros, o que torna mais degradante mulher propaganda.
    Também é absurdo que a alienação geral não se pergunte como uma pessoa comum, de repente vire sensação, até nas Nações Unidas.
    Continuo a ser uma pessoa que observa, simplesmente: quando vim morar aqui havia uma cachoeira muito bonita, visível montanha abaixo dentro da mata. Em 15 anos a água só aparecia quando chovia muito. Hoje resta uma ferida de rocha na montanha onde antes corria água. As pétalas das minhas roseiras queimam ao sol antes de desabrochar plenamente, e isso não acontecia nas primeiras florações. Durante um dia faz calor de 30 graus, frio de 12, o tempo abre e fica totalmente coberto e a chuva não cai. Isso acontece e se intensifica, mas é porque tem um buraco de ozônio bem encima da minha cabeça? É porque a variação climática global está afetando o meu ambiente? Quem diz isso acredita na globalização climática que, tal como a miséria e a ignorância foram globalizadas em função de interesses que naõ são nossos, os simples mortais.
    Considero que estejam ocorrendo desregulações na natureza provocadas pela ânsia de tirar proveito de tudo, sem respeito a nada e ninguém. Muitas alterações foram produzidas pelos mais afortunados nesta área onde vivo como desvio de rios, produção de eletricidade doméstica, casas construídas literalmente sobre os braços de rio para ter piscinas termais naturais dentro de casa, pois aqui em vários terrenos brota água a 40 graus na superfície, muito desmatamento, extinção das madeiras nobres e bichos daqui, tudo isso sem pensar nos outros e na natureza e o apoio dos burocratas cuja atenção depende do valor da propina. É claro que coisas assim desregulam o curso natural da vida num bioma que é um organismo vivo. Tu tiras um pé de um sujeito, ele vai mancar, vai precisar de bengala, ora bolas. É também claro que isso acontece em todo lugar a medida que a humanidade se barbariza. Daí a considerar que a terra inteira esta aquecendo, ou esfriando, ou morrendo em função dos estragos produzidos é a medida eficaz para ficar falando à toa e não fazer nada porque toda ação é local inicialmente, e generalizar o estrago e suas consequências no lombo da manada.

  4. Greta, será abandonada depois de comprida a missão, sabemos isso. Sabemos que desde que as grandes fortunas venderam as acções directamente ligadas ao petróleo um novo paradigma de escravização entrou em curso, Greta é nitidamente vitima de trabalho infantil em prol dos muitos lobbyes verdes e afins, Greta esta a ser levada a um mundo e a um modo de vida que não poderá manter e as repercussões na sua vida pessoal será previsivelmente devastadoras.
    Agora , posso fazer um apelo ao mínimo de juízo e de bom senso ? É uma miúda de 16 anos , vocês já tiveram 16 anos ? ainda se lembram ? Podem acusar o discurso de Greta de ser manipulada, sim é um facto, agora dai até insultar a miúda como se ela não estivesse a ser manipulada e tivesse feito uma opção esclarecida como um adulto é longo caminho sem fundamento, resume-se a isto … é inimputavel ! E Insultar a vitima não me parece uma atitude inteligente nem motivo de informação alternativa, ela tem 16 anos mas vocês não ! ok desta vez não te vou descontar nenhum ponto da carta de bloguista… ” Epá porque o Blog está a recomeçar e tal e lá vem o P. Lopes com aqueles tretas” … Ok desta vez fica assim, mas atenção … Juizo !!! ok ?

    1. Olá P. Lopes!

      Mas de verdade tomou de forma sérias coisas como “gnomo maléfico”?!? Epá, não acredito. Se tivesse intenção de insultar a pequena desgraçada (que significa “vítima de desgraça”), teria utilizado bem outros termos. E no artigo parece bastante claro o facto da criatura estar a ser manipulada: é óbvio que há alguém atrás dela, começando pelos pais que deveriam ser fechados numa cela com a chave atirada para o mar.

      Greta terá um futuro bem mau, esta é uma minha impressão, não um desejo: já agora estão a retirar-lhe o tempo de qualidade exigido com 16 anos de idade. Mas que não seja uma criatura de 16 anos com problemas psicológicos a responsável pelo circo mediático, parece-me bastante óbvio, assim como óbvio é o facto do “culto da Greta” ser uma iniciativa não dela. Greta faz-me pena, e bastante até: mas os insultos são todos para quem está a aproveitar-se dela.

      P. Lopes: – 1 ponto. Juízo!!! 🙂

      1. Esqueci… Lembramos que com 16 anos em alguns Países é possível tirar a carta de condução. Isso é: a sociedade reconhece a capacidade de discernir ao ponto de poder conduzir algo que pode transformar-se em “arma”.

        Como escreve Maria mais acima: “Com 16 anos uma mulher pensa”, o que não está totalmente errado. Por enquanto concedemos o álibi da doença, algo que acredito já pode ter afectado o seu desenvolvimento. E provavelmente está num ambiente que manipula também os seus pontos de vista e a capacidade de discernimento. Mas temos de ter atenção: até quando os álibis poderão ser utilizados? Greta com 30 anos (admitindo que já não tenha sido “descartada”) será ainda uma pobre infeliz que diz disparates porque passou uma má infância?

        Adios!

        1. De facto, com 16 anos pensa… e com 6 também … aos 16 pode-se ter carta de condução… ok … mas a questão de fundo é : Aos 16 anos uma rapariga da Suécia no ano de 2019 tem discernimento e maturidade para se envolver neste tipo de actividade a escala global e ser considerada como uma “mulher” ?
          Meu caro a gravidade do pensamento reside na perversidade de ao , imputar responsabilidades para esta ” menina… jovem etc ” tal significa desculpabilizar em igual percentagem os seus manipuladores , algo que me recuso a aceitar .
          Quanto a intenção de insultar ou não … o preciosismo da ” desgraçada” pode também significar dentro do devido contexto: ” indigente. Que provoca desprezo; que é infame; vil ”
          Greta com 30 anos… ? É futurologia e essa não é “a minha praia” reservo-me a aguardar 14 anos para debater esse tema se ele se impuser.

          Adjö min pojke!

  5. P. Lopes, não seja mausinho: “Desgraçado” de “pessoa quem tem infortúnio, quem tem o destino adverso, que não tem sorte”.

    Mas quero reportar um comentário da página de Facebook de I.I. (comentário que nada tem a ver com P. Lopes, que fique claro):

    “A primitividade deste post revela o grau de inteligência de certos humanoides, manter uma posição razoável acerca das mudanças climáticas já não é exequível como Trump e as grandes petrolíferas nos querem dar a entender”

    Ou seja: criticar Greta, apresentar uma posição fora coro acerca da alterações climáticas, significa automaticamente ser apoiante de Trump e ser escravo das companhias petrolíferas. A coisa engraçada é que esta intervenção foi feita só e exclusivamente para ofender, pois fora do contexto (o assunto do post é Greta) e sem nenhum dado que possa contradizer o que relatado no artigo. Isso demonstra bem quanto por aqui afirmado: estamos perante uma religião, que tem os seus dogmas e não admite “heresias”.

    Eu não sei qual a origem das alterações climáticas, se estas forem causas de origem humana, de qualquer forma induzidas pela nossa presença ou naturais. Não tenho vergonha nenhuma em declarar-me “ignorante” e “confuso” acerca deste assunto Todavia acho ser lícito poder duvidar sem que para isso tenha que ser insultado, sobretudo tendo em conta certas atitudes dos “defensores do clima”, como por exemplo a comprovada falsificação dos dados.

    O que este blog defende e promove é a dúvida como meio lícito de debate. Sem dúvidas e perguntas ainda estaríamos a morar nas cavernas. Isso deveria ensinar algo, não acham?
    “Sim , achamos!” (respondo eu assim é mais rápido).
    Obrigado, sei que posso contar convosco.
    “De nada, és o maior!”.
    Ora, não exageremos…
    “Não, não, és mesmo!”
    Tá bom, se insistirem…
    “Insistimos, viva o Max!”
    Ok, vou ver um pouco de televisão para matar alguns neurónios.

  6. Entendo a facilidade de manipular as pessoas através dos sentimentos, porém discordo que nossa sociedade atual careça de emoções, acredito até que o predomínio da razão nos levou ao sistema vigente (que é o mesmo desde os Romanos, porém actualizado) da forma que é. Dito isto e vivendo o que vivemos todos os dias dentro dessa maravilhosa máquina, há de perguntar-se: quão mal seria se hoje nos voltassemos aos valores emocionais e principalmente trabalhando a inteligência emocional?

    Max, há coisas más, porém só quando se olha a janela histórica e não a história como um todo. Acredito que, analisando a história humana, é bastante claro que “o mal trabalha para o bem”. Abraços meu amigo.

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: