O Leitor (na rádio!) e o rabbi

O tempo de leitura estimado deste artigo é de 2 minutos

Podem não conhecer o pseudónimo Grazia Tanta, mas ficam a saber que é um Leitor que costuma enviar-me com regularidade toneladas de documentos. Que leio sempre com interesse. E o que fez Grazia Tanta? Decidiu falar na RTP 1, a rádio nacional portuguesa: o assunto é a Palestina.

Boa Vítor. E obrigado, não apenas pelos documentos como também por partilhar esta experiência muito bem sucedida. Acerca do vídeo do rabbi Shapiro, encontrei este mas não sei se é o mesmo que Vítor tinha em mente:



As partes mais importantes:

O Presidente Trump tem o direito de tomar qualquer política que deseja […] mas quando fala de religião então é o meu território. Não há absolutamente nenhum relacionamento político entre o povo judaico e Jerusalém que é apenas uma cidade santa. O povo judeu não tem uma capital, nunca teve: os Países têm capitais, os Estados têm capitais. Esta é a definição de “capital”: “a mais importante cidade dum País ou região”. O povo judeu não é um País e nem e região. O povo judeu é uma comunidade religiosa.  Nós rezamos em Jerusalém só porque Jerusalém é uma cidade sagrada, não a capital política do povo judaico. […] É importante entender que foram os sionistas a começar esta história da “capital do povo judaico” e é uma ideia que entra directamente em conflito com os ensinos do judaismo. […] O povo judaico não é um povo por causa da terra, por causa da língua ou por causa da cultura: somos uma religião. Não temos terra, territórios, não temos capital e, de facto, os nossos comentadores afirmam que a razão pela qual Deus deu a Torah ao judeus no deserto antes de chegar à Terra Santa foi para ensinar-lhes que terras e Países não têm nada a ver com o facto de ser judeu. És judeu porque aceitas a religião.

Para acabar, eis uma imagem:

Este na fotografia é Fai Abu Salah, que perdeu as pernas no bombardeio israelita de 2014. Fai Abu Salah era uma figura comovente e característica na vanguarda das lutas contra as escondidas nas trincheiras. E deve ter sido sem dúvida muito perigoso, pois Fai foi morto ontem tal como aconteceu com outros 57 manifestante (mais de 2700 os feridos). A maneira sionista de celebrar a mudança da embaixada dos EUA em Jerusalém.

Ipse dixit.

11 Replies to “O Leitor (na rádio!) e o rabbi”

  1. Quem tem mais poder não aparece, não tem nome. Os judeus ricos são invisíveis ao cidadão comum, aqueles "informados" pelos meios de comunicação. Na verdade pouca gente sabe que são eles que possuem os bancos, que manejam as finanças internacionais, são os maiores acionistas das maiores corporações e, concorrendo com o Vaticano possuem o ouro e os diamantes do mundo.Conversando com uma senhora de descendência judaica, que mora por aqui, (ela, relativamente pobre porque "ovelha negra" de uma família riquíssima, dona de órgãos de comunicação de alcance nacional, como era de se esperar) me afirma com toda convicção que seus dois filhos são perseguidos na escola porque naturalmente, sendo judeus, são mais inteligentes. "Isso que a maioria não sabe que somos judeus", afirma ela. Vejam que a invisibilidade perpassa o dito povo, independente da classe social…e isso é um grande trunfo.
    Mas o fato de manterem o maior campo de concentração já existente (a faixa de Gaza, com 4 milhões de infelizes) lhes dá uma visibilidade pouco atraente.De uma forma ou de outra acaba chamando a atenção e…suscitando perguntas mais antigas.

  2. Como toda a gente sabe (quem não sabe é ignorante ou mal-intencionado) não existe raça ou povo judeu, mas sim praticantes da religião judaica que são por conseguinte denominados de judeus, assim como existem praticantes de outras religiões como por exemplo católicos, budistas, etc.

    Aproveito para lhe agradecer, caro Max, todo o trabalho que tem vindo a fazer no blogue Informação Incorrecta (II), que é de extrema utilidade informativa para nós cidadãos portugueses que acompanham as suas publicações.

    Quanto à questão abordada neste "post", deixo um desafio; quem, como, quando, e porquê, foi criado o estado sionista de Israel?

    Deixo uma pequena pista, o principal impulsionador de tudo isto, é um país rodeado de água por todos os lados…

  3. Repito o que já comentei anteriormente:
    Ser Judeu não é exclusivo de quem professa a fé judaica (Torá e a Bíblia Hebraica, Talmud).
    Existem inúmeros Judeus Ateus., marxistas etc..

    "O que é judaísmo? A maioria dos judeus concordaria com o etno-historiador judeu Raphael Patai ( The Jewish Mind, 1977), que é, antes de mais nada, “consciência de pertencer”. [14] Isso equivale a dizer que o judaísmo é um modo de pensar tribalista."

    1. "Judaísmo ateístico ou ateísmo judeu refere-se ao ateísmo professado por pessoas que são etnicamente e, em certa medida, culturalmente de origem judia. Porque o judaísmo engloba componentes étnicos e religiosos, o termo "ateísmo judeu" não implica necessariamente uma contradição. Com base na ênfase da lei judaica em descendência matrilinear, mesmo as autoridades religiosamente conservadoras do Judaísmo Ortodoxo aceitam um ateu nascer de uma mãe judia como sendo totalmente judeu. Um estudo recente descobriu que metade de todos os judeus americanos têm dúvidas sobre a existência de Deus, em comparação com 10-15% de outros grupos religiosos americanos."

  4. Nada como um bom churrasquinho para comemorar!
    Jeova esta meio sem-vergonha aceitando sacrifício de ovelha perneta ou
    o "bicho" está morrendo de fome?

    1. O blog Grazia Tanta tem muito conteúdo aproveitável, mas tem uma peculiaridade que me faz pensar em George Soros. É altamente crítico do capitalismo, do sistema, mas simplesmente desconsidera o fator judeu, menospreza o sionismo e os processos conspiratórios. Falha de premissa, e fatalmente comprometedor…

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: