Bancos suíços: o dinheiro saudita fica

Mohammad Bin Salman

Notícia extremamente interessante da Suíça: vários bancos helvéticos recusaram o pedido da Arábia Saudita para confiscar e transferir a riqueza dos príncipes sauditas detidos após a purga “real” dos últimos meses, uma purga que tinha sido conduzida sob a direção do Príncipe Herdeiro Mohammad Bin Salman.

Lembramos que no passado Novembro uma centena de figuras influentes da Arábia Saudita, incluindo príncipes, altos oficiais e empresários, tinham sido presos e detidos num hotel de Riad sob o pretexto da luta contra a corrupção. Na verdade, o objectivo de Bin Salman era outro: uma conspiração de Palácio ditada também pelo interesse do
príncipe em apropriar-se do dinheiro dos seus possíveis rivais políticos.

Desde então, cerca de 400 membros da elite saudita foram colocados sob
detenção no Hotel Ritz Carlton da capital saudita. Uma “prisão” de luxo, sem dúvida, mas sempre prisão. Com esta manobra, o Estado
saudita obteve cerca de 107 bilhões de Dólares.

O Hotel Royal Carlton em Riad

E é aqui que as coisas se tornam ainda mais interessantes: o Príncipe Bin Salman obteve o apoio do Presidente dos Estados Unidos,
Donald Trump, enquanto todo o Ocidente aplaudiu a operação como uma “modernização” do reino saudita. Por qual razão os bancos suíços ora negam a transferência dos fundos?

O que Riad tenta confiscar é o dinheiro para financiar, entre outras coisas, os grandes contratos de armas assinados com Washington durante a anterior Administração democrata. Mais uma prova da guerra interna em pleno desenvolvimento nos Estados Unidos. No entanto, como vimos, a Suíça trava este plano: os bancos suíços recusaram a entrega dos muitos bilhões presentes nas contas de príncipes e empresários sauditas.

Entre as instituições que recusaram cumprir os pedidos das autoridades sauditas estão Pictet, UBS, Lombard Odier e Credit Suisse. De acordo com o Financial Times, os bancos afirmam que as tentativas sauditas de roubar os fundos dos seus clientes não serão toleradas. Bin Salman espera obter da “purga” perto de 800 biliões de Dólares, dos quais 400 guardados nos cofres suíços.

Ipse dixit.

Fonte: Al Manar, Caputo & Partners

5 Replies to “Bancos suíços: o dinheiro saudita fica”

  1. Sobre esta noticia, não se ria ou se chore.
    Por um lado, parece que Riad quer o dinheiro para comprar armas. Por outro lado a grande finança internacional 'vota' contra.
    Vamos ver os desenvolvimentos nos próximos tempos desta história.

  2. Não entendi. Não é uma atitude normal desses bancos reter o dinheiro que lhes foi confiado? A credibilidade deles não reside justamente em guardar com carinho e atenção todo produto de roubo e rapina que lhes chega?

Obrigado por participar na discussão!

%d bloggers like this: