Julian Assange preso

O tempo de leitura estimado deste artigo é de 4 minutos

A polícia inglesa entra na Embaixada equadorenha para capturar um cidadão australiano com base numa queixa dos Estados Unidos. Dava um bom livro. Mas é realidade: Julian Assange foi preso após ter gozado desde o ano de 2012 do estatuto de preso político. Cereja no topo do bolo: foi entregue pelo Presidente socialista do Equador. Viva la revolución!

Nunca fui um grande fã de Assange. Não sei, mas algo não me tira da cabeça que há algo entre ele e a CIA. Será porque os verdadeiros inimigos do Federal Boreau of Investigation costumam ter uma vida bem mais curta daquela de Assange. A não ser que fujam para a Rússia, tal como fez o bom Edward Snowden. A propósito: refugiar-se na Embaixada do Equador? E porque não naquela de outra potência equivalente, como a Embaixada de Tuvalu ou do Lichtenstein? Seja como for, Assange agora está preso e não será extraditado para a Suécia, pois a queixa de violência sexual já foi retirada e arquivada em 2017. Por esta razão, o fundador do WikiLeaks arrisca uma sentença mínima (alguns meses), porque tem que responder de violação da liberdade sob fiança. Os problemas podem vir depois.

Nos Estados Unidos, desde 2010, há uma investigação do Grande Júri de Alexandria (na Virgínia) e, em Novembro passado, as autoridades americanas inadvertidamente revelaram que há um mandado secreto para a captura de Assange. Segundo o seu advogado, Assange “foi preso em conexão com um pedido de extradição dos Estados Unidos”, com base na Lei de Espionagem de 1917: uma lei com penas previstas entre 20 anos de prisão e a pena de morte.

Extradição em vista? Aqui surgem alguns problemas.

O Equador acaba de violar o princípio da “não entrega” duma pessoa que pediu o asilo político, um princípio fundamental de protecção dos direitos humanos consagrado no direito internacional. O Equador acaba de violar o parecer 54/2015 do Grupo de Trabalho das Nações Unidas sobre Detenções Arbitrárias. E também o parecer OC-25/2019 da Corte Interamericana de Direitos Humanos. E a resolução MC-54-19 da CIDH de Março de 2019, que obriga o Equador a “não deportar, restituir, expulsar, extraditar” Assange da Embaixada.

Por qual razão o camarada Moreno entregou Assange? Fontes próximas de Quito afirmam que tudo tem um preço e o preço da traição parece ter sido muito elevado. Alguém uma vez disse que todas as cidades eram expugnáveis desde que houvesse um trilho onde fazer passar um burro carregado de ouro. Pelo visto, em Quito os trilhos não devem faltar. Muito provável que o novo empréstimo solicitado ao Fundo Monetário Internacional chegue rapidamente e com uma taxa de juros bem simpática.

Depois: Assange foi preso graças ao Mandato Europeu de Captura, pelo qual uma pessoa pode ser acusada no estrangeiro de um crime cometido em outro País, e o País onde reside deve extraditá-lo sem verificar a validade das acusações. O triunfo do Direito.

Agora será a justiça inglesa que terá de lidar como o status de preso político caso os Estados Unidos peçam a extradição. Nada que o poder anglo-americano não possa tranquilamente ignorar. A mensagem que o Ocidente quer fazer passar é simples: querem provar que no nosso sistema totalitário ninguém pode confiar em coisas como protecção ou imunidade. É uma prova de força, nada mais do que isso.

Para já o Ministro das Relações Exteriores britânico, Jeremy Hunt afirma que “Julian Assange não é um herói e ninguém está acima da lei, ele escondeu a verdade por anos”. O chefe da diplomacia britânica agradeceu o Presidente ecuadorenho “pela cooperação com o Ministério das Relações Exteriores para garantir que Assange enfrente a justiça”.

Ainda é cedo para saber qual caminho irá tomar este caso. Se é provável que prevaleça a vontade de Washington, também pode ser que uma parte da opinião pública (pelo menos aquela parte não totalmente infantilizada) consiga esboçar uma qualquer reacção. A ver vamos.

O que fica, vale a pena lembra-lo mais uma vez, é a força esmagadora deste sistema totalitário, que atropela qualquer lei, que não deixa possibilidade de fuga (a não ser na Rússia), que pode contar com a ajuda de fieis servos espalhados pelo mundo todo. Mais do que com WikiLeaks, pode ser que o maior sucesso de Assange em mostrar o verdadeiro rosto do poder tenha começado hoje e prossiga nos próximos meses.

Nota final: foi um Presidente dos EUA, Woodrow Wilson, a declarar em 1920 que os secretos de Estado não deveriam mais existir. E foi a Grã-Bretanha que inventou o habeas corpus, segundo o qual ninguém pode ser enviado para uma detenção sem que, em primeiro lugar, haja elementos certos da acusação. Mas esta é História, coisa aborrecida e, como podemos observar, soberbamente inútil.

 

Ipse dixit.

6 Replies to “Julian Assange preso”

  1. Os dois artigos últimos de II poderiam juntos levar o título de “boletim do fim do mundo”. E são o fim declarado do mundo que os adultos de hoje imaginávamos existir. A rápida circulação de “bombas” informativas destroem aquele mundo guardado por leis, por tratados internacionais, por regimes definidos de governo, por políticas de Estado… Não que fosse diferente antes, mas havia alguma reação, alguma intranquilidade, alguma sensibilidade discordante. As “bombas” normalizaram e apaziguaram tudo sob o manto do que há de mais poderoso e predominante: o sistema. Tudo que acontece é demanda do sistema, e ele paira inexpugnável, acima de tudo e todos. As bombas do sistema são nomeadas por vontade deste ou daquele deus, conspiração, guerra, neoliberalismo financeiro, fascismo, direita x esquerda, imperialismo, globalização, mas sempre o sistema.
    Nós, brasileiros, nos integramos ao sistema de uma forma tipicamente brasileira: autoritarismo subalterno. Ele está nas nossas raízes, visibilizada pela figura do capanga (centro oeste), jagunço (nordeste-norte), capataz (sul-sudeste), milícia (grandes centros urbanos), segurança privada (grupos privilegiados), faxina (manicômios), disciplina (prisões). Esses já milhões mandam maiorias, mas precisam ser dirigidos por minorias internas ou externas do país. E finalmente temos um presidente que é a expressão máxima do autoritarismo subalterno. Esqueçam essas formas repetidas aqui e ali. Somos criativos, autênticos e fiéis às nossas raízes. E perfeitamente integrados ao sistema.

  2. Realmente é um a seguir a outro quanto ao da “auto-nomeada por os proprios para os proprios de terra prometida” e para fanaticos “só nossa” qualquer semelhança com o apartheid é puro delirio, nem vale a pena perder tempo, é o que se tem visto é mais o 51 estado que Porto Rico.(mas naquele pedaço de terra nunca se cumprem nada acordos, como que por milagre leis ou direito internacional e ONU e outras organizações internacionais tambem com pactos, acordos,…que não cumprem e fazem vista grossa, fosse outro a fazer metade, ou um quarto nem imagino a reação de vários tipos).

    Quanto ao Assange estou como o teu conhecido reporter italiano, aliás quem ajudou o Snowden a ir para onde foi?
    Aliás nunca esqucer a “vergonha” que se passou em Viena no avião do Morales, são “quase todos” seguidores de ordens “superiores”.
    Quem através da wikileaks entre outras coisas são 80GB+. Merkel espiada – confirmado, no país do Inté a petro e a presidente igualmente, é só a parte mais soft, mas Libia, Afeganistão(heroina para sustentação da situação no terreno) e enchia-se com muito mais, com coisas/assuntos mais “delicados como banca, processos estranhos, leis invertidas etc…” mas muito mais, aliás “cabos” que se provaram ser verdade, quando existiu vontade de investigar. Para agente da CIA assim como para um subcontratado da NSA não está nada mal.
    O que o Lorde farquad(do Shrek): “Jeremy Hunt afirma que “Julian Assange não é um herói e ninguém está acima da lei, ele escondeu a verdade por anos”.” Sim as acusções prescritas e admitidamente falsas pelas supostas vitimas, estar enfiado numa pequena embaixada até o Corrrea(na Bélgica se volta é acusado de algo, e inventa-se, se as atuais não pegarem). Alias esse tal de Lenine Moreno está tambêm com processos na terra dele? Isso não interessa
    Como?! anda tudo doido? Não existe noção do ridiculo, quem é que esconde?
    Ou lord of the rings é imbecil ou imbeciliza ou acha que está tudo ao seu nivel = imbecil e pior hipócrita.
    A tal de democracia está levar pancada até definhar, ou isto daqui por uns tempos leva um rumo diferente(não existe material de jeito a nivel sapiens nos vários poderes atualmente, basta comparar com decadas passadas) ou quando acordarem é tarde demais.

    fui

    n

  3. E cá no Brasil, o PT, hein?
    Com sua propaganda & publicidade, ininterrupta!
    É o Leviatã da Propaganda Petista (e, também, do Petismo),

    certo?

    Ao estilo de “A Cerveja que Desce RedondO”?

    “Muito engana-me, que eu compro”

    Eis:
    Vive o PT© de clichês publicitários bem elaborados por

    marqueteiros.
    Nada espontâneo.
    Mas apenas um frio slogan (tal qual “Danoninho© Vale por Um

    Bifinho”/Ou: “Fiat® Touro: Brutalmente Lindo”). Não tem

    nada a ver com um projeto de Nação.

    Eis aqui a superficialidade do PETISMO:

    0.
    “Coração Valente©”
    1.
    “Pátria Educadora©” [Buá; Buá; Buá].
    2.
    “Controle social da mídia” (hi! hi! hi!): desejo do

    petismo.
    3.
    “A Copa das Copas®”
    4.
    “Fica Querida©”
    5.
    “Impeachment Sem Crime é Golpe©” [lol lol lol]
    6.
    “Foi Golpe®”
    7.
    “Fora Temer©”
    8.
    “Ocupa Tudo®”
    9.
    “Lula Livre®”
    10.
    “®eleição sem Lula é fraude” [kuá!, kuá!, kuá!].
    11.
    “O Brasil Feliz de Novo®”
    12.
    “Lula é Haddad Haddad é Lula®” [kkkk]
    13.
    “Ele não®”.
    14.
    “Haddad agora é verde-amarelo ®” [rsrsrs].
    15.
    “LUZ PARA TODOS©” (KKKKK).
    16. (…e agora…):
    “Ninguém Solta a Mão de Ninguém ©”

    17.
    “SKOL®: a Cerveja que desce RedondO”.

    PT© é vigarista e Ersatz
    .
    Vive de ótimos e CALCULADOS mitos publicitários.

    É o tal de: “me engana que eu compro”.

  4. O Sr. Batista deve ter batido com a cabeça em algum poste de iluminação.
    Recomendo vivamente uma visita urgente ao médico.
    Isso ou o vinho estava estragado.

    1. Não dá, volta e meia faz o copiar e colar, o problema dele não é bater com a cabeça num poste, é alem de ser repetitivo, nem ter diálogo, e é sempre a mesma coisa, pois não tem conversa (enguliu aquilo e não sai mais nada). Chegou meteu o negócio que copiou da rede social e fica feliz assim.

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: