A estúpida ideia de Pepe Mujica

Observo os programas nas televisões brasileiras e vejo bairros alucinados, casas em condições
miseráveis que na Europa nem seriam utilizadas para arrumar um carro.

Depois vejo as declarações de Pepe Mujica:

Se tivesse que promover o Plano Juntos, pediria não menos de que mil soldados, pagaria-lhes mais alguns pesos do que ganham, o que é uma miséria. Se os enviarmos para o Congo e outros lugares, então podem trabalhar para construir casas humildes, com custos menores.

O Plano
Juntos é o projecto da Uruguay que prevê a construção de 3.000 residências até o ano de 2020. O antigo Presidente do País sugere a utilização do exército para abater os custos: Mujica reconhece que a sua ideia não é uma solução definitiva, mas poderia dar um “forte impulso para favorecer os sectores mais pobres da sociedade”.

O Senador observa que os custos da construção no mercado são praticamente “impossíveis”, então eis a ideia de utilizar os soldados:

Em vez de fazer os simulacros, poderíamos ter uma massa de soldados que constroem casas humildes e de baixo custo. Uns 20.000 Dólares por casa. Com as clássicas exigências do sector da construção, isso é impossível para uma casa de 50 ou 60 metros quadrados.

As grandes ideias não devem ser obrigatoriamente geniais: a simplicidade é uma terrível mais valia.
Utilizar soldados do Estado para que o Estado ajude as classes mais desfavorecidas é uma ideia simples. Por isso é uma grande ideia.

Eu sei que vão dizer-me que isso retira o negócio das empresas, mas não tira nada porque as empresas não trabalham se não houver dinheiro. Podem trabalhar para um público com maior poder de aquisição.

O raciocínio parece funcionar. E não é um problema de mera assistência social, de “caridade”, mas um problema de futuro:

Se quisermos que as árvores cresçam direitas, que as crianças tenham mais direitos, a questão de uma casa humilde mas decente que lhes permita crescer é uma condição sine qua non. Este é o treino e a educação para o futuro, não se trata de ajudar de graça. É uma conveniência de médio prazo para toda a sociedade.

Eliminar as classes mais pobres, eleva-las para um patamar superior, é uma mais valia para toda a
sociedade. O futuro é construído também desta forma, com condições básicas para poder crescer: não entende-lo significa perpetrar uma sociedade feita de injustiça, discriminação, inevitáveis fricções, criminalidade.

Digo isso porque no Plano Juntos chamámos pessoas das unidades militares que ajudaram, para fazer grandes movimentos de terra em Piojo Cachimba. Não se trata de construir palácios, mas casas de material humilde mas dignas, e isso é possível. 

Claro que é possível, a questão é outra: vontade.
E voltamos ao Brasil.

O País gastou em 2016 (últimos dados disponíveis no SIPRI) 1.3% do seu PIB (o Produto Interno Bruto) no sector militar: uma percentagem que nos continentes americanos ultrapassa a República Dominicana (0.6%), El Salvador (0.9). Guatemala (0.4), Jamaica (0.8), México (0.6), Trindade e Tobago (1.1), Canada (1.0), Argentina (1.0) e Venezuela (0.3).

Para sermos mais precisos, em 2016 o Brasil gastou 82.594.000.000 Reais, o que não é pouco, e continua entre os primeiros 15 Países do Mundo que mais gastam no sector dos armamentos (ocupa a 11ª posição).

Dado que o Brasil não arrisca ser atacado pela Guyana nos próximos tempos e dado que actualmente o Exército Brasileiro conta com uma força de 219.585 homens no activo (dado de 2014), porque não utilizar uma parte deles nas obras de construção, recuperação e remodelação daqueles bairros mais desgraçados que abundam no País? As “forças de guerra” podem (e deveriam) ser utilizadas em tempo de paz para obras em favor das comunidades: por qual razão o Estado não pode utilizar os instrumentos dele para abater os custos duma obra que favorece a inteira sociedade? É uma ideia tão estúpida?

Eu sei que o Brasil tem outros problemas também, mas conceder uma vida digna a milhões de pessoas não deveria ser uma prioridade em qualquer altura?

Para já, eis as ligações ao Plano Junto da Uruguay no caso de construção, aluguer e reestruturação.

Ipse dixit.

Fonte: Latinoamérica Exuberante

39 Replies to “A estúpida ideia de Pepe Mujica”

  1. Se as Forças Armadas não são essências, como na Islândia, as suas funções podem ser repartidas pela Policia e pela Proteção Civil e o orçamento redistribuído. Se a construção civil é fundamental e entendida como uma função essencial do estado, deve ser criada uma estrutura com profissionais e especialistas da construção. Pôr os soldados a construir enquanto o sector dos presidiários / das pulseiras eletrónicas / das apresentações periódicas, os " profissionais" do rendimento mínimo os "especialistas" do subsidio de desemprego, os insolventes que conduzem Porches, os refugiados de passagem para a Alemanha a assistir e a "coça-los" para depois ir habitar também essas casas? E quando faltarem médicos nos hospitais ? já temos um precedente… vão lá os soldados ? E se tu precisares de uma cirurgia o que achas da ideia? Não conheço a realidade do Uruguai, mas acho que conheço a realidade do meu pais e neste contexto essa ideia não é estupida porque a estupidez pode ser inocente, acho a ideia perigosa. Temos demasiados militares? Reduzimos os quadros! As soluções rápidas e baratas tendem a revelar-se caríssimas no futuro para não dizer desastrosas.

  2. Olá P. Lopes!

    Não se trata de transformar os soldados em arquitetos! Para mexer um balde cheio de areia ou uma pilha de tijolos são suficientes os músculos, o cérebro pode continuar desligado. No entanto, são tarefas que precisam de algum tempo, que pode ser poupado a quem sabe construir para fazer mais ou para reduzir o tempo de contratação e poupar.

    É um pouco como os soldados que ajudam a limpar as florestas aqui em Portugal ou em Italia: não se tornam engenheiros florestais mas dão jeito.

    Abraçooooooooooooo!!!

    1. Compreendo, chama-se : "Desenrrascar" é uma das nossas maiores virtudes e o seu abuso é uma das razões do nosso atraso. Prefiro planear em vez de desenrrascar. Construir uma casa é uma tarefa exigente muito para além de carregar baldes e tijolos e gerir um país não será como gerir um acampamento de férias.

    2. Max, preocupa-me o facto de ser bem aceite socialmente relegar aos militares tarefas que não lhe competem e partindo da tua observação de que poderão continuar a trabalhar com o cérebro desligado, parece-me que existe um sentimento coletivo de que os militares não servem para grande coisa e que já que ali estão podem fazer qualquer coisa "útil", mas este sentimento creio que não é extensível aos outros sectores da função pública. Este blog parece ser frequentado por pessoas que contrariamente ao geral veem para além do comum e que terão consciência que as calamidades do passado lá porque não ocorreram no nosso tempo de vida não estão isentas de se repetir, se um pais possui fronteiras historicamente polemicas e /ou possui recursos naturais cobiçados, não tendo Forças Armadas, tem um vazio de poder, cuja ganância internacional o torna ainda mais cobiçado, todos nos aqui leitores sabemos bem dessa ganância e melhor sabemos o poder de uma " false flag" ou das razões "pseudo- humanitárias". Neste contexto e sempre aludindo ao exemplo de Portugal a ideia do texto a longo prazo é desastrosa no limite do criminoso, que as F.A. estarão desajustadas… com excesso de quadros de topo…mal adaptadas á realidade, concordo com tudo, mas a ideia do texto no nosso contexto português ( que do Uruguai nada sei) não só não resolve como torna a solução cada vez mais distante. Parece-me mais uma sabotagem que uma rentabilização de meios, com o devido respeito a Pepe Mujica, que lá saberá do seu pais, e reitero, refiro-me apenas a extrapolação da ideia do texto para Portugal.

    3. Max … essa nao te ficou la muito bem.

      O meio militar é um "mundo" como todos os outros no aspecto que la encontramos quase nas mesmas proporções gente boa, gente ruim, burros, inteligentes, cisudos, alegres etc…

      A titulo de curiosidade as construções erguidas na baixa pombalina (em Lisboa) apos o sismo de 1755 foram construidas recorrendo a engenharia militar e la estão de pé ao fim destes 262 anos em melhores condições que predios com 30 anos ou menos.

      É de sublinhar a invenção da «gaiola», uma espécie de esqueleto feito com grossos barrotes de madeira e assente em estacas que atravessam o chão ao nível dos alicerces, sendo a sua função suportar os diversos pisos, apesar da possível derrocada das paredes no decurso de um terramoto.
      Para evitar fogos introduziram-se corta-fogos e passou a deixar-se uma distância calculada entre os prédios.

      http://www.citi.pt/cultura/historia/personalidades/marques_pombal/reconstrucao.html

      As notas para ingressar nos cursos de engenharias, piloto aviador, medicina e administração na academia militar, na academia da forca aerea e escola naval sao mais altas que na maioria das universidades civis.

      No meio militar nao ha so massa bruta.

      EXP001

    4. @P. Lopes

      Os militares na sua maioria gosta de ajudar as populacoes da nação.
      A serio, a vida numa base militar chega a tornar-se monotona e sabe-lhes bem sair para tarefas nao rotineiras e sentir o apreço e admiração das pessoas.
      E isso e bom, aproxima as populacoes da instituicao militar e esta ganha outras valencias.
      No caso do patrulhamento das florestas.
      No caso de apagar incendios, tarefa que alias foi retirada a Força Aerea contra a sua vontade e deu nos negocios obscuros que bem temos conhecimento e nas catastrofes de todos os Veroes Portugueses.
      No caso de busca e salvamento.
      E outros mais.

      Na questao do construir casas de habitacao permanente nos dias de hoje e situação actual em Portugal nao vejo razoes para a intervencao militar.
      No Brasil porem talvez nao fosse ma ideia limparem aqueles morros e construirem algo em substituicao com condicoes de :
      – dignidade
      – higiene
      – segurança de construcao pois se algum dia ha uma derrocada ou sismo vem tudo por ai abaixo e vai ser uma catastrofe nada bonita de se ver e resolver.
      – seguranca para as pessoas e policia recorrendo a um bom ordenamento com construcao que dificulte as actividades criminosas e facilite a intervencao da forças de segurança.

      Em relação a necessidade das Forças Armadas.
      Sinceramente custa-me sentir a ignorancia e leviandade com que muitas pessoas se referem a elas.
      Mas tal tambem se deve porque:
      – a instituição militar em Portugal exista quase segregada
      – a suas missoes nao sao divulgadas
      – os seus feitos nao sao dados a conhecer
      (tanta gente que foi salva pelos helicópteros da força aerea recolhidos do mar ou transportados para o hospital, quantos pescadores foram ajudados pela marinha de gurrra Portuguesa, houve um caso em que os pescadores ficaram a deriva e a fragata teve de os ir buscar quase ao triangulo das bermudas e rebocar de volta para os Açores )
      – as operações de pesca ilegal, trafico de droga que sao impedidas

      Este breve documentario de 23 minutos revela bem o que acontece a um pais sem forças armadas

      A verdade sobre os piratas da Somália (completo e legendado)

      Como na Somalia nao teem marinha de Guerra para proteger a sua zona economica outros paises foram la e roubaram-lhes o peixe todo.
      Como ja nao havia peixe nas aguas da Somalia outros paises começaram entao a despejar residuos quimicos, biologicos e nucleares altamente perigosos.
      Em 2004 houve o tsunami no sudeste asiatico e os barris com toda essa porcaria foram dar a costa. Triste e apocalitoco espetaculo ali montado pelos paises supostamente civilizados que em vez de tratarem a porcaria que fazem preferem descarrega-la nos que estao indefesos porque assim poupam muito dinheiro.

      Ou seja … muita gente so dara valor as forças armadas quando sentirem a faalta delas.

      EXP001

    5. Olá P. Lopes, Olá Exp!

      Parece que consegui transmitir das forças armadas uma ideia negativa, lamento. Mas continuo a não ver na possibilidade de usa-las em actividades de publica utilidade um "rebaixamento" ou uma "catástrofe". Aliás, vejo nisso uma mais valia e uma forma de aproximar as FA à sociedade.

      Em Italia o exército (que é profissional) foi utilizado para resolver a questão dos resíduos na zona de Napoli em 2012: removeram 37 mil toneladas de lixo urbano e não houve nenhuma aflição.

      Em Países menos ricos (é o caso da América do Sul) utilizar as FA para tarefas simples mas urgentes parece-em coisa bastante natural. Se for verdade que construir casas não é tarefa deles, também é verdade que há muito que o exército pode fazer neste âmbito para conseguir poupanças à colectividade.

      Isso não significa que o exército seja composto por burros ou génios: trata-se só de rentabilizar um instrumento que o Estado tem. É claro que em Portugal não há necessidades deste tipo (ainda bem), mas nem todo o mundo tem o mesmo nível de vida daqui.

      Mas são pontos de vista.

      Abraçooooooo!!!!

  3. O Pepe Mujica é um homem extraordinário, e esta ideia de aproveitar uma massa enorme de militares inactivos em acções produtivas não é extraordinária, não é estupida nem tão pouco é nova. Por cá também se fala em utilizar os militares na limpeza das matas, em acções de vigilância das mesmas matas e também no combate aos incêndios.
    Por uma razão de classe ou qualquer outra, isto não avança nem cá nem lá, nem em lado nenhum.
    Aquilo que seria obvio de repente ficou muito pouco obvio.
    Talvez porque os militares não ganham o suficiente para isso, e 'forçá-los' a trabalhar a troco de um salário baixo seria quase trabalho escravo.
    Com os presos esta situação parece ser ainda mais desequilibrada.

    1. Estou completamente de acordo Pepe Mujica é um homem extraordinário,respeito incondicionalmente mas a ideia não me parece extraordinária aplicada em Portugal não é una solução mas um problema, no Uruguai não sei, não conheço, não comento. O facto de alguém ser extraordinário, como é, não significa que eu tenha de concordar com tudo,discordo mas respeito e procuro fundamentar.

    2. Caro Krowler! O Estado é uma máquina à serviço de elites dominantes. E suas prioridades são ditadas por esses segmentos. A precarização social é essencial para que minorias enriqueçam, e em grande parte, o Estado intervem através dos impostos. A única preocupação fora disso é propaganda.

    3. @Chaplin
      É por haver tanta gente a pensar assim como tu, que o estado é uma máquina ao serviço de elites dominantes, que as coisas estão como estão.

      O estado é o que um povo faz dele. Se esta a ser uma máquina ao serviço de elites dominantes é porque o povo deixa (pode ser por preguiça, por ignorancia, falta de cultura de intervencao).

      O teu discurso assenta sempre :
      – na impossibilidade de mudar o rumo dos acontecimentos
      – no fado (nao no sentido musical)
      – na inevitabilidade da dominação
      – que tudo e todos é controlado pelas elites dominantes que claro e obviamente sao controladas pelos sionistas… so pode ser… certo.
      So falta mesmo elevares esses grupos ao estatuto de deuses.

      Ja por diversas vezes me interroguei se nao seras um desses programas feitos para escreverem nas caixas de comentarios dos blogs e sitios noticiosos pois o teu discurso e tao condicionante e vago que mais parece estar a fazer a propaganda da inevitabilidade ao serviço das elites dominantes controladas pelos sionistas.

    4. Engana-se. Não trata-se de simplesmente pensar. É constatar! E isto não depende de gostar/assentir ou não. Quanto ao povo, tua visão é invertida, pois o povo é consequência da soma de indivíduos extremamente precarizados no sentido existencial, e não causa da realidade construída. E assim permaneceremos, inevitavelmente sim, pois a verdadeira revolução é estritamente interior e exige, inexoravelmente, capacitações não acessadas. Quanto a quem domina o mundo, não são deuses, mas são aqueles que tornaram o dinheiro o teu "deus".

    5. Hummmm
      Aqui o nosso caro comentador Chaplin refere:
      "indivíduos extremamente precarizados no sentido existencial, e não causa da realidade construída"
      Estara a querer inferir que sao seres inferiores ?

      " a verdadeira revolução é estritamente interior"
      O que lhe falta a si com toda a sua sapiencia, conhecimento vasto e inteligencia para fazer o mundo um sitio melhor para se viver, em vez de ter o constante discurso derrotista?

      "capacitações não acessadas"
      Voce admite que as tem ?
      Quais sao elas?

      EXP001

    6. Não percebes a diferença entre opinar e informar? Opiniáticos como tu já tem demais, e não servem para nada além de criar polêmicas estéreis e diversionistas.

  4. Lula utilizou e muito o Exército. Sem nenhuma modéstia, ideia minha ou coincidência, enviei um e-mail assim que tomou posse. Ver meu primo, baita engenheiro militar aposentado aos 50 anos? Foi a inspiração.

  5. Max, o governo Lula ajudou em muito na melhoria das condições de vida destas pessoas, através dos programas "Fome Zero " , "Minha Casa, Minha Vida" e "Mais Medicos", entre outros. Programas que foram idealizados pela gestão de Fernando Henrique, cuja aplicação não saiu do discurso demagógico.
    O "Minha Casa, Minha Vida" , por exemplo, proporcionou a aquisição da casa própria a pessoas que até tinham condições de pagar os juros de mercado. ( tem 2 amigos que se beneficiaram). Outros, só estão estudando num curso superior , porque conseguiram bolsas de estudo dadas pelo governo, quando outrora, eram escassas. Hoje , estas mesmas pessoas, influenciadas por uma midia podre, tornaram-se criticas do ex-presidente. É o que nós chamamos de "cuspir no prato que comeu"

    1. Sérgio e Pimon; é isso mesmo. Aliás nesse tempo no Brasil tinham um programa o pac, pac2 e grande parte feita(até ser abruptamente interrompido) com contributo dos militares, principalmente obras de infraestrutura em locais em que as grandes da infra não queriam nem saber. Muita coisa mesmo, assim foi feita com ajuda/pareceria dos militares. Aliás até se ofereceram/disponibilizaram para certas obras hoje estarem feitas.
      Depois, ordens para largar mesmo com 80% ou até mais concluido:
      Agora estão abandonadas ou algumas quase completas no abandono e tem que recomeçar quase do zero, se recomeçar.
      Aí numa sociedade de "castas" qualquer meio de informação divide a população em abcdef…
      nunca vi isso aqui.
      Isso de "cuspir no prato que comeu" talvez para alguns a maioria que tem internet banda larga(cara) e se julga mais do que é, ou que os outros(maioria) "os chamados falsos moralistas". Os outros não esquecem(mas não têm tempo ou net é para o essencial. E outros observam atónitos, e nem sabem que fazer.
      No dia 4 vão meter a pessoa com mais hipóteses fora de combate (segundo maioria/várias sondagens e nem contam os mais pobres) e provas nada de nada(imaginação vivida, mas basta). O problema é se isto acontecer vão contra parte da vontade popular), cá está aquela coisa que passa por democracia mas de nada tem a não ser ilusão.
      Vão privatizar(já estão a fazer isso com empresas que não são nunca privadas em local algum, estratégicas em qualquer nação) tudo mas os donos e quem lucra é uma minoria 3/4%, e as multinacionais
      (com quem negoceiam a percentagem), o resto vive dividido num clima de ódio cego fabricado. Se é que se celebram eleições, até já isso foi posto em causa.
      E como de costume o pensamento/planeamento a curto prazo vender e ilusão de mais riqueza= dinheiro das privatizações, que se vai pagar bem caro a curto/e mais curto- médio prazo.
      Quando quem muito cuspiu no prato que comeu, começar a não conseguir pagar contas, não tiver crédito para nada e sentir a barriga vazia, (ou até um sus sem dinheiro, logo quase inoperante, basicamente até a saúde o mais importante fica por conta do privado e de quem puder pagar em prestações+juros ou sem um) e muito mais entregas estranhas… dá um ano(lucros a curto prazo,vendas) e passado um ano e meio a coisa muda. Isso pode virar um caos, com uma certa classe média e até baixa a apoiar um indivíduo tipo Bolsonaro ou o mbl? ou o dem, cheios de ódio porque os media que por eles pensam criaram a situação, …e até mesmo os media já viram a besteira que fizeram. E já são inclusive atacados.
      Tive convite para ir para aí trabalhar (contatos familia/ amigos)recentemente, mas para quê, isso vai virar uma confusão.
      A não ser que fosse em cidades médias ou pequenas (mas aí não existe hipótese). Com esse clima e com os indicadores a baixar é uma proposta muito arriscada.
      Espero estar bem errado. Um Ciro ou até um Alckmin!
      Não interessa se deste ou daquele, alguém com cabeça e equilibrado.
      Agora populistas, e fascistas a dizer enormidades prometer coisas que sabem ser impossível, ao assistir um pouco é surreal.
      Não entendo o que pretendem para o futuro? Uma vingança e tudo vira mar de rosas automáticamente?
      Não falo de quem frequenta o ii, mas o que amigos e familiares me mostram. E tem dos 2/3 lados.
      Mas porque vem tanto brasileiro para aqui e até no YouTube muitos avisam se vem para viver honestamente ok, se for com esquemas fiquem por aí, vi uns 10 ou mais e tinha muito mais a dizer o mesmo.
      É assistir no yt: nao venha para Portugal
      Em relação ao Uruguai ou mesmo Argentina(na última já estive à muito, no uy mais recente) não é rico mas digno, podia fazer parte da Europa, favelas não vi e bem que passeamos(e nos perdemos) por Montevideo algumas casas/bairros mais humildes mas minimamente dignas e sensação de segurança sem comparação. Na Argentina mais em certas partes de B. Aires que aliás é enorme.
      @Max
      Peço desculpa pelo longo off topic, mas os 2 posts acima são bastante interessantes.
      nuno

    2. @nuno

      Ola, boa noite.

      Vou ser muito sincero e honesto contigo.

      A impressao que os Brasileiros causam a todos os niveis e muito ma, desde aqueles que teem muito dinheiro os granfinos ate ao pe descalço.
      Lembro-me de um colega de trabalho Brasilero um dia me dizer, que o Brasileiro é ruim (ehehhe confundem muito o mal com mau), que mata por uns trocos , que apunhala quem o ajuda.
      Teem a imagem de safados, vigaristas, putas, aldraboes, mentirosos, criminosos, charlatoes (ate aqui no ii tivemos e temos charlatoes e mentirosos Brasileiros).

      Que muitos daqueles que nada eram e passaram a sentir-se granfinos e depois andaram com o orgasmo da destituiçao de Dilma que em breve vao começar a ganir e arrepender-se da merda que fizeram.

      O video do Youtube que indicaste ja o tinha visto creio que a um ano atras e foi a confirmacao que sempre que ha gente boa e que pensa um bocadinho em todo o lado.
      Este é o caso e subscrevo a mensagem do video.
      Se e de outro pais e quer vir para Portugal com boas intençoes , é bem recebido.
      Nao espere daqui riqueza so podemos oferecer segurança, dignidade e conforto.
      Mas nao venha com espertezas, vigarices e esquemas, se gosta disso fique ai no Brasil que e o pais dessas coisas.

      nuno… e bom ter-te por terras Lusitanas 😉

      EXP001

    3. EXP, é pa obrigado (toalha gigante para limpar a baba!)
      sou neto de brasileiros de parte paterna e materna 50% de Itália e Judeus de Zaragoza o resto é mesmo daqui mas com ligações a Inglaterra, EUA (várias partes) e Brasil também. Uma confusão.
      Honestamente sou aquele tipo que na vida mesmo vendo esquemas nunca quis tirar proveito de nada nem de ninguém(já me elogiaram nisso!), mas num mundo um pouco fdp isso nunca me abriu portas, muito pelo contrário. Vive e deixa viver é o lema.
      Em relação ao vídeo tem até da semana passada, uns 20/30 ou mais a dizer o mesmo por outras pessoas e palavras. E isso prova que
      não, embora a imagem possa ser má tem uma maioria silenciosa que consegue ter ainda mais valor, no meio dessa mentalidade de aproveitamento, e outros fatores não se deixam contagiar, são amigos a sério.
      A mentalidade varia conforme época e local, perguntei porque não recordava porque a primeira vez que lá moramos em toda a casa a empregada/criada br.usava farda e a Teresinha na nossa não é era quase como membro da família?
      Eu e o teu pai perguntamos como se sentia melhor, os outros no bairro não perguntavam, simplesmente punham os punham no seu lugar era status social …nós somos portugueses, além de que é ridículo e um costume de épocas antigas.
      Entendeste EXP? Já vem de trás e mais…
      É bom ter te aqui e a muitos outros.
      Sendo Páscoa e agnóstico respeitando os outros vou deixar essa mensagem de um senhor da Argentina que tem mais sentido que os precedentes e que muitos dos eleitos mundo fora:

      https://www.rtp.pt/noticias/mundo/e-melhor-ser-ateu-do-que-catolico-hipocrita-defende-papa-francisco_n984891

      nuno

  6. Vai, Barracão/ Pendurado no morro/ me pedindo socorro/ a cidade a teus pés/ Vai, Barracão/ Tua voz eu escuto/Não te esqueço um minuto/Porque sei que tu és/Barracão de zinco/ Tradição do meu país/ Barracão de zinco…”

    Musica dos anos 50

  7. Vocês são loucos, demagogos e manipuladores Lula foi o maior paria da história recente e o Brasil só não é uma Venezuela justamente pela honradez de seus generais. Talvez por isso a esquerda tenha ódio deles. Viva revolução de 31 de março, viva o Brasil!!!

    1. Nao , nao somos nem loucos, nem demagogos, nem manipuladores.

      "…Viva revolução de 31 de março…" ???????????????
      Para alguem que se quer assumir de direita voce com esse discurso mais parece um revolucionario comunista esquerdista hehehhehehe.

      Mas adiante, creio que pretendia referir-se ao Golpe Militar de Estado no Brasil em 31 de março de 1964.
      Sim … tao patriotas eram os Generais como todos os outros na cadeia de comando. Tinham sentido de estado, o sentido de nação e faziam o que achavam melhor para o seu pais. Os metodos e forma de agir sao discutiveis mas o sentido de patria nao.

      Mas lembre-se antes de citar a antiga ditadura Brasileira, que gente e vendidos como voçe que apoiam a doação das riquezas do Brasil a paises e empresas estrangeiras, que lambem as botas aos :
      – que sabotaram o programa nuclear Brasileiro (ai ate que estou de acordo, Brasil com capacidades nucleares é pior que a Coreia do Norte)
      – que sabotaram o programa espacial Brasileiro
      na epoca da ditadura seriam atirados das alturas de um aviao em direccao as profundezas do oceano.

      Outra coisa desprezivel era e é a baujulação aos eua. Claro os Norte-Americanos agradecem,gostam e ate tratam afavelmente os vendidos que estupidamente pensam estar a ser muito bem vistos. Mas nao. Os Norte-Americanos sao patriotas e o que mais desprezam sao traidores e vendidos mas tratam-nos bem enquanto precisam para deitar a mao as suas riquezas.

      Em relação a Venezuela. Voces brasileiros pseudo-armados em direita teem sempre a necessidade de se comparar com os piores exemplos para ficarem bem na fotografia.
      Comparem-se com o Sudao ou a Liberia ou entao a Somalia assim ficariam muito…mas muito melhor 😉
      E agora ? Ainda dizes viva o brasil, seu paria.

    2. O Lulinha é um produto made Golbery do Couto e Silva! E as esquerdas que vingaram pós-golpe 64 são produtos do fabianismo judaico alemão. Aqui não se passa "cachorro" nem apologias patológicas como nas redes sociais!!

    3. Boa Chaplin, gostei.

      Sinto que finalmente estas a sair do armario e a mostrares o que realmente pensas mas nunca dizes.

      Va la. diz o que reamente pensas, o que realmente achas, o que achas bem e desejas. Sem medos, sem tretas, sem linguagem vaga, va assume-te, se homem e defende as tuas ideias, as tuas conviccoes.
      Explana o a tua visao das coisas , do mundo abertamente, utiliza pelo menos 100 palavras ou 1000 caracteres… nao pagas mais por isso

      EXP001

  8. Milicos não passaram de agentes operativos do pool de grandes corporações estadunidenses, os verdadeiros patrocinadores do golpe. Patriotismo é como liberdade e democracia…PROPAGANDA como pretexto para golpes!!!

  9. Viva o Brasil! E sua gente verdadeira como os gaúchos que expulsaram o larápio molusco na peia. Você que é pária vendido aos comunas verme sem caráter

    1. Brasil ame o ou deixe o.
      Propaganda dos anos 70 dos eleitos militares no poder.
      Gaúchos ou 30 ou 40 caras que nem respeitar os outros sabem?
      É isso a democracia que apregoam, ou mentalidade senhorial terceiro mundista ao estilo Honduras, Guatemala… se forem a votos quero ver se 30/ 40 ou mais embustes e pseudo moralistas fazem a diferença? 50 no meio de 11 milhões, tem certeza, ou a certeza que deseja ter.
      Comunas? Onde? Me desculpa onde?
      E Comunas com dinheiro para comprar?
      Se souber responder gostava de ler? Ou será o desequilíbrio que faz um local com 96 Portugais e 20hab por km2(aqui é mais de cem) estar nos 10 mais violentos do mundo, cadeias em 3°) e se a culpa é daqui lol olha estamos nos 3 melhores só que na lista positiva segurança).
      Nenhum governo aí governou sequer à esquerda foi ao centro com preocupações sociais ou ao menos apaziguar, mas os exploradores do outro e muitos esquemas não deixaram. E vivam os mais de 10% que já conseguiram baixar no nível de vida, o desemprego a aumentar sem/ com carteira. E parabéns pela venda do pé-sal a ExxonMobil a embreaer e o que se segue. Salve Temer que Maia vem aí!
      Viva o Bolsonaro e bandido que não pensa como eu é bom é morto.
      Ámen aleluia
      Olha vai rezar ao uncle sam, ele ri.

      n

    2. "Viva o Brasil! E sua gente verdadeira como os gaúchos que expulsaram o larápio molusco na peia. Você que é pária vendido aos comunas verme sem caráter "

      Estilo de expressao basico,que demonstra a incapacidade de elaborar raciocinios (o que é evidente pelo conteudo) exercido por pessoas de nivel cognitivo abaixo de baixo que na ausencia de conseguirem estar calados recorrem ao palavreado ja gasto (o que revela incapacidade de surgirem com coisas novas). Va la, pelo menos ja nao utilizam o bode expiatoria das bruxas que era muito utilizado na idade media. Conseguiram actualizar-se ate a epoca da guerra fria. Muitos parabens.

  10. Parece-me mais um recalcado, não temos culpa de nossas imensas riquezas enquanto teu país só produz cortiça, desculpem -me os outros que não merecem ouvir Isso, mas você é um infeliz mesquinho é invejoso.

    1. Anónimo por acaso estou a falar mal do país e das pessoas! Ou de maus exemplos no meu ponto de vista?
      Aliás o que não faltam aqui são conterrâneos teus/meus* que de sua forma e no essencial não pensam muito diferente. Cada cabeça sua sentença.
      Estou a insultar alguém? Numa democracia é normal que uns apoiem uns ou outros, senão era tudo igual.
      Mas agradeço os juízos de valor feitos por alguém que não conhecem minimamente e sequer onde está.
      Agradeco além do pequeno curso de introdução à psicologia sempre de uma forma desrtrutiva, até a dor de cotovelo.
      Peço desculpa se não concordo. Se falo num país 96× maior com imensas capacidades decerto não é por desejar mal, ou os familiares e amigos que aí tenho. Muito pelo contrário, só desejo o melhor.
      Mas obrigado, agradeço fico a saber que não vale perder tempo com anónimos que tudo sabem e todos insultam e nem sabem o que é estabelecer um diálogo ou uma ponte. Obrigado pelo esclarecimento.

      nuno

  11. Olá a todos. Max eu concordo que a idéia do Mujica é ótima e viável mas já realizada onde e quando houve interesse da governança. No Brasil de hoje não há. Abraço

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: