Bilderberg 2018: a lista e o programa

O tempo de leitura estimado deste artigo é de 7 minutos

Pontual como a migração dos salmões, eis que chega a reunião dos Bilderberg. O lugar é Torino, Italia, entre os dias 7 e 10 deste mês (de amanhã até Domingo).

MC Henri

O Mestre de Cerimónia será Henri de Castries, francês, do Institut Montaigne: este é um think tank com sede em Paris (França), no-profit, cujos recursos financeiros são assegurado por nomes como ABB France, Air France-KLM, Airbus, Allianz, AXA, Bank of America Merrill Lynch, BNP Paribas, Carrefour, Cisco Systems France, Crédit Agricole, Eurostar, Groupe Edmond de Rothschild, Groupe Orange, HSBC France, IBM France, ING Bank France, Michelin, Microsoft France, Nestlé France, Renault, Roche, Rothschild & Cie Banque, Schneider Electric, Solvay, Total S.A., UBS France, Vivendi. E estes são apenas os amiguinhos do Mestre de Cerimónia…

Os participantes

Esta a lista completa dos participantes: estão evidenciados os convidados lusófonos (três portugueses).

Achleitner, Paul M. (DEU), Chairman Supervisory Board, Deutsche Bank AG; Treasurer, Foundation Bilderberg Meetings

Agius, Marcus (GBR), Chairman, PA Consulting Group

Alesina, Alberto (ITA), Nathaniel Ropes Professor of Economics, Harvard University

Altman, Roger C. (USA), Founder and Senior Chairman, Evercore

Amorim, Paula (PRT), Chairman, Américo Amorim Group

Anglade, Dominique (CAN), Deputy Premier of Quebec; Minister of Economy, Science and Innovation

Applebaum, Anne (POL), Columnist, Washington Post; Professor of Practice, London School of Economics

Azoulay, Audrey (INT), Director-General, UNESCO

Baker, James H. (USA), Director, Office of Net Assessment, Office of the Secretary of Defense

Barbizet, Patricia (FRA), President, Temaris & Associés

Barroso, José M. Durão (PRT), Chairman, Goldman Sachs International; Former President, European Commission

Beerli, Christine (CHE), Former Vice-President, International Committee of the Red Cross

Berx, Cathy (BEL), Governor, Province of Antwerp

Beurden, Ben van (NLD), CEO, Royal Dutch Shell plc

Blanquer, Jean-Michel (FRA), Minister of National Education, Youth and Community Life

Botín, Ana P. (ESP), Group Executive Chairman, Banco Santander

Bouverot, Anne (FRA), Board Member; Former CEO, Morpho

Brandtzæg, Svein Richard (NOR), President and CEO, Norsk Hydro ASA

Brende, Børge (INT), President, World Economic Forum

Brennan, Eamonn (IRL), Director General, Eurocontrol

Brnabic, Ana (SRB), Prime Minister

Burns, William J. (USA), President, Carnegie Endowment for International Peace

Burwell, Sylvia M. (USA), President, American University

Caracciolo, Lucio (ITA), Editor-in-Chief, Limes

Carney, Mark J. (GBR), Governor, Bank of England

Castries, Henri de (FRA), Chairman, Institut Montaigne; Chairman, Steering Committee Bilderberg Meetings

Cattaneo, Elena (ITA), Director, Laboratory of Stem Cell Biology, University of Milan

Cazeneuve, Bernard (FRA), Partner, August Debouzy; Former Prime Minister

Cebrián, Juan Luis (ESP), Executive Chairman, El País

Champagne, François-Philippe (CAN), Minister of International Trade

Cohen, Jared (USA), Founder and CEO, Jigsaw at Alphabet Inc.

Colao, Vittorio (ITA), CEO, Vodafone Group

Cook, Charles (USA), Political Analyst, The Cook Political Report

Dagdeviren, Canan (TUR), Assistant Professor, MIT Media Lab

Donohoe, Paschal (IRL), Minister for Finance, Public Expenditure and Reform

Döpfner, Mathias (DEU), Chairman and CEO, Axel Springer SE

Ecker, Andrea (AUT), Secretary General, Office Federal President of Austria

Elkann, John (ITA), Chairman, Fiat Chrysler Automobiles

Émié, Bernard (FRA), Director General, Ministry of the Armed Forces

Enders, Thomas (DEU), CEO, Airbus SE

Fallows, James (USA), Writer and Journalist

Ferguson, Jr., Roger W. (USA), President and CEO, TIAA

Ferguson, Niall (USA), Milbank Family Senior Fellow, Hoover Institution, Stanford University

Fischer, Stanley (USA), Former Vice-Chairman, Federal Reserve; Former Governor, Bank of Israel

Gilvary, Brian (GBR), Group CFO, BP plc

Goldstein, Rebecca (USA), Visiting Professor, New York University

Gruber, Lilli (ITA), Editor-in-Chief and Anchor “Otto e mezzo”, La7 TV

Hajdarowicz, Greg (POL), Founder and President, Gremi International Sarl

Halberstadt, Victor (NLD), Professor of Economics, Leiden University; Chairman Foundation Bilderberg Meetings

Hassabis, Demis (GBR), Co-Founder and CEO, DeepMind

Hedegaard, Connie (DNK), Chair, KR Foundation; Former European Commissioner

Helgesen, Vidar (NOR), Ambassador for the Ocean

Herlin, Antti (FIN), Chairman, KONE Corporation

Hickenlooper, John (USA), Governor of Colorado

Hobson, Mellody (USA), President, Ariel Investments LLC

Hodgson, Christine (GBR), Chairman, Capgemini UK plc

Hoffman, Reid (USA), Co-Founder, LinkedIn; Partner, Greylock Partners

Horowitz, Michael C. (USA), Professor of Political Science, University of Pennsylvania

Hwang, Tim (USA), Director, Harvard-MIT Ethics and Governance of AI Initiative

Ischinger, Wolfgang (INT), Chairman, Munich Security Conference

Jacobs, Kenneth M. (USA), Chairman and CEO, Lazard

Kaag, Sigrid (NLD), Minister for Foreign Trade and Development Cooperation

Karp, Alex (USA), CEO, Palantir Technologies

Kissinger, Henry A. (USA), Chairman, Kissinger Associates Inc.

Knot, Klaas H.W. (NLD), President, De Nederlandsche Bank

Koç, Ömer M. (TUR), Chairman, Koç Holding A.S.

Köcher, Renate (DEU), Managing Director, Allensbach Institute for Public Opinion Research

Kotkin, Stephen (USA), Professor in History and International Affairs, Princeton University

Kragic, Danica (SWE), Professor, School of Computer Science and Communication, KTH

Kravis, Henry R. (USA), Co-Chairman and Co-CEO, KKR

Kravis, Marie-Josée (USA), Senior Fellow, Hudson Institute; President, American Friends of Bilderberg

Kudelski, André (CHE), Chairman and CEO, Kudelski Group

Lepomäki, Elina (FIN), MP, National Coalition Party

Leyen, Ursula von der (DEU), Federal Minster of Defence

Leysen, Thomas (BEL), Chairman, KBC Group

Makan, Divesh (USA), CEO, ICONIQ Capital

Massolo, Giampiero (ITA), Chairman, Fincantieri Spa.; President, ISPI

Mazzucato, Mariana (ITA), Professor in the Economics of Innovation and Public Value, University College London

Mead, Walter Russell (USA), Distinguished Fellow, Hudson Institute

Michel, Charles (BEL), Prime Minister

Micklethwait, John (USA), Editor-in-Chief, Bloomberg LP

Minton Beddoes, Zanny (GBR), Editor-in-Chief, The Economist

Mitsotakis, Kyriakos (GRC), President, New Democracy Party

Mota, Isabel (PRT), President, Calouste Gulbenkian Foundation

Moyo, Dambisa F. (USA), Global Economist and Author

Mundie, Craig J. (USA), President, Mundie & Associates

Neven, Hartmut (USA), Director of Engineering, Google Inc.

Noonan, Peggy (USA), Author and Columnist, The Wall Street Journal

Oettinger, Günther H. (INT), Commissioner for Budget & Human Resources, European Commission

O’Leary, Michael (IRL), CEO, Ryanair D.A.C.

O’Neill, Onora (GBR), Emeritus Honorary Professor in Philosophy, University of Cambridge

Osborne, George (GBR), Editor, London Evening Standard

Özkan, Behlül (TUR), Associate Professor in International Relations, Marmara University

Papalexopoulos, Dimitri (GRC), CEO, Titan Cement Company S.A.

Parolin, H.E. Pietro (VAT), Cardinal and Secretary of State

Patino, Bruno (FRA), Chief Content Officer, Arte France TV

Petraeus, David H. (USA), Chairman, KKR Global Institute

Pichette, Patrick (CAN), General Partner, iNovia Capital

Pouyanné, Patrick (FRA), Chairman and CEO, Total S.A.

Pring, Benjamin (USA), Co-Founder and Managing Director, Center for the Future of Work

Rankka, Maria (SWE), CEO, Stockholm Chamber of Commerce

Ratas, Jüri (EST), Prime Minister

Rendi-Wagner, Pamela (AUT), MP (SPÖ); Former Minister of Health

Rivera Díaz, Albert (ESP), President, Ciudadanos Party

Rossi, Salvatore (ITA), Senior Deputy Governor, Bank of Italy

Rubesa, Baiba A. (LVA), CEO, RB Rail AS

Rubin, Robert E. (USA), Co-Chairman Emeritus, Council on Foreign Relations; Former Treasury Secretary

Rudd, Amber (GBR), MP; Former Secretary of State, Home Department

Rutte, Mark (NLD), Prime Minister

Sabia, Michael (CAN), President and CEO, Caisse de dépôt et placement du Québec

Sadjadpour, Karim (USA), Senior Fellow, Carnegie Endowment for International Peace

Sáenz de Santamaría, Soraya (ESP), Deputy Prime Minister

Sawers, John (GBR), Chairman and Partner, Macro Advisory Partners

Schadlow, Nadia (USA), Former Deputy National Security Advisor for Strategy

Schneider-Ammann, Johann N. (CHE), Federal Councillor

Scholten, Rudolf (AUT), President, Bruno Kreisky Forum for International Dialogue

Sikorski, Radoslaw (POL), Senior Fellow, Harvard University; Former Minister of Foreign Affairs, Poland

Simsek, Mehmet (TUR), Deputy Prime Minister

Skartveit, Hanne (NOR), Political Editor, Verdens Gang

Stoltenberg, Jens (INT), Secretary General, NATO

Summers, Lawrence H. (USA), Charles W. Eliot University Professor, Harvard University

Thiel, Peter (USA), President, Thiel Capital

Topsøe, Jakob Haldor (DNK), Chairman, Haldor Topsøe Holding A/S

Turpin, Matthew (USA), Director for China, National Security Council

Wahlroos, Björn (FIN), Chairman, Sampo Group, Nordea Bank, UPM-Kymmene Corporation

Wallenberg, Marcus (SWE), Chairman, Skandinaviska Enskilda Banken AB

Woods, Ngaire (GBR), Dean, Blavatnik School of Government, Oxford University

Yetkin, Murat (TUR), Editor-in-chief, Hürriyet Daily News

Zeiler, Gerhard (AUT), President, Turner International

O programa

Quinta-feira

  • manhã: chegada no hotel, oferta de pequeno almoço com café e nº 1 croissant.
  • tarde: tarde livre.

Sexta -feira

  • manhã: tour com visita da Catredal onde será possível admirar o Sudário de Turin. Almoço no restaurante típico “Mario o Sujão”.
  • tarde: conferẽncia sobre o tema: “Somos mãus, somos terríveis, somos os donos do Mundo” que contará com o testemunho de Lynn Forester de Rothschild e do Bispo Edir Macedo.

Sábado

  • manhã: apresentação da empresa Nonni & Bimbi, especializada em produtos para a terceira idade. Almoço no restaurante típico “As sobras de Mario o Sujão”.
  • tarde: visita ao Museu da Fiat e espectáculo musical com os cantos típicos do Vale de Susa.

Domingo

  • manhã: visita ao Palazzo Reale e ao Castello del Valentino. Almoço ao ar livre com comida de farnel.
  • tarde: conferência sobre os temas: “Somos verdadeiramente maus, somos os donos disso tudo” e “Porque todos confundem judeus, sionistas e hebraicos?”. Fim dos trabalhos.

Todos os participantes receberão 1kg. de presunto de Parma, 1 garrafa de vinho Barolo DOP e um simpático presente-surpresa.

Nota: enquanto as datas e a lista dos participantes foram obtidos no site oficial do Grupo Bilderberg, o programa é a extrapolação fruto duma atenta análise histórica e factual. 

 

Ipse dixit.

Fonte: Bilderberg Group

20 Replies to “Bilderberg 2018: a lista e o programa”

    1. Lolololololol… Benjamim Freedman significa atrair outra semana de comentários antissemitas, de conspirações mundiais para dominar o planeta e o Sistema Solar todo (Sistema Solar = SS, se acham um acaso…). Hoje não é possível (nem vou poder publicar algo provavelmente), mas na Sexta vamos ao ataque dos hebreus com o discurso de Benjamim Franklin, fundador duma das 12 tribos de israel e inventor do pára-raios.

      Grande abraçoooooo!!!!

      1. Uhi, não, ia esquecendo: não posso, tenho medo dos hebreus, dos farmacêuticos e das aranhas! Na Sexta o tema será: “Tomem os comprimidos e honrem a Estrela de David” 🙂

      2. As pessoas “aprendem” até mesmo em acreditar em papais noéis, e são as mesmas que desprezam o funcionamento conspiratório das minorias dominantes. Engraçado…pq será? Algum tipo de negação? Ou desonestidade existencial?

        1. Chaplin, não acredito que o Max não seja tão ingénuo.
          Esta preocupação em branquear o Judaísmo Talmúdico que corroi as nações não será inocente.

          1. Obviamente caro anonimo Junho 7, 2018 às 19:18

            Ja se fala inclusive que o nosso caro blogueiro se mudou para o lado negro da força. O Max vendeu-se e actualmente e um agente sionista ao serviço da judaria supremacista

    2. O típico discurso anglo-sionista.

      Porém, é extremamente interessante todo este discurso de Benjamim Freedman, que merece ser analisado, sendo ao mesmo tempo um elemento fulcral para a análise da História devido ao seu conteúdo e acusações nele feitas.

      Após ler este discurso proferido por Benjamim Freedman, ficamos a saber que o regime da Inglaterra e os Estados Unidos da América (EUA), foram enganados (que horror), vítimas de uma malvada patranha elaborada pelos praticantes da religião judaica que são os maus, contra os ingleses e os americanos (os bons), que no fundo estavam ali de boa vontade, e isso não se faz, é muito feio.

      1. Cuidemos do dualismo alienante. Processos de dominação/poder não enxergam simplesmente bons ou maus. O discurso do Freedman é por demais proveitoso, mas apenas uma fração do processo histórico que envolve os judeus, até mesmo anterior a conversão dos cazares (futuros judeus asquenazes ou brancos). Um dos pontos mais interessantes é a desmistificação dos judeus europeus como semitas. Fica claro o quanto as governanças fantoches dos países são manipuladas por 1 poder maior. O que Freedman não aborda são os conflitos desde a Rev. Francesa entre as grandes potencias europeias que iriam desembocar na 1ª Guerra Mundial.

  1. Bilberberg & Governo mundial… e porque não mencionar o Neoliberalismo, seu braço político mais visível?

    ————————
    [Trechos traduzidos do Zero Hedge – 06/06/18]
    [n.p. = nota pessoal]

    Os Secretos Bilberbergs Estão Preocupados com o Populismo e a Hegemonia dos EUA em um Mundo “Pós-Verdade”

    (…) “A conferência é um fórum para discussões informais sobre os principais problemas enfrentados pelo mundo. As reuniões são realizadas sob a Regra de Chatham House, que declara que os participantes são livres para usar as informações recebidas, mas nem a identidade nem a afiliação do falante nem qualquer outro participante pode ser revelado “.

    “Os participantes não estão vinculados às convenções de seus cargos ou a posições pré-acordadas”, afirmam os organizadores. “Como tal, eles podem ter tempo para escutar, refletir e coletar insights. Não há resultado desejado, nenhuma ata é tomada e nenhum relatório é escrito. Além disso, nenhuma resolução é proposta, nenhum voto é dado e nenhuma declaração de política é emitida. ”

    Em outras palavras – uma orgia de acordos paralelos e planos mestres …

    E se você ainda acha que isso é tudo uma loucura teórica da conspiração e que, de fato, essas elites estão se reunindo para discutir o que é do seu interesse, simplesmente ouça o que um membro de 39 anos do Comitê Diretivo tinha a dizer sobre um de seus principais objetivos.

    Embora a grande mídia habitualmente desconsidere Bilderberg como uma mera “conversa fiada” sem poder real, existem inúmeros exemplos do grupo exercendo sua influência sobre os assuntos mundiais.

    Em 2009, o presidente do Bilderberg, Étienne Davignon, até se gabou de que a moeda única do euro era uma ideia do Grupo Bilderberg. (…)

    Em 2010, o ex-secretário-geral da OTAN e membro do Bilderberg, Willy Claes, admitiu que os participantes do Bilderberg são mandatados para implementar decisões que são formuladas durante a conferência anual de corretores de poder. Se este for o caso, violaria as leis em vários países que proíbem políticos de serem influenciados por agentes estrangeiros em segredo.

    Embora os membros, em geral, não discutam o que acontece em suas conferências, o deputado trabalhista e ex-vice-líder partidário Denis Healey, membro do comitê de direção há mais de 30 anos, ofereceu uma declaração clara de suas intenções quando questionado pelo jornalista Jon Ronson por seu livro Them in 2001:

    “Dizer que estamos nos esforçando para um governo mundial(!!) é exagerado, mas não totalmente injusto”, disse ele. “Aqueles de nós em Bilderberg sentiram que não poderíamos (n.p: quem?) continuar lutando para sempre uns contra outros por nada (n.p: nada = sem lucro) e matando pessoas e deixando milhões de desabrigados. Por isso, sentimos que uma única comunidade (n.p: comunidade = Mercado com Estados fracos) em todo o mundo seria uma coisa boa (n.p: boa = lucrativa para o grupo) ”.

    1. e verdade , e verdade

      Os chinesinhos estao em toda a parte. Ainda ontem vi uma fotografia do tempo dos dinossauros e com dinossauros e ja la estava um chinesinho abracado aos dinossauros. So prova que que os chinesinhos sao agentes judeus sionistas ainda mesmo antes dos judeus sionitas existirem …ja vem desde a epoca dos dinossauros. Ha inclusivamente uma teoria que os dinossauros foram a primeira tentativa para a dominaçºao global total mas como nao eram bons a fazer contas para gerir o teu deus dinheiro tiveram de ser extintos pelos grandes dominadores que deixaram ficar os chinesinhos

            1. Finalmente admites que es charlatao
              Es um ser reles, imbecil, burro, que se esconde na obscuridade, cheio de odio e rancor e que é desprezado onde quer que diga ou escreva algo. Dai passaste a utilizar aquilo que em psicologia
              chama-se de projeção que é um mecanismo de defesa no qual os atributos pessoais de determinado indivíduo, sejam pensamentos inaceitáveis ou indesejados, sejam emoções de qualquer espécie, são atribuídos a outra(s) pessoa(s). De acordo com Tavris Wade, a Projeção Psicológica ocorre quando os sentimentos ameaçados ou inaceitáveis de determinada pessoa são reprimidos e, então, projetados em alguém ou algo. A projeção psicológica reduz a ansiedade por permitir a expressão de impulsos inconscientes, indesejados ou não, fazendo com que a mente consciente não os reconheça. Um exemplo de tal comportamento pode ser o de culpar determinado indivíduo por um fracasso próprio. Em tal caso, a mente evita o desconforto da admissão consciente da falta cometida, mantém os sentimentos no inconsciente e projeta, assim, as falhas em outra(s) pessoa(s) ou algo.
              Falas de forma vaga e ambigua na esperança que os outros te intrepretem como alguem culto quando na realidade so fazes aproveitar-te da falta de conhecimento dos outros, mas quando confrontado por alguem que reduz a cinzas a tua pseudo-retorica e pseudo-argumentos infantis passas a ofensa basica pensado erradamente que do outro lado as tuas palavras terão o minimo efeito e que te sentiras superior quando na realidade nem as tuas palavras causam efeito nem te sentes melhor, antes pelo contrario apenas te sentes mais miseravel. Trata-te , pois sofres de varias patologias graves. Mas se quiseres ser esmagado, totalmente ridicularizado, sentires a tua auto-estima no esgoto, absolutamente cilindrado, ca estou eu para isso porque seres da mais baixa categoria como tu é o que merecem… Neste momento estas a explodir de furia, mas contem-a , pensa no que iras escrever, mas quanto mais pensas mais irritado ficas , sim.. agora estas a tentar nega-lo mas agora ja estas furioso de novo o teu dia nao esta a correr bem na realidade ja esta estragago por mim.

              1. E e se ser charlatão é pensar e mostrar fatos independentemente do arcabouço doutrinário acadêmico, me orgulho de se-lo.

  2. Pobre infeliz. Se te satisfaz limitar-se a tentar me denegrir (e sei qual tuas motivações)…siga teu caminho, pois não terás minha troca. Mas te deixarei algo para refletires, se fores capaz: NADA MATA MAIS DO QUE A CONSPIRAÇÃO, E DESDENHA-LA É IGUALMENTE CONSPIRAR.

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: