Pro-memória: Rothschild e bancos centrais

O tempo de leitura estimado deste artigo é de 0 minutos

Só poucos dados.
Justo para não esquecer.

Em 2000 eram 7 os Países sem um banco central controlado pela família Rothschild:

  • Afeganistão
  • Iraque
  • Sudão
  • Líbia
  • Cuba
  • Coreia do Norte
  • Irão


    Depois houve o 11 de Setembro e Iraque e Afeganistão perderam o controle do próprio banco central. Os Países ficaram assim reduzidos:

    • Sudão
    • Líbia
    • Cuba
    • Coreia do Norte
    • Irão

    O banco central da Líbia foi reactivado em tempo recorde, o Sudão perdeu-se ao longo do caminho também; assim os únicos Países com um banco central ainda não nas mãos da família Rothschild são os seguintes:

    • Cuba
    • Coreia do Norte
    • Irão

    Não sei porquê, mas tenho a sensação que o elenco será encurtado nos próximos tempos.

    A propósito: os Rothschild nem são uma família hebraica.
    Mas disso vamos falar uma próxima vez, pode ser?

    Ipse dixit.

    Fontes: Neovitruvian

    11 Replies to “Pro-memória: Rothschild e bancos centrais”

    1. Olá Max: ficaria imensamente grata se pudesses nos orientar sobre a relação da distinta família em questão (Rothschild) e os bancos centrais na América do Sul, inclusive Brasil. Abraços e recomendações a Leo e Guida.

    2. Boas…

      Rothschild!!!

      Breve breve… São os donos do Banco de Inglaterra e Lideram o Movimento Freemason Europeu… São os principais donos da FED/USA… Até 2004 o Rothschild Bank International "fixava" o valor diário do ouro! Estiveram envolvidos no ópio chinês, no tráfico de escravos africanos… Foram financiadores de bué de guerras e conflitos…

      ah… aí o man do BcB andou pelas terras de suas Rothschild (inglaterra) onde por certo levou com a cartilha!

      como vez maria isto é que é uma FAMÍLIA!!!!!

    3. Um desejo de Maria é uma ordem.

      Só que é preciso um pouco de tempo: já tentei "espreitar" no assuntos e não é fácil obter informações.

      Mas vai ser feito, acho importante. A ideia até seria conseguir desenhar uma rede das interligações bancárias/empresariais/familiares internacionais. E isso demora. Sem contar que poderia ser o "canto do cisne" do blog 🙁

      Vou tentar começar com a América do Sul.

      Abraço!!!

    Obrigado por participar na discussão!

    %d bloggers like this: